• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Clássico x Contemporâneo

Sua preferência é:


  • Total voters
    427

Conan

Cavaleiro Pendragon
£ara disse:
eu naum diria q a moda eh ser diferente, apesar de que esse um assunto muito relativo e q depende do ponto de vista de cada um...

"voltar ao clássico"... eu sempre achei essa expressão um tanto errada... eu acho que naum seria possível voltar ao clássico... por mais que as novas telas tentassem e fizessem tudo igual aos chamados quadros clássicos, aquela bela época jah passou e acho q nada a tratia de volta...

se as características fossem as mesmas, o sentimento o mesmo... ainda assim, eu acho que seria apenas um neo-classicismo
Intaum vc coloca classico apenas como referencia de uma determinada epoca da arte e naum um estilo ou tecnica, pois do contrario, dependendo do sentimento, pode-se voltar te-los sim. Porque naum poderia ocorrer um sentimento de opressaum gerado por uma guerra e que motivasse um quandro usando-se tecnicas classicas? Concordo sim se vc levar em consideracaum classico como sendo obras dos artistas de uma determinada epoca, estes sim unicos, e naum determinados estilos e maneiras de se fazer arte. Neo-classismo seria uma separacaum meramente temporal...
 

Kadath

Usuário
Eu tenho uma preferência pelo clássico, apesar da arte contemporanea também me encantar...
Enquanto a beleza e estranheza eu acho que esse é um conceito relativo.. (aliás, tudo é relativo) pois o que é belo para mim não é necessariamente belo para você.. e assim se vive... sem discussões maiores...

:eh:
 

Lisavieta

Usuário
Conan disse:
£ara disse:
eu naum diria q a moda eh ser diferente, apesar de que esse um assunto muito relativo e q depende do ponto de vista de cada um...

"voltar ao clássico"... eu sempre achei essa expressão um tanto errada... eu acho que naum seria possível voltar ao clássico... por mais que as novas telas tentassem e fizessem tudo igual aos chamados quadros clássicos, aquela bela época jah passou e acho q nada a tratia de volta...

se as características fossem as mesmas, o sentimento o mesmo... ainda assim, eu acho que seria apenas um neo-classicismo
Intaum vc coloca classico apenas como referencia de uma determinada epoca da arte e naum um estilo ou tecnica, pois do contrario, dependendo do sentimento, pode-se voltar te-los sim. Porque naum poderia ocorrer um sentimento de opressaum gerado por uma guerra e que motivasse um quandro usando-se tecnicas classicas? Concordo sim se vc levar em consideracaum classico como sendo obras dos artistas de uma determinada epoca, estes sim unicos, e naum determinados estilos e maneiras de se fazer arte. Neo-classismo seria uma separacaum meramente temporal...
Bem, o neo-classicismo jah veio e jah foi e foi na época certa. Acho que o neo-classicismo foi importante( até por causa das questões históricas da época ( Rev. Francesa e blá blá blá) mas não me atrai. Desta mesma época prefiro muito mais um quadro romântico do que um neo clássico ( amo Caspar Frederich).

Concordo com quem disse que é impossível voltar ao clássico. Estamos em uma época diferente, com valores diferentes e um mundo diferente. Naum faz muito sentido pintar cenas típicas do classicismo quando vc sai na rua e vê miséria e florestas de concreto.
disseram que a arte moderna e contemporânea não transmite nada. Para essas pessoas recomendo um pouco de estudo de história da arte.

E me desculpe se fui rude, mas meu sangue ferveu com alguns comentários que eu li que desmereciam a arte contemporânea!!!
Viva Hélio Oiticica!!! Viva Antônio Manuel!!!
 

{Scarlet Rose}

Uiiiiiiiiiii!
Lisavieta disse:
E me desculpe se fui rude, mas meu sangue ferveu com alguns comentários que eu li que desmereciam a arte contemporânea!!!
Viva Hélio Oiticica!!! Viva Antônio Manuel!!!
Hahaha... não se preocupe... com o tempo você começa a perceber que tem muita gente que fala coisas sem pensar... ou sem saber o que estão dizendo... mas claro que não podemos ficar bravos com isso...
Eu mesma já fiquei tão brava com o Eru.. ele lembra... dizia que Romero Britto era um pintor naif... well... passou.

