O Livro Negro de Arda – Capí­tulo 2

Continuamos a publicação da fanfic O Livro Negro de Arda, agora com o Primeiro Capítulo: O Coração do Mundo.
 
 
PARTE PRIMEIRA. O CORAÇÃO DO MUNDO
ASSIM ESTÁ ESCRITO NAS CRÔNICAS DOS FIÉIS

"No início era a palavra; e a palavra pertencia ao Criador…

E disse ele: "Ea! Que as coisas existam!" E surgiu o mundo. E o Único criou o céu e a terra, mas a terra estava deserta e vazia, e sombras pairavam sobre o abismo. Então ele enviou para aquela terra os Ainur, e disse-lhes: "Preparem esta terra para a vinda dos meus Filhos". Mas junto a eles, também foi a Arda o Inimigo do Mundo, Senhor do Escuro, pois ele desejou que Arda se tornasse seu domínio. E ele travou guerras com os Poderes de Arda, e a terra não conhecia paz.

Ele era, no início, o mais poderoso entre os Ainur, e o seu nome era Melkor, Aquele que se ergue em Poder. Mas ele perdeu o direito de ser nomeado assim, e o seu nome não é mais pronunciado em Arda. Ele voltou o seu coração para o mal, e Noldor, os que sofreram mais do que outros com a sua maldade, o chamaram de Morgoth – o Inimigo Escuro.

E ele pensava, insignificante, que o pensamento de Ilúvatar, o Criador de Tudo o que Existe, abandonou o mundo, e que não haverá retribuição para os feitos malignos dele. Mas não era assim, pois o espírito do Único pairava sobre o mundo e nada estava oculto dos olhos de Ilúvatar. Por isso, preocupado com o destino de Arda, Único enviou ao mundo um Poderoso Ainu, em auxílio aos outros. O nome dele era Tulkas, e os Grandes chamaram-no de Ira de Eru. E pela ordem do Rei do Mundo, Vala Manwë, Tulkas confrontou o Inimigo e o derrotou, e o Inimigo foi expulso do mundo e permaneceu no Vazio por muito tempo, não se atrevendo a retornar.

E hoje, em glória ao sábio Manwë, cujo rosto brilha com a luz da benevolência do Único, nos chamamos o primeiro dia do Mundo de Dia de Manwë, o dia em que o Escuro foi expulso do mundo.

E Ulmo – Senhor das Águas, criou os mares e os oceanos, e domou a selvageria das águas de Arda. É o nome dele que o segundo dia da Criação leva. Aulë, o Grande Ferreiro, domou o corpo de Arda, e criou montanhas e vales, e confinou as chamas que queimavam o mundo sob a terra. Aquele era o terceiro dia, e ele leva o nome de Aulë. Yavanna, esposa de Aulë, plantou as sementes das ervas e das plantas, para que florestas crescessem em Arda – alegria para os olhos do Criador. E era o dia de Yavanna – o quarto dia. E Aulë forjou as Lâmpadas dos Valar, e a Varda, Senhora das Estrelas, as preencheu com Luz. E o quinto dia recebeu o nome de Varda, Aquela que traz a Luz. E árvores se ergueram em Arda, e acordaram ervas e flores. Então Oromë, o Caçador, levou para o mundo os animais, e eles vagavam pelos vales e sob as cúpulas das florestas. E o sexto dia da Criação foi chamado de dia de Oromë.

Assim foram feitos a terra e o céu e todo o seu exército.

E os Valar olharam para o mundo e viram que isso era bom.

E até o sétimo dia, eles concluíram todos os trabalhos que eles estavam fazendo; e admiraram a beleza do mundo, e seus corações se alegravam. E o Único estava bastante contente. E no sétimo dia, então, Manwë convocou os Valar para um grande festejo na ilha de Almaren, e os Poderes descansaram dos seus trabalhos".