Avarin – Todas as Seis Palavras

 "Os Avari eram aqueles Elfos que permaneceram na Terra-média e recusaram os chamados dos Poderes; mas eles e suas muitas línguas secretas não se relacionam a este livro", Tolkien escreveu numa versão antiga do Apêndice das linguagens que ele estava preparando para O Senhor dos Anéis. Isto significaria que alguns Avari deliberadamente desenvolveram ou mesmo construíram novas linguagens para o propósito de segredo? Mas algumas línguas Avarin eram evidentemente similares às dos Eldarin: Felagund rapidamente interpretou a língua do povo de Bëor, e uma razão pela qual ele foi capaz de fazer isto era que "aqueles Homens há muito tinham relacionamentos com os Elfos Escuros do leste das montanhas, e deles aprenderam muito de sua linguagem; e uma vez que todas as linguagens dos Quendi eram uma na origem, a linguagem de Bëor e seu povo parecia-se com a língua Élfica em muitas palavras e construções" [Silmarillion Cap. 17]. De fato, é dito que "no Norte e oeste do Antigo Mundo [os Homens] aprenderam línguas diretamente e completamente construídas dos Elfos que eram amigos deles em sua infância e viagens iniciais", e Faramir mesmo falou que "todas as falas dos Homens neste mundo é Élfica em descendência". No dias iniciais, esta influência Élfica nas línguas dos Homens poderiam vir apenas do Avarin.

 

Mesmo os Anões parecem ter emprestado algumas poucas palavras dos Elfos não-Elda, provavelmente muito antes de terem encontrados os Eldar em Beleriand. No "The War of Jewels", Tolkien fala que "o nome dos Anões para os orcs, Rukhs plural Rakhâs, parece ter afinidade aos nomes Élficos, e possivelmente, no final das contas, derivado do Avarin". É dito que as línguas Avarin [assim como nas línguas dos Eldar], existem muitos derivativos da raiz primitiva RUKU, a fonte das palavras Quenya e Sindarin para "Orc". 

O interesse de Tolkien repousa no braço Eldar da família de línguas Élficas, e parece que ele deixou as línguas Avarin virtualmente inexploradas. As únicas formas Avarin que são citadas em material publicado, e muito possivelmente todas as formas Avarin que Tolkien mencionou, são seis descendentes do primitivo kwendî [de onde o surgiu o Quenya Quendi] que estão listado no "The War of Jewels": Kindi, cuind, hwenti, windan, kinn-lai, penni. [É dito que descendentes do primitivo kwendî eram "frequentemente encontrados" nas línguas Avarin]. Estas formas Avarin é dito serem "citadas pelo [Eldar] Mestres da Sabedoria", que evidentemente tinham algum interesse científico nas línguas Avarin. Cada uma destas formas pertence a uma língua Avarin distinta, então deveriam existir pelo menos seis destas línguas, e provavelmente muitas mais [de acordo com "The War of Jewels", os dialetos Avarin "eram numerosos, e freqüementente tão separados uns dos outros quanto estavam das formas Eldar de fala Élfica"]. Estas palavras Avarin atualmente não significam exatamente o mesmo que seus cognatos Quenya Quendi, ou seja "Elfos em geral". Eram os nomes que os Avari davam a si mesmo. Lembra Tolkien, "Eles evidentemente continuaram a se chamar *kwendî, "o Povo", se referindo aos que foram embora [ou seja, os Eldar] como desertores."

Pela comparação das formas que Tolkien menciona da forma primitiva *kwendî podemos ver apenas relances das mudanças de som que o Avarin deveria ter:

- Kindi perdeu o w e mudou o e para i, talvez por assimilação da terminação plural -i, que também nos conta que a vogal final original tornou-se curta [como em Quenya; ver também hwenti e penni abaixo].

- Cuind [seria significativo que o Tolkien usou c e não k?] tranformou a semi-vogal original w em uma vogal completa u. A terminação original foi perdida. Seria o i apenas uma forma tardia da vogal original e, ou seria um infixo de plural [talvez algum tipo de mutação vocálica causada pela terminação -î antes que se perdesse?]. Poderia o singular ter sido *cund??? [< *kuend < *kwend < kwende?]

- Hwenti mostra as mudanças kw > hw e d > t, e o -î original longo e final tornou-se um -i curto [como em kindi acima e penni abaixo]. Se hw denotar o mesmo som que em Quenya [w mudo, como no Inglês wh em dialetos onde which é audivelmente distinto de witch], este hw pode ser o produto de [x] [como o Alemão ach-Laut] em contato com o [w]. Talvez este ramo do Avarin tenha tornado as paradas mudas em aspiradas, como [k] > [x], e tornada mudas as paradas sonoras originais, como [d] > [t].

- Windan perdeu o k inicial original, tornou e em i e aparentemente reforcou o -e original do primitivo kwende para -a. Esta língua Avarin para ter introduzido uma nova terminação plural -n, não diretamente derivada do original -î. É provavelmente derivado do elemento plural -m que ocorria na linguagem primitiva. Alguns dos casos Quenya também mostram o plural -n, como no caso da terminação plural locativo -ssen; este também deve ter vindo do -m primitivo;

- Kinn-lai pode vir de uma língua Avarin bastante próxima àquela que tinha a forma kindi [ver acima]; percebemos a mesma mudamça kwe- > ki. Aqui também temos a assimilação nd > nn. O último elemento lai certamente não é derivado da terminação primitiva plural -î. De preferência deve ser relacionado ao Quenya lië "povo", então "kinn-povo". A raiz LI, a fonte do Quenya lië, pode ter produzido lai por infixação do A [bem atestada na linguagem primitiva].

- Penni é uma forma que foi selecionada como especialmente interessante por Tolkien. Ela mostra a mesma mudança kw > p como no Telerin Comum [de onde vieram o Sindarin e o Telerin de Aman], sugerindo "que ela já ocorria entre os Lindar [Teleri] antes da Separação". De outra forma, vemos a mesma assimilação nd > nn como em kinn-lai, enquanto um descendente da primitiva terminação plural -î continua presente, embora tenha se tornada curta como em kindi e hwenti. Tolkien nos informa que "a forma penni é citada como vindo da fala dos "elfos-da-floresta" do vale de Anduin".

De qualquer forma isto é muito pouco. O nome do Elfo Negro Ëol, que não pode ser analisado, pode ser Avarin. É dito que embora os clãs originais continuem sendo lembrados entre os Avari, "não existe registro deles usando o nome Ñoldo [ou seja, qualquer descendente direto do primitivo ñgolodô] em quaisquer forma reconhecível de Avarin".

Aqueles que desejam ocupara-se em "ficção de fã" pode começar construindo as línguas Avarin às quais as palavras Kindi, Cuind etc pertencem, derivando do Quenya Primitivo de Tolkien.