Minha visão sobre essa discussão continua a mesma. Todas as escolas e períodos de arte foram necessários pra época, e pra que a partir desses surgissem movimentos mais condizentes com as épocas posteriores.. assim... chegando ao contemporâneo. Pra mim, a arte contemporânea cabe no mundo de hoje. As obras tem um porque de serem assim... do mesmo jeito que no rococó existiam aquelas obras de extremo mal gosto (cheias de coisinhas bregas), ou no futurismo aquelas telas com movimento (mesmo em 2d)... hoje a arte acompanha a sociedade. E é claro que sempre existem pessoas que não conseguem evoluir, ou até mesmo abstrair o passado e entender que as coisas progridem. Eu fico assim :clap: quando vejo exposições com artistas contemporâneos... muito mais do que quando vou ao MASP, por exemplo, pra ver o acervo deles.
É uma questãozinha meio delicada mesmo, e é pra isso que estamos discutindo... :mrgreen:
 
Isk disse:
Lisavieta disse:
E me desculpe se fui rude, mas meu sangue ferveu com alguns comentários que eu li que desmereciam a arte contemporânea!!!
Alguns deles justificados.


Eu mesma já fiquei tão brava com o Eru.. ele lembra... dizia que Romero Britto era um pintor naif... well... passou.
Claro. Passou depois que concluí que não só era naif como era um talentosíssimo ilustrador de bandejas do McDonalds. :lol:


Pra mim, a arte contemporânea cabe no mundo de hoje.
Que mundo triste. :|


hoje a arte acompanha a sociedade.
Estamos mal.


E é claro que sempre existem pessoas que não conseguem evoluir, ou até mesmo abstrair o passado e entender que as coisas progridem. Eu fico assim :clap: quando vejo exposições com artistas contemporâneos... muito mais do que quando vou ao MASP, por exemplo, pra ver o acervo deles.
Evoluir? :| Sem sempre o que vai pra frente vai pra melhor. Eu sou bastante frio quando analiso um trabalho. Dá pra ver quando há esforço imputado nele.


É uma questãozinha meio delicada mesmo, e é pra isso que estamos discutindo... :mrgreen:
E pra variar já que eu fui citado resolvi aparecer de novo. :kiss:


Sério mesmo, o Oiticica e a Lygia Clark tem coisas legais, mas a maioria dos contemporâneos tem trabalhos que soam a picaretagem. Sem ofensas.
 

Lisavieta

Usuário
Sabe um discurso do Caetano que ele fala assim: " Se vcs forem política como são estética estamos perdidos!"? Pois é...
Bem, acabei de achar aqui um livro bem interessante. Se chama "Arte contemporânea Brasileira" que são vários textos sobre a arte e artistas contemporâneos. Vale a pena dar uma olhada. A Editora é Marca d`água e o organizador é o Ricardo Basbaum....
 

Conan

Cavaleiro Pendragon
Só acho que classificações do tipo só servem para se estudar e para tentar definir a arte de alguma maneira, porque o que importa é o artista produzir, independente se a realidade de hoje não é condizente com o classico( os maiores genios da arte estavam totalmente deslocados com seu tempo, e em parte por isto são considerados genios) ou coisas do tipo. Eu por exemplo naum entendo patavinas de coisas como clasificações do tipo classico ou conteporaneo, mas isto não me impediria de ser um grande artista( não é o caso). Não sei se fui claro, mas naõ acho que classificações do tipo ou nescessariamente a sociedade devem ser determinantes em novas obras de arte, embora ajudem como referencia, e sim a visão do artista...
 

