Del Toro revela detalhes sobre Smaug e O Hobbit

Um repórter da revista The New Yorker conversou com o diretor Guillermo Del Toro em sua casa, em Los Angeles, onde o mexicano revelou detalhes sobre o dragão Smaug e O Hobbit, da época que ainda era o diretor dos filmes. No extenso artigo, o diretor ainda fala sobre outros monstros de sua preferência. Abaixo, segue o resumo com as principais informações do interesse dos fãs de O Senhor dos Anéis e O Hobbit.
Atenção aos possíveis spoilers!

_________________________________________

Pairando sobre a porta de entrada [da casa] há uma enorme pintura contemporânea de São Jorge e o Dragão, do pintor russo Viktor Safonkin. A originalidade do dragão de Safonkin: tudo cauda e sem corpo, enrolado em volta do cavalo de São Jorge como uma enguia gigante. Dragões, ele [Del Toro] me disse, eram seus “animais mitológicos favoritos”, e ele finalmente chegou ao projeto de um: Smaug, de “O Hobbit”, de JRR Tolkien.

Del Toro, com sua estética ornamentada, não era a escolha mais óbvia para acompanhar [Peter] Jackson, que em sua trilogia tinha colocado personagens mitológicos de Tolkien em paisagens realistas. Como Del Toro disse, Jackson teve de reconstruir a batalha de Gondor com a mesma exatidão que a Batalha de Gallipoli. Del Toro descreveu seu próprio estilo como mais “operístico”. Falando de Tolkien, disse: “eu nunca fui um fã louco da trilogia do Anel. O Hobbit, acrescentou, é muito menos ‘preto-e- branco’. Os monstros não são apenas maus. São charmosos, engraçados, sedutores. Smaug é um cara incrivelmente inteligente”. Del Toro depois disse que ele, inevitavelmente, impôs a sua sensibilidade sobre o material original: “É como se casar com uma viúva. Você tenta ser respeitoso com a memória do marido morto, mas vem a noite de sábado e… bam!”

Ele me disse que em cada um de seus notebooks há “um projeto de arte em si”. Ele abriu o notebook atual, que inclui esboços de “O Hobbit”. Fiz uma pausa no que parecia ser uma imagem de um machado duplo medieval. “Isso é Smaug”, Del Toro disse. É uma visão de cima: “Olha, ele é como um machado voando”. Del Toro acredita que monstros devem aparecer transformados quando vistos de um ângulo novo, para que o público não perca o sentimento de temor. Definir silhuetas é o primeiro passo no projeto de um bom monstro, disse. “Então você começa a jogar com o movimento. O próximo elemento do projeto é a cor. E então, finalmente, chega-se aos detalhes. Um monte de gente faz o caminho contrário, e vai acumulando um monte de detalhes”.

Smaug, por J. R. R. Tolkien

Atentei-me para uma imagem lateral do dragão. O corpo de Smaug, como Del Toro tinha imaginado, era anormalmente longo e fino. Os ossos de suas asas são ligados a parte dorsal do corpo, a lateral, dando a criatura uma suavidade escorregadia em toda a sua barriga. “É um pouco mais parecido com uma cobra”, disse ele. Pensei em sua grande pintura russa. Del Toro tinha escrito que a besta voaria “como um pássaro aquático”.

As pernas dianteiras de Smaug pareciam desproporcionalmente pequenas, como os de um T. Rex. Isso permitiria ao dragão assumir um aspecto diferente em close-up: a câmera poderia capturar os gestos e expressões faciais em um quadro fechado, evitando distrações com as asas e cauda. “Smaug é um dragão volúvel e manipulador; uma personalidade avassaladora”, é comoTolkien o descreve. “Os olhos de Smaug” Del Toro acrescentou,  “são escondidos”. Isso dá à criatura um drama adicional quando Bilbo o acorda de seu sono.

Del Toro queria ser criativo com o posicionamento das asas. “Desenhos de dragões podem ser divididos basicamente em dois tipos”, explicou ele em um ponto. “A maioria têm asas presas em cima dos membros dianteiros. A outra variação é a anatomicamente impossível criatura de seis membros”, ou seja, de quatro pernas como um cavalo, com dois outros braços alados. “Mas não há grande criatura na Terra que tenha seis membros!” Ele fica frustrado com desenhos de dragões que seguem estas fórmulas. No computador há um modelo descartado. “Agora, isso é um dragão que você já viu antes”, disse ele. “Eu só coloquei essas pernas de ‘samurai’. Mas isso não funciona para mim”.

