A Linhagem de Durin

 

Tree of Durin

No universo de Tolkien, o Povo de Durin, também chamados de Barbas-Longas, foi o mais importante povo dos Anões, pertencendo à linhagem da maior e mais antiga das Sete Casas dos Anões.

Originalmente habitaram as Montanhas Nebulosas como moradia, até serem expulsos por Orcs. Suas fortalezas incluem Khazad-dûm, sua primeira cidade e Monte Gundabad; seu primeiro Rei foi Durin, o Imortal.

 
Durante a Segunda Era, o Povo de Durin iniciou a amizade com os Noldor de Celebrimbor em Eregion e durante a Guerra da Última Aliança, foram aliados dos Elfos e Dúnedain contra Sauron.

Na Terceira Era, após terem sido expulsos de Moria pelo Balrog conhecido como “A Ruína de Durin”, muitos fugiram para o norte e estabeleceram cidades em Erebor nas Montanhas Cinzentas. Após Erebor e as Montanhas Cinzentas terem sido invadidas e ocupadas por Dragões, eles se tornaram um povo nômade em exílio. Muitos deles foram para as Colinas de Ferro e se estabeleceram por lá, enquanto outros, sob o comando de Trháin II foram para o oeste, até chegarem nas Montanhas Azuis e se estabelecerem lá. Finalmente, o Reino dos Anões de Erebor foi restaurado quando Dáin II, Senhor das Colinas de Ferro, se tornou Rei de Erebor em 2941 T. E. após a morte de Smaug.

O Povo de Durin foi inicialmente liderado por Durin I, "o Imortal". Ele foi sucedido por muitas gerações de reis, dentre eles apareceram seis outros também chamados Durin; os Anões acreditavam que esses seis eram a reincarnação (ou até mesmo reanimação) de Durin I, com memórias de suas vidas passadas[1]. Durin VI foi morto pela Ruína de Durin em 1980 T. E. e um outro "Durin" não retornou para comandar seu povo até Durin VII surgir na Quarta Era, um descendente de Thorin II, filho de Dáin II (Pé-de-Ferro) e descendente direto da linhagem de Durin, o Imortal. Durin VII se tornaria conhecido como Durin, o Último.

Tolkien pegou o nome Durin, assim como a maioria dos nomes dos Anões de seu trabalho, da mitologia Nórdica. Isso ele explico mais tarde como: assim como o Westron foi traduzido com o Inglês, a linguagem de Valle, usada pelos Anões para os seus nomes "externos", foi traduzida com o Nórdico Arcaico. O termo original em Nórdico Arcaico durinn pode ser traduzido, literamente, como "sonolento".[2]

Discussões sobre os Durins (especialmente em Os Povos da Terra-média) devem ser lidos com cuidado, pois seu número aumentou com o desenvolvimento da estória de Tolkien. O Durin morto pelo Balrog em 1980 T. E., por exemplo, era originalmente Durin III, porém foi apresentado como Durin VI em O Senhor dos Anéis. (E um erro comum na internet o lista como "Durin IV").

Não há um relato completo de todos os Reis da Linhagem de Durin, porém a lista a seguir mostra os nomes daqueles Reis que ficaram gravados, ou cuja eixstência pode ser deduzida. Como os descendentes de Durin I foram forçados pelas circunstâncias a viajar pela Terra-média, os principais locais de sua Monarquia é mostrado junto com o nome de cada Rei.

REIS DO POVO DE DURIN

  • Durin I, Khazad-dûm

Durin o Imortal foi o mais velho dos Sete Pais dos Anões, criados por Aulë durante a Primeira Era do Mundo. Ele foi chamado "o Imortal" pois viveu muito até uma idade de longe mais avançada do que qualquer outro Anão e por isso foi reverenciado como o mais velho de sua raça.

Cada um dos sete Pais fundaram uma Casa de Anões. A Casa de Durin foi chamdada de Barbas-Longas e seu povo de Povo de Durin.

De acordo com as tradições dos Anões, ele foi posto para dormir sozinho sob o Monte Gundabad ao norte das Montanhas Nebulosas, que permaneceram como um local sagrado para eles. Ele despertou algum tempo após o despertar dos Elfos em 1050 da Era das Árvores, e de acordco com uma antiga versão da estória[3] viajou grandes distâncias até encontrar outras famílias de Anões, e então outros Anões o seguiram. Ele chegou ao Lago-Espelho, um lago em um vale abaixo de Caradhras nas Montanhas Nebulosas, e lá fundou o que se tornaria na maior e mais rica das Mansões dos Anões: Khazad-dûm (Mina dos Anões), mais tarde renomeada para Moria.

Na versão publicada da estória, Durin morreu antes do final da Primeira Era[4]. Em uma versão antiga do Apêndice B ("O Conto dos Anos") ele aparece liderando os Anões das ruínas de Beleriand para fundar Khazad-dûm no começo da Segunda Era[5], porém Tolkien abandonou essa idéia.

Após a morte de durin, Khazad-dûm foi governada por "muitas gerações" de seus descendentes, até o Blarog aparecer. Nessa longa linhagem, Tolkien escreve, apareceu ocasionalmente "um herdeiro tão parecido com seu Antepassado que ele recebeu o nome de Durin"[6]. Versões mais completas sobre o Povo de Durin[7] deixam claro que os Durins apareceram espaçados dentre muitas gerações. Esses seis outros Durins foram tidos pelos Anões como reincarnações (ou até mesmo reanimações) de Durin I, com memórias de suas vidas passadas.[8] Em 2989 T. E., durante a tentativa fracassada de recolonizar Moria, a companhia de Balin encontrou o Machado de Durin[9]. Embora não esteja gravado em nenhum texto, muitos chegaram à conclusão de que essa era a herança perdida quando Durin VI foi morto pelo Balrog em 1981 T. E.[10]  
Um elmo também é mencionado, não indentificado no texto como sendo de Durin, o qual alguns conjecturaram que poderia, de fato, ser. Essas relíquias evidentemente foram perdidas mais uma vez quando a companhia de Balin foi destruída em 2994 T. E.

  • Durin II, Khazad-dûm

Tolkien não escreveu nada sobre o seu reinado. Existem indicações de que os Anões de Khazad-dûm chegaram a um acordo com os primeiros Homens dos Vales do Anduin, que lhes forneciam comida em troca pelas armas feitas pelos Anões. Essa cooperação evoluiu para ataques coordenados contra os Orcs, com a infantaria pesada dos Anões complementada pelos arqueiros montados dos Vales.

  • Durin III, Khazad-dûm

durin_iii.jpgGovernou por volta de 1600 S. E. e foi o primeiro portados de um dos Sete Anéis[11], embora não fosse de conhecimento geral até o final da Terceira Era. Os Anões acreditam que ele tenha recebido esse anel através dos Elfos-ferreiros e não por Sauron, mesmo com esse tendo participado da forjadura. Durin III juntou suas forças com Eregion durante a Guerra dos Elfos e Sauron, mas foram incapazes de evitar sua própria destruição, o que levou a um longo período de isolação e gradual diminuição em Khazad-dûm.

Hammond e Scull[12] concluem que Durin III foi Rei de Khazad-dûm quando o Portão Oeste de Moria foi destruído, o Durin cujo nome aparece na porta que foi feita quando os Anões eram aliados de Celebrimbor. Essa é uma referência razoavel mas aparenta ser infundada por algumas evidências diretas de Tolkien. Foster[13] sugere que o Portão tenha sido construido antes, no reinado de Durin II.


Portão de Moria

  • Durin IV, Khazad-dûm

Tolkien não escreveu nada sobre seu reinado. Teria vivido em Khazad-dûm no final da Segunda Era ou commeço da Terceira. Há um certo rumor na internet que sustenta que Durin IV foi o Rei que liderou os Anões de Khazad-dûm para lutarem contra Sauron na Última Aliança no final da Segunda Era. Tolkien indica que os Anões do Povo de Durin de fato lutaram com a Última Aliança[14], mas não diz sob o comando de qual rei eles lutaram.

  • Durin V, Khazad-dûm

Não há relatos de Tolkien sobre esse reinado.

  • Durin VI, Khazad-dûm (Reinou até 1980 T. E.)

Durin VI foi o Rei dos Anões de Khazad-dûm na Terceira Era, quando a sua profunda mineração em busca de mithril nas raízes de Caradhras despertou o Balrog de seu esconderijo nas profundezas da terra. A criatura matou Durin em 1980 T. E., e se tornou conhecida por "A Ruína de Durin".  
Durin VI foi a primeira reincarnação de Durin, o Imortal a não ter uma morte natural. Foi sucedido por seu filho, Náin I, que foi morto pelo mesmo Balrog no ano seguinte e após esse evento trágico a antiga cidade foi abandonada pelo seu povo.

  • Náin I, filho de Durin VI. Khazad-dûm

Rinou por apenas um ano em Khazad-dûm antes de ser morto pelo Balrog. Foi por muito tempo o último Rei da Linhagem de Durin a governar em Khazad-dûm, sendo substituído por seu filho no exílio.

  • Thráin I, filho de Náin I. Erebor (Governou por 209 anos, até 2190 T. E.)

Liderou uma grande parte de seu povo para longe de Khazad-dûm para o norte e leste da Terra-média. Foi Thráin quem fundou o grande reino de Erebor em 1999 T. E., a Montanha Solitária perto da Cidade do Lago. Foi sucedido por seu filho.

  • Thorin I, filho de Thráin I. Montanhas Cinzentas

Ao descobrir que uma grande hoste de seu povo estava se agrupando nos limites ao norte das Montanhas Cinzentas, Thorin I Deixou Erebor e se mudou para lá. Foi sucedido por seu filho.

  • Glóin, filho de Thorin I. Montanhas Cinzentas (Reinou por 96 anos até 2385 T. E.)

Deu continuidade ao reinado do Povo de Durin nas Montanhas Cinzentas, sendo sucedido por seu filho.

  • Óin, filho de Glóin. Montanhas Cinzentas (Reinou por 103 anos até 2488 T. E.)

Durante seu governo, os Anões do Povo de Durin ainda viveram nas Montanhas Cinzentas ao norte. Nos últimos anos de seu reinado, a Sombra reotrnou para Dol Guldur na Floresta das Trevas e Orcs e outras criaturas malignas começaram a se multiplicar nas montanhas do norte e, nos últimos anos de vida de Óin, os Orcs invadiram Moria, que foi abandonada, e a tomaram como moradia. Essa foi apenas a primeira das calamidades que viriam a cair sobre a Casa de Durin nos séculos vindouros.

Óin tinha 250 anos quando morreu, tendo reinado por 103 anos.  Foi sucedido pelo se filho Náin, que se tornou Rei Náin II.

  • Náin II, filho de Óin. Montanhas Cinzentas (Reinou por 97 anos até 2585 T. E.)

Nessa época, os prósperos Anões começaram a sofrer atacas de dragões vindos do norte. Foi sucedido por seu filho.

  • Dáin I, filho do Náin II. Montanhas Cinzas (Reinou por 4 anos até 2589 T. E.)

Seu curto reinado teve um fim brusco quando foi morto por um dragão de gelo na porta de seu próprio reino. Foi sucedido pelo mais velho de seus três filhos.

  • Thrór, filho de Dáin I. Erebor (Reinou por 201 anos até 2790 T. E.)

Liderou seu povo para fora do norte, infestado de dragões, de volta para a Montanha Solitária, enquanto seu irmão caçula, Grór, levou uma parte de seu povo mais para o leste, para habitarem as Colinas de Ferro. Ele era Rein sob a Montanha por mais de 180 anos quadno o grande Dragão Smaug desceu sobre o seu reino e o saqueou. Ele escapou da destruição com seu filho e neto, e se tornou nômade até finalmente chegar à antiga casa de seu povo, Khazad-fûm, que ele encontrou infestada de Orcs. Sua morte pelas mãos de Azog, líder dos Orcs, foi o estopim para a Guerra dos Anões e Orcs. Foi sucedido por seu filho.

  • Thráin II, filho de Thrór, Rei no Exílio. Terra Parda (Reinou por 60 anos até 2850 T. E.)

Vingou a morte de seu pai ao derrotar os Orcs de Azog na Batalha de Azanulbizar. Na primeira metade de seu reinano, viveu na Terra Parda, mas depois se mudou para as Motanhas Azuis a oeste de Eriador. Antes do seu reinado terminar, decidiu voltar para Erebor, porém enquanto viajava pela floresta foi capturado por criaturas malignas e morreu nos calabouços do Necromante em Dol Guldur. Foi sucedido por seu filho.

  • Thorin II, ou Thorin Escudo de Carvalho, filho de Thráin II. Montanhas Azuis (Reinou por 91 anos atém 2941 T. E.)

Governou como Rei nas Montanhas Azuis por muitos anos mas, assim como seu pai, estava decidido a retornar para a sua antiga casa em Erebor. Acompanhado por Gandalf e Bilbo Bolseiro, ele liderou um grupo de companheiros para o extremo oriente e, contra todas as expectativas, recuperou a Montanha Solitária de Smaug. Após a morte de Smaug, a Batalha dos Cinco Exércitos foi travada aos pés de Erebor e Thorin foi morto. Os únicos descendentes vivos da linhagem de Thrór, seus jovens sobrinhos Fíli e Kíli, também haviam perecido na batalha e assim a Monarquia foi passada para a linhagem de Grór, irmão caçula de Thrór, especificamente para o neto de Grór, Dáin Pé-de-Ferro. Embora não tenha sido coroado como Rei sob a Montanha, Thorin reclamou o título por direito, uma vez que havia reconquistado Erebor.

  • Dáin II, ou Dáin Pé-de-Ferro, neto de Grór. Erebor (Reinou por 78 anos até 3019 T. E.)

Se tornou Rei sob a Montanha assim como Rei de todo o Povo de Durin após a morte de Thorin, sendo o primeiro na Linhagem de Durin a herdar o reinado sem ser pela sucessão de pai-para-filho. Reinou prosperamente por muitos anos até a época da Guerra do Anel, quando foi morto na Batalha de Valle e foi sucedido por seu filho.

  • Thorin III, ou Thorin Elmo-de-Pedra. Erebor.

Assumiu a liderança de seu povo após a morte de seu pai. Suportou um breve cerco de sete dias em Erebor, quando novas sobre a derrota de Sauron alcançou os Orcs, ele foi capaz de lutar contra eles em campo aberto, conseguindo derrotá-los, porém foi morto nessa batalha. Com a morte de Thorin III, detalhes sobre os reinados dos Reis dos Anões também chegaram a um fim, deixando apenas uma indicação de um de seus descendentes.

  • Durin VII.
Durin VII ou Durin, o Último era descendente direto do rei Thorin III ou Thorin Elmo-de-Perda (de acordo com algumas fontes, era seu filho)[15], governante de Erebor e das Colinas de Ferro na Quarta Era. Seu nascimento aparentemente foi profetizado na ascenção de Dáin II após a Batalha dos Cinco Exércitos[16] (embora nenhum registro exista sobre essa profecia). Ele liderou o Povo de Durin na recolonização de Khazad-dûm algum tempo depois do começo da Quarta Era e lá eles permaneceram "até o mundo crescer e ficar velho e os Anões minguarem e os dias da raça de Durin chegarem ao fim".[17]

Sabemos que Durin I morreu antes do fim da Primeira Era, então entre o seu reinado e o de Thorin III, os Reis da Linhagem de Durin governaram por um período de aproximadamente 6.500 anos. Assumindo que o tempo médio de um reinado entre os Barbas-Longas tenha sido de aproximadamente um século, pode-se deduzir que tenham existido aproximadamente cinquenta nomes de Reis que não estão nessa lista.

 
 
 
REFERÊNCIAS:
  1. The Peoples of Middle-earth, Boston: Houghton Mifflin, "Of Dwarves and Men".
  2. Day, The Hobbit Companion.
  3. The Peoples of Middle-earth.
  4. The Return of the King, Appendix A, part III.
  5. The Peoples of Middle-earth.
  6. The Return of the King, Appendix A, (III) "Durin’s Folk".
  7. The Peoples of Middle-earth.
  8. The Peoples of Middle-earth.
  9. The Fellowship of the Ring, "The Bridge of Khazad-dûm".
  10. Foster, Guide to Middle-earth, "Durin’s Axe".
  11. Return of the King, Appendix A, Section III.
  12. The Lord of the Rings, A Reader’s Companion.
  13. The Complete Guide to Middle-earth, "Durin II".
  14. The Silmarillion, "Of the Rings of Power and the Third Age"
  15. The Peoples of Middle-earth: "The Making of Appendix A", ‘(iv) Durin’s Folk’.
  16. The Peoples of Middle-earth: "The Making of Appendix A", ‘(iv) Durin’s Folk’.
  17. The Peoples of Middle-earth: "The Making of Appendix A", ‘(iv) Durin’s Folk’.
 
 
FONTES:
http://en.wikipedia.org/wiki/Durin’s folk
http://www.glyphweb.com/ARDA/k/kingofdurinsfolk.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Durin

http://lotr.wikia.com/wiki/Durin

 

Agradecimentos: ALF

Comentários