Lisavieta

Usuário
Conan disse:
independente se a realidade de hoje não é condizente com o classico( os maiores genios da arte estavam totalmente deslocados com seu tempo, e em parte por isto são considerados genios) ou coisas do tipo.
O que eu estava dizendo é que em um mundo de plástico, asfalto e miséria, ficar pintando cenas mitológicas, bíblicas e etc é uma atitude no mínimo alienada. Não que eu ache que toda arte deve ser politizada ou ter um caráter de denúncia...
 
F

Fox

Visitante
Lisavieta disse:
O que eu estava dizendo é que em um mundo de plástico, asfalto e miséria, ficar pintando cenas mitológicas, bíblicas e etc é uma atitude no mínimo alienada. Não que eu ache que toda arte deve ser politizada ou ter um caráter de denúncia...
Você meio que pegou um exemplo bem antigo... e um pouquinho errôneo.

No dia que o mundo for apenas asfalto, plástico e miséria, vai ser o dia que já vamos estar perfeitamente colonizados em outro planeta ou simplesmente a poucos anos da extinção.

Ainda há muito o que se explorar, tanto dentro quanto fora desse âmbito extremamente urbano que você citou. E muitos fizeram isso e ainda fazem a partir de determinada época do século XX.

Sobre ser alienado, a temática que o artista usar pra produzir a sua obra diz até pouco sobre o que ele conhece do mundo. Muitas vezes rola mais uma preferência por certo aspecto do que necessariamente ser o caso de ele apenas conhecer aquilo.
 

Lisavieta

Usuário
Exemplo antigo??? Ahn...q exemplo?
Eu não sei se vc leu toda a discussão, mas a gente estava falando de voltar ao clássico...e q eu quis dizer com o trecho q vc citou foi que voltar ao clássico seria ignorar uma série de transformações que ocorreram no mundo...em momento algum me passou pela cabeça que o nosso mundo é um lugar totalmente cinzento.

Quanto a ser alienado eu estava falando daquele que , voluntariamente ou não, se mantém distanciado da realidade que o cerca. Eu acho que apesar do mundo não ser apenas asfalto, plástico e miséria estas são características que são difíceis de serem ignoradas. Talvez atitudes que à princípio seriam consideradas meios de alienação como pintar cenas clássicas e afastar-se da cidade sejam meios de dizer não a essa realidade... o que eu acho louvável..pq como eu já disse não acho q toda arte deva ser politizada...se fosse assim eu não conseguiria amar Tropicália ( que não sendo nenhum Geraldo Vandré (ainda bem!) tinha um caráter contestador, já que ela pos em cheque toda estrutura estética da época) tanto quanto eu amo.

Agora, tenho certeza que esse argumento tem furos ( que eu não consigo ver :mrgreen: , mas que outros conseguirão). E é por isso q estamos discutindo isso.
 

Faram¡r

Dr. Benway
Nem um nem outro.

Contemporâneo seriam as obras de arte feitas hoje? Feitas a partir de meados do século passado? Sendo assim, o expressionismo não seria contemporâneo, mas tampouco é clássico.

Na verdade contemporâneo seriam as obras de arte das últimas décadas. Acho que mais opções devem ser acrescentadas a enquete.

Eu fico com aqueles que não escolheram nem um nem outro, consigo ver beleza nas mais variadas formas, e fico feliz com isso.
Claro, tenho uma tendencia a apreciar melhor obras que acrescentem algo a realidade observada, que privilegiem os sentimentos do artista em relação as formas naturais.

Existe muito preconceito em relação a arte contemporânea. É o que o Orc já disse: a beleza esta na ideia que a obra traz, esse é o cerne da arte conceitual.

Na verdade, as formas clássicas de artes plásticas perderam muito de sua força com uma invençãozinha chamada fotografia.
É isso ai, antes do romântismo as pinturas serviam para captar um momento, buscando a beleza também. Durante o finzinho do século XVIII e durante o século XIX se formou a idéia da arte pela arte, como manifestação dos sentimentos de quem cria. Mas logo surgiu a fotografia ao mesmo tempo que os pintores de vanguarda abandonavam as formas naturalistas.