O design de produção de Del Toro para “O Hobbit” parecia ter a intenção de evitar as coisas que os espectadores tinham visto antes. Enquanto que as paisagens de Peter Jackson foram enquadradas num céu azul-celeste da Nova Zelândia, Del Toro planejou empregar “a substituição do céu” digitalmente para um com “efeito de pintura”. Em vez de filmar em uma floresta totalmente real, ele queria filmar em meio a árvores artificiais que imitariam os “desenhos no livro de Tolkien”. Também vi muitas criaturas que não existem no livro de Tolkien, como um troll blindado que se enrola numa bola de placas de metal. Del Toro disse que seria chato fazer uma adaptação literal e servil do livro.

Dragões, por J. R. R. Tolkien

Mesmo os personagens principais de “O Hobbit” têm a marca Del Toro. Em um esboço, o anão Thorin é representado na batalha, e usa um capacete surreal que parecia brotar chifres dele. “Eles são como espinhos, seu nome é Thorin, afinal”, disse.

Ele estava convencido de que havia deixado “O Hobbit” por vontade própria, mas sua fala parecia cuidadosa. “O aspecto visual estava sob o meu controle”, disse. “Não houve interferência nessa parte da criação”. Em colaboração com Jackson e dois roteiristas [Fran Walsh e Felippa Boyens], Del Toro tinha terminado os projetos para as Partes 1 e 2. Mas as revisões finais ainda deveriam ser feitas. No entanto, durante a revisão final, divergências profundas surgiram entre Del Toro e Jackson sobre a escolha de cenas que deveriam ficar. “Eu saí antes de entrarmos em um impasse”, disse o diretor. Perguntei-lhe se tinha havido uma tensão criativa. “Na Weta, disse ele, o atraso da produção deixou todos ansiosos, e não podia distinguir entre uma tensão real e uma tensão artificial.”

Revelou que houve desconforto sobre sua concepção de Smaug. “Eu sei que isso não era algo popular”, disse ele. Admitiu que chegou com várias inovações audaciosas. “Oitocentos anos desenhando dragões”, referindo-se aos chineses, “e ninguém pensou isso!”, Mas acrescentou que ele não poderia discutir, porque o projeto não era uma propriedade intelectual sua. “Eu nunca trabalhei com muito segredo”, ele disse sobre seu tempo na Weta.

Agora, a parte mais difícil é “fazer às pazes com o fato de que alguém vai ter controle de suas criaturas, o seu figurino, e alterá-lo ou rejeitá-lo, ou usá-lo. Todas as opções são igualmente dolorosas”, disse e acrescentou: “As coisas que eu deixei para trás são absolutamente lindas. Eu sou absolutamente apaixonado por elas”.

De repente, ele ficou animado, acenando com as mãos no ar como um maestro: “Nós criamos uma exposição grande nas últimas semanas, em preparação para uma visita ao estúdio. Eu tinha uma palheta de cores do filme: havia passagens em tons verdes, azuis, carmesim, uma passagem dourada. Em Tolkien, há uma passagem clara de estação para outono, inverno, verão e primavera na viagem. E eu pensei, ‘eu não posso simplesmente ficar em quatro movimentos em dois filmes. Vai tornar-se monótono’. Então pensei em organizar o filme dessa forma, e você tem a sensação de entrar em oito estações. Assim, uma determinada parte do filme foi feita em preto e verde, uma determinada parte em vermelho e dourado, e quando colocamos tudo em uma grande sala, nós tínhamos todos os figurinos, os adereços, todos os códigos de cores, arte e etc. . Quando você olhava, via que lindo arco-íris era, e você poderia entender que havia uma bela transição”. Seu esquema, provavelmente, será abandonado, ele disse mais tarde: “Não há muito mais o que fazer. Isso é o que sinto”.

Ele me lembrou que o subtítulo de “O Hobbit” é “There and Back Again” [Lá e de Volta Outra Vez], e disse: “houve um momento no roteiro, e eu não sei se ele vai sobreviver ou não, onde ficou claro que o objetivo da viagem era para Bilbo saber que o que ele quer, na verdade, é estar em casa, ou seja, ‘eu sei qual o meu lugar no mundo’. Para mim, minha viagem à Nova Zelândia foi assim”.

