Nazgûl

nazgul.jpgOs Nazgûl, ou Espectros do Anel, foram os mais terríveis servos de Sauron. Eles foram originalmente homens mortais. Sauron lhes deu os Nove Anéis do Poder com o objetivo de escraviza-los à sua vontade e assim se tornaram Espectros.
 
Descrição:
khamul.jpgPouco se sabe sobre as reais identidades dos Nazgûl. Diz-se que três foram grandes senhores de Númenor. Um foi um Oriental cujo nome era Khamûl, sendo o único que tem sua identidade conhecida.
 
Inicialmente os homens que receberam os Nove Anéis os utilizaram para ascender em poder e acumular riquezas para si. Eles se tornaram grandes reis, feiticeiros e guerreiros. Os Nove Anéis os tornaram invisíveis a olhos normais e prolongou suas vidas.

Mas eventualmente, os Homens que ostentavam os Nove Anéis caiam completamente sob controle de Sauron. Eles não podiam desobedece-lo e já não mais possuíam vontade própria. Alguns dos Homens foram rapidamente escravizados, enquanto outros que possuíam maior força vital ou bondade, demoraram mais.

Os Nazgûl foram condenados a existir apenas no mundo espectral. Suas vidas foram tão esticadas até que sua própria existência tornou-se tortura. Eles eram permanentemente invisíveis, exceto quando usavam mantos negros para lhes dar uma forma visível. Sauron, e quem usou o Um Anel, poderia vê-los em sua forma espectral, como pálidas figuras com olhos em chama, cabelos cinzentos, vestes brancas e cinzas, e elmos de prata.

Os Nazgûl enxergavam o mundo oculto… invisível, mas muito do que viam eram delírios e fantasmas criados por Sauron. Eles não podiam ver bem no mundo físico da luz, no sol do meio-dia não podiam ver nada. Eles viam as pessoas como sombras. No entanto, conseguiam ver uma ou outra claramente, mesmo sob a luz diurna e de longe. Na escuridão eram mais perigosos, porque eles poderiam perceber coisas que as pessoas comuns não podiam.

Seu olfato era aguçado. Eles podiam sentir o cheiro do sangue de seres vivos que eles caçavam e cobiçavam. Eles também podiam sentir O Um Anel, também podendo enxergar a pessoa que o utilizasse, mesmo que fosse invisível para os outros. Certa vez o Anel sentiu a proximidade do Nazgûl e Frodo foi tentado a coloca-lo, para que retornasse a Sauron.

Os Nazgûl podiam falar com as pessoas utilizando a Língua Geral, apesar da sua voz soar estranha e desagradável. Eles chamavam uns aos outros através gritos agudos e perfurantes. Eles podiam ouvir um ao outro através de grandes distâncias.

Havia uma aura de medo e terror ao redor dos Nazgûl e à sua volta era gélido. As pessoas podiam sentir a presença dos Espectros mesmo sem vê-los. Na verdade, o sentimento de medo era maior quando os Nazgûl estavam invisíveis, sem suas capas negras. O terror também era maior na escuridão e quando os nove estavam juntos.

Medo era a principal arma dos Nazgûl. Poucas pessoas tinham força de vontade o suficiente para ficar de pé à sua frente. Os Nazgûl exauriam um miasma conhecido como Hálito Negro que causava  doenças e até mesmo a morte aqueles que foram expostos a ela.

Os animais também eram aterrorizados pelos Nazgûl. Os cavalos negros que os Nazgûl montavam foram treinados para resistir a eles. Os cavalos nasceram em Mordor, mas eles podem ter sido roubados dos estábulos de Rohan. Mais tarde, na Guerra do Anel, Sauron deu aos Nazgûl novas montarias – terríveis criaturas com asas, conhecidas como Bestas Aladas.

Os Nazgûl também tinham algumas fraquezas. Os oito, excluindo o Senhor dos Nazgûl temiam a água, e eles não gostavam de cruzar rios a não ser por cima de pontes. Eles podiam resistir ao sol, mas os oito menores Nazgûl tendiam a ficar confusos quando expostos à luz do dia, quando estavam sozinhos e sua força era diminuída. Eles também odiavam fogo.

Elfos estavam entre os poucos seres que os Nazgûl temiam, particularmente os Altos Elfos que viveram nas Terras Imortais, porquê possuíam poder no Mundo Invisível. Os Nazgûl também temiam os Poderes conhecidos como Valar, especialmente Elbereth que criou as estrelas e foi reverenciada pelos Elfos.

Os Nazgûl não tinham grandes poderes físicos contra aqueles que não os temiam. De qualquer modo, eles não podiam ser aniquilados por simples homens. A maioria das armas não podiam machucá-los, e qualquer lâmina que veio a tocar o Senhor dos Nazgûl desintegrou.

Foi necessária uma espada especial – forjada pelos Dúnedaináin e imbuída com encantos – para desferir o golpe que enfraqueceu o Senhor dos Nazgûl. Chamas da erupção da Montanha da Perdição destruiram os outros oito Nazgûl. Mas, afinal, foi a destruição do Um Anel, ao qual eram vinculados, que garantiu que os Nazgûl nunca mais possam surgir novamente.

 
 
História:
Os Nove Anéis foram feitos por ferreiros élficos de Eregion nos anos 1500s da segunda era. Sauron
se disfarçou e enganou os Elfos, de modo que aceitassem sua ajuda na forjadura dos Anéis. Ele então forjou O Um Anel, o qual ele podia usar para controlar os outros.

rei_bruxo.pngSauron recuperou os Nove Anéis em 1697. Ele distribui os Anéis para nove Homens que tornaram-se os Nazgûl. Os Nazgûl apareceram inicialmente na forma de Espectros por volta de 2251 da segunda era. O Senhor dos Nazgûl era seu líder, e o segundo em comando era Khamûl.

Em algum ponto, Sauron, aparentemente, pegou de volta os Nove Anéis dos Nazgûl. Afirma-se em vários pontos que Sauron guardava os Nove Anéis em sua posse. Naquele tempo os Nazgûl estavam, evidentemente, tão subjugados à vontade de Sauron que não mais precisavam portar seus Anéis.

Sauron foi derrotado na Guerra da Última Aliança ao final da segunda era e o Um Anel foi tirado dele. Seu espírito fugiu para o leste para recuperar sua força, e os Nazgûl também se ocultaram. Por volta de 1050 da terceira era, Sauron retornou secretamente e construiu a fortaleza de Dol Guldur na grande floresta que ficou conhecida como Floresta das Trevas.

Os Nazgûl reapareceram por volta de 1300. O Senhor dos Nazgûl estabeleceu o reino de Angmar no norte neste período. Sua real identidade não era conhecida e ele foi chamado de Rei Bruxo de Angmar. Sua intenção era de destruir os Dúnedain de Arnor. Arnor foi dividida em três reinos – Arthedain, Cardolan, e Rhudaur – e os Dúnedain do Norte não estavam mais unidas.

O Rei  Bruxo declarou guerra contra os Dúnedain do Norte por seis séculos. Ele secretamente, fez uma aliança com Rhudaur, a qual foi conquistada por um lorde do mal dos Homens das Colinas. Em 1356, Angmar e Rhudaur atacaram Arthedain e o Rei Argeleb I de Arthedain foi morto.

O Rei Bruxo lançou outro ataque em 1409. O último príncipe de Cardolan foi morto e os Dúnedain tomaram refúgio nas Colinas Tumulares e na Floresta Velha. Os Dúnedain foram guiados para fora de Rhudaur, que por sua vez foi ocupada pelos aliados de Angmar. O Rei Arveleg I de Arthedain foi morto, mas seu filho Araphor tratou de fazer recuar as forças de Angmar com a ajuda dos elfos de Lindon e Valfenda.

Durante a Grande Peste de 1636, os remanescentes dos Dúnedain em Cardolan pereceram. O Rei Bruxo enviou então, espíritos malignos de Angmar e Rhudaur para ocupar os montes das Colinas Tumulares e esses espíritos ficaram conhecidos como Criaturas Tumulares.

Em 1974, o Rei Bruxo conquistou Fornost, a capital de Arthedain. Os Dúnedain do Norte e os Elfos dos Portos Cinzentos e Valfenda foram apoiados por uma armada de Gondor liderada por Earnur. Eles derrotaram as forças do Rei Bruxo na Batalha de Fornost em 1975.

Earnur perseguiu o Rei Bruxo, porém quando ficou de frente para ele, o cavalo de Earnur pirou em terror. O Rei Bruxo zombou de Earnur, mas ele também o odiava por sua participação na queda das forças de Angmar. O Rei Bruxo fugiu quando avistou Glorfindel, que era um dos Altos Elfos. Glorfindel aconselhou Earnur a deixá-lo ir, dizendo: "Ainda está longe o seu castigo, e não será pela mão de um homem que ele irá cair.


O Rei Bruxo abandonou Angmar e retornou para Mordor por volta de 1980. Os outros Nazgûl devem ter ido para Mordor mais tarde, por volta de 1856. Em 2000, os Nazgûl sitiaram Minas Ithil, a fortaleza de Gondor nas fronteiras de Mordor. Eles conquistaram Minas Ithil em 2002 e ela foi renomeada para Minas Morgul.

Earnur se tornou Rei de Gondor em 2043 e o Rei Bruxo o desafiou para um duelo. Earnur recusou, mas quando o Rei Bruxo renovou seu desafio em 2050, Earnur aceitou. Ele cavalgou para Minas Morgul e nunca mais foi visto. Earnur não deixou rastros, e a linha de Reis em Gondor se findou. Daquele dia em diante, Gondor foi governada por um Regente.

Durante a Paz Vigilante de 2063 até 2460, os Nazgûl permaneceram quietos em Minas Morgul. Sauron estava escondido no Leste durante esse período. Ele havia deixado Dol Guldur quando Gandalf veio para investigar. A Paz Vigilante acabou quando Sauron voltou para Dol Guldur em 2460.

Os Nazgûl prepararam Mordor para o retorno de Sauron. Em 2475, eles enviaram um exercito de Uruks para atacar Gondor. Os Uruks eram uma espécie de Orcs negros de grande força que não haviam sido vistos anteriormente. Eles tomaram Osgiliath, mas foram expulsos por Boromir, o filho do Regente, que era temido por todos, até mesmo pelo Rei Bruxo. (Nota: Esse Boromir não é o mesmo da Sociedade do Anel)

Sauron retornou secretamente para Mordor em 2942 depois que Gandalf e o Conselho Branco atacaram Dol Guldur. Ele revelou sua presença em 2951 e estruturou suas forças. Ele enviou Khamûl, o segundo em comando dos Nazgûl para Dol Guldur juntamente com um ou dois outros Nazgûl. O Rei Bruxo e os outros permaneceram em Minas Morgul.

Em 3017, Sauron soube por Gollum que o Um Anel estava na posse de um Hobbit chamado Bolseiro, no condado. Sauron decidiu enviar os Nazgûl para reaver o Um Anel. Mesmo que o Anel tentasse todos que viessem a ter contato com o mesmo, Sauron acreditou nos Nazgûl para traze-lo de volta porquê os Espectros já estavam completamente sob seu controle.

Em 20 de Junho de 3018, o Rei Bruxo liderou um exército para atacar Osgiliath. O ataque foi um teste das defesas de Gondor, bem como uma cobertura para a partida dos Nazgûl. Os filhos do Regente Denethor II, Boromir e Faramir defenderam Osgiliath mas foram forçados a recuar quando o inimigo conquistou a metade externa da cidade. Os defensores sentiram o terror da presença dos Nazgûl e alguns pensaram ter visto a sombra de um cavaleiro negro.

Nesse mesmo dia, Orcs atacaram a Floresta Negra, permitindo a Goluum – que estava aprisionado ali – escapar. De acordo com uma fonte, muitos dos Nazgûl – provavelmente o contingente de Dol Guldur, liderados por Khamûl – comandaram esse ataque.

Em primeiro de Julho, o Rei Bruxo e os outros Nazgûl de Minas Morgul cruzaram o rio e começaram a busca pelo Um Anel. Eles viajaram através de Anorien e atravessaram o rio fronteira (Entwash) que ligava as duas terras, até Rohan. Eles estavam desmontados e invisíveis, porém as pessoas sentiam a escuridão e o terror a medida que passavam. Os Nazgûl receberam mantos e cavalos no dia 17 de Julho no lado ocidental do Anduin, norte de Sarn Gebir.

Entretanto, Khamûl e os Nazgûl de Dol Guldur estiveram procurando pelos Vales do Anduin pelo Condado. Gollum mentiu para Sauron sobre a localização do Condado, direcionando-o para a região onde o povo de Gollum havia vivido. Khamûl encontrou as vilas desertas ao longo do percurso, mas nenhum traço de Hobbits.

Khamûl reencontrou-se com o Rei Bruxo no Campo de Celebrant no dia 22 de Julho. A despeito do reporte de Khamûl, o Rei Bruxo decidiu continuar a busca pelos Vales do Anduin conforme Sauron havia ordenado. Os Nove Nazgûl passaram entre as Montanhas Nebulosas e Lothlórien, seguindo então norte acima.

Os Nazgûl retornaram para Rohan em Setembro. Eles foram encontrados no Folde por mensageiros de Sauron, que estava irado pelos Nazgûl terem falhado em sua missão. Sauron ordenou que os Nazgûl fossem à Isengard porquê acreditava que Saruman sabia onde estava o Anel. Conforme os Nazgûl cavalgaram através de Rohan, muitos dos Rohirrim fugiram em terror.

Os Nazgûl cruzaram os Vaus do Isen no dia 18 de Setembro. Existem diferentes relatos de sua conversa com Saruman. De acordo com uma versão, Saruman disse-lhes a localização do condado. Em uma versão diferente, Saruman afirmou que não sabia, mas os Nazgûl obtiveram a informação de Grima Língua de Cobra.

Os Nazgûl cavalgaram apressadamente para Eriador, onde o condado era localizado. Eles se dividiram em pares, e o Rei Bruxo cavalgou com o mais rápido par. Conforme avançavam para o norte, pessoas e animais se escondiam deles.

Logo depois que chegaram a Tharbad, os Nazgûl capturaram um sulista vesgo que era agente de Saruman. O homem esteve no Condado muitas vezes para obter erva de fumo e informação para Saruman. Ele disse aos Nazgûl que um Hobbit chamado Bolseiro vivia na Vila dos Hobbits e ele tinha mapas do Condado. O Rei Bruxo enviou o sulista para Bri para observar os viajantes que deixavam o Condado.

Os Nazgûl alcançaram o Brandevine pela fronteira sul do Condado em 22 de Setembro. O caminho do Vau Sarn era protegido pelos Guardiões, que eram remanescentes dos Dúnedain do Norte. Os Guardiões tentaram parar os Nazgûl, evitando sua entrada no condado, mas eles não podiam lidar com os Nove Nazgûl, e quando a noite caiu, os Guardiões foram todos exterminados ou afugentados para longe.

De acordo com o “Conto dos Anos” no Apêndice B do Senhor dos Anéis, quatro dos Nazgûl entraram no Condado enquanto os outros cinco, caçavam os Guardiões pelo leste e vigiavam as estradas. Gandalf também constatou que quatro Nazgûl haviam adentrado o Condado no Conselho de Elrond. (SdA, p. 277).

De qualquer forma, no livro “ The Lord of the Rings: A Reader’s Companion” há muito mais detalhes sobre os movimentos dos Nazgûl que foram preparados por Tolkien. Nessas citações, cinco Nazgûl incluindo Khamûl, diz-se ter entrado no Condado enquanto os outros quatro incluindo o Rei Bruxo foram para o leste. Os detalhes desse trecho são dados aqui.

O Rei Bruxo estabeleceu acampamento em Andrath. Os três Nazgûl que o acompanhavam patrulharam as estradas enquanto o Rei Bruxo seguia para as Colinas Tumulares. Ele enviou espíritos malignos para habitar as Colinas Tumulares quando comandava Angmar, e agora havia as convocado para manter vigilância sobre o Portador do Anel. A invocação do Rei Bruxo se extendeu até a Floresta Velha, onde o malicioso Velho Salgueiro Homem vivia.

Entretanto, Khamûl e quatro outros Nazgûl entraram no condado antes da alvorada em 23 de Setembro. Um dos Nazgûl foi para o norte através do Marish para a ponte do Brandevine. Dois outros Nazgûl foram pela ponte do Vau Sarn a noroeste de Michel Delving, nas Colinas Brancas. Um desses seguiu para nordeste, Rumo à quarta Norte.

Khamûl e um Nazgûl de Dol Guldur vieram pelo meio do Condado para a Grande Estrada Leste próximo à Pedra das Três Quartas. O acompanhante de Khamûl viajou para leste afim de manter vigilância sobre as estradas. Ele mesmo ficou ao sul entre a Grande Estrada Leste e a estrada alternativa. Khamûl seguiu para a Vila dos Hobbits na tarde do dia 23 de Setembro e questionou Gaffer Gamgi, descobrindo que o Sr. Bolseiro fora para Terra dos Buques.

Frodo Bolseiro, o Portador do Anel, havia deixado Bolsão com seus companheiros naquela mesma tarde. Khamûl os perseguiu. Ele chegou perto de capturar Frodo no dia 24 de Setembro, mas os Hobbits se esconderam dele e Khamûl foi exitante e incerto durante a luz do dia. Ao anoitecer, Khamûl tornou-se mais consciente sobre o Anel e se aproximou de Frodo, mas fugiu devido à aproximação dos elfos liderados por Gildor Inglorion.

No próximo dia, 25 de Setembro, os Hobbits avistaram Khamûl por uma clareira, abaixo dos troncos, mas eles foram ocultos pelas árvores. Khamûl chamou seu companheiro de Dol Guldur. Então foram até Bamfurlong e ofereceram ouro ao fazendeiro Maggot, em troca de informações sobre o ‘Bolseiro’, mas Maggot recusou.

Khamûl enviou seu companheiro para o sul enquanto ele seguiu para o norte rumo a ponte do Brandevine. Ambos voltaram ao ponto inicial a noite. Khamûl viu os Hobbitos cruzendo o Brandevine no cais do Buqueburgo, mas ele era incapaz de cruzar água tão funda e o rio interferiu em sua habilidade de sentir o Anel.

Khamûl invocou outros três Nazgûl que estavam dispersos pelo Condado. Os cinco Nazgûl reuniram-se na manhã de 26 de Setembro. Um Nazgûl foi ordenado para observar a Ponte do Brandevine, enquanto outros dois foram enviados através da Grande Estrada Leste para reportar o Rei Bruxo.

Khamûl e seu companheiro de Dol Guldur entraram sorrateiramente na Terra dos Buques através do Portão Norte. Ele não queria atrair atenção, então continuou sua busca por Frodo vagarosamente e pacientemente. Eles eram incertos de onde procurar, porque a Terra dos Buques não aparecia nos mapas do Sulista.

Os dois Nazgûl enviados para o leste por Khamûl chegaram a Bri em 26 de Setembro. Um vagou pelo norte e veio através do Caminho Verde enquanto o outro chegou do Sul. Eles perguntaram por um Hobbit chamado Bolseiro no Pônei Saltitante, mas Barliman Butterbur fechou a porta para eles. Eles também falaram com o porteiro Harry Groatleaf. Os dois Nazgûl reportaram ao Rei Bruxo no dia 27 de Setembro.

O Rei Bruxo suspeitou que o Portador do Anel estivesse seguindo para Valfenda. Ele ordenou que três Nazgûl fizessem uma busca por todo território leste tão longe quanto o tempo deixasse e retornassem pelo oeste pela Grande Estrada Leste que leva a Bri. O Rei Bruxo e outros dois Espectros patrulharam o Caminho Verde.

Os Hobbits adentraram na Floresta Velha no dia 26 de Setembro. Merry Brandebuque e Pippin Tûk foram capturados pelo Velho Salgueiro Homem, mas foram resgatados por Tom Bombadil. Em 28 de Setembro, os Hobbits cruzaram as Colinas Tumulares e foram capturados por uma das Criaturas Tumulares a serviço do Rei Bruxo, mas eles foram, novamente, salvos por Tom Bombadil.

Também em 28 de Setembro, Khamûl achou a casa, em Cricôncavo, onde Frodo esteve hospedado na Terra dos Buques. O amigo de Frodo Fredegar Bolger havia ficado para trás em Cricôncavo. Khamûl manteve sua atenção voltada para a casa e enviu seu companheiro para trazer de volta o Nazgûl que havia deixado guardando a Ponte do Brandevine. Os três se encontraram em Cricôncavo na noite do dia 29 de Setembro.

Frodo Bolseiro e seus amigos chegaram a Bri nesse mesmo dia. Nesta noite, os três Nazgûl que haviam sido enviados para os Topo do Vento e voltaram para Bri. Eles deixaram seus cavalos fora da cidade e secretamente entraram através do portão sul.

Na sala principal do Pônei Saltitante, o Anel saltou para o dedo de Frodo e ele desapareceu. Isso foi flagrado pelo Sulista vesgo e seu comparsa Bill Ferny, que reportou isso ao Nazgûl. Um dos Nazgûl foi enviado para alertar o Rei Bruxo, mas foi atrasado pelos Guardiões e não o achou até o dia seguinte.

Os outros dois Nazgûl encontraram Merry Brandebuque que estava caminhando próximo à casa de Bill Ferny na tarde do dia 29 de Setembro. Merry foi tomado pelo Hálito Negro. Os dois Nazgûl tentaram capturá-lo mas foram interrompidos pela chegada de Nob da estalagem.

Os dois Nazgûl planejaram um ataque à estalagem nas horas seguintes do dia 30 de Setembro. Existem algumas questões acerca de como os Nazgûl conduziram o ataque, ou se seus agentes Bill Ferny e o Sulista vesgo fizeram isso. As notas publicadas no livro “The Lord of the Rings: A Reader`s Companion” dizem que foram os própriso Espectros. O ataque falhou porquê os Hobbits foram escondidos por Aragorn e almofadas foram colocadas em suas camas. Os dois Nazgûl deixaram Bri para reportar ao Rei Bruxo que o Portador do Anel havia escapado.

Ao mesmo tempo, Khamûl e os outros dois espectros atacaram a casa em Cricôncavo, sem imaginar que Frodo não estaria mais lá. Fredegar Bolger fugiu e tocou o alarme. Os três Nazgûl cavalgaram para o portão noite, passaram pelos guardas e deixaram a Terra dos Buques. Eles marcharam para Andrath para se encontrar com o Rei Bruxo.

Os Nove Nazgûl chegaram a Andrath tarde, no dia 30 de Setembro. O Rei Bruxo soube que um Guardião estava no Pônei Saltitante, mas não imaginava que era Aragorn. Ele suspeito que o Portador do Anel poderia ter seguido para o leste a partir de Bri e enviou quatro Nazgûl para o Topo do Vento. Ele liderou os outros quatro para o Sul, ao longo do Caminho Verde, mas não encontrou nada e retornou para Bri.

No dia primeiro de Outrubro depois da meia noite os quatro Nazgûl e o Rei Bruxo quebraram o portão de Bri e avançaram através da cidade. Eles cavalgaram pelo leste até a Velha Estrada. Gandalf em Bri na tarde anterior e depois da manhã no dia primeiro de Outubro ele saiu em perseguição aos cinco Nazgûl.

Os quatro Nazgûl que haviam sido enviados antes para o Topo do Vento chegaram no dia 2 de Outubro. Um ficou no Topo do Vento enquanto os outros três seguiram para leste através da estrada. O Rei Bruxo e os outros quatro Nazgûl cavalgaram até o Topo do Vento e notaram que estavam sendo seguidos por Gandalf. Eles continuaram pela rota da estrada e deixaram que Gandalf os ultrapassassem em 3 de Outubro.

O Rei Bruxo percebeu que Gandalf não possuía o Anel como ele temia. Ele suspeito que Gandalf poderia ter encontrado o Portador do Anel no Topo do Vento.

Na noite de 3 para 4 de Outubro, os Nazgûl atacaram Gandalf no Topo do Vento. Quando Gandalf, mais tarde, relatou esses eventos, ele afirmou que os Nove Nazgûl estavam presentes (SdA, p. 277). De qualquer forma, o relato detalhado dos movimentos dos Nazgûl mostra que apenas seis estavam realmente presentes – o Rei Bruxo e os quatro que o acompanhavam mais o que estava guardando o Topo do Vento anteriormente.

As luzes e chamas da batalha entre Gandalf e os Nazgûl puderam ser vistas de longe. Gandalf foi capaz de repelir os Nazgûl e pela manhã ele escapou e cavalgou para o norte. Quatro dos Nazgûl seguiram-no. Eles ocasionalmente, deixavam a perseguição de lado e se voltavam para os Vaus do Bruinen.

O Rei Bruxo e Khamûl ficaram para vigiar o Topo do Vento. Três outros Nazgûl ficaram com eles. (Detalhadamente, estes eram os três que haviam ido pela estrada leste através da Grande Estrada, que agora, haviam retornado para o Topo do Vento.)

Frodo e seus companheiros chegaram ao Topo do Vento no dia 6 de Outubro depois de tomar uma rota sinuosa através dos ermos ao redor de Bri. Do topo da colina eles avistaram cinco Nazgûl na Grande Estrada Leste – dois vindo do leste e três do oeste.

Depois de escuro, os cinco Nazgûl atacaram seu acampamento. Frodo sucumbiu à tentação de colocar o Anel. Ele pôde ver os Nazgûl em suas formas Espectrais, e os Nazgûl puderam ver Frodo claramente. Dois Nazgûl ficaram no topo do declive enquanto três, incluindo o Rei Bruxo avançaram sobre Frodo.

nazgul-sword.jpgO Rei Bruxo feriu Frodo no Ombro com sua lâmina Morgul, e uma lasca rompeu em sua ferida. Frodo tentou ferir o Rei Bruxo com uma espada das Colinas Tumulares, mas apenas riscou sua capa. Frodo chamou as preces por Elbereth – um dos Valar que dizem escutar as súplicas daqueles que precisam. Então Aragorn se aproximou com lenha em chamas, em ambas as mãos.

Os Nazgûl recuaram do Topo do Vento. A lasca da Lâmina Morgul ficou se movendo próxima ao coração de Frodo e poderia transformá-lo em um Espectro. Os Nazgûl acreditavam que Frodo poderia estar sob seu controle em breve.

O Rei Bruxo foi incomodado com o que aconteceu no Topo do Vento. Ele ficou balançado pelo seu confronto com Gandalf e também temia Aragorn. Mas ele também sabia que o Portador do Anel havia resistido a ele mesmo não sendo uma pessoa de grande poder. Ele temeu que Frodo tivesse algum pacto com os Altos Elfos porquê invocou o nome de Elbereth.

O Rei Bruxo também reconheceu que a espada de Frodo das Colinas Tumulares foi forjada pelos Dúnedain para a guerra contra Angmar. Ele sabia que aquele golpe que resvalou nele poderia lhe trazer a morte. (De fato nas batalhas dos Campos de Pelennor, Merry Brandebuque recorreria ao mesmo tipo de espada para desferir um golpe fatal no Rei Bruxo.)

Devido a essas preocupações, o Rei Bruxo falhou em observar a retirada de Frodo e seus companheiros do Topo do Vento, perdendo assim a trilha do Anel. Ainda não era tarde no dia 7 de Outubro quando ele deu continuidade à perseguição. Ele e os outros quatro Nazgûl cavalgaram pela Grande Estrada Leste para a última ponte sobre Hoarwell.

Em 9 de Outubro, Elrond de Valfenda enviou poucos elfos que fossem capazes de encarar os Nazgûl para encontrar o Portador do Anel. Dentre os que buscavam, estava Glorfindel, que era um dos Altos Elfos. Glorfindel achou três Nazgûl incluindo Khamûl na Última Ponte em 11 de Outubro e ele os conduziu para o leste. Glorfindel deixou uma pequena pedra verde na Última Ponte indicando que agora era segura para ser cruzada.

Glorfindel encontrou então o Rei Bruxo e outro Nazgûl vindo pelo leste na estrada. O Rei Bruxo não podia confrontar Glorfindel na luz do dia com apenas um acompanhante, então os dois Nazgûl fugiram pelo sul.

Aragorn e os Hobbits cruzaram a Última Ponte em 13 de Outubro. Os cinco Nazgûl perseguidos por Glorfindel se reencontraram em 14 de Outubro e continuaram sua perseguição. O Rei Bruxo e Khamûl sentiram que o Anel havia cruzado a ponte, mas perderam sua trilha e desperdiçaram dias preciosos para reencontra-la. Em 19 de Outubro, conforme os cinco Nazgûl se aproximavam dos Vaus do Bruinen, sentiam o Anel, mais perto.

Em 20 de Outubro, os cinco Nazgûl perseguiram Frodo até os Vaus. Eles foram acompanhados pelos quatro Nazgûl que seguiam Gandalf desde o Topo do Vento. Os Nazgûl podiam ver Frodo e ele podia vê-los claramente devido à ferida causada pela lâmina Morgul. Frodo foi montado sobre o cavalo de Glorfindel, Asfaloth e ele o fez cruzar o Bruinen, mas sentiu-se obrigado a parar e enfrentar os Nazgûl, e o Rei Bruxo fez sua espada quebrar.

onda_de_elrond.jpgO Rei Bruxo liderou Khamûl e outro Nazgûl para o rio, apesar do seu ódio por água em movimento, porquê não podiam deixar o Portador do Anel escapar. Mas as águas do Bruinen cresceram em uma enchente criada por Elrond e Gandalf. Os outros Nazgûl eram forçados a seguir para o rio por Glorfindel – que revelou toda sua força e parecia brilhar envolto de uma luz branca – por Aragorn e por outros ostentando tochas.

Os Nazgûl não foram destruídos, mas temporariamente desabilitados. Eles perderam seus mantos que lhes concediam forma e oito dos nove cavalos foram mortos. O Rei Bruxo aparentemente cavalgou de volta para Mordor no nono cavalo, provavelmente chegando antecipadamente em Dezembro. Ajuda foi enviada para os outros Nazgûl e eles retornaram para Mordor em segredo.

Aos Nazgûl foram dadas novas montarias para substituir seus cavalos. Estas eram terríveis criaturas aladas conhecidas como Bestas Aladas. Sauron manteve os Nazgûl Alados ao leste do Anduin inicialmente. Contudo, em 9 de Janeiro de 3019, uma inexplicável sombra passou sobre a Sociedade em Eregion (FotR, p. 299). Muitos especularam que isso foi um dos Nazgûl Alados que cruzou o rio prematuramente. (HoME VII, p. 365).

De acordo com a linha do tempo publicada no “The Lord of the Rings: A Reader’s Companion”, um dos Nazgûl se encontrou com Grishnakh no lado leste do Anduin próximo ao Vau Sarn em 26 de Janeiro. Grishnakh era um Orc de Mordor que possuia informação sobre a jornada da Sociedade.

Grishnakh e sua companhia de Orcs junto a um Nazgûl atacaram a sociedade em 23 de Fevereiro a medida que eles viajavam rio a baixo por barco. Legolas atirou e matou a montaria do Nazgûl com uma flecha, mas o Nazgûl sobreviveu. Grishnakh, posteriormente uniu forças com Ugluk de Isengard para Atacar a Sociedade em Amon Hen e Merry Brandebuque e Peregrin Tûk foram capturados.

Grishnakh encontrou-se novamente com um dos Nazgûl em 27 de Fevereiro. O Nazgûl disse a Grishnakh para perseguir Ugluk, que estava levando os Hobbits para Isengard. Mas Grishnakh foi morto pelos Rohirrim e Merry e Pippin escaparam em 29 de Fevereiro. No mesmo dia, Frodo Bolseiro e Samwise Gamgi ouviram o grito de um Nazgûl alado sobre suas cabeças enquanto estavam no Emyn Muil. É possível que este fosse o Nazgûl que havia feito contato com Grishnakh.

Em 2 de Março, um Nazgûl Alado voou de Mordor sobre os Pântanos Mortos e então voltou para Mordor. Este foi visto e ouvido por Frodo e Sam e seu guia Gollum. Sam sentiu uma mudança para pior em Gollum depois disso.

Eles novamente sentiram a presença de um Nazgûl Alado – mesmo que não pudessem vê-lo – no crepúsculo em 4 de Março e depois da meia noite em 5 de Março. Mais tarde, no mesmo dia, depois que chegaram ao portão negro, Sam viu quatro Nazgûl Alados voando em círculos como se buscassem por alguma coisa.

Um Nazgûl alado foi enviado por Sauron para investigar o que Saruman estava fazendo. Esse Espectro passou sobre Dol Baran por volta de 11:00 da noite de 5 de Março. Esse não era o Nazgûl que havia passado sobre Frodo e Sam anteriormente. E embora Pippin Tôk tenha falado com Sauron apenas pela Palantir enquanto acampava em Dol Baran, esse Nazgûl não estava ali pelo mesmo, porquê a jornada de 600 milhas vinda de Mordor levaria seis ou sete horas. Esse Nazgûl voou sobre Isengard e retornou para Mordor.

Um segundo Nazgûl foi despachado depois que Sauron viu Pippin pela Palantir. Esse Nazgûl veio a Edoras em 6 de Março e planou sobre o teto de Meduseld. Gandalf estava ali e ele alertou aos Rohirrim para concentrar suas forças no refúgio de  Dunharrow para evitar serem encurralados.

Em 9 de Março, um Nazgûl Alado voou sobre Minas Tirith. Pippin e Beregond sentiram isso e escutaram seu terrível grito.

10 de Março foi o dia sem manhã, Sauron enviou uma escuridão que cobriu o céu, em parte para enaltecer a força dos Nazgûl. Na tarde posterior, cinco Nazgûl Alados perseguiram Faramir e seus homens através dos campos de Pelennor. Gandalf cavalgou para fora de Minas Tirith para confronta-los e disparou um feixe de luz branca contra um deles, e os Nazgûl se retiraram.

Também na tarde de 10 de Março, o Rei Bruxo liderou um grande exército de Minas Morgul com o propósito de atacar Minas Tirith. Ele cavalgou um cavalo e vestiu um elmo como uma coroa em sua cabeça. Sua partida foi observada por Frodo e Sam. O Rei Bruxo parecia sentir algo e Frodo foi tentado a colocar o Anel, mas resistiu e o Rei Bruxo se foi.

O Rei Bruxo liderou a hoste de Morgul para Osgiliath e conquistou a travessia do Anduin em 12 de Março. Como comandante das forças de Sauron, a força do Rei Bruxo havia crescido, e ele provocou terror em seus oponentes. Faramir, o líder da resistência, foi forçado a recuar. Suas forças foram reduzidas para a proporção de 10 para 1.

 
Em 13 de Março, as forças do Rei Bruxo quebraram as Rammas Echor e avançaram sobre os Campos de Pelennor. O Rei Bruxo enviou Nazgûl Alados para atacar os homens de Faramir conforme eles recuavam. Faramir foi atingido por uma flecha e foi afetado em seguida pelo Hálito Negro do Nazgûl. Gandalf novamente cavalgou contra os Nazgûl Alados enquanto o Príncipe Imrahil e os Cavaleiros de Dol Amroth resgataram Faramir.

Também em 13 de Março, Shagrat da Torre de Cirith Ungol recebeu ordenas de Minas Morgul, os Nazgûl temiam que espiões tentassem adentrar Mordor. Um Orc chamado Gorbag de Minas Morgul foi enviado para patrulhar posteriormente, Sagrad e Gorbag capturaram Frodo.

Sam resgatou Frodo em 15 de Março e depois que escaparam um Nazgûl Alado desceu à torre de Cirith Ungol. O Nazgûl procurou por algum tempo, mas não achou os Hobbits.

As forças do Rei Bruxo sitiaram Minas Tirith. O Nazgûl Alado rondou a cidade, causando medo e desespero em seus habitantes. Pela manhã em 15 de Março, o aríete Grond foi levado aos portões de Minas Tirith. O Rei Bruxo sussurrou palavras de terror e poder em uma língua antiga e Grond pois abaixo o portão.

O Rei Bruxo foi confrontado no portão por Gandalf. Mas nesse momento os Rohirrim chegaram e o Rei Bruxo bateu em retirada do portão para evitar sua interceptação. Ele montou uma Besta Alada e desceu ao campo brandindo uma maça negra. Ele perfurou o cavalo do Rei Theoden, Snowmane com um dardo e o Rei foi esmagado pelo seu próprio cavalo, vindo a falecer.

Éowyn, a sobrinha do Rei, confrontou o Rei Bruxo auxiliada por Merry Brandebuque. Merry usou sua espada – que foi forjada pelos Dúnedain para sua guerra contra Angmar – para perfurar a falange traseira do joelho do Rei Bruxo, quebrando o encanto que mantinha sua forma agrageada.

Éowyn fincou sua espada no espaço entre a coroa do Rei Bruxo e seus ombros, e seu espírito se dissipou no ar. Assim, as palavras faladas por Glorfindel após a batalha de Fornost fizeram valer, e o Rei Bruxo encontrou seu destino nas mãos de uma mulher e de um Hobbit.

Um dos Nazgûl Alados voou de volta para Mordor com a notícia da queda do Rei Bruxo. Frodo e Sam o viu passar sobre suas cabeças proferindo um grito de angustia. Conforme Frodo e Sam se aproximavam da Montanha da Perdição, os Nazgûl estavam ocupados controlando os exércitos de Gondor e Rohan que estavam marchando de encontro ao Portão Negro.

Em 25 de Março, os oito Nazgûl Alados voavam sobre a Batalha de Morannon. As Grandes Águias tentaram atacar os Nazgûl, mas Frodo revogou o Anel para si na Montanha da Perdição e Sauron enviou os Nazgûl para pará-lo. Mas Gollum mordeu o Anel arrancando-o de Frodo e caiu nas Fendas da Perdição onde o Anel foi destruído. A Montanha da Perdição entrou em erupção e os oito Nazgûl foram consumidos pelas chamas. Quando o Um Anel foi destruído, os Nove Anéis perderam sua força e os Nazgûl nunca mais poderiam voltar.

* Nota:
Sauron is said to be in possession of the Nine Rings in The Fellowship of the Ring, p.
É dito que Sauron está em posse dos Nove Anéis em A Sociedade do Anel, p. 61 e 382; Contos Inacabados, p. 338 e 343; e Carta #246. Entretanto, em A Sociedade do Anel  p. 263, é dito "O Novo, o Nazgûl o mantém."
________________________________________

DATAS IMPORTANTES

 
Segunda Era:
1500
Os nove anéis são feitos.

1600
Sauron faz o Um para governar os demais.

1697
Sauron tem os nove anéis.

2251
O primeiro dos nove Nazgûl aparece.

3434
A Guerra da Última Aliança começa.

3441
Sauron é derrubado e o Um Anel é tomado por Isildur. Os Nazgûl vão para as sombras.

Terceira Era:
1050
Sauron retorna em segredo e estabelece uma fortaleza em Dol Guldur.

1300
Os Nazgûls reaparecem. O Senhor dos Nazgûl estabelece o reino de Angmar, no norte e se torna conhecido como o Rei-Bruxo de Angmar.

1356
Angmar e Rhudaur guerreiam em Arthedain. Rei Argeleb I de Arthedain é morto.

1409
O Rei-Bruxo envia um grande “anfitrião” diante de Angmar. Cardolan é ocupada embora alguma resistência continue. Rhudaur é invadida por indivíduos malígnos de Angmar. King Arveleg I de Arthedain é morto e a Torre de Amon Sul é destruída. Elfos vêm para a ajuda dos Dunedain e evitar que o Rei-Bruxo sobreponha todos de Arnor.

1636-37
A Grande Peste chega a Eriador. O Rei-Bruxo envia espíritos maus para ocupar as Colinas dos Túmulos.

1856
Os outros oito Nazgûl podem ter retornado para Mordor neste momento.

1974
O Rei Bruxo invade Arthedain e captura Fornost. O Reino-Norte de Arnor está terminado.

1975
As forças do Rei-Bruxo são derrotadas na batalha de Fornost pelos Dunedain do Norte, Homens de Gondor, e Elfos de Lindon e Valfenda. O Rei-Bruxo é banido do norte. Glorfindel profetiza sobre a sua perdição.

1980
O Rei-Bruxo retorna para Mordor e reúne os outros oito Nazgûl com ele.

2000
Os Nazgûl cercam Minas Ithil.

2002
Os Nazgûl capturam Minas Ithil. Torna-se seu reduto e é renomeada Minas Morgul.

2043
O Rei-Bruxo desafia Earnur para um único combate, mas é recusado.

2050
O Rei-Bruxo renova seu desafio e Earnur aceita. Earnur não é visto novamente. A partir deste tempo, o Regente governa Gondor na ausência de um rei.

2063
Gandalf investiga Dol Guldur e Sauron vai para seu esconderijo. A Paz Vigilante começa e os Nazgûl permanecem quietos em Minas Morgul.

2460
Sauron regressa a Dol Guldur e Paz Vigilante termina.

2475
Uruks Negros invadem Ithilien e tomam Osgiliath. Eles são mandados de volta por Boromir, filho de Denethor I.

2942
Sauron retorna em segredo para Mordor.

2951
Sauron se declara abertamente e começa a construir o seu poder em Mordor.

3017
Sauron gains information from Gollum about the One Ring. Gollum Sauron ganhos a partir de informações sobre o Um Anel.

3018
Jun 20: O Rei-Bruxo lidera o assalto a Osgiliath. Khamul pode ter levado um ataque à Floresta das Trevas para ajudar na fuga de Gollum.

Jul 1 : O Rei-Bruxo leva os Nazgûl de Minas Morgul pelo Anduin em segredo.

Jul 17: Os Nazgûl recebem roupas e cavalos em Sarn Gebir.

Jul 22: O Rei-Bruxo encontra Khamul  no Campo de Celebrant. 22 jul: The Rei-Bruxo atende Khamul no Domínio do celebrante. Ele descobre que não há nenhum lugar chamado "O Condado" nos Vales do Anduin. O Rei-Bruxo decide continuar pesquisando ao longo da Anduin mas não encontra nada.

Set: O Nazgûl retorna ao sul e recebe ordens de Sauron para ir à Isengard.

Set 18: O Nazgûl cruza o Vau do Isen.

22 set: O Nazgûl chegam ao Vau Sarn e afugentam os Guardiões.

Set 23: Quatro Nazgûl incluindo o Rei-Bruxo perseguem os Guardiões e então patrulham as estradas enquanto Rei-Bruxo vai à Colina dos Túmulos para despertar as criaturas tumulares. Os outros cinco, incluindo Khamul entram no Condado. Khamul vai para a Vila dos Hobbits e fala com Gaffer Gamgee.

24 set: Khamul persegue Frodo até o Córrego do Tronco.
 
25 set: Khamul visita o Fazendeiro Magote e vê os hobbits atravessarem o rio Brandevin.

Set 26: Khamul envia um Nazgûl para guardar a ponde do Brandevin. Ele envia dois outros ao leste, ao longo da estrada. Estes dois entram em Bree e perguntam sobre Bolseiro no Poney Saltitante. Khamul e seus companheiros entram ma Terra dos Buques. Os hobbits secretamente deixam a Terra dos Buques e entram na Floresta Velha. Merry Brandebuque and Pippin Took são capturadas pelo Velho Salgueiro Homem, mas são salvos por Tom Bombadil.

27 set: O Rei-Bruxo deixa a Colina dos Túmulos. Ele encontra os dois Nazgûl de Bree e ouve seu relatório sobre o portador do Anel. Ele envia três Nazgûl pelo país para o Topo dos Ventos e volta ele e outros dois patrulham o Caminho Verde.

28. Set: Frodo Bolseiro é capturado por uma Criatura Tumular mas escapa com a ajuda de Tom Bombadil. Khamul encontra Cricôncavo e envia seus companheiros para buscar o Nazgûl que guarda a ponte do Brandevin.

27 set: O Rei-Bruxo deixa a Colina dos Túmulos. Ele encontra os dois Nazgûl de Bree e ouve seu relatório sobre o portador do Anel. Ele envia três Nazgûl pelo país para o Topo dos Ventos e volta ele e outros dois patrulham o Caminho Verde.

28. Set: Frodo Bolseiro é capturado por uma Criatura Tumular mas escapa com a ajuda de Tom Bombadil. Khamul encontra Cricôncavo e envia o seus companheiros para buscar o Nazgûl que guarda a ponte do Brandevin.

29 set: Khamul e dois Nazgûl se reúnem em Cricôncavo. Os três Nazgûl que haviam sido enviados para o Topo dos Ventos retornam e chegam em Bree. Bill Ferny e um Sulista vesgo veem Frodo sumir no ar no Ponei Saltitante e envia um relatório ao Nazgûl. Um Nazgûl é enviado para avisar o Rei-Bruxo enquanto os outros dois encontram Merry Brandebuque que é dominado pelo Hálito Negro.

30 Set: Khamul e dois Nazgûl atacam Cricôncavo. O Ponei Saltitante também é atacado, mas Aragorn mantém Frodo em segurança. Os Nove Nazgûl então montam guarda em Andrath. Quatro Nazgûl vão para o leste ao Topo dos Ventos e quatro juntamente com o Rei-Bruxo vão para o sul. Gandalf chega em Bree.

1 Out: O Rei-Bruxo e quatro Nazgûl causam uma tempestade ao atravessarem Bree depois da meia-noite. Gandalf os persegue.

2 Out: Os quatro Nazgûl que foram enviados à frente se reúnem no Topo dos Ventos. Três continuam ao leste e um permanece em Topo dos Ventos.

3-4 Out: O Nazgûl luta com Gandalf no Topo dos Ventos. Ele escapa e leva quatro deles embora.

6 Out: O Rei-Bruxo e quatro Nazgûl atacam Frodo e seus companheiros no Topo dos Ventos. O Rei-Bruxo apunhala Frodo e a ponta da sua espada Morgul encontra com o ombro de Frodo.

7 Out: O Rei-Bruxo recomeça a persuadir o portador do Anel.

9 Out: Glorfindel e outros elfos saem de Valfenda para encontrar o portador do Anel.

11 Out: Glorfindel é seguido por três Nazgûl, incluindo Khamul a partir da Última Ponte e em seguida encontra o Rei-Bruxo e outro Nazgûl.

13 Out: Aragorn e os Hobbits atravessam a Última Ponte.

14 Out: Os cinco Nazgûl se reestruturam e retomam sua perseguição.

19 Out: Os cinco Nazgûl sentem o Anel próximo.

20 Out: Os cinco Nazgûl perseguiram Frodo até o Ford de Bruinen e então se uniram aos outros quatro. Os Nove são varridos por uma inundação criada por Elrond e Gandalf. Oito de seus cavalos são mortos. O Rei-Bruxo calvalga no nono de volta para Mordor.

Início de Dezembro: O Rei-Bruxo chega em Mordor. Ajuda é enviada para os outros oito Nazgûl.

25 Dez: A Sociedade do Anel deixa Valfenda.

3019
9 Jan: Uma sombra passa sobre a Sociedade. Alguns especulam que era um dos Nazgûl alado.

26 Jan: Um dos Nazgûl recebe um relatório de Grishnakh perto Sarn Gebir sobre a viagem a Sociedade.

23 Fev: Legolas atira e mata uma fera, mas o Nazgûl sobrevive.

27 Fev: Um Nazgûl encontra Grishnakh e o ordena a seguir os Ugluk, Merry e Pippin.

29 Fev: Grishnakh é morto, Merry e Pippin escapam. Frodo e Sam ouvem o grito de um Nazgûl Alado sobrevoando Emyn Muil.

2 Fev: Frodo, Sam, and Gollum veem um Nazgûl Alado de Mordor sobrevoar o Pântano dos Mortos e depois voltar para Mordor.

4 Fev: Frodo, Sam, Gollum sentem um Nazgûl Alado passar sobrevoando ao anoitecer.

5 Mar: Frodo, Sam e Gollum sentem o Nazgûl Alado passando novamente depois da meia-noite. Mais tarde, no Portão Negro, Sam vê quatro Nazgûl Alados circulando. Um Nazgûl Alado sobrevoa Dol Baran por volta de 11:00 da noite e em seguida, voa para Isengard, para depois voltar para Barad-Dur.

6 Mar: Outro Nazgûl Alado chega a Edoras. Gandalf aconselha os Rohirrim a se agruparem no Templo da Colina.

9 Mar: Pippin e Beregond sentem um Nazgûl Alado voando sobre Minas Tirith.

10 Mar: O Dia D! Cinco Nazgûl Alados caçam Faramir, mas são afastados por Gandalf. O Rei-Bruxo lidera o anfitrião de Minas Morgul.

11 Mar: O grito dos Nazgûl são ouvidas sobre Minas Tirith, mas eles não são vistos.

12 Mar: O Morgul-anfitrião ganha a passagem do Anduin e Faramir se retira ao Fort do Passadiço.

13 Mar: O Morgul-anfitrião passa por Pelennor. Shagrat nota que os Nazgûl tem medo dos intrusos. Frodo é capturado e levado para a Torre de Cirith Ungol.

14 Mar: O Morgul-anfitrião estabelece cerco a Minas Tirith.

15 Mar: Frodo e Sam escapam e um Nazgûl Alado desce sobre a Torre de Cirith Ungol.  O Rei-Bruxo é confrontado por Gandalf no portão de Minas Tirith. Os Rohirrim chegam ao amanhecer e ao Rei-Bruxo parte para o campo de batalha. Batalha dos Campos de Pelennor. O Rei-Bruxo é vencido por Eowyn e Merry Brandebuque. Frodo e Sam veem um Nazgûl Alado voando para Barad-Dur com a notícia da derrota do Rei-Bruxo.

18 Mar: Aragorn lidera um exército até Mordor. O Nazgûl Alado monitora sua abordagem.

25 Mar: O Nazgûl Alado sobrevoa em círculos durante a Batalha de Morannon. Frodo reivindica o Anel e Sauron envia os Nazgûl depressa à Montanha da Perdição. O Um Anel é destruído e Sauron é derrotado. Os oito Nazgûl restantes são consumidos pelo fogo da Montanha da Perdição. Os Nove Anéis perder seu poder.
________________________________________

NOMES & ETIMOLOGIA:

Nazgûl
Nazgûl é uma palavra da Língua Negra de Mordor que significa “Espectro do Anel”, onde nazg remete “anel” e gûl “espectro/aparição”.
 
Espectros do Anel
Os Nazgûl eram conhecidos como Espectros do Anel porque eram espíritos atrelados ao Um Anel através dos seus nove anéis.
 
Úlari
O nome em Quenya designado para os Nazgûl foi Úlari. A origem da palavra é incerta, obscura.
 
Cavaleiros Negros
Os Nazgûl eram chamados de Cavaleiros Negros devido às suas capas e cavalos. Eles também eram  conhecidos como Os Nove Cavaleiros, Os Nove Servos, e simplesmente Os Nove.
 
Nazgûl Alados
Quando os Nazgûl montaram criaturas de asas, conhecidas como Bestas Aladas, eles foram chamados de Nazgûl Alados. Eles também eram conhecidos como Asas Negras, Os Mensageiros Alados, Espectros de Asas, Cavaleiros Alados do Ar e Cavaleiros Negros do Ar.

Rei Bruxo de Angmar
O Senhor dos Nazgûl era conhecido pelo seu título depois que estabeleceu o reino de Angmar por volta de 1300 da Terceira Era.
 
Os Nomes dos Nove Nazgûl
Khamûl é o único que tem seu nome próprio citado por Tolkien (Contos Inacabados, p. 352 nota 1). Os nomes dos outros oito Nazgûl não são conhecidos.

Os nomes dados a seguir para os outros oito Espectros do Anél, foram criados para o RPG da Iron Crown Enterprises:

Murazor (o Senhor dos Nazgûl), Dwar, Ji Indur, Akhorahil, Hoarmurath, Adunaphel, Ren, e Uvatha. De qualquer forma, não aparecem em lugar algum dos trabalhos de Tolkien.
________________________________________

FONTES:
A Sociedade do Anel: "A Sombra do Passado", p. 60-61; "Três Não é Demais" p. 78, 83-94; "Atalho para Cogumelos" passim; "Conspiração Desmascarada" p. 109, 112-13, 117-18; "No Ponei Saltitante" p. 164, 172; "Passolargo" p. 176-77, 180-81, 185-86; "Uma Faca no Escuro", p. 188-89, 200-2, 206-8; "Fuga para o Vau" passim; "Muitos Encontros" p. 231-36; "O Conselho de Elrond," p. 254-55, 258-59, 263, 269-78, 280; "O Anel Vai para o Sul”, p. 285-92, 299; "Uma Jornada no Escuro" p. 308; "A Grande Rio, p. 403

 
As Duas Torres: "Os Cavaleiros de Rohan", p. 39; "Os Uruk-hai," p. 49, 55; "O Cavaleiro Branco" p. 101; "O Palantir", p. 201, 204-5; " Smeagol Domado" p. 213; "A Passagem dos Pântanos" p. 236-37; “O Portão Negro está Fechado", p. 253; "O Lago Proibido", p. 301-2;" As Escadarias de Cirith Ungol ", p. 314-16;" As Escolhas de Mestre Samwise ", p. 347-48
 
O Retorno do Rei: "Minas Tirith", p. 19, 38; “A Concentração das Tropas de Rohan," p. 66; "O Cerco de Gondor," p. 82-83, 89-97, 101-3; "A Batalha dos Campos de Pelennor ", p. 115-20; "O Portão Negro se abre" p. 168; "A Torre de Cirith Ungol", p. 192; "A Terra da Sombra," p. 193-94, 196; "A Montanha da Perdição," p. 215, 223, 224; "O Campo de Cormallen," p. 226 226.
 
Apêndice A: "O Reino-Norte e os Dunedain", p. 320-22; "Gondor e os herdeiros de Anarion", p. 331-33; "O Regente", p. 333
Apêndice B: "O Conto do Anos", passim
 
Contos Inacabados: "A Caçada ao Anel", passim
 
O Silmarillion: "Akallabeth", p. 267; "Dos Anéis do Poder e da Terceira Era", p. 289, 296-97, 299-300, 302-3.
 
The History of Middle-earth, vol. VII, A Traição de Isengard: "O Grande Rio", p. 365 nota 8.
 
The History of Middle-earth, vol. VIII, A Guerra do Anel: "A Passagem dos Pântanos", p. 119-20.
 
As Cartas de JRR Tolkien: Cartas #156, #210, #212, #246, #297.
 
"Nomenclature of The Lord of the Rings" entry for Ring-wraiths
 
O Senhor dos Anéis: A Reader’s Companion by Wayne G. Hammond and Christina Scull: "Três Não é Demais" p. 97-99; "Conspiração Desmascarada" p. 116; "Neblina Sobre as Colinas dos Túmulos" p. 145; "Uma Faca no Escuro" p. 164-68, 179-81; "Fuga para o Vau" p. 194-96; "O Conselho de Elrond" p. 241-43; "O Anel vai para o Sul" p. 262-63, 271; "O Grande Rio" p. 346; "A Partida de Boromir" p. 360-61; "Os Uruk-hai," p. 378-79; "Smeagol Domado," p. 444; "A Passagem dos Pântanos" p. 454-56; "Minas Tirith," p. 508-9; "O Cerco de Gondor," p. 546, 552; "A Batalha dos Campos de Pelennor" p. 562-64; "A Terra da Sombra" p. 606

Fonte: The Thain’s Book – Nazgul

 
 
Agradecimentos: Sauron

Comentários