Arquivo da tag: A Sociedade do Anel

As Argonath

As Argonath, também conhecidas em língua comum como o Portão dos Reis, são um dos monumentos mais emblemáticos e impressionantes da Terra Média. São constituídas por dois enormes pilares esculpidos à semelhança de Isildur e Anárion, os dois filhos de Elendil de Númenor e fundadores do reino de Gondor. Cada um se situava lado a lado, em margens opostas do rio Anduin. Por detrás das estátuas, altos precipícios uma passagem estreita pela qual o rio passava, antes de alargar e formar o lago Nen Hithoel.
 
argonath.jpg
As Argonath olhavam para norte, e os seus braços esquerdos estavam erguidos, com a palma estendida para a frente num gesto de desafio aos inimigos de Gondor. Na mão direita, encostada ao peito, seguravam machados, e cada um tinha também um elmo e uma coroa sobre a cabeça. As suas caras tinham uma expressão sombria. Pela espectacularidade da obra, com a imponência das estátuas e a grande mestria com que foram esculpidas, ninguém por elas passava sem espanto.

As estátuas foram construídas por volta do ano 1248 da Terceira Era, por ordem do rei Romendacil II. O objectivo era que os pilares marcassem a fronteira norte de Gondor (na altura), e não era permitida a passagem para sul das Argonath sem autorização.

Quando a Sociedade do Anel passou por elas a 25 de Fevereiro de 3019, Aragorn, descendente de Elendil, ficou mais ciente da sua herança real.

"Frodo, olhando para a frente, viu na distância duas grandes rochas se aproximando: pareciam dois grandes pináculos ou pilares de pedra. Altos, íngremes e agourentos, erguiam-se dos dois lados da correnteza. Uma pequena abertura apareceu entre eles, e o Rio levou os barcos naquela direção:

- Olhem os Argonath, os Pilares dos Reis! – gritou Aragorn. – Vamos passar por eles em breve. Mantenham os barcos em fila e o mais separados que puderem. Fiquem no meio da correnteza.

theargonath.jpg
Quando Frodo foi levado na direção deles, os grandes pilares assomaram como torres vindo ao seu encontro. Pareciam-lhe dois gigantes, figuras grandes e cinzentas, silenciosas mas ameaçadoras. Então percebeu que de fato eram desenhados e moldados: o trabalho e o poder de antigamente tinham trabalhando neles, que ainda conservavam, através do sol e da chuva de anos esquecidos, as formas poderosas da escultura original. Sobre grandes pedestais alicerçados nas águas profundas, erguiam-se grandes reis de pedra: ainda, com olhos turvos e cenhos gretados, voltavam-se para o Norte. A mão esquerda de cada um deles estava levantada, como a palma para fora, num gesto de advertência, e cada mão direita empunhava um machado; sobre cada uma das cabeças viam-se um elmo e uma coroa, já se desintegrando. Guardiões silenciosos de um reino há muito desaparecido, tinham ainda grande força e majestade. Dominado pelo medo e pela admiração, Frodo se encolheu, fechando os olhos e não ousando olhar para cima, enquanto o barco se aproximava. Até Boromir abaixou a cabeça quando os barcos passaram, frágeis e fugazes como pequenas folhas, sob a sombra duradoura dos guardiões de Númenor. Assim atravessarem a fenda negra dos Portões (…)"

O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel, "O Grande Rio", página 418

Sobre a construção das Argonath

A origem das Argonath não é um assunto consensual. O texto acima foi escrito com base no Apêndice A de O Senhor dos Anéis, segundo o qual foi Romendacil II que mandou erguer as estátuas: “Foi ele que construiu os pilares das Argonath à entrada do Nen Hithoel.” Romendacil apenas foi rei de Gondor já entre 1304 e 1366 da Terceira Era, mas a construção das estátuas em 1248 pode ser justificada pelo facto de ele ter atuado como regente do reino desde 1240. É sugerido que foi durante esse período que ergueu o monumento.