Fonte: The New Yorker

Comentários

  1. (É tão estranho ficar olhando notícia velha…)

    Também acho que deve ter sido melhor a saída do Del Toro, mas não posso negar que a ideia das Estações destacadas me interessaram. E quanto a não seguir fielmente os livros, ‘relativamente’ gostei do Peter Jackson, porque foi aquele Gandalf, aqueles “hobbits tolos”, aquelas paisagens todas que me levaram a ler os livros, que eu passei a saber que existiam só à partir daí. E foi a diferença entre PJ e Tolkien que me fez gostar tanto de Tolkien !

    Valeu, Peter Jackson !

    ……teve algum engraçadinho aí que falou mal do Tom Bombadil! Sorte que tenha sido no ano passado!

  2. Reclamam quando os filmes não seguem a visão dos livros e, ao mesmo tempo, reclamam quando é proposto um dragão-serpente, contudo na visão de Tolkien tais criaturas eram dessa forma! Uma pequena incoêrencia, não!?

  3. […] aguardado personagem. Em uma entrevista dada pelo ex-diretor de O Hobbit à The New Yorker (veja: Del Toro revela detalhes sobre Smaug e O Hobbit),Guillermo Del Toro revelou que sua visão do personagem para os filmes seria exatamente esta, e […]

  4. Não vejo necessidade de começar do zero a aparência dos cenários, dos personagens, de tudo, de uma obra tão bem detalhada.
    Parece que o del toro queria fazer uma releitura do tolkien.
    É tudo tão orgânico, real, bem descrito.
    O trabalho não é criar, é tornar realidade.
    Dei graças a deus com a saída do Del Toro.

  5. Em relação ao Smaug:
    Concordo que ele tenha um formato, digamos assim, delgado. Não prescisa ser uma cobra, mas acho que um… calango com asas ficaria bom :D com um rabo comprido. O próprio Tolkien desenhava ele assim, fino.

    1. Axei o desenho de Smaug de Del Toro muito infantil, o visual precisa ser mais agressivo e ao mesmo tempo charmoso, principalmente a cabeça. Como Armeuj disse, há vários bons desenhos. Como esse de John howe, que eu considero o melhor pintor/interprete
      de Tolkien: http://www.john-howe.com/portfolio/gallery/details.php?image_id=4

      Acho que se basear nos Dragões chineses é besteira, pois pelo que eu sei eles são bonzinhos, concedem desejos, e os desenhos de Dragões chineses aplicam essa idéia, que não tem nada a ver com Smaug.

  6. HEY!!! Não ofenda o Gandalf! (Eu gosto do cabelo dele,E do Cano de PVC!,Ele naõ tem culpa do PJ ser Doido!!)
    Olha,eu ffiz o movimento inverso,como vc disse.Vi primeiro os filmes,Depois li os livros.E me apaixonei tanto por um como pelo outro.Concordo contigo que o Pj devia deixar tudo bonitinho como nos livros e realmente também não entendo as alterações,mas Retorno do Rei não ganhou ONZE OSCARS por nada! è uma obra-prima!
    Ok,críticas como a sua sempre são boas,mas os filmes tem seus méritos.Ninguém gostou do Glorfindel ter sido trocado pela Arwen,ou do Tom Bombadil ter sumido do mapa (Apesar de eu ter gostado,porque, vai ter cara mais irritante do que esse!),ou,como eu,de Radagast também ter sido sugado pelo vácuo do infinito (Radagast é cupincha do Gandalf,bolotas!Ele tinha,TINHA,que aparecer!Pelo menos,TALVEZ,haja um Radagast agora…),mas vai dizer que não houve algumas cenas que empolgaram você? Até hoje eu fico doidinha quando vejo a cena do Balrog,ou a cena dos Rohirram gritando “MORTE!!” (Essa ainda faz minha mãe se debulhar em lágrimas).Cada um dos livros e dos filmes tem seu brilho especial,eu não tiro o mérito deles.E o PJ pode ter todos os defeitos (Incluindo uma Úlcera fora de hora),mas ainda éum grande diretor.Eu quero,MUITO,ver O Hobbit,nem que ele me dê outros MIL desgostos.Afinal,caro Douglas,Tolkien ainda é Tolkien,mesmo com o Pj no meio ^^

