Da Criação dos Anões

Dos braços de Aüle
A muito, forjados
Em seu impeto ancioso
Foram todos desejados
As escuras criados
Nas entranhas de Eä
Com força e com brado
Surgiram então, sete eram eles
Os Senhores dos Anões
Mas dos desígnios de Eru
Foram eles ocultados
E em grande misericórdia
Um a um foram poupados
Das lágrimas de Aüle
Da dor da submissão
O amor os salvou com uma condicao
Esperariam adormecidos dentre escuridao
Os filhos de Ilúvatar que breve virão.
Eldar se chamavam os primeiros de Eru
Que em sua grandesa os fez despertar
Eis que mais tarde surge afinal
no coracao das montahas filhos de um imortal
Uma nova próli vinda de um vala
Fortes e Valentes a qual Eru não quis calar
Resistentes e bravos tão pouco houve antes
Seres tão destemidos e tão inconstantes
Assim foi que entre rochas e pedras os anões
Acordaram após muitas eras…
 

Comentários

  1. Essa poesia é minha…
    Eu postei a alguns anos atrás na Lothlórien, por que está aparecendo em nome de ungoliant ???