Claro que esse processo não foi uma coisa instantanea. Ate hoje ainda existe em boa parte da população uma preferencia pela arte realista. E há espaço para todas as formas de manifestação artística, inclusive as mais tradicionais.
 

Lisavieta

Usuário
Faram¡r disse:
Nem um nem outro.

Contemporâneo seriam as obras de arte feitas hoje? Feitas a partir de meados do século passado? Sendo assim, o expressionismo não seria contemporâneo, mas tampouco é clássico.

Na verdade contemporâneo seriam as obras de arte das últimas décadas. Acho que mais opções devem ser acrescentadas a enquete.

Eu fico com aqueles que não escolheram nem um nem outro, consigo ver beleza nas mais variadas formas, e fico feliz com isso.
Claro, tenho uma tendencia a apreciar melhor obras que acrescentem algo a realidade observada, que privilegiem os sentimentos do artista em relação as formas naturais.
É, eu tb acho q devia ter mais opções, entre clássico e contemporâneo há uma centena de movimentos maravilhosos.
 
Contemporâneo seriam as obras de arte feitas hoje? Feitas a partir de meados do século passado? Sendo assim, o expressionismo não seria contemporâneo, mas tampouco é clássico.
O expressionismo, mesmo não sendo clássico por definição, é a subversão da arte clássica se valendo de técnicas clássicas e procurando reproduzir, de algum modo, o figurativo mesmo que empregando estímulos visuais outros.

Na verdade contemporâneo seriam as obras de arte das últimas décadas. Acho que mais opções devem ser acrescentadas a enquete.
Na verdade a partir do Movimento Radical Italiano dos anos 60, do pós-pop dos anos 60 (o movimento pop-art ainda tem vínculos profusos com a postura moderna e autenticidade própria) e das "vanguardas dos anos 70 e 80". É a arte-pastiche, que se projeta em elementos dessemantizados de estilos e escolas do passado de modo a construir algo novo sem agregar valor próprio ou autenticidade.


Eu fico com aqueles que não escolheram nem um nem outro, consigo ver beleza nas mais variadas formas, e fico feliz com isso.
Bom, o que tenho de visto de belo hoje em dia se espelha em técnicas clássicas e transparece um mínimo de capacidade, ao contrário de muita porcaria que tenho visto em museus por aí.


Claro, tenho uma tendencia a apreciar melhor obras que acrescentem algo a realidade observada, que privilegiem os sentimentos do artista em relação as formas naturais.
Essas duas variáveis não são necessariamente conflitantes. Nada é mais alusivo a sua realidade do que um quadro de Delacroix alegorizando a Revolução Francesa, por exemplo. O problema é quando os sentimentos do artista se tornam o pretexto de fazer qualquer porcaria. Quando Duchamp mandou um mictório pra uma exposição, foi ousadia. Quando fazem isso hoje, além de não original, é denotativo de mediocridade. Pelo menos é o que acho.


Existe muito preconceito em relação a arte contemporânea. É o que o Orc já disse: a beleza esta na ideia que a obra traz, esse é o cerne da arte conceitual.
O problema é quando a arte tem mais o que explicar na legenda do que na obra em si, fico pensando que o cara deveria logo virar teórico da arte ao invés de artista. Tudo bem, uma obra de arte não é como um produto de comunicação, pode ser algo introspectivo, etc. Mas não consigo ter apreço por algo que tem cara de feito de qualquer jeito, sem nenhum apuro técnico ou algo que diferencie o material apresentado daquilo que faço no banheiro por um ocaso da fisiologia humana.


