• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Discussão [1ª temporada] Episódio 7 (com spoilers)

Qual sua nota para o sétimo episódio da primeira temporada?


  • Total de votantes
    40
  • Votação encerrada .
@Kimberly Raabe vai demorar a semana inteira só pra escrever o post dela sobre esse episódio. Acho que toda cena teve algo mal feito ou sem noção...

Dei nota 6, mas mais em comparação com a nota que dei nos anteriores. A vontade era de dar um 5.

Minha cara assistindo o episódio:


4154bfe0af03d88b077d0eb329810cbcbc5610ed.gifv
Tô igual você e o jornalista da Forbes:

rapidamente desliguei para salvar a pouca sanidade que me restava.
Isso é tão estúpido que eu quero gritar.

O que eu poderia dizer mais. Gente que não morre com lava ou fogo mas morre esmagado. Gente que não fica cego com lava mas fica com brasa. Uma das filhas do Hobbit quase morre xeretando o maluco lá da árvore, daí ele começa a fazer as loucuras dele e o povo vê uma criança se aproximar e não faz absolutamente nada. Parece aquelas mães irresponsáveis que andam com o filho do lado da rua em tempo de ser atropelado. Elrond falando que o Dúrin tinha que confiar nele porque era meio Elfo, não só Elfo, porque pelo visto ser Elfo agora é sinônimo de coisa ruim (o que fizeram pensadamente parecer). Depois estão os dois rachando o bico porque o Elfo mentiu, coisa que o Dúrin achou lindo e chamou ele de Anão por isso. Primor. Daí vai para aquelas cenas do Dúrin e a esposa falando um monte de besteiras. Como disse o jornalista da Forbes, toda hora tem briga, todo mundo se odeia e quando não, é sentimentalismo barato igual o pai da Nori chamando atenção por falar o óbvio ("somos pés-peludos") e dizendo que o mérito deles é o grande coração, coração do povo que abandona os outros para a morte. Dúrin surpreso com a folha curada sendo que eles estavam caçando mithril por-causa-só-disso, ou seja, todo mundo fazendo as coisas por puro impulso sem ter motivo de nada como tresloucados. Claro, fora a questão onde nada indica que nenhum Elfo irá morrer, nem sequer alguém ficando com o corpo negro, os olhos, desmaindo, emagrecendo, empalidecendo. Nada. O mesmo erro de novo. Elrond e ele conseguem encontrar o que uma equipe inteira, claro, que nunca foi mostrada, não conseguiu em algumas horinhas no máximo. Elendil abandona o filho e um cavalo que tem que salvar, no mínimo, talvez, pra imitar a cena do Aragorn do cenourinha. Galadriel arranja um filhinho pra ela cuidar e vem com papo de que tem marido depois de ficar flertando e berrando atrás do psicopata-Sauron. Dúrin filho é deserdado e como os produtores acham que o público é muito tapado, tiveram que criar uma extensão da cena que ele joga o colar no chão com o Dúrin explicando que não era do filho mais ou seja, aí onde, sim, seria aplicável, poderiam ter deixado na entrelinha, coisa que a gente tem que fazer o tempo todo quando o roteiro deixa um monte de abismos no caminho como o acampamento de Númenor que não teve um frame de segundo mostrado antes e aparece quando e onde os escritores querem. Dava pra ter usado o tempo daquela meia hora de cena da Galadriel olhando absolutamente nada no meio do fogo. Poppy cantando feliz uma música linda sobre um pai que comeu a filha porque foi transformada num caracol. Tão agradável e nada traumatizável como aquela cena da Alice que a lontra come as ostrinhas.


A Nori novamente com seu senso de autodestruição achando que ia enganar as bruxas assim de graça e ganha um incêndio. O povo nem fica com medo de eles mesmos serem feitos de torrão e a cena acaba sem mostrar o que aconteceu com o trio, nada.
Numenorianos que foram lá no Sul só pra passear, Halbrand que está morrendo num segundo e noutro passeando de cavalo, povo da vila Hobbit falando que vai atrás do Estranho por amor e o roteiro deixa o público pensar isso quando na verdade eles só querem comida fácil e proteção agora que perderam tudo, Balrog aparecendo do nada sem nenhum suspense sobre ter qualquer coisa abaixo da montanha (talvez uma fala de meio segundo da Disa que não cria nenhum clima de curiosidade) e por fim aquela obra prima do cinema moderno onde um zé ninguém nomeia Mordor usando uma legenda na imagem! Legenda! Foi tão fantástico que o jornalista da Forbes nem tinha visto.

