Arquivo da tag: Frodo Bolseiro

A distância que Frodo e Sam percorreram da Vila dos Hobbits a Mordor e Vila dos Hobbits

Frodo e Sam em direção a Mordor
Ao analisarmos toda a história da Comitiva do Anel, perceberemos
inúmeros desafios, perigos, emoções, e principalmente algo que pode de
certa maneira passar desapercebido, o fator distância.

 

Todos os membros percorreram uma árdua caminhada rumo ao objetivo; este que estava mantido em segredo até certo ponto; que era aniquilar Sauron jogando o Um Anel nas lavas (1) da Montanha da Perdição, e para isso, tiveram que marchar para a terra onde o mal nunca dorme, um reino cheio de cinzas, desertos, com um ar “venenoso”, uma verdadeira desolação, um terror inaceitável para os padrões humanos e élficos. Mas essa marcha até Mordor nunca foi fácil devido aos diversos perigos (inimigos) que poderiam encontrar ao longo do caminho, mas existia um outro perigo já mencionado, a distância.

Este fator deve ser considerado, pois a Terra Média possui dimensões semicontinentais consideráveis para a realidade dos povos que a habitavam. Não era fácil, por exemplo, se deslocar de Imladris aos Portos Cinzentos, ou até mesmo as aventuras de Bilbo com Gandalf e os anões até o Monte Erebor. Eram caminhadas duras, desgastantes, cheias de terrenos com diferenças marcantes nas altitudes (2), planícies, planaltos, pântanos, florestas; as próprias mudanças biogeográficas (biomas) ao longo de toda a Terra Média. Esses fatores contribuem para colocar o fator distância como inimigo respeitável para determinas situações, como exemplo, a comitiva do anel rumo ao sudeste da Terra Média.

Partindo para uma apresentação mais exata, foram feitos cálculos para determinar um valor próximo do real, em quilômetros, percorridos pelos membros da comitiva do anel especialmente Frodo Bolseiro e Samwise Gamgi, objetos deste artigo.

Para isso, a primeira etapa considerável da viagem foi a partida da Vila dos Hobbits até a casa de Elrond em Imladris. Foi uma viagem longa e cheia de riscos para os pequenos, e a distância foi da ordem de 736 km. Após terem permanecido um bom tempo em Imladris Frodo e Sam juntamente com os demais membros partiram em direção ao sul, mas devido às circunstancias do destino, eles chegaram a Mória e percorreram mais 320 km. Partindo pela jornada no escuro a partir do Portão Oeste, foi percorrida uma distancia de 64 km (ou 40 milhas na própria fala de Gandalf no filme SDA). Após o desastre com o Balrog, os membros percorreram uma grande distância através dos contrafortes (3) orientais da cordilheira das montanhas sombrias em direção as Cataratas dos Rauros, nas proximidades de Amon Hen. Vale ressaltar que durante esse percurso a comitiva passou uma pequena temporada nas Florestas de Lothlórien; a distância foi na ordem de 560 km. Este foi um dos momentos mais infelizes da Sociedade, pois ocorreu o rompimento da mesma:

 

  • Intervenção de Saruman através dos Uruk hai;
  • A loucura de Boromir e sua posterior morte;
  • Decisão de Frodo ir sozinho a Mordor;
  • Seqüestro de Pip e Merry.


Com o rompimento da Sociedade, Frodo e Sam foram sozinhos para a terra do Senhor do Escuro através da margem leste do Grande Rio, o Anduim, até atingirem as desoladas colinas de Emyn Muil. A partir daí receberam mais um companheiro, o Gollum que os conduziu até o Morannon através dos contrafortes sudeste das Emyn Muil e pela região dos Pântanos Mortos. Todo esse percurso de Rauros até o Morannon media uma distância de 288 km. Os pequenos perceberam que era difícil entrar em Mordor pelo norte, resolveram então pegar uma rota alternativa, mas ao mesmo tempo tão perigoso quanto o Portão Negro. Partiram para o sul através da bela Ithilien do Norte fugindo do perigo imediato de dos horrores dos servos de Sauron. Por um tempo respiraram um pouco do ar puro novamente. Em todo esse percurso andaram 64 km e deste local até a encruzilhada foram mais 160 km, voltando novamente à desolação e a ameaça iminente do maior servo do Senhor do Escuro, o Rei Bruxo de Angmar já prestes a marchar com seus soldados a Minas Tirith. Da encruzilhada até o Orodruim foram mais 160 km de sofrimento e o desgaste ainda maior, pois, já estavam nos domínios de Mordor e com isso, andar os 160 km com o Um Anel pendurado no pescoço se tornou muitíssimo pesado (Pela aparência de Frodo, parecia que estava carregando nas costas o próprio Sauron tomado de sua forma física).

Após dias, meses de luta e caminhada, o objetivo de Frodo e Sam chegou ao fim, pois conseguiram a duras penas jogar o Anel no fogo da Montanha da Perdição. Com a derrocada de Mordor, os pequenos através da ajuda do Senhor das Águias foram resgatados e levados para Minas Tirith, somente aí foram mais 240 km, mas desta vez voando.

