TATIANA FELTRIN CONTINUA ERRADA SOBRE O SILMARILLION

E lá vamos nós de novo. Saiu o vídeo da booktuber Tatiana Feltrin sobre “O Silmarillion” e, conforme o esperado, as críticas dela à tradução feita pelo Reinaldo José Lopes, membro da Equipe Valinor, são o puro suco da desinformação. Aqui está o vídeo do Reinaldo rebatendo as críticas dela. Na descrição do vídeo dele vocês podem encontrar as fontes e o link para o vídeo da Tatiana. É lamentável que uma booktuber como ela seja tão limitada do ponto de vista teórico e literário.

Um comentário em “TATIANA FELTRIN CONTINUA ERRADA SOBRE O SILMARILLION”

  1. Aproveito para deixar aqui também o meu comentário sobre o tema, que postei no Facebook, já que, aparentemente a Tatiana Feltrin não aceita questionamentos no canal dela.
    ***
    Acho importante que outros tradutores se manifestem.
    Obviamente, qualquer um tem o direito de preferir esse ou aquele texto por questões pessoais. Mas se quiser criticar, que critique com conhecimento de causa, afinal, reputações estão em jogo. No caso da Tatiana, não se trata apenas de uma questão pessoal, ela é uma pessoa influente e a opinião dela tem um peso importante na visão que seus leitores terão dessa tradução específica, e de traduções em geral. Afirmar que faltou revisão em um projeto de tradução do porte desse livro é ser leviana e descuidada. Ela está desmerecendo o trabalho não apenas do tradutor, mas de toda a equipe editorial envolvida no projeto, que não foi pouca gente, muito menos gente despreparada. O Reinaldo é um especialista em Tolkien e em tradução, com mestrado e doutorado na área e diversos artigos publicados sobre as questões linguísticas envolvidas na tradução de textos do Tolkien, basta olhar seu Lattes. Foi orientando justamente da Lenita Maria Rimoli Esteves, tradutora das obras para a Martins Fontes, inclusive da tradução que a Tatiana gostou mais. Conforme ele explica nos vídeos em que respondeu à Tatiana, de maneira muito cordial e didática, diga-se, ele deixa claro o porquê das opções tradutórias que fez muito conscientemente. Não estava no projeto de tradução dele e da equipe fazer uma tradução fluída e fácil para o leitor justamente por considerarem a fidelidade ao projeto de escrita do próprio Tolkien. Não se trata portanto de uma tradução “mais certa” do que a outra. A Lenita traduziu com um determinado propósito, Reinaldo, com outro. Ambas são válidas, ambas corretas. Em geral, é mais fácil identificar supostos erros de tradução do que acertos. Os leitores médios estão mais acostumados com traduções que facilitam a leitura para eles. É normal identificarem eventuais erros óbvios em traduções de livros e legendas, é muito incomum identificarem acertos. O senso comum considera uma boa tradução aquela que permite uma leitura fluída, que “nem parece tradução”. É quando somos invisíveis e nosso trabalho passa despercebido, e, raramente, elogiado. Quando um texto gera esse nível de desconforto que a tradução do Reinaldo causou à Tatiana, é o momento do leitor crítico parar e pensar porque um tradutor tarimbado, um pesquisador, traduziu host por hostes e não por exércitos, como assinala o Reinaldo em seu vídeo.
    Acho essa “treta” muito importante para podermos ponderar as muitas questões envolvidas numa tradução, qualquer tradução, não apenas de um autor como Tolkien. O que acho feio e inadequado é julgar e desqualificar um trabalho sem o devido aprofundamento.

Deixe uma resposta