Na verdade, as formas clássicas de artes plásticas perderam muito de sua força com uma invençãozinha chamada fotografia.
É isso ai, antes do romântismo as pinturas serviam para captar um momento, buscando a beleza também. Durante o finzinho do século XVIII e durante o século XIX se formou a idéia da arte pela arte, como manifestação dos sentimentos de quem cria. Mas logo surgiu a fotografia ao mesmo tempo que os pintores de vanguarda abandonavam as formas naturalistas.
Mas contemporâneo não é sinônimo de não naturalista. A arte-moderna, ao contrário do que muitos pensam, mantém um profundo vínculo com a arte clássica. Picasso era um soberbo pintor, veja os pierrots dele antes de embarcar no cubismo. O mesmo vale artistas da época, como nosso compatriota Portinari, e mesmo gente que veio depois. Andy Warholl fez uma releitura da arte com o pop, trabalhando com técnicas reproduzíveis vide fotografia misturada com serigrafia, composição de objetos industriais, etc, e era original quando apareceu.

A questão é que, de uns 20 anos pra cá, salvo raras exceções que parecem viver mais no mercado editorial e publicitário que nos museus, a arte produzida vem sendo de uma enorme pobreza. Claro, de vez enquando aparecem trabalhos legais, mas a arte contemporânea, enquanto uma "farsa da boa preguiça", parafraseando Ariano Suassuna, impera.


Claro que esse processo não foi uma coisa instantanea. Ate hoje ainda existe em boa parte da população uma preferencia pela arte realista. E há espaço para todas as formas de manifestação artística, inclusive as mais tradicionais.
O foco não é nem necessariamente realista. O design do De STIJL é tudo menos realista, mas tem muito mais a ver com o clássico, como algo com significado rico e que se vale de técnicas artísticas desenvolvidas para obter um resultado gráfico desejado.


Sobre a fotografia, bom, fotografia é arte também. Eu não vou me aprofundar aqui porque não é o tema, mas adoraria discorrer sobre o assunto se alguém criar um tópico. Sem dúvida causou profundas modificações na arte dos séculos XIX e XX, mas não foi a mola propulsora pro que vemos nos últimos anos. Acho que talvez a facilidade de se obter um resultado, o fácil acesso a materiais e a banalização do resultado final do produto artístico propulsionado pelo pop e o fluxus e que culminaram no movimento punk inglês de meados dos anos 70, acabaram por tornar qualquer coisa definível como arte. Pra mim, pelo menos, não funciona assim.

Nunca vou esquecer de quando fui a uma exposição de dois artistas, um deles um conhecido aquarelista amigo meu... e do outro lado uma mulé que estava expondo rolos de papel higiênico com manchas de aquarela... :eek: Eu quase tive uma crise de risos com a cara de pau da moça. Não, não consegui ver sentimento naquilo, me desculpem.
 

Conan

Cavaleiro Pendragon
Lisavieta disse:
Conan disse:
independente se a realidade de hoje não é condizente com o classico( os maiores genios da arte estavam totalmente deslocados com seu tempo, e em parte por isto são considerados genios) ou coisas do tipo.
O que eu estava dizendo é que em um mundo de plástico, asfalto e miséria, ficar pintando cenas mitológicas, bíblicas e etc é uma atitude no mínimo alienada. Não que eu ache que toda arte deve ser politizada ou ter um caráter de denúncia...
Talvez pintar cenas não condizentes com nossa epoca sejam realmente uma especie de fuga das influencias atuais( embora não seja proibitivo, pois acho que NADA pode ser proibitivo na arte, desde que o artista consiga produzir "algo", e não apenas um objeto sem nenhum valor no universo dos sentimentos). Mas nada inpede um artista de abordar TEMAS de nossa epoca atraves de uma visão, no tocante a tecnica, mais classica. Concordo com vc quando vc diz que fica muito bom quando um artista consegue ver o mundo como ele é hoje, e o transportar para obras de artes que refletem tal mundo, e que por isto podem ser consideradas modernas. Mas só acho que fazer arte independe de seguir nescessariamente uma linha, de se prender a classificações, influencias, tecnicas, depende muito mais sim de produzir "algo" que transmita alguma coisa, que comunique algo, mesmo que seja simples beleza estetica, ou até mesmo sentimentos que a primeira vista não seriam considerados apropiados para a arte, como agunstia ou ódio.
 
