• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Resoluções Literárias 2023

Dois meses para o fim do ano e tudo saindo como o previsto: aproxima-se mais um fracasso. Uma coisa eu posso afirmar: não se trata da escolha do livro, trata-se da minha dificuldade com a língua, mesmo. Como eu disse, eu adoro Crepúsculo. Prova disso é que, dia desses, vi que tava passando o primeiro filme, e me distraí dando uma olhada e me divertindo. É ruim? É, mas eu gosto. O problema, acho, está no fato de que toda vez que eu começo a ler e me deparo com entraves linguísticos, perco o foco, e vou ler e/ou fazer outra coisa. Alguém pode resolver isso por mim? Não. Só eu posso fazer isso. Conseguirei fazer isso em dois meses? Honestamente, não sei, porque já tem uns bons meses que parei a leitura em 4% e, se eu fosse retomar a leitura HOJE, acho que o ideal seria voltar ao início, pegar impulso e ir na força do Vampiro-Diamante.​

acho que é só a constância mesmo, não largar o osso. o livro eu diria que talvez seja uma boa você trocar, não por ser crepúsculo (edward meu vampiro lindo miau miau), mas por ser um livro que não vai despertar sua curiosidade justamente porque você já sabe para onde a história vai.

a ideia é ludibriar teu cérebro: ele trabalha para entender uma língua estrangeira, em troca ele vai saber o que é que vai acontecer. e claro, como já falaram aqui, começar com algo menor, não vai logo abraçando um catatau aleatório.

você que curte livro de mina branca triste como eu, posso te sugerir um que li esse ano e que ainda não foi traduzido chamado out of love, da hazel hayes. o livro começa com o casal rompendo, e aí segue até o momento em que eles se conhecem. mexe com a curiosidade para juntar as peças e entender o que é que levou os dois a se separarem (e olha, salvou this charming man dos smiths que eu não estava conseguindo ouvir tem uns tempos pois morrissey)
 
acho que é só a constância mesmo, não largar o osso. o livro eu diria que talvez seja uma boa você trocar, não por ser crepúsculo (edward meu vampiro lindo miau miau), mas por ser um livro que não vai despertar sua curiosidade justamente porque você já sabe para onde a história vai.

a ideia é ludibriar teu cérebro: ele trabalha para entender uma língua estrangeira, em troca ele vai saber o que é que vai acontecer. e claro, como já falaram aqui, começar com algo menor, não vai logo abraçando um catatau aleatório.

você que curte livro de mina branca triste como eu, posso te sugerir um que li esse ano e que ainda não foi traduzido chamado out of love, da hazel hayes. o livro começa com o casal rompendo, e aí segue até o momento em que eles se conhecem. mexe com a curiosidade para juntar as peças e entender o que é que levou os dois a se separarem (e olha, salvou this charming man dos smiths que eu não estava conseguindo ouvir tem uns tempos pois morrissey)
Olha, acho que essa estratégia pode funcionar. Obrigada, Anica.
 
Dois meses para o fim do ano e tudo saindo como o previsto: aproxima-se mais um fracasso. Uma coisa eu posso afirmar: não se trata da escolha do livro, trata-se da minha dificuldade com a língua, mesmo. Como eu disse, eu adoro Crepúsculo. Prova disso é que, dia desses, vi que tava passando o primeiro filme, e me distraí dando uma olhada e me divertindo. É ruim? É, mas eu gosto. O problema, acho, está no fato de que toda vez que eu começo a ler e me deparo com entraves linguísticos, perco o foco, e vou ler e/ou fazer outra coisa. Alguém pode resolver isso por mim? Não. Só eu posso fazer isso. Conseguirei fazer isso em dois meses? Honestamente, não sei, porque já tem uns bons meses que parei a leitura em 4% e, se eu fosse retomar a leitura HOJE, acho que o ideal seria voltar ao início, pegar impulso e ir na força do Vampiro-Diamante.​

Minha irmã, há alguns anos me deu um box com contos de Doctor Who. Eu já tentei ler algumas vezes e não deu certo, não devo ter saído da terceira página . Um dia, quem sabe, eu tento de novo.

1000058898.jpg
1000058899.jpg
1000058900.jpg
 
Minha irmã, há alguns anos me deu um box com contos de Doctor Who. Eu já tentei ler algumas vezes e não deu certo, não devo ter saído da terceira página . Um dia, quem sabe, eu tento de novo.

Ver anexo 97589
Ver anexo 97590
Ver anexo 97591
Não acredito que você não leu, esse são os melhores contos que foram traduzidos para o português, as historia se ligam diretamente com alguns capítulos da serie.
 
