As Argonath

As Argonath, também conhecidas em língua comum como o Portão dos Reis, são um dos monumentos mais emblemáticos e impressionantes da Terra Média. São constituídas por dois enormes pilares esculpidos à semelhança de Isildur e Anárion, os dois filhos de Elendil de Númenor e fundadores do reino de Gondor. Cada um se situava lado a lado, em margens opostas do rio Anduin. Por detrás das estátuas, altos precipícios uma passagem estreita pela qual o rio passava, antes de alargar e formar o lago Nen Hithoel.
 
argonath.jpg
As Argonath olhavam para norte, e os seus braços esquerdos estavam erguidos, com a palma estendida para a frente num gesto de desafio aos inimigos de Gondor. Na mão direita, encostada ao peito, seguravam machados, e cada um tinha também um elmo e uma coroa sobre a cabeça. As suas caras tinham uma expressão sombria. Pela espectacularidade da obra, com a imponência das estátuas e a grande mestria com que foram esculpidas, ninguém por elas passava sem espanto.

As estátuas foram construídas por volta do ano 1248 da Terceira Era, por ordem do rei Romendacil II. O objectivo era que os pilares marcassem a fronteira norte de Gondor (na altura), e não era permitida a passagem para sul das Argonath sem autorização.

Quando a Sociedade do Anel passou por elas a 25 de Fevereiro de 3019, Aragorn, descendente de Elendil, ficou mais ciente da sua herança real.

"Frodo, olhando para a frente, viu na distância duas grandes rochas se aproximando: pareciam dois grandes pináculos ou pilares de pedra. Altos, íngremes e agourentos, erguiam-se dos dois lados da correnteza. Uma pequena abertura apareceu entre eles, e o Rio levou os barcos naquela direção:

– Olhem os Argonath, os Pilares dos Reis! – gritou Aragorn. – Vamos passar por eles em breve. Mantenham os barcos em fila e o mais separados que puderem. Fiquem no meio da correnteza.

theargonath.jpg
Quando Frodo foi levado na direção deles, os grandes pilares assomaram como torres vindo ao seu encontro. Pareciam-lhe dois gigantes, figuras grandes e cinzentas, silenciosas mas ameaçadoras. Então percebeu que de fato eram desenhados e moldados: o trabalho e o poder de antigamente tinham trabalhando neles, que ainda conservavam, através do sol e da chuva de anos esquecidos, as formas poderosas da escultura original. Sobre grandes pedestais alicerçados nas águas profundas, erguiam-se grandes reis de pedra: ainda, com olhos turvos e cenhos gretados, voltavam-se para o Norte. A mão esquerda de cada um deles estava levantada, como a palma para fora, num gesto de advertência, e cada mão direita empunhava um machado; sobre cada uma das cabeças viam-se um elmo e uma coroa, já se desintegrando. Guardiões silenciosos de um reino há muito desaparecido, tinham ainda grande força e majestade. Dominado pelo medo e pela admiração, Frodo se encolheu, fechando os olhos e não ousando olhar para cima, enquanto o barco se aproximava. Até Boromir abaixou a cabeça quando os barcos passaram, frágeis e fugazes como pequenas folhas, sob a sombra duradoura dos guardiões de Númenor. Assim atravessarem a fenda negra dos Portões (…)"

O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel, "O Grande Rio", página 418

Sobre a construção das Argonath

A origem das Argonath não é um assunto consensual. O texto acima foi escrito com base no Apêndice A de O Senhor dos Anéis, segundo o qual foi Romendacil II que mandou erguer as estátuas: “Foi ele que construiu os pilares das Argonath à entrada do Nen Hithoel.” Romendacil apenas foi rei de Gondor já entre 1304 e 1366 da Terceira Era, mas a construção das estátuas em 1248 pode ser justificada pelo facto de ele ter atuado como regente do reino desde 1240. É sugerido que foi durante esse período que ergueu o monumento.

O que torna o assunto mais complicado é uma referência no Silmarillion, em Dos Anéis do Poder e da Terceira Era, onde é dado a entender que a construção das Argonath se deu muito mais cedo, no final da Segunda Era, aquando da fundação de Arnor e Gondor pelos Exilados: “… fortes e maravilhosos trabalhos eles construíram na terra nos dias do seu poder, nas Argonath…” Isto é provavelmente um erro simples, e como última fonte canónica, o Senhor dos Anéis deve ser sempre mais tido em conta. Apesar de tudo, é o suficiente para causar alguma discussão.

 
Localização
 
Localização das Argonath

Nome

Argonath significa “Pedras dos Reis”, de ar, significando “rei, real” e gonath, que quer dizer “pedras”. Outros nomes: Portão dos Reis, Portões das Argonath, Portões de Gondor, Pilares dos Reis

 

Vídeo

Autores
O 10º membro da Sociedade – Texto, Imagens e Revisão Final
AlissonTuor – Imagens e Citação

 
Veja  mais imagens aqui
 
 
Fontes
Thain’s Book
O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel
The Complete Tolkien Companion, J. Tyler

Comentários