Simplesmente uma catástrofe sem limites. Ainda bem que só vem o de amanhã e chega porque minha mente não aguenta ser insultada com esse desleixo e amadorismo por tanto tempo. Se trata de um roteiro igual o que crianças de 9 anos fazem: acontece tudo o que ela quer, na hora que quer, porque ela quer, sem razão, sem contexto e num tempo tão curto como se fosse um resumo mal feito de qualquer coisa que a gente faz de boca no improviso. Eu não consigo processar isso, é inviável. Como alguém pode fazer uma estupidez assim e mandar pra milhões de pessoas assistirem como se fosse normal e ainda encher o marketing de narrativas e propaganda enganosa como se quem vê fosse louco por não gostar?

Enquanto isso no País de Alice: https://ovicio.com.br/os-aneis-de-poder-recebe-certificado-fresh-no-rotten-tomatoes/

Conseguir um certificado Fresh é o ponto mais alto que a produção pode alcançar no site, pois precisa ser universalmente elogiada para conquistá-lo. A pontuação geral deve ser superior a 75%, sendo que cinco avaliações devem ser de veículos grandes.

É brincadeira? Só 💸💸💸. É simplesmente uma guerra de propaganda onde os olhos do público não valem mais que o martelo da mídia sobre a qual o mesmo público não tem nenhuma influência.

Mas o pior não é isso, o pior é ver coisas do tipo na internet: "Galadriel traíra, correndo atrás do Halbrand sendo casada."

Ou seja, o público que teve contato com os filmes achando que aquela personagem realmente foi assim no passado, que essa bobagem de série trata de fatos reais. É como eu venho dizendo, pior que proibir é reescrever uma história porque a ligação imaginativa estará feita, a semente da relativização para colocar e justificar o que não existe aparece e tudo o que era deixa de ser numa reescrita sempre para o deboche, a depreciação, o escárnio e o mal: Hobbits sujos e egoístas comedores de lesmas, Elfos e Anões desonrados, mentirosos, enganadores, profanos, frios, apáticos, assassinos ou instáveis mentalmente. Numenorianos fracos, atrapalhados, estúpidos e débeis.

Ou coisas piores ainda: "achou a série chata? Pois não leia os livros porque são iguais".

Lamento muito ter que estar aqui nesses tempos para presenciar essas coisas.
 
Última edição:
Dos pontos levantados aí, alguns bem pertinentes inclusive, o dos Hobbits é disparado o mais real.

Povo que literalmente deixa quem não conseguir migrar pra trás todo ano, mas se enxergam com um baita coração grande é foda hein? "Nós protegemos uns aos outros - desde que consiga puxar sua carroça por centenas de quilômetros" é bem merda mesmo.

E aí o mesmo povo que abandona irmãos e irmãs nessas migrações todo ano, resolve montar uma equipe de busca pra salvar um gigante estranho, porquessim.


________

Enfim, hate a parte, temos que concordar que o roteiro está bem longe de ser o ponto alto da série. :lol:
 
Tô igual você e o jornalista da Forbes:




O que eu poderia dizer mais. Gente que não morre com lava ou fogo mas morre esmagado. Gente que não fica cego com lava mas fica com brasa. Uma das filhas do Hobbit quase morre xeretando o maluco lá da árvore, daí ele começa a fazer as loucuras dele e o povo vê uma criança se aproximar e não faz absolutamente nada. Parece aquelas mães irresponsáveis que andam com o filho do lado da rua em tempo de ser atropelado. Elrond falando que o Dúrin tinha que confiar nele porque era meio Elfo, não só Elfo, porque pelo visto ser Elfo agora é sinônimo de coisa ruim (o que fizeram pensadamente parecer). Depois estão os dois rachando o bico porque o Elfo mentiu, coisa que o Dúrin achou lindo e chamou ele de Anão por isso. Primor. Daí vai para aquelas cenas do Dúrin e a esposa falando um monte de besteiras. Como disse o jornalista da Forbes, toda hora tem briga, todo mundo se odeia e quando não, é sentimentalismo barato igual o pai da Nori chamando atenção por falar o óbvio ("somos pés-peludos") e dizendo que o mérito deles é o grande coração, coração do povo que abandona os outros para a morte. Dúrin surpreso com a folha curada sendo que eles estavam caçando mithril por-causa-só-disso, ou seja, todo mundo fazendo as coisas por puro impulso sem ter motivo de nada como tresloucados. Claro, fora a questão onde nada indica que nenhum Elfo irá morrer, nem sequer alguém ficando com o corpo negro, os olhos, desmaindo, emagrecendo, empalidecendo. Nada. O mesmo erro de novo. Elrond e ele conseguem encontrar o que uma equipe inteira, claro, que nunca foi mostrada, não conseguiu em algumas horinhas no máximo. Elendil abandona o filho e um cavalo que tem que salvar, no mínimo, talvez, pra imitar a cena do Aragorn do cenourinha. Galadriel arranja um filhinho pra ela cuidar e vem com papo de que tem marido depois de ficar flertando e berrando atrás do psicopata-Sauron. Dúrin filho é deserdado e como os produtores acham que o público é muito tapado, tiveram que criar uma extensão da cena que ele joga o colar no chão com o Dúrin explicando que não era do filho mais ou seja, aí onde, sim, seria aplicável, poderiam ter deixado na entrelinha, coisa que a gente tem que fazer o tempo todo quando o roteiro deixa um monte de abismos no caminho como o acampamento de Númenor que não teve um frame de segundo mostrado antes e aparece quando e onde os escritores querem. Dava pra ter usado o tempo daquela meia hora de cena da Galadriel olhando absolutamente nada no meio do fogo. Poppy cantando feliz uma música linda sobre um pai que comeu a filha porque foi transformada num caracol. Tão agradável e nada traumatizável como aquela cena da Alice que a lontra come as ostrinhas.


A Nori novamente com seu senso de autodestruição achando que ia enganar as bruxas assim de graça e ganha um incêndio. O povo nem fica com medo de eles mesmos serem feitos de torrão e a cena acaba sem mostrar o que aconteceu com o trio, nada.
Numenorianos que foram lá no Sul só pra passear, Halbrand que está morrendo num segundo e noutro passeando de cavalo, povo da vila Hobbit falando que vai atrás do Estranho por amor e o roteiro deixa o público pensar isso quando na verdade eles só querem comida fácil e proteção agora que perderam tudo, Balrog aparecendo do nada sem nenhum suspense sobre ter qualquer coisa abaixo da montanha (talvez uma fala de meio segundo da Disa que não cria nenhum clima de curiosidade) e por fim aquela obra prima do cinema moderno onde um zé ninguém nomeia Mordor usando uma legenda na imagem! Legenda! Foi tão fantástico que o jornalista da Forbes nem tinha visto.

Simplesmente uma catástrofe sem limites. Ainda bem que só vem o de amanhã e chega porque minha mente não aguenta ser insultada com esse desleixo e amadorismo por tanto tempo. Se trata de um roteiro igual o que crianças de 9 anos fazem: acontece tudo o que ela quer, na hora que quer, porque ela quer, sem razão, sem contexto e num tempo tão curto como se fosse um resumo mal feito de qualquer coisa que a gente faz de boca no improviso. Eu não consigo processar isso, é inviável. Como alguém pode fazer uma estupidez assim e mandar pra milhões de pessoas assistirem como se fosse normal e ainda encher o marketing de narrativas e propaganda enganosa como se quem vê fosse louco por não gostar?

Enquanto isso no País de Alice: https://ovicio.com.br/os-aneis-de-poder-recebe-certificado-fresh-no-rotten-tomatoes/



É brincadeira? Só 💸💸💸. É simplesmente uma guerra de propaganda onde os olhos do público não valem mais que o martelo da mídia sobre a qual o mesmo público não tem nenhuma influência.

Mas o pior não é isso, o pior é ver coisas do tipo na internet: "Galadriel traíra, correndo atrás do Halbrand sendo casada."

Ou seja, o público que teve contato com os filmes achando que aquela personagem realmente foi assim no passado, que essa bobagem de série trata de fatos reais. É como eu venho dizendo, pior que proibir é reescrever uma história porque a ligação imaginativa estará feita, a semente da relativização para colocar e justificar o que não existe aparece e tudo o que era deixa de ser numa reescrita sempre para o deboche, a depreciação, o escárnio e o mal: Hobbits sujos comedores de lesmas, Elfos e Anões desonrados, mentirosos, enganadores, profanos, frios, apáticos, assassinos ou instáveis mentalmente. Numenorianos fracos, atrapalhados, estúpidos e débeis.

Ou coisas piores ainda: "achou a série chata? Pois não leia os livros porque são iguais".

Lamento muito ter que estar aqui nesses tempos para presenciar essas coisas.
Eu to tão feliz 😭😭😭

Happy Kids Say The Darndest Things GIF by CBS
 
Para curiosidade e registro:








Interessante o padrão de como depois dos dois primeiros episódios uma parte considerável da mídia e fontes de entretenimento mudaram o tom da conversa. Muito interessante.
Recomendo para risadas bônus entrar no histórico de publicações do jornalista e pesquisar o conteúdo de matérias sobre a série nas primeiras semanas do lançamento.

Para finalizar a noite com chave de ouro:

Payne : Eu adoraria ver em Tolkien onde diz que Galadriel nunca foi para Númenor – isso não existe.

Não foi dito que não, logo sim. Tolkien disse que Elfos não tinham asas e moravam dentro de botões de rosa? Ou que Anões não tinham super força e escavavam a pedra no muque? Ou talvez que humanos não tivessem poderes de invisibilidade quando queriam? Não? Logo, sim. Caímos meus amigos, e continuaremos caindo ao infinito.

alice-rabbithole.gif
 
Tô igual você e o jornalista da Forbes:




O que eu poderia dizer mais. Gente que não morre com lava ou fogo mas morre esmagado. Gente que não fica cego com lava mas fica com brasa. Uma das filhas do Hobbit quase morre xeretando o maluco lá da árvore, daí ele começa a fazer as loucuras dele e o povo vê uma criança se aproximar e não faz absolutamente nada. Parece aquelas mães irresponsáveis que andam com o filho do lado da rua em tempo de ser atropelado. Elrond falando que o Dúrin tinha que confiar nele porque era meio Elfo, não só Elfo, porque pelo visto ser Elfo agora é sinônimo de coisa ruim (o que fizeram pensadamente parecer). Depois estão os dois rachando o bico porque o Elfo mentiu, coisa que o Dúrin achou lindo e chamou ele de Anão por isso. Primor. Daí vai para aquelas cenas do Dúrin e a esposa falando um monte de besteiras. Como disse o jornalista da Forbes, toda hora tem briga, todo mundo se odeia e quando não, é sentimentalismo barato igual o pai da Nori chamando atenção por falar o óbvio ("somos pés-peludos") e dizendo que o mérito deles é o grande coração, coração do povo que abandona os outros para a morte. Dúrin surpreso com a folha curada sendo que eles estavam caçando mithril por-causa-só-disso, ou seja, todo mundo fazendo as coisas por puro impulso sem ter motivo de nada como tresloucados. Claro, fora a questão onde nada indica que nenhum Elfo irá morrer, nem sequer alguém ficando com o corpo negro, os olhos, desmaindo, emagrecendo, empalidecendo. Nada. O mesmo erro de novo. Elrond e ele conseguem encontrar o que uma equipe inteira, claro, que nunca foi mostrada, não conseguiu em algumas horinhas no máximo. Elendil abandona o filho e um cavalo que tem que salvar, no mínimo, talvez, pra imitar a cena do Aragorn do cenourinha. Galadriel arranja um filhinho pra ela cuidar e vem com papo de que tem marido depois de ficar flertando e berrando atrás do psicopata-Sauron. Dúrin filho é deserdado e como os produtores acham que o público é muito tapado, tiveram que criar uma extensão da cena que ele joga o colar no chão com o Dúrin explicando que não era do filho mais ou seja, aí onde, sim, seria aplicável, poderiam ter deixado na entrelinha, coisa que a gente tem que fazer o tempo todo quando o roteiro deixa um monte de abismos no caminho como o acampamento de Númenor que não teve um frame de segundo mostrado antes e aparece quando e onde os escritores querem. Dava pra ter usado o tempo daquela meia hora de cena da Galadriel olhando absolutamente nada no meio do fogo. Poppy cantando feliz uma música linda sobre um pai que comeu a filha porque foi transformada num caracol. Tão agradável e nada traumatizável como aquela cena da Alice que a lontra come as ostrinhas.


A Nori novamente com seu senso de autodestruição achando que ia enganar as bruxas assim de graça e ganha um incêndio. O povo nem fica com medo de eles mesmos serem feitos de torrão e a cena acaba sem mostrar o que aconteceu com o trio, nada.
Numenorianos que foram lá no Sul só pra passear, Halbrand que está morrendo num segundo e noutro passeando de cavalo, povo da vila Hobbit falando que vai atrás do Estranho por amor e o roteiro deixa o público pensar isso quando na verdade eles só querem comida fácil e proteção agora que perderam tudo, Balrog aparecendo do nada sem nenhum suspense sobre ter qualquer coisa abaixo da montanha (talvez uma fala de meio segundo da Disa que não cria nenhum clima de curiosidade) e por fim aquela obra prima do cinema moderno onde um zé ninguém nomeia Mordor usando uma legenda na imagem! Legenda! Foi tão fantástico que o jornalista da Forbes nem tinha visto.

Simplesmente uma catástrofe sem limites. Ainda bem que só vem o de amanhã e chega porque minha mente não aguenta ser insultada com esse desleixo e amadorismo por tanto tempo. Se trata de um roteiro igual o que crianças de 9 anos fazem: acontece tudo o que ela quer, na hora que quer, porque ela quer, sem razão, sem contexto e num tempo tão curto como se fosse um resumo mal feito de qualquer coisa que a gente faz de boca no improviso. Eu não consigo processar isso, é inviável. Como alguém pode fazer uma estupidez assim e mandar pra milhões de pessoas assistirem como se fosse normal e ainda encher o marketing de narrativas e propaganda enganosa como se quem vê fosse louco por não gostar?
São tantos problemas levantados, eu queria passar um por um e reafirmar cada um deles, mas ficaria repetitivo. Essa análise resume tudo o que eu vi, da exata forma que eu vi nesse episódio. Ainda por cima é foda essa propaganda que fazem colocando análises maravilhosas em tudo quanto é canto, mas todas essas análises enviesadas e nenhuma do publico geral.

Mas o pior não é isso, o pior é ver coisas do tipo na internet: "Galadriel traíra, correndo atrás do Halbrand sendo casada."

Ou seja, o público que teve contato com os filmes achando que aquela personagem realmente foi assim no passado, que essa bobagem de série trata de fatos reais. É como eu venho dizendo, pior que proibir é reescrever uma história porque a ligação imaginativa estará feita, a semente da relativização para colocar e justificar o que não existe aparece e tudo o que era deixa de ser numa reescrita sempre para o deboche, a depreciação, o escárnio e o mal: Hobbits sujos comedores de lesmas, Elfos e Anões desonrados, mentirosos, enganadores, profanos, frios, apáticos, assassinos ou instáveis mentalmente. Numenorianos fracos, atrapalhados, estúpidos e débeis.

Ou coisas piores ainda: "achou a série chata? Pois não leia os livros porque são iguais".

Lamento muito ter que estar aqui nesses tempos para presenciar essas coisas.
É uma pena que a série tenha trazido tamanha desapontamento e tristeza para você. Mas agradeço pelo esforço de trazer sua opinião aqui, todas foram de uma leitura bem interessante e divertida. Fico um pouco triste por que as conversas vão acabar, mas foram 8 semanas legais.

Thank U GIF
 
Vendo esse episódio o meu pensamento mais recorrente foi: por favor que tenham matado alguém, não deixem todo mundo vivo

Acontece que ninguém morreu…

Dito isso o núcleo dos anoes é bom demais, mas a série me deixa a desejar em um contexto geral (principalmente em roteiro e direção)
 
Vendo esse episódio o meu pensamento mais recorrente foi: por favor que tenham matado alguém, não deixem todo mundo vivo

Acontece que ninguém morreu…

Dito isso o núcleo dos anoes é bom demais, mas a série me deixa a desejar em um contexto geral (principalmente em roteiro e direção)
editado pra evitar spoiler
Season 8 Nbc GIF by The Office
 
Última edição:
por favor não contem o episódio 8 no tópico do episódio 7, vocês estão dando spoiler para quem veio aqui tendo visto até o 7, eventualmente...
 
