A Floresta de Fangorn

Era o repouso dos Pastores de Árvores. A floresta de Fangorn foi ficando situada na extremidade do sudeste das montanhas místicas, perto da abertura que dava para Rohan. As montanhas deram forma à beira ocidental de Fangorn. Na extremidade da montanha a escala esteve a Construção de Isengard perto do canto do sudoeste da floresta. Ao leste e ao sul de Fangorn estava a terra de Rohan. Lothlórien estava colocada aproximadamente a setenta e cinco milhas do norte de Fangorn.

 

 

floresta_fangorn_01.jpg

 

 
 
A Floresta de Fangorn tem aproximadamente cento e dez quilômetros do norte ao sul e cem quilômetros do leste para o oeste, cobrindo uma vasta área de aproximadamente dez mil quilômetros quadrados. Faz fronteiras com Rohan, Lothlórien  e com o Rio de Nimrodel. Existiam dois rios que fluíam da floresta de Fangorn. Na parte do norte da floresta, o Limlight fluía das madeiras e deu forma então à beira do norte de Rohan antes de chegar e se juntar ao Anduin. No Sul de Fangorn, os riachos dos pastores das árvores começam das inclinações de Methedras, o último pico das montanhas místicas. O rio emergiu de Fangorn e fluiu para o Sul e para o Leste com divisões para Rohan até o Anduin.

As águas dos riachos dos pastores das árvores tiveram propriedades especiais e aumento de crescimento e vigor promovido em coisas vivas para a quem as tomasse, era uma água com um encanto natural, fornecendo energia e até força vital para os que tomasse, apenas os de raças bondosas e que a cima de tudo amassem a natureza e as árvores.

No Sudoeste de Fangorn localizava-se o vale de Bowl Shaped e o vale de Derndingle, onde os pastores das árvores realizavam suas reuniões chamadas Entebates. Abaixo das bordas dos riachos dos pastores das árvores encontrava-se o Salão principal, o repouso principal de Barbárvore, o mais velho de todos os pastores das árvores. Um pouco mais distante do riacho dos pastores das árvores, aproximadamente três a quatro milhas da borda oriental da floresta, havia um monte desencapado com as etapas de pedra que conduzem ao alto onde Barbárvore esteve e olhou para fora sobre as árvores quando fora levar os Hobbits para Isengard. A floresta de Fangorn era densa e coberta, e o ar sentia-se pesado e sufocante. Era tão ofuscante sob as árvores, mais não completamente escura como A Floresta das Trevas, era uma floresta quieta e ao mesmo tempo terrível para os forasteiros, cheia de raiva e ódio com o passar dos tempos e os feitos causados a ela.
 
floresta_fangorn_02.jpg
A Floresta de Fangorn no mundo todo teve uma reputação ruim, como um lugar estranho e perigoso. Por não ser habitado por homens ou elfos. E terem muitas lendas a seu respeito más. Mas embora haviam lugares escuros, a floresta de Fangorn não era um lugar mal e era perigoso somente àqueles que ameaçavam as suas árvores ou a biota que lá vivia, como os Orcs que vinham com seus machados para destruir e queimar tudo o que viam pela frente.

A floresta era a casa de muitos tipos diferentes de árvores e espécies nativas da região, incluindo as árvores cinzas, vidoeiro, castanha, abeto, linden, carvalho, rowan, e salgueiro, algumas árvores que eram ao contrário de todas as outras na Terra Média. Muitas das árvores eram muito velhas e algumas foram penduradas com as costas dos troncos como galhos arrastando-se. Algumas das árvores eram mais acordadas e cientes do que as outras. Além, às árvores ordinárias, haviam também os “Huorns” – árvores ou seres que poderiam andar e falar. Alguns foram dispersados entre as árvores quando as centenas de outras viveram nos vales profundos na floresta de Fangorn.

Os pastores das árvores eram os seres sentinelas grandes que guardavam a floresta e vigiavam as árvores. Guardavam e cuidavam das madeiras, mantendo-as para fora dos desconhecidos e importando-se apenas com as árvores – prestando atenção, treinando, ensinando, e removendo ervas daninhas e de ajuda para a cura e vida. Os pastores das árvores assemelhavam-se com as árvores, mas foram contadas entre os povos livres da Terra Média por habitar apenas as florestas e não se incomodar com os outros povos de fora. Sua raça era a mais antiga da Terra Média, ela fora criada antes mesmo dos Primogênitos de Ilúvatar (os Altos Elfos) nascerem e vierem para habitar os bosques e as florestas que Yavanna criara outrora e que por sua tristeza e mágoa Ilúvatar concebeu os pastores das árvores para cuidar das árvores e das florestas. Três dos pastores de árvores mais antigos residiram na floresta de Fangorn, e os nomes deles eram: Barbárvore, Skinbark, e Leaflock. Os outros dois pastores das árvores de Fangorn eram Beechbone e Quickbeam incluídos. Não havia nenhuma Entesposa em Fangorn, porque tinham saído das madeiras longas para tender os jardins e colheitas ao leste do Anduin e que lá ficaram até sua destruição ou vagaram para mais longe em busca de um repouso melhor, mais isto ninguém sabe dizer ao certo.

 
floresta_fangorn_03.jpg

 
Sem as Entesposa, não havia nenhum pastor de árvores jovem. A floresta de Fangorn era originalmente a parte de uma terra grande que cobria as terras ao Oeste das Montanhas Místicas. Fangorn foi descoberta então como a extremidade do Leste, uma seção da madeira grande que estendeu-se a leste das montanhas. Durante a Segunda Era, a maioria das madeiras foram reduzidas por Homens ou destruídas durante a invasão de Sauron de Eriador e logo mais tarde de Saruman de Isengard. Muitas partes de sua floresta fora desmatada e queimada pelos Orcs e isto só aumentou a raiva e poder dos pastores das árvores para com os Orcs. Para o fim da Terceira Era, os únicos restos de madeiras grandes eram as da floresta velha no norte e a de Fangorn para o sul. Uma vez, a floresta de Fangorn foi conectada às florestas e reservas de Lothlórien por uma área de floresta aberta com as árvores pequenas. Não havia nenhuma beira visível entre as duas florestas, mas Barbárvore e o rei dos Galadhrim de Lothlórien (possivelmente Amdir, pai de Amroth) concordaram que as florestas dos pastores das árvores e a dos elfos teriam que ser separadas. A tempo, a floresta entre as duas florestas residiram. Lothlórien e Fangorn foram divididas de um a outro completamente. No fim da segunda era, e Barbárvore e alguns dos pastores das árvores foram há busca das Entesposas, mas ao chegar lá, seus jardins tinham sido destruídos por forças de Sauron e as Entesposas foram ido a um lugar desconhecido para os pastores das árvores. E os pastores das árvores retornaram para Fangorn cheios de tristeza e mágoa por terem perdido as Entesposas e tornaram-se isolados e esquecidos pelo mundo todo exceto como lendas entre os Elfos e Homens mais sábios. Poucos povos ousaram arriscar-se na floresta de Fangorn. Temiam-na acima de tudo.

Notas do autor: “A Floresta de Fangorn é uma área de proteção permanente fantástica, lá habitara os últimos remanescentes dos pastores das árvores, uma das mais antigas e belas criações de Ilúvatar por amor a Yavanna, é fascinante procurar cada dia mais manuscritos e obter mais conhecimento sobre a Floresta de Fangorn, pelo que consta pouco conteúdo nas obras do nosso amado professor J.R.R. Tolkien. sua vegetação e biota são magníficos e espero terem gostado do artigo que fiz. Agradeço-lhes.”