Não acredito que você não leu, esse são os melhores contos que foram traduzidos para o português, as historia se ligam diretamente com alguns capítulos da serie.
Mas esses não estão em português, eu tenho objetivo de ler eles, assim como a resolução da Melian. O pior é que são bem curtinhos, acho que tem umas 60 páginas cada.
 
você que curte livro de mina branca triste como eu, posso te sugerir um que li esse ano e que ainda não foi traduzido chamado out of love, da hazel hayes. o livro começa com o casal rompendo, e aí segue até o momento em que eles se conhecem. mexe com a curiosidade para juntar as peças e entender o que é que levou os dois a se separarem (e olha, salvou this charming man dos smiths que eu não estava conseguindo ouvir tem uns tempos pois morrissey)
Dei um jeitinho internético e botei o livro aqui no kindle. Consegui ler só a primeira página, por enquanto (o que já é muito para quem não manja nada de inglês hahaha), mas que dor! Ela falando sobre ele ter vindo com aquela história de "vamos ser amigos" para tornar mais fácil para ele... Nossa!​
 
Dei um jeitinho internético e botei o livro aqui no kindle. Consegui ler só a primeira página, por enquanto (o que já é muito para quem não manja nada de inglês hahaha), mas que dor! Ela falando sobre ele ter vindo com aquela história de "vamos ser amigos" para tornar mais fácil para ele... Nossa!​

eu acho que só lá para o final do livro consegui perdoar o theo. quase o livro todo achei o cara um tremendo bostão.

(não sabia que você estava com kindle, se precisar de algum livro me avisa que eu tenho uns contatos com a máfia russa)
 
acho que é só a constância mesmo, não largar o osso. o livro eu diria que talvez seja uma boa você trocar, não por ser crepúsculo (edward meu vampiro lindo miau miau), mas por ser um livro que não vai despertar sua curiosidade justamente porque você já sabe para onde a história vai.

a ideia é ludibriar teu cérebro: ele trabalha para entender uma língua estrangeira, em troca ele vai saber o que é que vai acontecer. e claro, como já falaram aqui, começar com algo menor, não vai logo abraçando um catatau aleatório.
O raciocínio faz sentido, mas para mim foi o contrário: comecei com edições bilíngue de livros que ainda não tinha lido, e ao sentir que não estava entendendo tudo ficava frustrado pensando que podia estar perdendo detalhes importantes, aí logo pulava pra tradução. O primeiro que consegui concluir a leitura em inglês foi O Hobbit, porque já tinha lido trocentas vezes, aí não tinha essa preocupação.

Tolkien e a série Harry Potter foram os únicos livros físicos que li em inglês confortavelmente, por esse mesmo motivo. Os outros eu li no Kindle, porque tem o dicionário online (não recomendo procurar o significado de todas as palavras novas, mas às vezes precisa).
 
Última edição:
O raciocínio faz sentido, mas para mim foi o contrário: comecei com edições bilíngue de livros que ainda não tinha lido, e ao sentir que não estava entendendo tudo ficava frustrado pensando que podia estar perdendo detalhes importantes, aí logo pulava pra tradução. O primeiro que consegui concluir a leitura em inglês foi O Hobbit, porque já tinha lido trocentas vezes, aí não tinha essa preocupação.

Tolkien e a série Harry Potter foram os únicos livros físicos que li em inglês confortavelmente, por esse mesmo motivo. Os outros eu li no Kindle, porque tem o dicionário online (não recomendo procurar o significado de todas as palavras novas, mas às vezes precisa).

aquela coisa, leitura é uma experiência completamente pessoal e o que funciona para um pode não funcionar para outro. no caso da sugestão que dei para a cleo é porque ela estava justamente dizendo que partir de um texto já conhecido não estava funcionando. mas depois estava pensando aqui que o que realmente ajuda é tornar um hábito comum ler notícias e artigos gringos todos os dias. por serem textos curtíssimos, não há o compromisso ("putz, estou há meses com esse livro e ele não rende"), e o contexto sempre ajuda a entender as notícias também. chega um tempo a chave de mudança de l1 para l2 liga automaticamente.

(eu tenho lido tanta coisa em inglês que dia desses comecei um livro de um gaúcho e foi até estranho, como se estivesse lendo um livro estrangeiro - ainda mais porque o narrador carregava no regionalismo :rofl: )
 
Mas esses não estão em português, eu tenho objetivo de ler eles, assim como a resolução da Melian. O pior é que são bem curtinhos, acho que tem umas 60 páginas cada.
Nos originais, são bem melhores sem a tradução, leia-os você vai se diverti bastante.
 
Uma meta geral que eu pretendo manter este ano é a de diversificar ao máximo, gêneros e autores. A lista tem clássicos internacionais, clássicos nacionais, biografias, poesia, divulgação científica, autoajuda, ficção histórica, fantasia, linguística... Quero ir sempre priorizando algo diferente do que já li recentemente.
Fato raro: tô conseguindo cumprir! Li todos esses gêneros. Bem orgulhoso do meu censo esse ano, leituras bem diversificadas e realmente enriquecedoras.
 