Após a coroação de Aragorn Frodo e Sam permaneceram uma temporada em Minas Tirith, mas como o Condado os chamavam de volta, resolveram retornar numa longa viagem até chegarem novamente à casa de Elrond. Este percurso foi de 1.120 km e por fim, de Imladris a Vila dos Hobbits novamente os 736 km.

O total aproximado que viajaram foi de 4.480 km, uma viagem longa e desgastante para os padrões da época e principalmente para os dois hobbits. O total que ambos viajaram ultrapassou a distância que o Brasil possui de Norte a Sul, ou melhor, do Oiapoque ao Chuí que totalizam 4.394,7 km.

Com certeza, depois de tanto sofrimento pela viagem e pelo fardo carregado tanto por Frodo quanto por Sam, ambos tinham o merecimento de partirem em períodos diferentes para as Terras Imortais para ofuscarem o passado sombrio no qual haviam passado.

 

distancias_tabela.jpg


 

Notas

(1) De acordo com o Dicionário Geológico – Geomorfológico a lava é um material em fusão natural no estado liquido ou viscoso, resultante de uma erupção vulcânica. A saída do material ocorre pelas fendas laterais da chaminé vulcânica, ou então, pela cratera central, que se localiza no topo do cone.


(2)
Significa uma distancia vertical de um ponto da superfície terrestre, em relação ao nível dos mares e oceanos. Geralmente se classificam as terras da seguinte maneira:
Terras Planas
     I.    Baixas – planícies
     II.    Elevadas – planaltos
Terras acidentadas
    
I.    Pouco acidentadas (onduladas)
    
II.    Muito acidentadas (montanhas)

 
distancias_frodo.jpg
 

(3)
São as ramificações laterais de uma cadeia de montanhas, quase sempre em posição perpendicular, ou pelo menos oblíqua, ao alinhamento geral.


(4)
Conhecida também como Isengard.


(5)
Geógrafo, pós-graduado em Estudos Ambientais pela PUC Minas, professor pesquisador e ambientalista pela ACELN (Associação Cultura Ecológica Lagoa do Nado) e conselheiro municipal de meio ambiente pela prefeitura municipal de Belo Horizonte e pela Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço (Reconhecida pela Unesco). E-mail: (apelliccionefh@hotmail.com).

 

Referências Bibliográfica

TOLKIEN, John Ronald Reuel Tolkien. O senhor dos anéis: a sociedade do anel. São Paulo: Martins Fontes, 2002, 22-443.

TOLKIEN, John Ronald Reuel Tolkien. O senhor dos anéis: as duas torres. São Paulo: Martins Fontes, 2002, 5-373.

TOLKIEN, John Ronald Reuel Tolkien. O senhor dos anéis: o retorno do rei. São Paulo: Martins Fontes, 2002, 5-441.

SANTOS, Maria do Carmo S. Rodrigues dos. Manual de fundamentos cartográficos e diretrizes gerais para elaboração de mapa geológicos, geomorfológicos e geotécnicos. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas, 3-7, 1989.

CALDINI, Vera. ÍSOLA, Leda. Atlas geográfico compacto. São Paulo: Editora Saraiva, 2006, 7.
GUERRA, Antonio Teixeira Guerra e GUERRA, Antonio Jose Teixeira Guerra. Dicionário Geológico – Geomorológico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003, 648 p.

Gollum

Sméagol foi um indivíduo da raça dos Hobbits que cometeu um assassinato
para obter o Um Anel. O Anel consumiu sua mente e seu corpo e ele
tornou-se a criatura conhecida por Gollum, mas uma parte de sua antiga
personalidade sobreviveu. Quando o Anel se perdeu, ele saiu buscando
recuperá-lo, mas no fim ele foi um instrumento fundamental para a
destruição do Um Anel.
 
 
O povo de Sméagol vivia nos Vales do Anduin perto dos Campos de Lis.
Eles eram descendentes da linhagem Hobbit dos Grados, que migraram para
lá vindos de Eriador, por volta de 1356. Eles permaneceram mais
primitivos que os Hobbits que se estabeleceram no Condado, mas eles
possuíam costumes e feições em comum.

Sméagol provavelmente nasceu na primeira metade do século que se
iniciou em 2400. Ele era membro de uma grande, próspera e respeitada
família. Sua avó era a matriarca da família e Sméagol vivia em sua
toca. Sméagol era curioso e inquisitivo e gostava de escavar sob as
coisas para ver o que havia embaixo.

No aniversário de Sméagol em 2463, ele foi pescar nos Campos de Lis com
seu amigo Déagol que provavelmente possuía alguma ligação de parentesco
com Sméagol. Déagol foi puxado para a água por um peixe, e emergiu com
um anel de ouro que ele encontrou no leito do rio. Desconhecido para
Sméagol e Déagol, era o Um Anel, que pertencia ao Senhor do Escuro,
Sauron, e que havia sido perdido quando Isildur foi morto nos Campos de
Lis no ano 2.

