Anões, anãs e suas barbas

Pelo que é possí­vel deduzir utilizando os textos sobre os anões publicados durante a vida de Tolkien (como a seção “O Povo de Durin” do Apêndice A de O Senhor dos Anéis), parece certo concluir que as anãs, como suas contrapartes masculinas, também têm barbas. Mas a confirmação categórica dessa caracterí­stica vem de um texto do Quenta Silmarillion publicado no livro The War of the Jewels, o décimo-primeiro da série The History of Middle-earth. Vejamos o que Tolkien diz:
“De fato têm eles esta estranheza, que nenhum homem ou elfo jamais viu um anão sem barba – a menos que ele estivesse barbeado por zombaria, e seria então mais possí­vel que ele morresse de vergonha do que por muitos ferimentos que para nós pareceriam mortais. Pois os Naugrim têm barbas desde o começo de suas vidas, tanto homens quanto mulheres; nem de fato suas mulheres podem ser distinguidas por aqueles de outra raça, seja em aparência, comportamento ou voz, nem de forma alguma salvo nisto: que elas não vão à guerra, e raramente salvo na mais extrema necessidade saem de suas profundas alcovas e salões. Também se conta que suas mulheres são poucas, e que excetuando seus reis e líderes poucos anões chegam a se casar; e por isso sua raça se multiplicava devagar, e agora estão diminuindo.”
Embora esse trecho sem dúvida tenha muitos pontos em comum com o Apêndice A de O Senhor dos Anéis, ele mesmo assim esclarece muito da natureza dos Naugrim, tanto homens quanto mulheres.

Comentários