valinor

A história de “O Hobbit” – O que há num nome?

Quem já leu a biografia de Tolkien escrita por Humphrey Carpenter talvez já tenha ouvido a história. Resumindo, originalmente o nome de Thorin Escudo de Carvalho era… Gandalf. Boa. Já o mago cinzento era conhecido como Bladorthin. O dragão Smaug era Pryftan, Beorn era Medwed, e por aí vai.

Até aí, nada a surpreender, aparentemente. Tolkien era famoso por refinar e refinar até a exaustão dos seus personagens. O engraçado, no entanto, é perceber como esses nomes DURARAM nos rascunhos de “O Hobbit”. Pode-se dizer que Gandalf só virou Gandalf mesmo de última hora, quando o texto já estava perto de alcançar a versão que teria na forma impressa.

Em retrospecto, na verdade, não é esquisito que o chefe dos anões fosse chamado de Gandalf. É que “Gandalfr” (assim mesmo, com R no final) é um nome de anão no antigo poema islandês Dvergatal (“a lista dos anões”), fonte de todos os nomes de Thorin e companhia. Ali, inclusive, “Escudo de Carvalho” parece ser uma pessoa e “Thorin” é outra. Mas a aparente tradução de Gandalfr (Elfo do Cajado) talvez tenha finalmente levado Tolkien a decidir que aquele era um nome melhor para um mago que portava um cajado.

Urratouros

O mais esquisito, porém, é a aparente viagem de Tolkien ao usar, originalmente, um nome altamente nobre da mitologia de “O Silmarillion” (que na época já existia) para batizar um personagem totalmente escroto. Lembra-se da famosa batalha entre orcs e hobbits, estes liderados por Bandobras Tûk? Pois o chefe dos orcs nessa peleja foi chamado originalmente de Fingolfin — ele mesmo, o mais heroico dos reis élficos da Casa de Finwë.

O nome aparentemente foi usado por causa da associação sonora com “golfe” (lembre-se, Bandobras teria inventado o jogo ao arrancar a cabeça do orc com um bastão e a lançado num buraco). No fim, Tolkien acabou trocando o nome para “Golfimbul”.

Um último momento cômico dessa versão inicial da história: Bilbo menciona “o deserto de Gobi” e o “Hindu Kush”, dois acidentes geográficos da Ásia do nosso mundo — mas certamente desconhecidos na Terra-média. Taí uma amostra de como a história era descompromissada nessa época.