Quando Sméagol viu o Anel ele imediatamente desejou-o e pediu a Déagol
que o desse para ele como um presente de aniversário. Déagol recusou, e
então Sméagol o estrangulou e pegou o Anel para si. Ele escondeu o
corpo e ninguém jamais descobriu o que aconteceu com Déagol.

Logo após retornar para casa, Sméagol descobriu que o Anel o tornava
invisível. Ele o usou para propósitos maliciosos, como roubar e
descobrir segredos. Sméagol começou a ser evitado e desprezado por sua
família, que começou a chamá-lo de Gollum por causa dos barulhos
estranhos que ele começou a fazer em sua garganta. Finalmente, a avó de
Sméagol o expulsou de seu lar.

Sméagol vagou ao norte pelas bordas do Anduin. Ele começou a odiar a
luz do Sol. Um dia ele seguiu uma correnteza em direção às Montanhas
Sombrias e descobriu uma caverna que o levou aos fundamentos das
montanhas. Sméagol deixou o mundo eterno para trás e desceu para a
escuridão.

Por quase 500 anos Gollum viveu em uma ilha em um lago subterrâneo,
localizado em uma caverna muito abaixo da superfície. Ele usava um
pequeno bote para pescar e as vezes usava o Anel para se esgueirar
entre os Orcs. Ele não descobriu grandes segredos sob as montanhas,
apenas a escuridão e o vazio. Ele estava miserável e sozinho, e o
assassinato de Déagol o assombrava.

A mente de Gollum foi consumida pelo Anel, mas ela não foi totalmente
destruída. Uma pequena parte de sua antiga personalidade permaneceu.
Seu corpo gradualmente mudou ao ponto de que ele era praticamente
irreconhecível como sendo um Hobbit. Ele tornou-se magro e perdeu a
maior parte de seu cabelo, e só lhe sobraram seis de seus dentes. Na
escuridão seus olhos tornaram-se pálidos e reluzentes e sua visão ficou
mais aguçada.

O Anel prolongou a vida de Gollum, mas não fez com que ele
enfraquecesse, pois ele possuía a resistência Hobbit e por que ele não
precisava usá-lo com freqüência nas trevas de sua caverna. Ele manteve
o Anel em seu bolso por algum tempo até não poder mais carregá-lo, e
então ele o escondeu em um buraco na sua ilha. Mas o Anel
constantemente inquietava sua mente e ele continuava a pega-lo para
guardá-lo e observá-lo. O Anel tornou-se um tormento e um fardo para
Gollum, e mesmo assim ele o chama de seu Precioso e não podia deixá-lo.

“Ele o odiava e o amava, da mesma forma como odiava e amava a si
mesmo. Não podia se livrar dele. Nessa questão, não tinha mais vontade
própria.”

A Sociedade do Anel: “A sombra do passado,” p. 57

O Anel possuía vontade própria. Ele sentiu que Sauron estava
recuperando suas forças e procurou um meio de voltar ao seu Mestre.
Gollum não era mais útil para o Anel, então, em um dia do verão de
2941, enquanto Gollum procurava comida, o Anel o abandonou.

Mas então algo inesperado aconteceu. O Anel foi encontrado por Bilbo
Bolseiro, um Hobbit do Condado que estava perdido nas Montanhas
Sombrias. Bilbo colocou o Anel em seu bolso e então chegou ao lago
subterrâneo. Gollum enxergou Bilbo de sua ilha e ficou muito curioso. A
parte de Sméagol que ainda restara desejava conversar com essa criatura
que lhe lembrava de sua vida passada, mas Gollum estava interessado
unicamente em qual gosto Bilbo teria.

Gollum propôs um jogo de adivinhas com as condições de que se ele
vencesse ele iria devorar Bilbo e, se Bilbo vencesse, Gollum lhe
mostraria a saída. As adivinhas que Bilbo fez lhe lembravam do mundo
exterior, mas isso começou a irritar Gollum e deixa-lo impaciente com o
jogo. Ele sentou próximo a Bilbo e o Hobbit ficou tão aturdido que não
conseguiu pensar em outra adivinha.

Nesse momento a mão de Bilbo tocou o Anel e ele perguntou “O que eu
tenho no bolso?”. Isso foi mais uma pergunta do que uma adivinha, mas
Gollum tentou responder e falhou, e Bilbo exigiu que ele lhe mostrasse
a saída. Gollum não tinha a intenção de manter sua promessa, apesar de
que as regras do jogo d adivinhas eram sagradas. Ele voltou para a sua
ilha para pegar o Anel e então poder matar Bilbo, mas seu Precioso
desaparecera.

Gollum compreendeu que Bilbo estava com o Anel em seu bolso.
Desesperado para conseguir seu Precioso de volta, ele voltou para a
margem com a intenção de matar Bilbo. Mas o Anel escorregou para o dedo
de Bilbo e Gollum passou pelo Hobbit sem vê-lo. Gollum achou que Bilbo
havia fugido e então ele correu em direção à Porta traseira que levava
para fora das montanhas e Bilbo pôde segui-lo.

Gollum se encolheu próximo à saída e ficou esperando. Bilbo considerou
matar Gollum, mas ele sentiu pena da miserável existência da criatura,
e poupou-o. Gollum sentiu Bilbo pulando sobre ele e tentou agarrá-lo,
mas o Hobbit escapou. Gollum então emitiu um terrível grito:

“Ladrão, ladrão, ladrão! Bolseiro! Nós odeia ele, nós odeia ele, nós odeia ele pra sempre!”
O Hobbit: “Adivinhas no escuro,” p. 86

Gollum não pôde seguir Bilbo por causa dos Orcs guardando a saída e da
luz do Sol do lado de fora. Ele voltou para a sua caverna, derrotado.
Mas sua necessidade pelo Anel o corroeu por dentro e ele ficou obcecado
em consegui-lo de volta e procurar vingança contra aquele que o havia
pegado. Levou três anos para que Gollum criasse coragem, e finalmente,
em 2944, ele deixou a escuridão sob as montanhas. A ausência do Anel o
ajudou de alguma forma, pois fisicamente ele se sentia mais forte,
livre de seu peso.

Viajando na escuridão da noite, evitando até mesmo a luz da lua, Gollum
lentamente seguiu o rastro de Bilbo. Ele passou pela Floresta das
Trevas e fez seu caminho até a Cidade do Lago e Vale. Lá ele ouviu
histórias sobre o papel de Bilbo na missão para reconquistar a Montanha
Solitária de Smaug, o Dragão. Ele também descobriu que Bilbo viera de
uma terra a oeste das Montanhas Sombrias, chamado Condado.

Gollum fez o caminho de volta através da Floresta das Trevas
pretendendo continuar a Oeste em direção ao Condado, mas seu caminho
acabou desviando-se gradualmente para o sul. Ele acabou sendo levado em
direção a Mordor. Longos anos carregando o Anel o tornaram suscetível
ao chamado de Sauron, que estava reunindo todo o mal para si.

A jornada durou muitos anos. Gollum comia os animais que ele conseguiu
pegar, e os Homens da Floresta das Trevas diziam que ele até roubava
crianças de seus berços. Quando finalmente alcançou Mordor, Gollum
esquivou-se pelas bordas do reino explorando lugares e caminhos
secretos. Ele esperava encontrar aliados que poderiam ajuda-lo a
recuperar seu Precioso. Na passagem de Cirith Ungol, nas Montanhas da
Sombra, Gollum encontrou um túnel levando a Torech Ungol, a toca da
grande aranha Laracna. Gollum humilhou-se ante Laracna. Ele a temia,
apesar de ter sido atraído por sua vontade maligna.

Gollum acabou sendo capturado e levado para Barad-dûr, onde ele foi
interrogado e torturado. Sauron queria extrair dele a informação sobre
o que acontecera ao Anel. Mas Gollum era mais forte do que Sauron
esperava, tanto por causa de suas raízes de Hobbit quanto pelo fato de
que a necessidade que ele possuía pelo Anel era tão forte que ele não
queria que Sauron o encontrasse. Finalmente, após torturas extremas,
Gollum revelou os nomes Bolseiro e Condado, mas ele levou seus captores
a acreditar que o Condado ficava nos Vales do Anduin, onde ele vivera,
ao invés de revelar que ficava a oeste das Montanhas Sombrias. Sauron
deixou Gollum escapar pois ele queria que Gollum o levasse até a pessoa
que estava com o Anel.

Em 1 de Fevereiro de 3018 Gollum foi capturado por Aragorn nas margens
dos Pântanos Mortos. Aragorn agarrou Gollum e colocou uma corda ao
redor de seu pescoço. Gollum lutou e mordeu Aragorn, mas foi em vão.
Gollum foi levado a através da região norte das Emyn Muil até o Anduin,
acima de Sarn Gebir. Aragorn o amarrou em um pedaço de madeira e
atravessou o rio nadando com ele. Eles foram para o norte através das
bordas de Lothlórien e acima dos Campos de Lis em direção a Carrocha.
Aragorn então novamente atravessou o Anduin com Gollum e o levou para a
Floresta das Trevas. O Rei Élfico Thranduil concordou em manter Gollum
prisioneiro.

Em 23 de Março Gandalf chegou e começou a questionar Gollum. Gollum
praguejou, resmungou e chorou, mas lentamente Gandalf descobriu sobre o
achado do Anel, o assassinato de Déagol, da perseguição de Gollum atrás
de Bilbo e de sua captura por Sauron. Após uma semana Gandalf partiu,
deixando Gollum a cuidado dos elfos.

Os servos de Sauron em Dol Guldur, no limite ocidental da Floresta das
Trevas, ficaram sabendo que Gollum estava sendo mantido prisioneiro na
parte norte da Floresta. Em 20 de Junho Gollum estava no topo de uma
alta árvore que ficava sozinha em uma clareira, a qual os Elfos
permitiam que ele escalasse. Ele se recusou a descer e de repente os
Elfos foram atacados por Orcs e Gollum escapou. Os Orcs supostamente
pretendiam levar Gollum de volta para Sauron, mas ele conseguiu
enganá-los também.