    1. Hmn… citar a cena do Balrog não vale!
      Os filmes são espetaculares em vários quesitos, mas conseguiram fazer uma adaptação da estória para o enredo que, em minha opinião, foi desastrosa. É claro que os filmes me empolgaram. Nunca vou me esquecer de quando fui ver O Retorno do Rei, então com 15 anos, aguardando junto a meus amigos para assistir, meu amigo barba ruiva correndo que nem um louco porque ele tinha que ser o primeiro, e depois brigando com o restante que não conseguiu acompanhar sua investida. Uma de minhas melhores lembranças. O elenco é sensacional, a fotografia, os efeitos especiais, além da arte ter sido, em parte, de John Howe, o artista que mais gosto quando se fala em Tolkien.
      Mas os desgostos, esses no final acabaram por prevalecer. Principalmente em O Retorno do Rei. Até hoje eu não consigo entender: como um comandante, no caso Aragorn, abre mão de um exército fantasma invencível ao enfrentar Mordor? PJ já havia decidido que era melhor levar os fantasmas até Minas Tirith ao invés de deixá-los no porto,então por que não até Mordor? Eu não consigo entender. Foi ridículo a cena dos fantasmas “varrendo” como um vento os inimigos. Ainda mais quando a batalha durou até o entardecer e em muitos momentos o resultado era incerto.
      Eu sei que no final das contas nunca mais quis assistir, mesmo meu irmão tendo o maldito box da versão estendida. Eu prefiro minha VHS do desenho que aborda A Sociedade do Anel e As Duas Torres do que a versão do PJ. Em questão de adaptação, na minha opinião é claro, SdA só não perde para Tróia e Dragonlance, mas isso seria impossível.
      E, é claro, Tolkien sempre será Tolkien, mesmo que o enredo fosse adaptado por um produtor de novelas mexicanas XD

      1. GAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARHG!
        Você gosta do desenho? AQUILO é que é um horror!
        A cena dos fantasmas…Hum…Você tem um ponto ae,mas a versão estendida é o que há, Amigo! Melhoraram uma coisa que já era ótima! Ok,vou entregar.Meu personagem favorito é o Gandalf,ok? eu realmente acho que o que me importa mais nos filmes (ou nos livros) é a parte referente á ele.Sério,nunca liguei muito pras cenas do Aragorn,e eu adorei a cena dos fantasmas! Tá certo que seria guerra ganha se ele tivesse levado o exército de ghosts até Mordor,mas eles já tinham cumprido o juramento,ia ser injusto com os caras continuar forçando-os a lutar!
        E Como meu favorito é o Gandalf,eu REALMENTE não tenho o que reclamar.Até um ano atrás,quando eu não tinha a versão estendida,eu odiava o PJ igual a você,porque ele cortou fora Uma das melhores cenas do Gandalf (Vs o Witchking).Mas,eu comprei a versão estendida e melhoraram a maioria das cenas dele! Pra mim tá bom demais.E quanto a fidelidade ao livro,velho,ue li os três DEPOIS que eu vi os filmes,por PURA CURIOSIDADE.Eu amo o primeiro livro,e achei uma pena não terem filmado certa cenas (tipo aquela em que eles enfrentam uns lobos pouco antes de chegarem em Moria e o Gandalf bota fogo numa floresta),mas eu nunca cobrei muito do PJ a fidelidade.Filme é filme,livro é livro,um pouco de fidelidade que seja já tá bom pra mim.Muitas cenas eu simplesmente adoro,incluso as que não estavam no livro (ah vai,eu dei uma SONORA garagalhada quando o Gandalf espancou o Denethor.E também ADOREI o exorcismo do Theodén…apesar de muita gente odiar essa cena,mas eu amo o Gandalf,todas as cenas dele pra mim ruleiam <3).eu não tenho REALMENTE o que reclamar.
        Agora,quanto ao Hobbit…Bem,este eu não queria que o PJ alterasse muito.Tipo,o Gandalf tá BEM mais sarcástico nesse livro,e se o PJ tentar transforamar o Gandalf no Mártir abnegado que ele transformou na Trilogia,vai…meio que estragar meu favorito.E se ele fizer isso,É SEM PERDÃO.E o Smaug,estou realmente com medo de como ele vai ficar…Mas,tô torcendo pelo melhor,você devia tentar também ^^