Minha única meta é continuar lendo como eu estou agora.
Tenho muita Jane Austen e Tolkien pra ler, então gostaria de ler todos esses livros novos que eu tenho, mas como já larguei e estou lendo O Castelo Animado, tudo é possível.
Consegui em parte, li muita Jane Austen, os Tolkien ficaram pra outro momento.
No geral, foi um ano bom, li bastante clássicos e o único mês que fiquei sem ler nada foi agosto, então estou bem orgulhosa de mim.
 
Eu não botei nas resoluções, mas preciso ler Percy Jackson e o ladrão de raios antes do início da série. Minha sobrinha mais nova, que faz aniversário hoje*, é apaixonada por Percy Jackson, e vive falando que eu tenho de ler o livro para a gente conversar sobre ele. Eu falei que lerei antes do início da série. (É em dezembro, né?). Ela já leu toda a série dos Olimpianos. Agora está lendo Os Heróis do Olimpo.

*Hoje também é aniversário do @Indu. Parabéns, migo!​
 
Eu não botei nas resoluções, mas preciso ler Percy Jackson e o ladrão de raios antes do início da série. Minha sobrinha mais nova, que faz aniversário hoje*, é apaixonada por Percy Jackson, e vive falando que eu tenho de ler o livro para a gente conversar sobre ele. Eu falei que lerei antes do início da série. (É em dezembro, né?). Ela já leu toda a série dos Olimpianos. Agora está lendo Os Heróis do Olimpo.

*Hoje também é aniversário do @Indu. Parabéns, migo!​
Ótima resolução :D
Eu li as duas sagas, amos as duas, estou pra reler assim que conseguir encaixar na "agenda" e tiver a primeira, pois li ela emprestada rs

OBS: Não veja os filmes, não valem a pena
OBs2: Parabéns, @Indu \o/
 
Normalmente gosto de fazer as listas de livros que pretendo ler no ano, mesmo sabendo que vou sabotá-la de diversas formas, porque isso acaba me ajudando a desencalhar aqueles livros que adquiri e não saíram da estante. Então, ainda pretendo fazer essa lista.

Mas... como retomei a graduação em Direito - que preciso conciliar com trabalho, família, amigos e cuidado com o galinheiro ( :hihihi: ) - o meu tempo para a leitura recreativa ficou bastante reduzido e, como consequência, tenho pretensões menos ambiciosas. Se conseguir manter em dia os livros do Clube de Leitura ao longo do ano, já me darei por satisfeito. Se além disso conseguir ler algum livro da lista que ainda pretendo elaborar, será um lucro.

A minha primeira resolução de fazer a lista de livros a ler, em si, foi descumprida.
Mas consegui manter em dia as leituras do Clube de Leitura. No Clube, consumimos boa parte do ano lendo Os Miseráveis. Foi uma experiência de leitura muitíssimo estimulante. E, agora, estamos encerrando o Novembro de 63, do Stephen King.

Acho que esse ano o Clube vai parar por aí, porque depois vêm final de ano, férias, festas e essas coisas e fica muito difícil manter os encontros.

Mas assim... mesmo não tendo feito a lista de livros que eu queria ler esse ano, a coisa foi ok, dadas as circunstâncias. Consegui explorar um pouquinho mais a leitura de poesia. Li Affonso Romano de Sant'Anna, li Manoel de Barros, li Ferreira Gullar e li Thiago de Mello. Tentei os sonetos do Vinícius, mas não me pegaram muito e meio que abandonei o livro sem admitir que o abandonei, naquela de: uma hora eu pego pra finalizar a leitura.

E li "O Deserto dos Tártaros", que considero que - não fosse a releitura de Os Miseráveis - seria a melhor leitura do ano. Gostei tanto que cheguei a dizer, talvez com algum exagero, que se tivesse lido apenas esse livro em 2023, já teria considerado este um bom ano.
 
- tentar diversificar/alternar o idioma dos livros lidos;
- ler mais livros escritos por mulheres;
- ler mais de autores contemporâneos;
- ler alguns livros de poesia;
- não reler nenhum livro :hihihi:
acho que consegui cumprir todas, talvez faltou ler mais alguns contemporâneos – fui de Jon Fosse, por sugestão do @Bartleby, Elena Ferrante, Louise Glück e o Karl Ove Knausgård.

inclusive, em algumas leituras – como a da propria Glück – consegui cumprir três resoluções ao mesmo tempo: escrito por mulher, autora contemporânea e de poesia :lol:
 

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.404,79
Termina em:
Back
Topo