A Sexualidade dos Elfos – Parte 2

Agora que já compreendemos um pouco da sexualidade élfica do prisma físico, passamos para um estudo um pouco mais agradável, que é a compreensão da busca do prazer élfico.


Assim como nos homens, a sua zona erógena mais sensível é junto ao órgão da reprodução. Isso significa que os cotovelos são o ponto V dos elfos.
 

Durante o ato sexual, o elfo macho retesa os cotovelos e acaricia os cotovelos do elfo fêmea, para que ambos sintam prazer na relação. Além disso, o cotovelo feminino precisa ser estimulado para que as células reprodutoras percebam que vai ser necessária a multiplicação celular em breve, para formar um novo elfo.

Mas, se vocês acham que o prazer sexual élfico se resume a isso, você não pode deixar de dar uma olhadinha no Kama Sutra Élfico, que ainda pode ser encontrado em bibliotecas orientais antigas. Esse livro é proibido para o público em geral, mas consegui, utilizando-me do fato de ser da Equipe Valinor, o acesso ao livro e aqui vou contar alguns segredinhos da arte milenar de fazer sexo élfico.

O despertar da sexualidade élfica

Você está aí, sem nada melhor para fazer, passando o seu tempo na Internet, lendo este texto, com os cotovelos sobre a mesa? Hum, isso pode ser um sinal de que a sua sexualidade élfica está aflorando.

Enquanto se debruça sobre a mesa e lê a Lothlorien, você está estimulando os seus cotovelos. Assim, a atividade de ler textos inúteis na Internet se torna mais prazerosa e você pensa apenas que está achando engraçado ou interessante… Mas não! Você está é descobrindo o seu corpo por meio da masturbação élfica.

Se você é professor e está cansado de ver seus alunos adolescentes debruçados sobre as carteiras, segurando a cabeça entre as mãos, preste atenção neles. Eles estão estimulando seus cotovelos inconscientemente, para ver se tornam a sua aula menos chata.

Se você é um estudante nerd, mané, magrelo e ridículo, que se considera detestado pelos colegas só porque eles o recebem com cotoveladas no corredor, sorria! Você está menosprezando o inconsciente de seus colegas, que apenas estão colocando ao mundo o despertar da sexualidade. Se você é realmente um nerd, mané, magrelo e ridículo, você já leu Freud, e sabe que a sexualidade se deixa perceber por meio desses pequenos sinais. Com as cotoveladas, seus colegas demonstram o carinho que têm por você, ou então o seu desejo sexual reprimido, por você ser superior intelectualmente e não ter vergonha de passar as horas de aula com os cotovelos sobre a mesa (mesmo que você alegue que na verdade fica com os cotovelos sobre a mesa de olhos fechados pensando em encontrar alguma falha no sistema de cálculo para altas velocidades).

Por que as mulheres se preocupam tanto com a textura da pele de seus cotovelos? Ora, para você que está lendo este artigo até aqui, isso já está muito bem explicado. Mas, para aqueles que ainda estão babando sobre o teclado e ainda não tiraram os cotovelos da mesa, acho que vou ter que explicar. Tudo isso é para melhor atrair o macho elfo e incitá-lo ao ato sexual. Afinal de contas, ninguém gosta de receber carinho com uma lixa. Está explicado? (O livro Elvish Beauty Guide traz ótimas sugestões para a solução desse problema.)

E a expressão "dor de cotovelo"? Não é à toa que dizemos isso quando alguém está com ciúme. Dor de cotovelo é originalmente a dor que surge quando um elfo se sente excitado mas não tem a oportunidade de praticar o ato sexual. Depois essa expressão foi tomada pelos homens e incorporada ao seu vocabulário, significando que alguém está com ciúme, não pode fazer algo, foi desprezado ou algo assim. Fora que, sendo o cotovelo o órgão sexual élfico, ele é muito sensível. Uma cotovelada em uma parede, para um elfo, eqüivale a um belo chute no saco de um homem.

Por enquanto, ficarei por aqui. Deixo todos vocês refletindo sobre os sinais da sexualidade élfica em si mesmos. No próximo capítulo, contarei a vocês a verdade sobre a saída dos elfos da Terra-média e como descobrir se o garoto (a) que você está azarando é ou não um elfo (não, nem todos os elfos são parecidos com o Orlando Bloom ou com a Liv Tyler).

Bibliografia

Elvish Beauty Guide, de LÓRIEN, H. de; Lothlorien, 14ª Edição, Ed. Terra-média
Kama Sutra Élfico, de PORTOS, C. dos; Portos Cinzentos, 1.250ª Edição, Ed. Primeira Era

 

Agradecimentos Especiais à primeira e segunda parte deste guia:

Dirhil, Ilyriä, TT1, Gazat-búrz (pelo acesso ao KSE), Ka Bral, Editora Terra-média e Jóta Éle.

Comentários

  1. nossa to sem palavras komu assim???? gente ki loucura e o pior que eu tava com os cotovelos debruçados sobre a mesa lendo isso kkkkkkkkkkkkk