        1. Ok, eu vou torcer também. Mas se o Beorn se transformar em um gorila… A questão dos fantasmas é que eles não deveriam estar no Pellenor. Eles ficam em.. Lebennin? De qualquer forma, eles não chegam à Minas Tirith.
          Talvez a idade tenha pesado em mim, e eu tenha me transformado em um velho rabugento em plena adolescência, mas eu não gostei do que o sr. PJ fez. Na verdade, acredito que o que um autor escreve faz parte do seu tempo… pode parecer um pouco confuso, isso faz mais sentido em História, mas vale também para ficção. Ainda mais se tratando de Tolkien. Não fosse ele, provavelmente o mundo da alta fantasia seria totalmente diferente do que conhecemos hoje. Não teríamos Dragonlance, Wheel of Time, A Song of Ice and Fire, entre outras séries. Então, acredito ser injusto para com o autor, e a estória, o que foi feito. Mas é algo pessoal, o meu irmão ama esses filmes, eu os odeio. Cortar cenas é compreensível, embora seja extremamente aceitável que se discuta quais deveriam ou não terem sido cortadas. Mas daí a alterar a estória, o caracter dos personagens… é complicado.
          E o que dizer do pobre Denethor? Ele sabia que mais cedo ou mais tarde Sauron assaltaria Minas Tirith e seria o fim de Gondor. Mesmo assim não se entregou e, mesmo sem esperança, combateu como pode. O peso da responsabilidade, assim como o desespero, fizeram-no enlouquecer. No filme ele parece um grande idiota, que caiu sentado em um trono, e não um grande homem que por anos combateu como pode. Não foi Gandalf quem acendeu os faróis! A cidade não estava abandonada, defendeu-se como pode. Até as vestimentas dele no filme não fizeram jus ao personagem. O cara DORMIA em sua armadura, e não em uma manta de veludo, ou seja lá o que for aquilo retratado na tela. Ele também comia o que a guarda comia, e não ficava se lambuzando com quitutes enquanto jovens hobbits cantavam em seus salões XD
          Gostando ou não do diretor, é óbvio que eu vou assistir ao Hobbit. Concordo com você a respeito do bom e velho Gandalf. O Gandalf em O Hobbit é totalmente diferente. A obra é alegre em sua grande parte. Não teria nada a ver ele batendo o cajado no chão em frente a toca e gritando para os anões que eles não podem passar! Só espero que PJ tenha em mente que o papel dele é dirigir, e não criar um clássico, pois para isso ele estará mais de meio século atrasado.
          Quanto ao desenho, depois de um tempo você acaba acostumando, cria um certo afeto. Quando comprei eu queria jogar a fita pela janela. Depois fui apreciando. Os cavaleiros negros ficaram muito legais, pelo menos para a época. Deixou marcas XDDD

