Análise dos Personagens – Parte 1 – Valar e Maiar

Bem gente… Diferente dos textos de normalmente, vou fazer nas próximas semanas algo mais analítico. Como são muitos personagens, vamos por partes:

Eru Ilúvatar – Ok. Esse aí é Deus. Fica difícil de zoar, eu sei. Mas de qualquer forma, pior seria se não fosse citado, então posso pelo menos fazer a ressalva que, se foi ele que criou tudo, poderia ter feito um trabalho melhorzinho. Bastava fazer os personagens que a seguir serão citados serem menos idiotas, babacas ou de sexualidade suspeita.

 

Manwë – O Rei de Arda… pff… Um mané, isso sim! Fala sério! Qualquer coisinha que acontecia de ruim o cara ficava calado no trono pensando. Duh. O cara não é o representante de Ilúvatar na Terra? Bastava chutar o balde e parar com toda a bagunça. Mas nãããããão… Ele preferia ficar triste com os problemas em Arda e não levantava o traseiro gordo pra nada. Mané! Melhor definição impossível! E ainda há aquela brincadeirinha já citada na minha coluna anterior, onde percebemos que Manwë lida com os ventos porque já é meio fresquinho.

Aulë – Esse aí até é legalzinho e tal. Foi meio rebelde, criou os anões. Mas poxa… Tudo bem que ele queria criar algum ser por causa da ansiedade pela chegada dos Primogênitos. Mas não podia caprichar mais? Não é por nada não, mas se era pra criar um monte de baixinho narigudo e feio, cuja raça atribui barbas até nas fêmeas(!!!) antes tivesse desistido. Podia arrumar outra distração antes dos elfos… Sei lá… Tanta terapia ocupacional por aí. Até um tricôzinho servia.

Melkor/Morgoth – Esse aí dá até pena coitado. Errou na entrada e na saída. Já começou tentando aparecer dizendo que era Rei de Arda, e tomou um sarrafo inesquecível dos outros Valar. Depois ficou obcecado pelas jóias de Fëanor. Francamente, é muita boiolice armar tanto barraco por causa de três pedrinhas, sendo que graças a elas, quase apanhou de uma aranha. Somando ainda o sufoco que levou de Fingolfin, e a humilhação após a Guerra da Ira, Morgoth garante sem dúvida o papel de personagem mais mané de Arda.

Nienna – Convenhamos, uma pessoa que só fica chorando e se lamentando o tempo todo é um saco. Quando é uma Valië, a situação é ainda mais patética. Será que um ser tão poderoso não tem como arrumar forças pra encarar os problemas de Arda e simplesmente seguir em frente? Pô… Na pior das hipóteses basta ela pedir pra Yavanna criar em Aman um campo para cultivo de cevada. Aulë criaria a maquinaria. Pronto, ela teria cerveja eterna, para espantar as mágoas. Se bem que o problema dela é outro. Já repararam que ela não tem marido? Exato! O grande problema de Nienna é falta de macho. Nem tem desculpa que tá em falta, já que tem um Vala como Ulmo nas redondezas, que inegavelmente é um partidaço. Se Ilúvatar tivesse uma irmã, poderíamos dizer que Nienna ficou pra titia.

Mandos – Não há dúvida de que ele tenha estilo, com toda aquela pose de profeta conhecedor de muitas coisas e Senhor dos Mortos. Mas bem que podia ser menos chato e pessimista. Um bate-papo com o cara é suficiente pra deprimir qualquer um. Afinal, que tipo de assunto ele tem pra discutir? A vida dele se resume a falar que tudo vai dar errado, ou comentar os seus vizinhos, os defuntos. Se ele ao menos tentasse ser mais extrovertido, organizar umas festinhas ou algo do tipo, certamente ele ia mudar essa imagem dele.
{mospagebreak}
Quanto aos outros Valar, vamos deixá-los de lado. Não que eles sejam livres de defeitos, mas são tão desinteressantes e inócuos que não vale a pena gastar palavras pra falar deles. Já os Maiar…

Sauron – Pra começar, o poderoso Senhor dos Anéis. Poderoso? Que nada… Só conseguiu se destacar depois que o chefinho se deu mal e os Valar pararam de se importar com a insignificância da Terra-Média. Não entrando no mérito sobre a forma física dele na Guerra do Anel(eu considero que ele tinha), mas já que alguns alegam que ele era um olho flamejante, é irresistível usar isso como mais uma prova da imbecilidade desse personagem. Dentre todas as formas possíveis, pra que se transformar num olho pegando fogo flutuando por aí? Essa frescura toda é mais fácil do que criar um corpo normal? Ou é viadagem dele mesmo? Considerando que ele teve o anel queimado, a segunda opção é a mais aceitável.

Gandalf – Precisamos dizer algo? Além de ser um pedófilo adorador de pequenos(como vimos nessa coluna há alguns meses), nosso bom Mithrandir também tinha um peculiar vício por erva de fumo. Não é à toa que Saruman(no filme) teve razão ao dizer que a erva tinha nublado o raciocínio dele. Pelo menos não se pode dizer que ele negou fogo perante o Balrog(ok, piadinha infame).

Saruman – Dentre todos os atos inúteis e imbecis desse traidor, destaca-se a criação dos uruk-hai. Pra que? Só pra resistirem ao sol? Se ele tentasse fazer que os orcs fossem mais inteligentes e habilidosos, até tudo bem, mas do que adianta eles maiores e mais resistentes? Do jeito que são burros vão levar a mesma surra que os outros tipos de orc. Mas como querer que ele seja inteligente, já que nem foi capaz de criar um sistema de drenagem pra Isengard. Já imaginaram a cara de imbecis dos Ents caso aquela água toda fosse drenada? Acabou que ele teve um dos finais mais patéticos que um personagem poderia ter, totalmente decadente. Não manteve a calma e perdeu a cabeça(essa foi mais infame que a do Gandalf), terminando sem um uruk-hai pra contar história.

Melian – Tem gente que reclama quando se fala da inteligência reduzida do sexo feminino. Mas o que dizer quando uma maia poderosíssima abre mão de todo seu esplendor pra casar com um mané babaca como Thingol? Pra que ser rainha de uma floresta de elfos saltitantes, quando se podia ser uma semideusa sem compromissos, podendo se divertir por todas a imensidão de Arda? É a típica Amélia, que parece gostar de se ferrar.

Eönwë – Não há muito do que se falar deste, considerado o maior dos Maiar. Apenas há de se convir que ele foi muito otário em não conseguir guardar direito as silmarilli, permitindo que Maedhros e Maglor as roubassem. Cadê a habilidade em armas de que se fala? Se acorvadou perante dois elfos decadentes?

A lista ainda é longa, e continuará nas próximas semanas. Aguardem!