Não foi dito que não, logo sim. Tolkien disse que Elfos não tinham asas e moravam dentro de botões de rosa? Ou que Anões não tinham super força e escavavam a pedra no muque? Ou talvez que humanos não tivessem poderes de invisibilidade quando queriam? Não? Logo, sim. Caímos meus amigos, e continuaremos caindo ao infinito.

alice-rabbithole.gif
Mas, na moral....de boa....

Parece REALISTA que, em uma era que durou 3421 anos, Galadriel e outros dignitários da Terra-média NUNCA tenham ido em Númenor em NENHUMA ocasião?

Sendo que ela é parente distante da realeza de lá, inclusive? Mesmo que Tolkien NÃO tenha dito que ela foi lá nas circunstâncias e ocasião descritas em Rings of Power...? E sendo que a gente sabe que a maioria dos registros de Númenor pereceram com a Queda e que Ar Pharazôn e Sauron moveram uma caça às bruxas a lá 1984 pra apagar verdades MUITO mais "públicas" e de conhecimento comum?

 
E, por falar nisso, uma postagem muito boa respondendo exatamente como eu teria respondido se Galadriel não poderia ter lutado na Guerra da Ira ( que durou 45 anos do sol mais ou menos)

Profile photo for John Watson


John Watson
·
Follow
I have read all of Tolkien books Feb 24
Short answer: it is strongly suggested that Galadriel did join the War of Wrath.

Long answer:

"brave women [were] capable of great military gallantry at a crisis." - Letters

Galadriel however was not only brave ("the fairest lady of the House of Finwe and the most valiant.") but she was also a warrior back then, as stated in the Letters: "She was then of Amazon disposition"

The term 'amazon' in Tolkien works is always used for warrior women (in Unfinished Tales, the Book of Lost Tales, History of Middle-earth book 7, and the Letters), and in Parma Eldalamberon 11 he even translated the word 'Amazon' into 'Gothwin' in Elvish, which in turn its literal translation is 'War Woman'.

In one version Galadriel even saves a White Ship in the Kinslaying at Alqualonde, where she "fought heroically" against Feanor. This speaks volumes about how powerful she was to save a ship, fighting against the most powerful warriors.

In another version she apparently fought sons of Feanor themselves: "[The foremost people of the host of Fingolfin] coming up found a battle joined and their own kin falling, and they rushed in ere they knew rightly the cause of the quarrel" * "Galadriel’s quarrel with the sons of Fëanor at sack of Alqualondë. How she fought…"**

*(Morgoth's Ring, Annals of Aman)

**(Nature of Middle-earth)

Anyway, one may ask 'then why she didn't fight in the Siege of Angband or Bragollach or Nirnaeth?' This question is directly answered by Tolkien himself in Unfinished Tales: she and Celeborn "did not join in the war against Angband, which they judged to be hopeless under the ban of the Valar and without their aid..."

Then Galadriel advised for a plan B (a plan to create a great alliance by building a power into eastwards and having the entire free people of Middle-earth as allies and befriending East people before Morgoth does), nobody truly listened to her and Celeborn. So it was natural for her wisdom to understand it would be useless for her to go to the North war. She knew it "to be hopeless under the ban of the Valar and without their aid..." - UT

But when Valar decided to send aid there was no hopelessness anymore for the Elves.

"Now when first Vingilot was set to sail in the seas of heaven, it rose unlocked for, glittering and bright; and the people of Middle-earth beheld it from afar and wondered, and they took it for a sign, and called it Gil-Estel, the Star of High Hope ... Then the Elves looked up, and despaired no longer; but Morgoth was filled with doubt." - Silmarillion, chapter 24

"Of the march of the host of the Valar to the north of Middle-earth little is said in any tale; for among them went none of those Elves who had dwelt and suffered in the Hither Lands, and who made the histories of those days that still are known; and tidings of these things they only learned long afterwards from their kinsfolk in Aman."

This quote does not imply that no Elves from Middle-earth participated in the War. What it do tell us is that the events of the journey, from Valinor to the battlefields in Middle-earth, were mostly unknown to the Elves of Beleriand and other regions of Middle-earth - since they were already in Middle-earth.