Gollum cruzou o Anduin a nado. Caçado por Elfos, Orcs e até mesmo por
Espectros do Anel, ele entrou em Moria pelo Portão Leste. Ele ainda
desejava encontrar o Condado, então ele fez sua rota para o oeste,
apesar de ter se perdido nos túneis. Quando ele encontrou o Portão
Oeste ele não conseguiu descobrir como abrir as portas e estava fraco
demais para empurrá-las.

Gollum não estava no Portão Oeste quando, em 13 de Janeiro de 3019, as
portas se abriram e nove pessoas entraram, incluindo Frodo Bolseiro.
Frodo agora carregava o Anel e Gollum podia senti-lo. Ele seguiu a
Sociedade através de Moria em direção ao Portão Leste. Não se sabe como
ele conseguiu escapar de Moria após a Ponte de Khazad-dûm ser
destruída. Ele pode ter cruzado a ponte antes da Sociedade ou
encontrado outro caminho para fora.

Em 15 de Janeiro Gollum seguiu a Sociedade dentro dos limites de
Lothlórien a despeito de seu medo e ódio pelos Elfos. Ele começou a
escalar a árvore onde Frodo estava descansando em um flet, mas Haldir o
assustou e ele fugiu.

Gollum esperou por um momento oportuno. Ele estava espreitando na
margem ocidental do rio quando a Sociedade deixou Lothlórien em 16 de
Fevereiro. Ele os seguiu descendo o Anduin agarrado a um pedaço de
madeira. Uma noite ele se aproximou dos barcos da Sociedade enquanto
eles acampavam, mas Frodo o viu e sacou a antiga espada de Bilbo,
Ferroada, e Gollum fugiu. Gollum não revelou-se novamente, mas ele
continuou seguindo a Sociedade à distância.

Em 26 de Fevereiro a Sociedade foi rompida e Frodo e Sam Gamgi partiram
sozinhos. Eles entraram nas Emyn Muil e Gollum os seguiu. Ele era
conduzido por sua necessidade de recuperar o Anel.

“Onde esstá, onde esstá: meu Precioso, meu Precioso? É nosso, é sim,
e nós quer ele. Os ladrões, os ladrões, os ladrõezinhos nojentos. Onde
estão com meu Precioso? Malditos! Nós odeia eles.”

As Duas Torres: “Sméagol domado,” p. 222

Gollum estava descendo furtivamente um penhasco nos limites das Emyn
Muil quando ele foi atacado por Sam. Gollum lutou e prendeu Sam com uma
gravata. Frodo colocou Ferroada na garganta de Gollum e mandou que ele
soltasse Sam. Gollum implorou por piedade e Frodo, movido pela piedade,
poupou a vida da criatura.

Gollum conjeturou se os Hobbits estavam indo para Mordor e Frodo
confirmou seus temores. Gollum sentiu-se atraído para a Terra Negra
pela vontade de Sauron, mas ele estava apavorado com o pensamento de
voltar para lá. Cão logo os Hobbits fecharam os olhos para descansar,
Gollum tentou escapar, mas Frodo e Sam esperavam por isso e o pegaram.
Eles tentaram amarrá-lo, mas a corda feita pelos Elfos o machucava.

Gollum então se ofereceu a jurar pelo Precioso. Frodo o advertiu que
tal promessa iria amarrá-lo. O Portador do Anel mostrou-se austero e
nobre enquanto Gollum se submetia a seus pés, jurando servir o Mestre
do Precioso, ainda que o Anel formava um conexão entre eles.

A corda foi retirada e uma diferença surgiu em Gollum. Parecia que a
parte Sméagol dele havia surgido. Ele falava diretamente aos Hobbits e
parecia ávido por agradá-los. Ele os levou por um caminho secreto que
ele conhecia através dos Pântanos Mortos.

Uma noite um Nazgûl montado em uma besta alada voou sobre eles. Sméagol
ficou apavorado e mais tarde, embora ele fosse exteriormente amigável,
a parte Gollum dele começou a surgir novamente. Ele podia sentir o Olho
de Sauron ficar mais forte enquanto eles se aproximavam do Morannon.

Quando os Hobbits estavam aparentemente dormindo, as metades Sméagol e
Gollum discutiam. Sméagol sentia-se amarrado à sua promessa de servir o
Mestre do Precioso. Gollum argumentou que se eles pegassem o Anel então
eles seriam o Mestre e não precisariam servir ninguém. Eles poderiam
até mesmo proteger o Anel de Sauron e se fortalecerem. Sméagol estava
relutante em ferir Frodo, mas Gollum disse que todos os Bolseiros eram
seus inimigos, e ele começou a formular um plano para levar os Hobbits
para Laracna.

No dia seguinte, O Portão Negro mostrou-se guarnecido e intransponível,
mas Frodo estava determinado a tentar. Gollum implorou que ele não
fosse e então disse que conhecia uma passagem secreta para Mordor. Sam
ouvira o debate noturno e ficou suspeito. Ele não sabia dizer quem
estava dominante, Gollum ou Sméagol, mas ele sabia que ambos queriam
manter o Anel longe de Sauron.

