Mudanças Gerais

Muitas Músicas e Poemas Cortados

FILMES: A maioria (embora não todas) das músicas e dos poemas dos livros foram eliminados. Porém, Philippa Boyens escreveu um poema chamado “A Revelação dos Espectros do Anel” para a trilha sonora.

LIVROS: Existem muitas músicas e poemas.

PRÓ: De acordo com Peter Jackson, “É uma coisa difícil de inserir na dramatização da história”.

CONTRA: As músicas e os poemas dão para a história muito de sua profundidade e encanto.

 

FONTES:

· AICN Peter Jackson Q&A 8/30/98 (primeira divulgação)

· AICN Script Review (confirmação)

· McKellen E-Post 6/16/00 (confirmação)

· McKellen E-Post 3/27/01 (confirmação)

· Sc(i)pt Magazine – Entrevista com Fran Walsh / Philippa Boyens 1/11/01 (confirmação)

· SoundtrackNet Howard Shore Interview 11/20/01 (confirmação)

CREDIBILIDADE: 4/5

 

Diálogos Mais Engraçados

FILMES: Muitos diálogos serão tirados dos livros, porem, haverá várias alterações. Particularmente, a disputa entre Legolas e Gimli vai ser mais cômica, e Gimli vai usar expressões como “rapazinho” (“laddie”). De acordo com uma entrevista com Sean Astin, o personagem Sam se inclina para o “alívio cômico”.

LIVROS: Os diálogos tem relativamente pouco humor.

PRÓ: O rítmico dramático de filmes precisa de “alívio cômico” para reduzir a tensão. Além disso, humor ajuda a nos familiarizarmos com as personagens mais rápido.

CONTRA: O roteiro exigiria diálogos adicionais escritos pelos roteiristas e não por Tolkien e esse diálogo cômico deixaria as personagens triviais.

FONTES:

· AICN Peter Jackson Q&A 8/30/98 (primeira divulgação)

· TORN Script Review (confirmação)

· GIMLI Audition Script 1/13/99 (primeira divulgação)

· McKellen E-Post 2/22/00 (confirmação)

· TORN Set Report (detalhe)

· E! Online On Location 5/1/00 (detalhes)

· Entertainment Weekly 11/16/01

Sam e Frodo Conversam Como Iguais

FILMES: Sam se dirige a Frodo pelo primeiro nome, como faria a um igual.

LIVROS: Sam é mais subserviente, se dirigindo a Frodo como “Sr Frodo” ou “Mestre”.

PRÓ: Audiências modernas não entenderiam ou aceitariam um relacionamento servo-mestre.

CONTRA: O relação servo-mestre é um elemento importante do relacionamento das personagens e da cultura hobbit. Mudar isso dá um toque “politicamente correto”.

FONTES:

· FRODO – CENA 2 Roteiro do Teste 13/01/99 (primeira divulgação)

· SAM –CENA 2 Roteiro do Teste 13/01/99 (detalhes)

CREDIBILIDADE: 1/5

Estórias Intercaladas

FILMES: A cena de Frodo e Sam viajando do Parth Galen para a Montanha da Perdição e aquelas envolvendo os outros personagens serão intercaladas. (Similar a “O império contra-ataca”, para usar um exemplo familiar, que intercala as cenas de Luke em Dagobah e as que envolvem os outros personagens).

LIVROS: As respectivas estórias são separadas em “Livros” extensos.

PRÓ: De acordo com a roteirista Fran Walsh, a “estória separada” do livro é uma estrutura narrativa que se aplica muito mais à literatura do que a filmes”. Quando Tolkien estava escrevendo o livro, intercalar não era algo tão prevalente na literatura – apesar de estar começando a ser agora, em parte, acredito eu, por causa de filmes.

CONTRA: Intercalar as estórias interferiria drasticamente com a linha de tempo da trama e estragaria muitas surpresas que acontecem quando um grupo de personagens não sabe o que aconteceu com o outro

FONTES:

· AICN Peter Jackson Q&A 12/31/98 (primeira divulgação)

· Leonides Tolkien-Movies messageboard post 3/9/01 (confirmação)

· Sc(i)pt Magazine – entrevista com Fran Walsh / Philippa 01/11/01(confirmação)

CREDIBILIDADE: 4/5

Papel de Gollum Expandido

FILMES: De acordo com a roteirista Philippa Boyens, “Gollum, um dos nosso favoritos, foi provavelmente expandido ao invés de limitado. Eu acho que quando você assistir o filme, o que vai ser interessante é o quão enorme o papel dele é, quando representado no filme. Por que ele é uma presença forte no livro, e muito mais no filme”.

PRÓ: Focar a estória no Anel e no seu efeito sobre as personagens necessariamente aumenta a presença de Gollum na trama, já que ela é central ao tema.

CONTRA: Expandir o papel de Gollum requer a criação de diálogos não escritos por Tolkien.

FONTE:

· Sc(i)pt Magazine – Entrevista com Fran Walsh / Philippa Boyens 1/11/01 (primeira divulgação)

CREDIBILIDADE: 3/5

[Tradução de Nénar]