          1. O Desenho deixou maracas em mim,MARCAS TERRÍVEIS!! Uma vez vi um video no youtube,Gandalf cantando (SIM,cantando) assim: “One Ring to rule them all,one ring to find’em,one ring to bring them all and in the darkness bind’em” TREZENTAS VEZES SEGUIDAS! ( O pior é que a musiquinha ficou na minha cabeça POR DIAS A FIO,e até hoje me lembro! Ah,e se vc jogar Videogame,vai perceber que as flechas daqueles jogos de dança tipo Dance Dance Revloution ficam subindo!).Também o…Digamos… “Design” do Gandalf naquele desenho me pertubou além do impossível.E Saruman,então? AFEEE!
            Vou te contar um segredo….antes,eu tinha verdadeiro HORROR por O Senhor dos Anéis,quando tinha Onze ou dez ou doze anos (nem lembro mais).Sabe porque? Porque como MUITAS Gurias Retardadas daquela época eu tinha me apaixonado por Harry Potter e achava OSDA um concorrente direto do filme que eu mais amava (Olha a mentalidade desse ser naquela época.,..SHAME ON ME.)E ae é o seguinte,aconteceu logo depois de eu ter visto Harry Potter e a Câmara Secreta pela primeira vez,Minha mãe queria muito ver O Senhor dos Anéis,tinha saído na locadora e eu briguei com ela pra ela não alugar.Mais uma vez esta Santa mulher a quem eu chamo de mãe,foi mais sábia que eu e alugou.Pra que…
            Eu já tava meio desiludida com Hp,tava de saco cheio de Varinhas,escolas de Magia e blá blá bla´…Tava achando Harry muito fresco,Voldemort, um Fajuto,Hermione, uma convencida e Rony ,um burro…ai eu o vi,e meu conceito de Magia para a Eternindade mudou completamente…
            Lembro do que o PJ falou nos extras da Sociedade do Anel ,no Dvd,Que Gandalf era um Mago bem Humano sem toda aquela firula de soltar raios pelos dedos (apesar de o meu conceito de raios pelos dedos ter mudado depois que me apaixonei pelo Imperador de Star Wars ,mas isso não vem ao caso…)…Pj tinha razão.Amei,AMEI MESMO,Gandalf desde o primeiro minuto do filme,e quse quebrei a Tv quando ele caiu da ponte.Fiquei num estdo de melancolia profunda um pouco antes de As Duas Torres estrear…Achava que tudo estava perdido e que seria obrigada a aguentar mais Três horas seguidas de Mortes do Frodo e correrias dos três mosqueteiros,sem ter meu Mago de olhos azuis pra tornar tudo suportável…Quando Vejo que ele fez pacto com Chuck Norris e VOLTOU! (XD) FIquei TÃO FELIZ!
            Bom,resumindo,é o seguinte.Eu acompanho as notícias sempre que posso aqui,vi todas as notícias sobre O Hobbit,e concordo,Pj fez M****com alguns personagens e com a história? FEZ,Arruinou o sonho de muita gente? SIM.Mas eu vou dar uma chance a ele,ele me fez esquecer um moleque de óculos que leva SETE filmes pra tentar matar um cara sem nariz,e que tem uma cicatriz PESTILENTA na testa,pra me embrenhar na TM e descobrir que um Mago MUITO mais clássico e inspirador de outros Magos de Rpg’s no mundo todo tava bem ali no Condado me esperando! Por ter trocado Harry por Gandalf,eu descobri também os livros,e consequentemente o Gandalf dos Livros,tão diferente do do Filme,as vezes! E eu AMO os dois! Se eu sou Brasileira e São Paulina ao mesmo tempo,porque não posso gostar de Um livro e um filme ao mesmo tempo?
            Entendeu? Eu amo os filmes,o Gandalf Rabugento tá neles,eu amo os livros,O Gandalf Sarcástico tá neles!

  7. Hmn…em matéria de imagens, Del Toro possui boas idéias. Infelizmente ele sofre do mesmo problema que Peter Jackson: ambos acham-se capacitados para alterar a obra de Tolkien, o que resultou em momentos vergonhosos para quem já havia lido os livros e foi assistir os filmes. É claro que o movimento inverso, de ver os filmes e somente depois ler os livros pode criar uma experiência adversa.
    O fato é que não vejo qual a necessidade de alterar o enredo de tal maneira, quanto mais os personagens, dentre eles Smaug. Afinal de contas, não foi pelos livros que a maioria dos fãs, de verdade, se apaixonaram? A não ser que haja algum plano para se editar o enredo do filme e lançar um Hobbit 2.0 O_o
    Intervenção divina o fato de Del Toro ter sido afasto, ou convidado a se afastar, da produção dos novos filmes. O triste é que PJ contiua. Droga. Eu realmente não entendo a compulsão de PJ em criar novos personagens. por que não usar os que já estão nos livros? Ele apagou personagens que existiam e criou outros que não deveria. O que dizer de Tom Bombadil, ou Glorfindel? Ele se jogou do desfiladeiros simplesmente para ser apagado por PJ. Fora a maneira como modificou o caracter de alguns personagens, principalmente Faramir, que de maneira heróica em nenhum momento questiona forçar Frodo e Sam.
    Espero pelo menos que dessa vez Ganfalf não pareça que tenha feito uma escova progressiva e alguém faça um cajado de verdade, ao invés daquele cano de pvc XD