F

Fox

Visitante
Conan disse:
embora não seja proibitivo, pois acho que NADA pode ser proibitivo na arte, desde que o artista consiga produzir "algo", e não apenas um objeto sem nenhum valor no universo dos sentimentos
É, e é esse tipo de visão complexa que confunde até os supostos "mais cultos", que misturam arte contemporânea em geral com a péssima arte conceitual, que é o exemplo sem vaor que você deu.

Conan disse:
Mas só acho que fazer arte independe de seguir nescessariamente uma linha, de se prender a classificações, influencias, tecnicas, depende muito mais sim de produzir "algo" que transmita alguma coisa, que comunique algo, mesmo que seja simples beleza estetica, ou até mesmo sentimentos que a primeira vista não seriam considerados apropiados para a arte, como agunstia ou ódio.
O que mais mata hoje em dia é que realmente se prendem demais a classificações e técnicas. Ou a falta delas, no fim dá no mesmo.
 
O problema do contemporâneo é que quando ele se afirma como contemporâneo ele sacrifica a própria técnica em pró de uma rebeldia sem causa ante o clássico ao mesmo tempo que se apropria de vários dos seus símbolos. O moderno subvertia o clássico e usava da sua técnica pra construir algo novo. O que mata é isso. O contemporâneo por definição de arte se vinculou a essa idéia de recusa de araque, que abdicou da técnica mas não dos símbolos.

Pra mim o que ainda se vê de melhor sendo feito por aí, generalizando, está no campo da ilustração comercial e publicitária, e as artes digitais, por mais irônico que possa parecer.
 

Glorwendel

Usuário
Lisavieta disse:
Concordo com quem disse que é impossível voltar ao clássico. Estamos em uma época diferente, com valores diferentes e um mundo diferente. Naum faz muito sentido pintar cenas típicas do classicismo quando vc sai na rua e vê miséria e florestas de concreto.
disseram que a arte moderna e contemporânea não transmite nada. Para essas pessoas recomendo um pouco de estudo de história da arte.
Não é possível voltar ao clássico da maneira como ele foi, mas a arte clássica é possível a qualquer tempo. É claro que não mais temos movimentos artísticos definidos, mas cada um tem a liberdade de pintar o que bem entender, clássico ou não.

Até hoje se fazem quadros do "nascimento de Vênus", por exemplo. Os pintores de hoje podem não ter os mesmos ideais, mas o tema clássico é quase unanimidade. Mesmo o velho e conhecido tema "vaso de flores" é um clássico e acho que jamais deixará de ser executado.
 

Fimbrethill

Usuário
Realmente algo que é impossível ficar imparcial... :mrgreen:

Bem, antes de fazer uma aula específica sobre arte do Século XX a Arte Contemporanêa pra mim era uma ofensa visual.
Porém depois de entende não só o que o artista queria demonstra mas sim que as obras buscam responder tecnicamente a problemas levantados por artistas anteriores, como questões propriamente artisticas-perspectiva, textura, planaridade-, passei a gostar da arte moderna e contemporanea.

Aqui como o que esta sendo questionado é a preferencia então respondi classica pq é o q mais admiro.

Porém o maior problema é que é dificil para nós, seres acostumados a se reconhecer em tudo , achar algo não-figurativo interessante.

A questão da arte a muito tempo deixou de ser o Belo significando Beleza Estética e sim Belo com relação ao pensamento e raciocinio teórico anteriores a execução da obra, sendo essa muitas vezes até simples como "Quadrado Negro" de Malevich, "A roda" de Duchamp.

Estou tentando observar a arte contemporânea com menos preconceito.

Agora, a Arte Classica realmente é algo fantastico, acredito que a maioria concorde, e imagine o quanto ela deveria ser maravilhosa em sua própria época, a perfeição na representação deveria ser algo espantoso.

Minha professora sempre repete : "Toda boa Arte tem o sentido do seu tempo".

Acho que no fim ambas são Arte e é isso o que importa.
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.125,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo