Guerra dos Elfos e Sauron

Guerra sobre os Anéis de Poder na Segunda Era. A Guerra dos Elfos e Sauron aconteceu em Eriador. Ela durou de 1693 a 1701 da Segunda Era. Sauron sofreu uma derrota
temporária mas apossou-se dos Nove Anéis e de seis dos Sete Anéis.

 

Os Anéis de Poder foram forjados pelos ferreiros élficos de Eregion a partir de aproximadamente 1500. Eles aprenderam as técnicas de forja dos Anéis com Sauron, que os enganou sobre sua identidade. Os Elfos fizeram os Nove Anéis e os Sete Anéis com a ajuda de Sauron. Celebrimbor fez os Três Anéis sozinho, mas utilizou as técnicas que aprendeu com Sauron. Por volta de 1600, Sauron forjou o Um Anel para controlar todos os outros. Os Elfos perceberam que foram enganados e esconderam os outros Anéis de Poder dele.

Sauron ficou enfurecido, e declarou guerra aos Elfos em 1693. Suas forças invadiram Eriador em 1695 e ele se dirigiu para Eregion para capturar os Anéis. Celeborn liderou uma tropa de Eregion para encontrar a vanguarda do exército de Sauron. Reforços de Lindon liderados por Elrond juntaram-se a ele. Mas os Elfos eram minoria contra as forças de Sauron e foram expulsos de Eregion.

Eregion foi conquistada pelas forças de Sauron em 1697. Sauron foi para a Casa dos Mírdain em Ost-in-Edhil onde os tesouros dos ferreiros élficos eram guardados. Celebrimbor tentou impedi-lo, mas foi capturado. Sauron encontrou os Nove Anéis e mandou torturar Celebrimbor até que ele revelasse onde estavam os Sete Anéis. Um dos Sete já fora dado a Durin III de Khazad-dûm, mas Sauron reivindicou os outros.

Celebrimbor se recusou a revelar o paradeiro dos Três Anéis. Narya e Vilya foram mandados a Gil-galad em Lindon, enquanto Nenya fora dado a Galadriel. Sauron mandou matar Celebrimbor e pendurou seu corpo em um mastro como um estandarte à frente de seu exército.

As forças de Elrond tentaram impedir Sauron, mas quase foram esmagadas. Então Durin III liderou um ataque por trás do exército de Sauron, permitindo Elrond escapar para o norte, onde estabeleceu o refúgio Valfenda. Os Anões recuaram para Khazad-dûm e fecharam o portão para que Sauron não pudesse persegui-los.

Sauron adivinhou a localização dos Três Anéis e pretendeu atacar Lindon. Ele invadiu Eriador em 1699, destruindo a terra e matando Elfos e Homens conforme passava por eles. Ele enviou uma força para vigiar Valfenda onde muitos Elfos se reuniram, para evitar que Elrond atacasse pelas costas. Suas forças estavam, portanto, reduzidas quando ele alcançou Lindon.

No Rio Lûn, na fronteira de Lindon, o exército de Sauron foi encontrado pelas forças de Gil-galad e alguns Homens de Númenor. Tar-Minastir, o Rei de Númenor, reuniu uma esquadra em resposta ao pedido de ajuda de Gil-galad, mas ainda não chegara. Os Elfos e Homens defenderam a linha do rio até que finalmente em 1700 a esquadra chegou liderada pelo almirante Ciryatur.

As forças de Sauron foram derrotadas pelas forças combinadas dos Elfos e Homens de Númenor, e os sobreviventes de seu exército recuaram para o sudeste. No Vau Sarn, no Brandevin, as forças de Sauron também foram reduzidas em uma batalha sangrenta. Em Tharbad, reforços se juntaram a Sauron, mas ao mesmo tempo forças de Númenor desembarcaram em Lond Daer, na foz do Rio Cinzento, ou Gwathló, e atacaram por trás.

Na Batalha do Gwathló, em 1701, as forças de Sauron foram completamente derrotadas. Ao mesmo tempo, suas forças que vigiavam Valfenda foram arrasadas por Gil-galad e Elrond. Eriador foi libertada das forças inimigas, mas a terra estava em ruínas.

Sauron escapou com uma força pequena através do Desfiladeiro de Rohan, no extremo sul das Montanhas Sombrias. Ele foi novamente atacado no leste de Calenardhon até que somente ele e seus guarda-costas sobreviveram. Sauron retornou a Mordor e jurou vingança contra os Homens de Númenor.

Fontes:

Thain’s Book
A Sociedade do Anel: "O Conselho de Elrond".
Apêndice B de O Senhor dos Anéis: "O Conto dos Anos" pág. 371-87
Contos Inacabados: "A História de Galadriel e Celeborn"