O que torna o assunto mais complicado é uma referência no Silmarillion, em Dos Anéis do Poder e da Terceira Era, onde é dado a entender que a construção das Argonath se deu muito mais cedo, no final da Segunda Era, aquando da fundação de Arnor e Gondor pelos Exilados: “… fortes e maravilhosos trabalhos eles construíram na terra nos dias do seu poder, nas Argonath…” Isto é provavelmente um erro simples, e como última fonte canónica, o Senhor dos Anéis deve ser sempre mais tido em conta. Apesar de tudo, é o suficiente para causar alguma discussão.

 
Localização
 
Localização das Argonath

Nome

Argonath significa “Pedras dos Reis”, de ar, significando “rei, real” e gonath, que quer dizer “pedras”. Outros nomes: Portão dos Reis, Portões das Argonath, Portões de Gondor, Pilares dos Reis

 

Vídeo

Autores
O 10º membro da Sociedade – Texto, Imagens e Revisão Final
AlissonTuor – Imagens e Citação

 
Veja  mais imagens aqui
 
 
Fontes
Thain’s Book
O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel
The Complete Tolkien Companion, J. Tyler

A Vida Pós-SdA: Orlando Bloom

orlando_bloom_total.jpg
Orlando Jonathan Blanchard Bloom completou 30 anos em 2007 (é de 13 de
janeiro de 1977) e, apesar de sua dislexia, conseguiu se tornar ator e
mais, um ator que aparece em quatro do quinze filmes com maior
bilheteria em toda a história. E a explosão de popularidade aconteceu
justamente com "O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel" em 2003.
 

Trabalhos Pós-SdA
Após o trabalho em "O Senhor dos Anéis", pelo qual recebeu prêmios de melhor elenco mas nunca um prêmio individual, Orlando Bloom estrelou a trilogia "Piratas do Caribe", ao lado de Keira Knightley e Johnny Depp, onde arrematou U$ 2,5 bilhões para seus já impressionates números. Além disso, ele fez o papel principal em dois blockbusters do Cinema, Kingdom of Heaven e Troy.

Também participou de produções menos conhecidas como Ned Kelly, The Calcium Kid, Elizabethtown, Love and Other Disasters e Haven, fazendo uma média de dois filmes por ano, além de aparecer na série de humor "Extras" onde representou uma versão narcisista e arrogante de si mesmo que absolutamente detesta Johnny Depp.


Prêmios e Destaques
Em 2002 ele foi escolhido pela Teen People como um das "Mais Quentes Estrelas com Menos de 25" e foi consagrado pela People como o mais "quente" solteiro de Hollywood na lista de 2004. Mas, apesar disso, ele não recebeu maiores indicações a prêmios (nem prêmios) por atuações pessoais nos filmes em que atuou.

Os filmes dos quais participou arrecadaram mais de U$ 6,2 bilhões mundialmente e ele está presente em 5 dos 15 filmes com maior bilheteria na história do cinema. Em 2006 ele foi a pessoa do sexo masculina mais procurada no Gooogle News.

        
Futuro Profissional
Bloom, que tem a intenção de se tornar um ator de tetro após se graduar na Guildhall School of Music and Drama, afirmou que gostaria de deixar os filmes por algum tempo e aparecer em papeis nos palcos, e está "avidamente procurando pelo tipo certo de material com o qual ele possa fazer algo" e "retornar ao básico". Bloom atualmente está participando de um Londoin revival de "In Celebration", uma peça de David Storey. Seu personagem é um de três irmãos que retornam para casa para o aniversário de 40 anos de casamento de seus pais. Em 24 de agosato de 2007 ele fez sua primeira aparição em um comercial de TV, tarde da noite na TV japonesas, promovendo a marca Uno de cosméticos, de Shiseido. Uma versão "uma única noite" de 2 minutos  do comercial, com temática sci-fi, deu início à campanha de marketing dos produtos.

