Edith Bratt

Edith Bratt, esposa de Tolkien, aos 19 anos de idadeEdith, para aqueles que não sabem, era a esposa de Tolkien.
Conheceram-se aos 15 anos, quando Tolkien foi morar na casa dela, por
ordem do Padre Francis Morgan (que era o tutor de Tolkien). Depois de
um certo tempo, ambos se apaixonaram, e namoravam em segredo.
 
 
Apesar de todo o sigilo, Padre Francis acaba proibindo o encontro dos dois. Os argumentos de Francis para tal foram dois: primeiro porque ela era 3 anos mais velha que Tolkien (para época era um "escândalo" esse tipo de relacionamento) e segundo porque Padre Francis temia que Tolkien se desviasse de seus estudos por causa de Edith. Como solução, ele achou outro lar para Tolkien.

J. R. R. Tolkien e Edith BrattPor um longo tempo eles comunicaram-se através de cartas. Tolkien mantinha um diário(que, em geral, apenas escrevia quando estava triste) em que ele continuamente se lamentava pela falta de Edith. Escrevia também que rezava várias vezes pela oportunidade de encontrá-la acidentalmente( funcionou duas vezes). Padre Francis Morgan acaba por encontrar as cartas e, desta vez, faz um acordo com Tolkien: quando ele completasse 18 anos e se ele terminasse a faculdade, Morgan deixaria que os dois partissem em paz, e ele mesmo os abençoaria. Por fim, Tolkien acaba terminando a faculdade e impedindo o casamento de Edith e um tal de George Field (esse casamento foi meio que arranjado. E Edith aceitou-o, pois duvidava que depois de 3 anos Tolkien se lembraria dela).

 E, segundo o próprio Tolkien, essa história que acabou por originar o conto de Beren e Lúthien (o conto mais antigo do Silmarillion, e de todo o mundo que ele acabou criando).

Representando Tolkien, obviamente, temos Beren e para o papel de Edith, Luthien. O rei Thingol se encaixaria como o Francis Morgan, que propõe um desafio a Beren, para que este possa ter a mão de Lúthien. E Daeron poderia ser o George Field, que inveja Beren pela conquista da mão de Lúthien. Só como curiosidade: na lápide de Tolkien e Edith, abaixo do nome deles esta escrito sua respectiva personagem.(Tolkien-Beren, Edith-Lúthien)

J. R. R. Tolkien e Edith BrattUma personagem que tem uma personalidade bastante parecida com a de Edith é Éowyn. Ambas tem fina beleza, uma certa inocência (mas não muito) e uma baixa auto-estima (Edith teve uma educação bem limitada e vivia se lamentando disso. Já Éowyn se achava inferior por ninguém a considerar uma guerreira. E também pela falta do amor de Aragorn).

Em o Senhor dos Anéis , Aragorn também deve cumprir sua missão antes de casar-se com Arwen.

Mas nem tudo são tributos para Edith. A também um conto que mostra a parte crítica do casamento. O conto de Alderion e Erendis (do "Contos Inacabados") mostra bem isso.

Quando Tolkien começou a lecionar filologia em Oxford, ele criou grupo de estudos de literatura nórdica e a trabalhar com a produção/tradução de vários textos, o que o fez tornar-se distante de Edith. E Tolkien tinha consciência disso. Mais de uma vez eles se mudaram em busca de uma vizinhança que agradasse Edith ( eTúmulo de J. R. R. Tolkien e Edith Brattla não gostava das mulheres dos professores de Oxford. Como já foi dito, a educação dela foi limitada e ela se sentia desconfortável perto dessas mulheres mais instruídas)

 O conto representa justamente isso: A paixão que Aldarion sentia pelo Mar, e que não era compreendida por Erendis é a mesma paixão que Tolkien sentia pelas línguas nórdicas que Edith não compreendia. E muitas vezes ambos as personagens (Aldarion/Tolkien) afastavam-se de seus amores carnais para ver outra paixão. Apesar disso, as histórias tem fins diferentes: Edith e Tolkien superam as dificuldades (ou, pelo menos, a Biografia assim o demonstra), mas Aldarion e Erendis acabam se separando.