Frodo reconheceu que o destino da criatura estava preso ao Anel e a sua
missão. Mas ele advertiu Gollum de que o Anel era traiçoeiro e iria
tentar deformar sua promessa e poderia traí-lo no fim. Frodo disse que
se necessário ele iria colocar o Anel e Gollum não poderia resistir aos
comandos que ele desse.

Gollum ficou aterrorizado e não pôde falar coerentemente por algum
tempo. Finalmente ele disse aos Hobbits sobre a estrada que levava ao
Sul até a Encruzilhada e da parte oriental do Vale de Morgul. Lá ele
disse que havia uma Escada Reta e uma Escada Tortuosa, e um túnel que
levava para Mordor. Ele admitiu que o caminho era protegido mas disse
que poderia ser menos protegido que outros caminhos.

Após muito pensar, Frodo aceitou a liderança de Gollum e eles se
dirigiram ao sul, para Ithilien. Gollum estava faminto e esperava
encontrar comida por ali, já que ele não podia comer lembas. Ele pegou
dois coelhos, mas ficou desesperado ao ver que Sam os estragara fazendo
um cozido.

Gollum escapou para dentro dos arbustos. Quando Faramir e seus guardas
descobriram os Hobbits e os levaram ao seu refúgio em Henneth Annun,
Gollum os seguiu. Gollum encontrou o Lago Proibido e resolveu pescar
lá. Frodo o chamou, e Gollum estava relutante em se aproximar, até que
Frodo invocou o nome do Precioso. Enquanto Gollum se aproximava de
Frodo, ele foi pego por Anborn e foi amarrado e coberto, e levado até
Faramir para ser questionado. Gollum não compreendia que Frodo estava
tentando salvá-lo, ele acreditou que Frodo o traíra.

Após eles se despedirem de Faramir, Gollum levou os Hobbits para as
Escadarias de Cirith Ungol. Os Hobbits pararam para descansar no topo
das Escadarias, e Gollum saiu em direção à toca de Laracna. Ele se
ajoelhou diante de Laracna e disse que estava trazendo sua doce comida.
Gollum acreditou que ele conseguiria encontrar o Anel entre as roupas e
ossos de Frodo quando Laracna terminasse de devorá-lo, e então ele
poderia se vingar de Laracna e todo mundo.

Quando Gollum retornou aos Hobbits, ele os encontrou dormindo tranquilamente nos braços um do outro.

Gollum olhou para eles. Ma expressão estranha passou por seu rosto
magro e faminto. Apagou-se o brilho de seus olhos, que ficaram opacos e
cinzentos, velhos e cansados. Um espasmo de dor pareceu contorcer seu
corpo, e ele se virou, olhando para trás na direção da passagem,
balançando a cabeça, como se empenhado em alguma discussão anterior.
Depois voltou, e lentamente, estendendo uma mão trêmula, com todo o
cuidado tocou o joelho de Frodo – mas o toque foi quase uma carícia.
Por um momento fugaz, se os que dormiam pudessem tê-lo visto, pensariam
que estavam observando um velho hobbit cansado, encolhido pelos anos
que o tinham carregado para longe de seu tempo, para longe dos amigos e
parentes, e dos campos e riachos da juventude, um ser velho e faminto
merecedor de compaixão.

As Duas Torres: “As escadarias de Cirith Ungol,” p. 333

Por um momento, Sméagol esteve a beira do arrependimento. Então Sam
acordou e interpretou erroneamente o comportamento de Sméagol,
acusando-o de ficar espreitando. O momento passou, e Gollum levou os
Hobbits até o covil de Laracna o os abandonou aos seus cuidados.

Os Hobbits conseguiram escapar, mas Laracna os seguiu. Sam estava
tentando avisar Frodo, quando Gollum veio por trás de Sam e o agarrou.
Segundo o pensamento deturpado de Gollum, ele estava mantendo sua
promessa de não ferir se Mestre permitindo que Laracna fizesse o
trabalho sujo, mas Sam era um alvo legal. Gollum subestimou a
determinação de Sam, porém. Sam golpeou o braço e as costas de Gollum
com seu cajado lebethron, e Gollum fugiu.

Gollum seguiu os Hobbits depois que eles escaparam da Torre de Cirith
Ungol. Ele encontrou a armadura Orc que Frodo deixara para trás e a
vestiu bem a tempo de escapar de ser morto por uma flecha disparada por
um Orc que seguira os Hobbits. Gollum havia inconscientemente apagado
os rastros dos Hobbits. Ele mesmo começou a ser caçado quando os Orcs
ficaram sabendo que ele estava sendo procurado para ser questionado
imediatamente.

Na Montanha da Perdição, em 25 de Março, Gollum encontrou Sam
carregando Frodo na subida da montanha. Sabendo que Frodo pretendia
destruir o Anel, Gollum o atacou. Frodo lutou com surpreendente fúria e
arremessou Gollum para baixo. Sam ameaçou Gollum com Ferroada enquanto
Frodo continuava subindo a montanha, mas Gollum implorou por
misericórdia, e Sam o deixou ir.

Mas Gollum não pretendia abandonar seu Precioso. Ele seguiu Sam até as
Sammath Naur e o golpeou na cabeça, por trás. Frodo reivindicou o Anel
para si, e colocou-o no dedo, mas Gollum o encontrou e os dois lutaram
desesperadamente nas margens das Fendas da Perdição. Então Gollum
mordeu e arrancou o dedo de Frodo, conseguindo o Anel. Distraído em sua
felicidade, Gollum perdeu o equilíbrio e caiu no abismo ardente abaixo.
O Anel foi destruído e Gollum morreu. Sua última palavra enquanto caía
foi “Precioso”.

Frodo lembrou as palavras de Gandalf, de que “Até mesmo Gollum pode ter ainda algo a fazer” (RdR, p. 223), e perdoou Gollum por sua traição, pois sem a intervenção de Gollum, a Demanda para destruir o Anel teria falhado.

Fontes Adicionais



Contos Inacabados:
“A Caçada ao Anel” discute o período entre a captura de Gollum em Mordor e sua descoberta da Sociedade em Moria.
As Cartas de J.R.R. Tolkien: A Carta 214 discute sobre a
descendência dos Grados de Sméagol e Déagol. A Carta 96 e a Carta 246
discutem a possibilidade de arrependimento de Gollum na Escadaria de
Cirith Ungol.

Datas Importantes



2463

Sméagol assassina Déagol e pega o Um Anel.

2470
Sméagol vai viver nos túneis das Montanhas Sombrias.

2941
Verão: Bilbo Bolseiro vai parar na caverna de Gollum e encontra o Um Anel.

2944
Gollum deixa sua caverna nas Montanhas Solitárias e começa a procurar o Anel.

2951
Gollum começa a ir em direção a Mordor.

2980
Gollum chega aos limites de Mordor e encontra Laracna.

3017
Gollum é capturado por Sauron. Ele é torturado e questionado sobre o Anel, e então é libertado.

3018
1º de Fevereiro: Gollum é capturado por Aragorn.

21 de Março: Gollum é levado até a Floresta das Trevas.
23 de Março: Gandalf chega e começa a questionar Gollum.
29 de Março: Gandalf deixa a Floresta das Trevas.

20 de Junho: Orcs atacam os Elfos da Floresta das Trevas e Gollum consegue escapar de seu cativeiro.

Agosto: Gollum entra em Moria pelo Portão Leste.

3019

13 de Janeiro:
A Sociedade entra em Moria através do Portão Oeste e Gollum começa a seguir o Portador do Anel.
15-16 de Janeiro: Gollum segue a Sociedade para dentro de Lothlórien, e começa a se aproximar de Frodo, mas é afugentado por Haldir.

16 de Fevereiro: Gollum observa a partida da Sociedade de Lothlórien e os segue.
17 de Fevereiro: Gollum se aproxima do acampamento da Sociedade durante a noite, mas é espantado por Frodo.
26 de Fevereiro: o Rompimento da Sociedade. Gollum segue Frodo e Sam nas Emyn Muil.
29 de Fevereiro: Gollum é capturado por Frodo e Sam. Ele jura servir ao Mestre do Precioso.

1-2 de Março: Gollum leva os Hobbits através dos Pântanos Mortos.
4 de Março: Sméagol e Gollum debatem sobre que atitude tomar. Gollum começa a formular um plano para levar os Hobbits para Laracna.
5 de Março: Os Hobbits chegam ao Portão Negro e percebem que ele é intransponível. Gollum propõe levá-los por um caminho secreto.
7 de Março: Os Hobbits conhecem Faramir. Gollum escapa de ser capturado e os segue até Henneth Annun.
8 de Março: Gollum pesca no Lago Proibido. Ele é capturado pelos homens de Faramir e acredita que Frodo o traiu.
10 de Março: Gollum lidera os Hobbits até o início das Escadarias de Cirith Ungol.
11 de Março: Gollum visita Laracna. Ele retorna e encontra Frodo
dormindo e quase se arrepende, mas muda de idéia quando Sam o acusa de
bisbilhotar.
12 de Março: Gollum leva os Hobbits até o covil de Laracna.
13 de Março: Gollum ataca Sam enquanto Laracna ataca Frodo. Sam luta contra Gollum, e o mesmo foge.
16 de Março: Gollum encontra a armadura de Orc descartada por Frodo e por pouco evita ser morto por um Orc.
17 de Março: Sam vê Gollum perto de uma poça, mas Gollum se esconde.
25 de Março: Gollum ataca Frodo nos pés da Montanha da Perdição,
mas Frodo resiste e escapa. Sam poupa a vida de Gollum. Gollum segue os
Hobbits até as Fendas da Perdição e ataca Frodo novamente, mordendo e
arrancando seu dedo, junto com o Anel. Gollum cai nas Fendas da
Perdição e é destruído juntamente com o Anel.