Filmografia pós-SdA
2003    Pirates of the Caribbean: The Curse of the Black Pearl, como Will Turner     
        Ned Kelly, como Joe Byrne
2004    Troy, como Paris     
2005    The Calcium Kid, como Jimmy Connelly
        Elizabethtown, Drew Baylor     
        Kingdom of Heaven, como Balian of Ibelin     
2006    Love and Other Disasters, Hollywood Actor playing Paolo
        Haven, como Shy
        Pirates of the Caribbean: Dead Man’s Chest, como Will Turner     
2007    Pirates of the Caribbean: At World’s End, como Will Turner

A Vida Pós-SdA: Ian McKellen

A Valinor começa hoje uma série de artigos "A Vida Pós-SdA" onde
acompanharemos um pouco da vida pós-Senhor dos Anéis dos atores que
interpretaram no cinema os personagens principais na trilogia de Peter
Jackson. O primeiro ator retratado é Sir Ian "Gandalf" McKellen, cuja
biografia completa pode ser conferida aqui mesmo na Valinor.
 
 

ianmckellen_aknightout.jpgNascido em 25 de Maio de 1939 Sir Ian McKellen completou 69 anos em 2007 e continua levando uma vida bastante ativa em três áreas principais: Teatro, Cinema e Defesa do Direito dos Homossexuais.


Teatro
Desde 1994 McKellen trabalha em uma peça de um homem só chamada, A Knight Out. A peça obteve grande sucesso e continua a ser encenada ainda hoje e Sir Ian a considera como permanentemente "em construção". Ele é uma das pessoas que auxilia o Rose Theatre em Londres e em janeiro de 2006 inaugurou uma "blue plaque" no prédio deste. Em 2007 ele retorna para a Royal Shakespeare Company, nas produções de Trevor Nunn , atuando em The Seagull  e no papel de Rei Lear, grandemente aclamado.

Cinema e TV
ianmckellen_magneto.jpgEm 2003, McKellen apareceu nOs Simpsons, em um episódio com temática britânica chamado "The Regina Monologues", junto com Tony Blair e J. K. Rowling. Em abril e maio de 2005 ele realizou um sonho antigo: participou da mais longa novela da história – ainda em andamento – chamada Coronation Street ("Rua da Coroação"). Essa novela estreou em 9 de dezembro de 1960 e está, portanto, há quase 47 anos no ar! Ian McKellen atuou no papel de Mel Hutchwright. Em 2006 ele faz uma ponta na série de comédia "Extras", do ator Rick Gervais, onde faz o papel de si mesmo dirigindo Andy Millman (Ricky Gervais) em uma peça sobre amantes gays. McKellen recebeu uma indicação ao Emmy de 2007 por esta atuação.

McKellen também apareceu em alguns filmes de lançamento limitado, como Emile (filmado em pouco dias, durante a filmagem de X-Men 2), Neverwas e Asylum. Sir Ian atuou também como Sir Leigh Teabing no The Da Vinci Code, um dos poucos atores elogiados do filme.

Ativismo
ianmckellen_simpsons.pngSir Ian continua sendo um ativista em prol dos direitos dos homossexuais, nunca escondendo sua opção sexual quando perguntado e tornando-a amplamente pública em 1988. No premiação do Oscar de 2002 ele compareceu com seu então namorado, o neo-zelandês Nick Cuthell. Em 2006, McKellen discurson no pré-lançamento do "2007 LGBT History Month" no Reino Unido, levando seu apoio à organização e à sua fundadora, Sue Sanders, uma amiga pessoal (vídeo do discurso). Em 5 de janeiro de 2007 McKellen se tornou patrono do "The Albert Kennedy Trust", uma organização que dá apoio a jovens gays, lésbicas e transexuais sem lar.

Prêmios
2004: Manila, Philippines Pride International Film Festival – Prêmio de Distinção e Carreira
2006: Eleito pelo Independent como a personalidade homossexual mais influente na Grã-Bretanha (em 2007 ficou na quinta posição)
2007: Annie Award por Melhor Atuação de Voz em uma Produção de Desenho Animado, por Flushed Away

Projetos
ianmckellen_lear.jpgSegue uma lista dos projetos dos quais Ian McKellen participou após O Senhor dos Anéis:
2003        – Cinema – Emile, como Emile
2003        – Cinema – X2: X-Men United, como Eric Lensherr/Magneto
2004        – Cinema – Eighteen, como Jason Anders
2004 e 2005 – Teatro – Aladdin, como Old Vic
2005        – Cinema – Neverwas, como Gabriel Finch
2005        – Cinema – Asylum, como Dr. Peter Cleave     
2005        – Cinema – The Magic Roundabout, como a voz de Zebedee
2006        – Teatro – The Cut, como Donmar Warehouse
2006        – Cinema – Displaced (voz)     
2006        – Cinema – Flushed Away, como a voz do Sapo
2006        – Cinema – X-Men: The Last Stand, como Eric Lensherr/Magneto     
2006        – Cinema – The Da Vinci Code, como Sir Leigh Teabing     
2007        – Teatro – King Lear de William Shakespeare, como Lear
2007        – Teatro – The Seagull de Anton Chekov, como Sorin
2007        – Cinema – Magneto, como Eric Lensherr/Magneto (anunciado)
2007        – Cinema – The Colossus, como Cecil Rhodes (pré-produção)

Craig Parker

Craig Parker é um Fijiano, nascido em Suva, capital do país, em 12 de
novembro de 1970. Ele mudou-se com a família para Nova Zelândia quando
ainda era muito jovem, por isso é considerado um ator neozelandês.
 
craig_parkerSua carreira começou na TV, em 1987, quando participou do seriado
“Gloss”. Depois disso, ganhou maior participação como Nicholas Paget em
“Hotshots”. Em 1991 começou a investir na carreira teatral, com a peça
“MacBeth”, mas sem abandonar a televisão, onde atuou em “Gold”. No ano
seguinte, estreou nas telonas com um pequeno papel, Daniel, do filme
“Mother Tongue” e lançou a peça “Weed”.

Seu primeiro grande trabalho veio aos vinte e três anos. Trata-se de
Guy Warner, personagem de uma famosa novela neozelandesa, “Shortland
Street”. Parker dedicou três anos de sua vida à personagem.

Após encerrar sua participação na novela, Craig filmou uma curta
metragem, “Man Made”, participou de mais uma série televisiva, “City
Life”, e voltou ao teatro com a peça “Arcadia”. Ainda trabalhou em
“Hércules”, “Xena”, no filme “No one can hear you” e em algumas peças
de teatro.

O reconhecimento internacional só veio em 2001, quando Craig Parker foi
escalado para interpretar o elfo Haldir, na trilogia cinematográfica de
o Senhor dos Anéis. Mesmo trabalhando com uma personagem polêmica (já
que ela sofreu diversas modificações em relação aos livros), Craig
conseguiu conquistar os fãs Tolkiendili.

Tendo participado do primeiro e do segundo filme, Parker demorava quase
três horas para aplicar a peruca loira, necessária para a
caracterização da personagem. Na verdade, inicialmente ele apenas
dublava o hobbit Frodo nos story boards [1] dos filmes, sendo que foi escalado após o diretor Peter Jackson não encontrar um ator adequado para o papel.

Além das suas habilidades como ator de cinema, televisão e teatro,
Craig ainda é famoso por sua atuação em Theatre Sports, uma espécie de
competição teatral onde os atores devem improvisar textos, perante a
situações propostas.

[1] Um storyboard é a prévia de determinado filme, animação ou
peça publicitária. Semelhante a uma história em quadrinhos, simula as
situações que acontecerão no trabalho final, para que as cenas possam
ser aprovadas antes de serem filmadas.

Fontes:
IMDb
Wikipedia
Craig-Parker.net
Speakers New Zealand

Marton Csokas

Apesar de ter nascido em 30 de junho de 1966 em Invercargill, Nova Zelândia, Marton
Csokas tem origens húngaras. Começou sua carreira como ator em
1989, logo após concluir sua graduação na “Escola de Drama Nova
Zelândia” (The New Zealand Drama School), atuando em peças teatrais e com uma grande participação em uma novela neozelandesa, Shortland Street (1993-1994), na qual fazia o personagem Dr. Leonard Rossi-Dodds. Seu primeiro papel nas telonas foi no filme Um Gênio Chamado Jack (Jack Brown Genius, 1994), no qual atuou como Dennis.
 

marton
Marton escrevia suas próprias peças teatrais e era co-fundador de uma companhia de teatro na Nova Zelândia, The Stronghold Theatre, quando recebeu o convite para participar de um episódio do seriado Hércules (Hercules: The Legendary Journeys, 1995), no qual fez Tarlus. Depois disso, Csokas volta aos estúdios de cinema no papel de Darko, no filme Broken English (1996),
e mantém seus trabalhos com a Renaissance Pictures, onde consegue os
papéis de Khrafstar e Borias no seriado Xena: A Princesa Guerreira (Xena: Warrior Princess), nas temporadas de 1997-1998.

Os anos passaram e Csokas continua promovendo-se como ator, fazendo grandes participações em seriados, como Farscape (2000), Beastmaster (2000), Cleopatra 2525 (2001), e em alguns filmes, entre eles, The Monkey's Mask (2000), no qual fez o papel de Nick Maitland. É nesse momento que ganha o papel de Celeborn nos filmes O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel (The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring – 2001) e O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei (The Lord of the Rings: The Return of the King – 2003), que na trama é o marido de Galadriel, a senhora de Lothlórien.

Daí em diante sua carreira decola; em 2002 tem sua voz na dublagem de Star Wars Episodio II: Ataque dos Clones (Star Wars Episode II: Atack of the Clones – 2002), e participações em Triplo X (XXX – 2002), A Supremacia Bourne (The Bourne Supremacy – 2004), e outro grande papel em Cruzadas (Kingdom of Heaven – 2005), no qual fazia Guy de Lusignan.

Csokas é um ator de grande sucesso na Nova Zelândia, onde continua com
seus trabalhos teatrais, minisséries e seriados. Muitos fãs
consideram-no como o melhor ator coadjuvante existente.

Filmografia:

2007 – Romulus, My Father – Hora
2005 – Æon Flux – Trevor Goodchild
2005 – Kingdom of Heaven – Guy de Lusignan
2005 – The Great Raid – Captain Redding
2005 – Asylum – Edgar
2004 – The Bourne Supremacy – Jarda
2004 – Evilenko – Vadim Timurovic Lesiev
2003 – The Lord of the Rings: The Return of the King – Celeborn
2003 – Timeline – Sir William De Kere/ William Decker
2003 – Kangaroo Jack – Mr. Smith
2002 – Garage Days – Shad Kern
2002 – XXX – Yorgi
2002 – Star Wars Episode II: Attack of the Clones – Poggle the Lesser
2001 – The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring – Celeborn
2001 – Rain – Cady
2001 – Cleopatra 2525 – Krider (ep "No Thanks For The Memories")
2001 – The Farm – Adrian Beckett (mini series)
2000 – The Lost World – Kenner (ep "Tourist Season")
2000 – The Monkey's Mask – Nick Maitland
2000 – Beastmaster – Qord (eps "Revelations", "Rescue" & "Golden Phoenix")
2000 – The Three Stooges – Ted Healy (minisséries)
2000 – Farscape – Br'Nee (ep "Bone to be Wild")
2000 – Accidents (curta) – Chug
1999 – Water Rats – Robert Tremain (ep "Shark Bait")
1999 – Wildside – Larry Lodans (ep #2.18)
1999 – All Saints – Brother Thomas (ep "More Things in Heaven & Earth")
1999 – Halifax f.p. – John Garth (ep "Swimming with the Sharks")
1998 – Hurrah (otherwise known as Heaven Sent) – Raoul
1996 – Broken English – Darko
1996 – Hercules: The Legendary Journeys – Tarlus (ep "Promises")
1995 – Twilight of the Gods – Soldier (short-metragem)
1997;2001 – Xena: Warrior Princess – Krafstar, Borias/Belach
1994 – A Game With No Rules (curta) – Kane
1994 – Jack Brown Genius – Dennis
1993;1994 – Shortland Street – Dr. Leonard Rossi-Dodds
1992 – The Ray Bradbury Theater – Sid (ep "By The Numbers")