"But at the last Fionwë came up out of the West, and the challenge of his trumpets filled the sky; and he summoned unto him all Elves and Men from Hithlum unto the East; and Beleriand was ablaze with the glory of his arms...The meeting of the hosts of the West and of the North is named the Great Battle, the Battle Terrible, and the War of Wrath." - Lost Road

Did Galadriel answer the summons into battle? She had no reasons to do not answer the summons. The only reason she was not present in the Siege of Angband and Bragollach and Nirnaeth was because she "judged to be hopeless under the ban of the Valar and without their aid". But now that the Valar sent aid she and the other Elves "despaired no longer; but Morgoth was filled with doubt."

"Great war comes into Beleriand, and Fionwe summons all Elves, and Dwarves, and Men, and Beasts, and birds to his standards, who do not elect to fight for Morgoth." - Shaping of Middle-earth

A possibility is that Galadriel literally outright broke character and didn't answer the summons of Fionwe to ride to war against Angband, OR the more likely and logical possibility is that she acted in-character and fought against Morgoth in this war.

"Celeborn and Galadriel were not married (though betrothed) during the dreadful years of the “Battle of Wrath" " - Nature of Middle-earth

This war lasted for four dreadful decades. Morgoth was defeated in this war. And "Pride still moved her when, at the end of the Elder Days after the final overthrow of Morgoth, she refused the pardon of the Valar for all who had fought against him, and remained in Middle-earth." - Peoples of Middle-earth
 
Mas, na moral....de boa....

Parece REALISTA que, em uma era que durou 3421 anos, Galadriel e outros dignitários da Terra-média NUNCA tenham ido em Númenor em NENHUMA ocasião?

Sendo que ela é parente distante da realeza de lá, inclusive? Mesmo que Tolkien NÃO tenha dito que ela foi lá nas circunstâncias e ocasião descritas em Rings of Power...? E sendo que a gente sabe que a maioria dos registros de Númenor pereceram com a Queda e que Ar Pharazôn e Sauron moveram uma caça às bruxas a lá 1984 pra apagar verdades MUITO mais "públicas" e de conhecimento comum?
Sim, é muito tempo. Isso daria pra Moisés abrir o Mar Vermelho, o messias chegar em Israel, Roma cair, a idade média ocorrer na europa, Roma cair de novo (Bizâncio), ocorrerem as grande navegações, entrarmos na era moderna e na Contemporânea. É muuuuuito tempo. Nada impediria a criação de uma (ou várias) narrativa(s) sobre visitas diplomáticas de estadistas ou outros elfos importantes à Númenor. Como a série colocou é que ficou difícil de dar crédito (subjevitismo detected)
 
O que mostra, entretanto, que essa identificação entre situações que PODERIAM acontecer mas não foram narradas ou descritas com situações que são IMPOSSÍVEIS de acontecer na ambientação em qualquer tempo e lugar feita pela Kimberly é bem na linha do sofisma.
The Lord Of The Rings GIF by Amazon Prime Video
 
Não foi dito que não, logo sim. Tolkien disse que Elfos não tinham asas e moravam dentro de botões de rosa? Ou que Anões não tinham super força e escavavam a pedra no muque? Ou talvez que humanos não tivessem poderes de invisibilidade quando queriam? Não? Logo, sim. Caímos meus amigos, e continuaremos caindo ao infinito.
Sempre vai existir um ponto em que a criatividade ganha muito espaço, e outro em que ela não se encaixa no que já está escrito. Acho que é isso que a Kimberly quis dizer aí em cima. Galadriel poderia ter ido a Númenor? Eu diria que sim. Mas do jeito da série? Eu diria que não.

Além disso, vejo muitas tendências isolacionistas nessa turma aí. No condado, hobbits de uma quarta já estranhavam os de outra. Em Lothlórien, durante tooooodo aquele tempo os reis em Caras Galadhon não tiveram aparentemente a vontade de conhecer melhor uma floresta ao lado, Fangorn
Aquela é uma terra estranha e pouco conhecida - Celeborn, em SDA-SDA
Oxi, um elfo sábio (antigo pelo menos), acompanhado de uma dama da estatura da Galadriel, não sabe nem o que tem ao lado, direito? Acho que eles apreciavam um certo isolamento.
 
Última edição:

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.404,79
Termina em:
Back
Topo