  8. Nun gosto do Del Toro não. É q nen o lance de harry Potter (que Eru me perdoe por fazer tal comparação) em que o “Mano dos ET/dinossauro Spilberg” queria fazer o filme todo em computação grafica (TOSQUERA ao se tratar de livros tão organicos como tais). Tenho medo dele distorcer muito as coisas e por muita “fantasia”, tendo em vista que a obra de Tolkien é bastante verosímil, e, quissá, a mitologia “não-historica” (ou Obra literaria de ficção mitologica) mais coerente e possivel de todas!!!
    Não tem como por em filme o que Mestre Tolkien da Africa fez em papel e tinta!
    Tambem me descepcionei com as duas torres, mas entendo PJ. Este livro é o que tem mais personagem que só aparece pra fala q apareceu (sem contar a “Velha Matraquenta” de gondor [SdA: RdR: As Casas de Cura]) e isso complicaria tanto no casting quanto no tempo.

    1. LOLEI com você agora ^^
      Velha Matraquenta,não fala assim dela,ela já foi garota do calendário em Gondor,em seus tempos dourados.Mas sacumé,a Terra-Média é uma Brasa,mora? (LOOOOOOOOOOOOOL).Nem vou discutir Duas Torres,de toda a trilogia,tanto o livro quanto o filme são os que eu menos gosto.Um dos meus amigos costumava dizer que DT foi só pra “Tapar buraco” e eu concordo;
      E sim,O Del Toro is ser estilão Spielberg mesmo.Nem queria ver seus Trolls-tatus em ação,Gandalf ia acabar virando um ermitão solitário morador de cavernas e Bilbo,uma versão menor de um Hellboy.
      ERU NOS LIVRE E GUARDE!

  9. A minha impressão é que ele queria transormar o Smaug numa espécie de misto de Dragão Chinês e Lagartixa.Sempre imaginei que no fim o Smaug acabaria virando um Charizard da vida (Perdoem-me a comparação com Pokémon ^^)
    De qualquer forma,eu não sei se teria gostado que esse filme fosse dirigido por outro que não o Peter.E ao que parece,o Del Toro não gosta muito de ser fiel ao livro.Imagine quantas alterações ele não ia fazer (Troll-Tatu-bola??).Tá com Peter,tá em boas mãos!

  10. Tenho sentimentos contraditórios qdo penso em Del Toro, as vezes penso que ele faria um bom trabalho, outras agradeço por ele ter saído, embora não seja fã incondicional de Peter Jackson!!!
    Vendo Hellboy sua sáida foi a salvação do Hobbit.
    Tantos estilos bacanas de dragão, não precisa partir do zero por pura vaidade, embora que não há a menor margem pra criticas, afinal não foi publicado nenhuma imagem dos esboços, e se fossem boas ideias?

    1. Concordo com o EW aí em cima. Meus sentimentos em ralação ao Del Toro são os mesmos que os seus. Gostei da escolha dele como diretor na época, gosto dos seus filmes, mas confesso que também, em se tratando de uma adaptação de Tolkien, eu preferia o Peter Jackson.

      De qualquer forma, não se iludam! Fosse quem fosse o diretor, haveria dezenas de modificações na história. Peter Jackson pode ter feito uma ótima adaptação de SdA, mas também fez várias coisas, inventou várias outras coisas, que não estão nos livros, algumas totalmente desnecessárias. As Duas Torres é o filme que mais se distancia do livro, por exemplo (e a morte de Haldir é um dos muitos exemplos) .E O Hobbit não vai ficar atrás. Não se iludam quanto a isso (Itaril, a elfa inventada para romancezinho barato que o diga).

      1. Pois é,é a dura realidade.Itaril,pra mim,foi uma invenção RÍDICULA,desde quando O Hobbit precisou de donzelas em balanços pra ser um Ótimo livro?
        Ao que parece,as alterações vão ser inevitáveis,mas eu ainda assim prefiro o PJ,não sou muito fã do Del Toro não,e já conheço o PJ de outras eras (^^),pelo menos já estou acostumada com ele.Que seja o que Eru quiser e tomara que o filme saia uma obra-prima (Apesar de TODAS as maluquices que o PJ inventar…)

  11. Na minha opinião, os dragões do filme Reino de Fogo são perfeitos como molde para Smaug, são de uma fisionomia assustadora! esse negócio de dragão chinês não dá! parecendo uma enguia voadora!