Fontes:

Wikipedia.org
IMDb

Viggo Mortensen

Nascido em New York, em 20 de outubro de 1958, Viggo Peter Mortensen
Jr. é filho de pai dinamarquês e mãe americana. Viggo Jr. passou parte
de sua infância em Manhattan e viveu também na Venezuela, Argentina e
Dinamarca. Começou a atuar em New York, estudando com Warren Robertson.
 
 

viggoViggo é o filho mais velho de Grace e Viggo P. Mortensen. Seus pais se
conheceram na Noruega, casaram-se e passaram a residir em New York,
onde o primogênito do casal nasceu. A família Mortensen mudou-se para a
América do Sul onde Viggo (pai) administrou granjas e ranchos
venezuelanos e argentinos. Quando Viggo Jr. tinha 11 anos de idade,
seus pais se divorciaram e sua mãe se mudou com as crianças de volta
para o estado de New York, onde Viggo Jr. freqüentou a Watertown High
School e se tornou um bom estudante e atleta. Após graduar-se em 1980
pela St. Lawrence University (Canton, New York), mudou-se para
Dinamarca buscando definir um propósito na vida. Começou a escrever
poesias e pequenas estórias enquanto trabalhou em várias atividades, de
trabalhador em docas e motorista de caminhão a vendedor de flores. Em
1982 se apaixonou e acompanhou sua namorada de volta para New York, na
esperança de um longo romance e uma carreira de escritor, sem alcançar
nenhuma delas.


Em New York, Viggo trabalhou como garçom e fez aulas de atuação. Três
anos depois estreou em “A Testemunha” (“Witness”, 1985) com um pequeno
papel. Mudou-se para Los Angeles em 1987 e, nesse mesmo ano, apareceu
em "Salvation!"
(“Salvation!”, 1987) e casou-se com Exene Cervenka. O casal teve um
filho, Henry Mortensen, antes de se divorciarem após dez anos de
matrimônio. Henry teve um papel decisivo quando, em 1999, Viggo recebeu
um convite para atuar em um filme que ele desconhecia completamente: “O
Senhor dos Anéis
”. No princípio, Viggo não desejava participar da
trilogia pois não queria ficar um tempo longe do filho, mas Henry, um
grande fã da obra, insistiu para que ele não declinasse o papel. Após o
início das gravações, substituiu Stuart Townsend como Aragorn. Durante seu trabalho na trilogia "O Senhor dos Anéis", ele pediu para o roteirista e diretor Peter Jackson que revisasse os scripts para que seu personagem Aragorn falasse em linguagem élfica em várias cenas dos três filmes.

Fez bons amigos nas gravações de “O Senhor dos Anéis”, mas eles eram
cautelosos ao gravar cenas de luta com ele porque, carregado pela
intensidade de sua personagem Aragorn, ele freqüentemente “partia para
cima” e deixava os outros combatentes com hematomas. O ator Lawrence
Makoare (Lurtz) sob uma grande quantidade de maquilagem que restringia
sua visão também empolgou-se em sua luta com Viggo, deixando-o mais
ferido. Viggo também quebrou dois dedos em uma cena em que chuta um
elmo de orc. Nos intervalos entre as gravações, também gostava de
surfar com os demais atores, acidentando-se uma vez e forçando Peter
Jackson a filmar sua face esquerda durante toda a seqüência de Moria
para que o hematoma no lado direito não aparecesse. Além disso, também
quebrou um dente durante uma seqüência de batalha em “As Duas Torres”.

