tolkien_beowulf

Novo livro de Tolkien sobre Beowulf será publicado em maio

O dragão da capa é de autoria do próprio Tolkien
O dragão da capa é de autoria do próprio Tolkien

Quase 90 anos depois de J. R. R. Tolkien traduzir o poema Beowulf, do século XI, a versão do autor de O Senhor dos Anéis para esta épica história será publicada pela primeira vez em maio por seu filho Christopher Tolkien, o responsável por gerenciar o legado literário do autor e por publicar todas as suas obras póstumas, como todo o legendarium da Terra-média (exceto O Hobbit e O Senhor dos Anéis) e os textos que não fazem parte dele, como os mais recentes A Queda de Artur (2013) e A Lenda de Sigurd e Gudrún (2009). O texto da vez é Beowulf: A Translation and Commentary (“Beowulf: Uma Tradução e Comentário”, em tradução livre).

Beowulf é o mais longo poema épico sobrevivente em língua inglesa, embora tenha sido escrito em uma forma de Inglês que poucos hoje em dia são capazes de ler – o inglês antigo ou anglo-saxão, língua que J. R. R. Tolkien lecionava em Oxford. Escrito em algum momento entre os séculos VIII e XI (uma questão que ainda gera debate), suas 3.182 linhas foram preservadas em um manuscrito na Biblioteca Britânica.

O poema conta como o príncipe geta Beowulf vem em auxílio do rei dinamarquês Hroðgar, matando o monstro Grendel e sua mãe antes de combater um dragão anos mais tarde. Esta história inspirou incontáveis ​​releituras do mito na literatura e no cinema.

Tolkien terminou a tradução do poema em 1926 e, aparentemente, nunca pretendeu publicá-la, de acordo com Christopher Tolkien. O autor chegou a dizer que o poema era “carregado de história, levando de volta para as escuras eras pagãs além da memória  e da canção, mas não fora do alcance da imaginação”, e completa dizendo que tudo “é sombrio, trágico, sinistro, curiosamente real”.

 Christopher Tolkien anunciou há poucos dias o novo acordo da Tolkien Estate com a editora britânica HarperCollins para publicar Beowulf: A Translation and Commentary. A data do lançamento é 22 de maio de 2014. O livro também incluirá uma série de palestras que Tolkien deu na Universidade de Oxford sobre o poema em 1930, bem como um conto inédito do autor, Sellic Spell. Traduzido do inglês antigo como algo próximo a “conto maravilhoso”, Sellic Spell é a tentativa de Tolkien de recriar o conto folclórico escandinavo (e perdido) Hrólfs saga kraka (TolkienGateway).

John Garth, estudioso da obra de Tolkien e autor de Tolkien and the Great War (“Tolkien e a Grande Guerra”, em tradução livre), disse que o épico anglo-saxão Beowulf teve “um impacto profundo e detalhado sobre o que Tolkien escreveu – desde o mais tenro poema da Terra-média, escrito em setembro de 1914, até O Hobbit e o roubo de uma taça do tesouro do dragão, e O Senhor dos Anéis com a chegada aos salões de Rohan”.

Beowulf é alvo de muito debate entre os filólogos, já que a questão se concentra na primeira palavra do antigo manuscrito: “Hwæt”.  Qual seu significado? “Ouve”? “Escuta”? “Então”? “Atenção”?  No entanto, nada foi dito a respeito de como Tolkien solucionou o mistério, na reunião para divulgar a publicação. O leitor precisará esperar até maio para conferir.

Um texto há muito aguardado, especialmente depois de rumores em 2004 sobre uma possível publicação, sua chegada agora é mais que bem-vinda e agradará aos leitores de J. R. R. Tolkien sempre ávidos pelos seus escritos que parecem não querer deixar de sair de dentro do baú de Christopher Tolkien. Entretanto, nós, leitores brasileiros de Tolkien, deveremos aguardar informações sobre a publicação de Beowulf: A Translation and Commentary por aqui.

Fontes: The Guardian, The Guardian (ii)

Comentários