Nomes e Títulos



Sméagol:

O nome Sméagol é derivado do Inglês Antigo smygel, significando “refúgio, toca”. Note que a palavra smial é derivada da mesma palavra.
Apêndice F do Senhor dos Anéis: “Da tradução,” p. 429; Old English Made Easy

Trahald:
O nome Trahald é o equivalente a Sméagol. Esse era o nome pelo qual ele era chamado na linguagem de seu povo. Como Sméagol, Trahald significa “entocador, insinuador”.
Apêndice F do Senhor dos Anéis: “Da tradução,” p. 429

Gollum:
Sméagol começou a ser chamado de Gollum por seu povo por causa dos barulhos estranhos que ele começou a fazer com sua garganta após adquirir o Um Anel.
O Hobbit: “Adivinhas no Escuro,” p. 73; A Sociedade do Anel: “A sombra do passado,” p. 55

Meu Precioso:
Gollum chamava o Anel de “meu Precioso”,
mas devido ao fato de que sua vontade estava indissociavelmente ligada
ao Anel, ele também referia-se a si próprio dessa maneira.
O Hobbit: “Adivinhas no escuro,” p. 73

Caviloso e Fedegoso:
Sam referiu-se aos dois aspectos da personalidade de Gollum como Caviloso e Fedegoso. Caviloso era a parte Sméagol, e Fedegoso era a parte Gollum.
As Duas Torres: “O Portão Negro está fechado,” p. 250

Senhor Sméagol, Gollum o Grande, O Gollum, Preciosíssimo Gollum:
Gollum imagina esses títulos para si assim que ele conseguisse o Anel.
As Duas Torres: “A passagem dos pântanos,” p. 243-4

 
Traduzido de: The Thain’s Book

Elijah Wood

Em 28 de Janeiro de 1981 nascia em Cedar Rapids, Iowa nos Estados Unidos, o futuro ator Elijah Jordan Wood. Hoje, aquele que fez o hobbit Frodo nos cinemas tem razões para festejar.
 
 
elijahElijah mostrou-se ativo na infância quando trancou acidentalmente a sua mãe em casa, com apenas dois anos, recebendo o apelido de Monkey ou "Pequeno Macaco" por ter esculhambado a cozinha de casa.

Com seis anos participava do evento anual de sua escola primária, no coro de "O Som de Música", revelando-se um talento na música tocando violão e piano, além de aos poucos cantar profissionalmente.

Em 1988, foi levado por sua mãe para Los Angeles, para fazer um teste na International Model e Associação de Talentos, em pouco tempo sua carreira de ator começaria oficialmente.

Foi com oito anos, em 1989, que Elijah fez seu primeiro trabalho profissional: apareceu no clipe da cantora Paula Abdul, Forever U Girl. No mesmo ano, fez o filme "De volta para o futuro II" ("Back to the future part II") e depois disso não parou mais, de 1990 até 2003 ele atuou em mais de 25 filmes!

Com 11 anos atuou ao lado de Mel Gibson, no filme Eternamente Jovem, onde ele faz o papel de Nat Cooper, um garoto que acorda o congelado Capitão Daniel (Gibson). No mesmo ano participou do filme para a TV, Day-O, em que vive um amigo imaginário de uma mulher.

No ano seguinte continuou atuando ao lado de famosos atores, como Macaulay Culkin, em O Anjo Malvado, em que eles são primos. Já em 1994 estrelou um filme não muito agraciado pelo público, O Anjo da Guarda, na qual Elijah vive um garoto que passa por diversos sonhos em busca de seus pais ideais. O Filme teve a presença de Bruce Willis.

Com 16 anos, participou do filme dirigido por Ang Lee, o Tempestade de Gelo, ao lado de Christina Ricci. Em 1998 atuou como Leo, o astro-mirim, em Impacto Profundo, filme catástrofe com ótimos efeitos especiais.

Com certeza o filme que consagrou o ator foi a trilogia "O Senhor Dos Anéis", de Peter Jackson. Elijah fala que fazer o personagem Frodo foi um grande desafio pois teve de começar como um ingênuo e inocente Hobbit no Condado e terminar como um sofrido e sombrio Hobbit corrompido.

O ator acha que as mudanças em Frodo podem ser comparadas às mudanças que ocorrem em um drogado, alguém que se vicia e vai consumindo seu própio ser sem aceitar ajuda de ninguém – que bom que nessa história o personagem tem um final feliz.

Filmar a trilogia deu ao ator alguns bons amigos, inclusive ele também tatuou o número 9, assim como os outros membros da sociedade, a tatuagem de Elijah fica na virilha.

Certo dia, enquanto ainda estava na Nova Zelândia, bebeu de mais com o amigo Dominic Monaghan (Merry) e saiu causando estragos pela cidade, depois de muita baderna, subiram num chafariz e começaram a urinar, foi nesse momento que Liv Tyler (Arwen) apareceu e deu uma bronca na dupla. Depois disso ambos se comportaram bem.