Viggo também é fotógrafo, poeta e pintor. Tem um livro de poesias
chamado “Ten Last Night.” antes de tornar-se conhecido. Exibiu pela
primeira vez seu trabalho como fotógrafo na Robert Mann Gallery (New
York) no ano 2000.

Em sua filmografia, além da trilogia de Peter Jackson, podem ser
enumerados: “Duro de prender – Ninguém pode me matar” (“Prison”, 1988);
Leatherface – O massacre da serra elétrica 3” (“Leatherface: Texas
chainsaw massacre III”, 1990); “Explosão em alto mar” (“Crew, The”;
1994) ; “Anjos rebeldes” (“Prophecy, The”; 1995), “Até o limite da
honra
” (“G.I. Jane”; 1997); “Psicose” (“Psycho”, 1998); “28 Dias” (“28
Days”, 2000) e “Mar de Fogo” (“Hidalgo”; 2004), dentre muitos outros.
Recebeu uma indicação ao MTV Movie Awards de Melhor Luta, por “Até o
Limite da Honra
” (1997). Após “O Senhor dos Anéis” e “Mar de Fogo” ele
adquiriu os cavalos que cavalgou durante as gravações.

 

Referências:

Wikipedia

IMDb 

Ian McKellen

Ian nasceu em 25 de maio de 1939, na pequena cidade de Burnley, na Inglaterra, para onde seus pais fugiram tentando escapar dos males da iminente Segunda Grande Guerra. Algumas semanas após seu nascimento, a família de Ian mudou-se para Wigan, pouco antes de estourar a 2ª Guerra Mundial. Quando os Nazistas bombardearam o norte da Inglaterra, Ian e seus familiares protegeram-se das bombas em um abrigo de ferro. Aos três anos, acabou por contrair difteria, o que teria alterado sua voz permanentemente.
 
 
mckO ator fascinou-se pelo teatro quando era apenas uma criança. Sua juventude foi marcada pela guerra e pela arte. Sempre que podia, Ian não perdia a oportunidade de atuar na escola. Na Bolton School as oportunidades eram freqüentes, como em jogos escolares e até mesmo em um teatro miniatura, onde McKellen pôde começar a aprender a teoria e a prática da dramatização, seus trabalhos preferidos eram baseados nas obras de William Shakespeare.

Sir Ian McKellen é homossexual assumido, ele jamais teve medo ou vergonha de revelar sua sexualidade e levantou a bandeira gay muitas vezes ao longo de sua carreira. Ele inclusive têm um namorado, e foi um dos únicos representantes de sua Ala Masculina à levar um parceiro à uma festa como a do Oscar, no ano de 2001. Mas o que fica de mensagem é que a dedicação e a competência deste ator estão acima de qualquer opção, seja ela sexual ou de religião.

Apesar de não ter se formado em artes dramáticas, mas sim em literatura inglesa (pela Universidade de Cambridge), Sir McKellen sempre teve um grande destaque nos palcos. Em 1965 ele atuou pela primeira vez na televisão, em "Sunday Out of Season". Depois disso ele não parou mais e atuou em mais de quarenta filmes ou seriados.

McKellen também já apareceu no seriado Os Simpsons, no episódio "Os Monólogos de Regina". Neste, a família Simpson viaja para Londres, onde entre encontros com Tony Blair e J.K. Rowling, passam por um teatro e são saudados pelo ator. Ele, no desenho, está atuando na peça "MacBeth" e diz para o patriarca Homer que pronunciar a palavra Macbeth traz má sorte. O pai da família, contrariando a superstição, começa a repetir a palavra seguidamente. Aí é que ocorre uma série de cenas engraçadas: na primeira vez, um espirro dágua cai sobre Ian; na segunda, uma bigorna cai no pé dele; na seguinte um raio cai em McKellen; e para completar, a placa que anúncia a peça é derrubada no ator. Tudo isso pode ser conferido aqui.

Como Gandalf, Ian conseguiu as melhores críticas como melhor personagem interpretado nesta trilogia. Qual fã do filme será que não gosta da cena de luta na Ponte de Khazad-dûm? Essa com certeza foi tão marcante, somada com toda sua interpretação na Sociedade do Anel que o ator foi indicado para o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. Em O Retorno do Rei, cenas como a dele em Minas Tirith foram muito impressinantes. O ator também ficou conhecido pelo elenco por andar sempre com o livro de Tolkien nos bastidores. E tornou-se imediatamente um fã dos livros.

O aniversariante está atualmente cotado para estrelar o filme adaptado do livro O Código da Vinci. Ian será Sir Teabing, um homem rico que ajudará o protagonista Robert Langdon (Tom Hanks). As filmagens começam no próximo mês, e terá direção de Ron Howard (de "Desaparecidas"), com a equipe de produção e adaptação de Uma Mente Brilhante, a mesma que tirou o Oscar de Melhor Filme de A Sociedade do Anel. Os fãs do ator britâncio poderão vê-lo em 19 de Maio de 2006, quando o filme estreiar. Enquanto isso, os parabéns pelo seu aniversário de 66 anos!

Ian através dos anos:

Ian na Methodist Primary School, Wigan
Ian em Junho de 1961
Festival de Endiburgo na peça Richard II
Na cidade de Portrait
Ian e o Senador Ted Kennedy
A Tatuagem da Amizade
Ian lê A Verdadeira História dos Três Porquinhos para as crianças
Ian na festa do Orgulho Gay – São Francisco
Em discurso para o público GLS – Festa do Orgulho Gay – São Francisco
A mãe de Ian (Margery) e a irmã (Jean)
Denis Murray McKellen, o pai
Como a personagem Magneto, no filme X Men
Como Gandalf, o Branco, em O Senhor dos Anéis
Ian McKellen recebe graduação honorária da Universidade de Leeds

Prêmios:
* a indica que o Ian venceu na categoria em que foi nomeado.

Oscar
1999 – indicado à Melhor Ator, por Deuses e Monstros
2002 – indicado à Melhor Ator Coadjuvante, por O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel

Globo de Ouro
1995 – indicado à Melhor Ator-Drama, por Ricardo III
1996 – indicado à Melhor Ator Coadjuvante – Filme para TV/Mini-série/Série de TV, por Rasputin
1999 – indicadoà Melhor Ator-Drama, por Deuses e Monstros

BAFTA
1995 – indicado à Melhor Ator, por Ricardo III
1995 – indicado à Melhor Roteiro Adaptado, por Ricardo III
2001 – indicado à Melhor Ator, por O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel
2003 – indicado à Melhor Ator Coadjuvante, por O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei

Independent Spirit Awards
1999 – indicado à Melhor Ator, por Deuses e Monstros

Empire Awards
2002 – indicado à Melhor Ator Britânico, por O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel
2003 – indicado à Melhor Ator Britânico, por O Senhor dos Anéis – As Duas Torres
2004 – indicado à Melhor Ator Britânico, por O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei

British Independent Film Award
1999 – indicado à Melhor Ator, por Deuses e Monstros

European Film Award
1995 – indicado à Melhor Ator, por Ricardo III

MTV Movie Awards
2001 – indicado à Melhor Luta, por O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel

Festival de San Sebastian
1999 – indicado à Melhor Ator, por Deuses e Monstros

Prêmio Adoro Cinema
2002 – indicado à Melhor Ator Coadjuvante, por O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel

Fontes:
Site oficial de McKellen
Adoro Cinema
Takes SET