1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Álvares de Azevedo

Tópico em 'Autores Nacionais' iniciado por Oropher, 24 Jul 2008.

  1. Oropher

    Oropher Hmm... oi?

    Manuel Antônio Álvares de Azevedo foi um escritor da segunda geração romântica, de um estilo que ficou conhecido como Ultra-Romantismo ou Mal-do-Século.

    Seus trabalhos mais conhecidos são Lira dos Vinte Anos (poesias) e Noite na Taverna (romance).

    Embora essa fase ultra-romântica não tenha muita repercussão, Álvares de Azevedo é certamente um dos maiores representantes desse estilo no Brasil, conhecido por mostrar uma face desesperançosa e desiludida, por vezes até sombria, da vida. Para esses autores a morte é geralmente vista como uma solução para seus problemas.

    Alguém já leu, estudou, conhece ou tem interesse em conhecer as obras dele?

    *Algumas de seus trabalhos estão disponíveis em formato digital no
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , um site do governo federal. Vale a pena dar uma conferida. ;)
     
  2. LatinoAmericano

    LatinoAmericano Aqui jaz Alcarecco

    Eu já estudei um pouco sobre Álvares de Azevedo, li alguns de seus poemas e achei bom...

    Eu tenho um livro aqui em casa, antigaçoooo, meio rasgado, com as páginas amarelas, que fala sobre a vida dele e tem vários de seus poemas, li um pouco, mas depois parei, quando sobrar um tempo vou ler inteiro...
     
  3. Bom, eu fiz minha monografia sobre ele, aliás pegando alguns poemas do livro A lira do vinte anos, então eu to até a gota dele ^^
     
  4. lipecosta

    lipecosta Usuário

    Nao consigo gostar dele. Na verdade eu soh li pouquissimas paginas da Lira de Vinte Anos para a escola, mas naum sei c fui influenciado por uma ideia ateh superficial sobre os poetas mal do seculo, de morrerem jovens, virgens e esperando a mulher dos seus sonhos. Sei la, isso tudo me parece muito infantil. Mas provavelmente eu devo estar falando besteira, e deveria era ler o livro todo, mas .... deixa pra la.
     
  5. Calma calma caro colega, não há apenas Lira dos Vinte anos pra vc ler..rsrs...ele não falou só de virgens sonhadas..

    Leia: Noite na Taverna....neste livro vc encontra uma atmosfera de "bordel"...e tem até cópula com cadáveres...assim tá bom pra vc? :)
     
  6. Mohanah

    Mohanah Usuário

    Amo! Amo! Amo! Amo! Amo! Amo! Amo!

    No início da faculdade, eu queria fazer meu trabalho de conclusão sobre Ultra-Romantismo por causa dele. Acabei desistindo por encontrar outros interesses ao longo do curso e trabalhar com esse tema começou a me parecer meio batido. Não que eu tenha a ilusão de escrever algo original, mas eu gostaria de trabalhar com uma temática que me abrisse mais possibilidades de pesquisa.
     
  7. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    Não tinha visto esse tópico. Vou transcrever o que comentei no tópico sobre Noite na Taverna:

    A maior promessa das letras brasileiras tolhida ainda em sua aurora, esse foi Álvares de Azevedo. Sucumbiu à tuberculose aos vinte anos. Mancebo, já era prodígio nas línguas, na poesia e nos meandros das leis, ainda que, através de Macário, um de seus personagens, tenha confessado a Satã: “Duas palavras só: amo o fumo e odeio o Direito Romano. Amo as mulheres e odeio o romantismo”

    Noite na Taverna engloba tudo que há de insólito e chocante, desde a idealização da musa virgem até o incesto. Da pureza romântica do jovem até a descrença devassa do boêmio:

    “— Oh! vazio! meu copo está vazio! Olá taverneira, não vês que as garrafas estão esgotadas? Não sabes, desgraçada, que os lábios da garrafa são como os da mulher: só valem beijos enquanto o fogo do vinho ou o fogo do amor os borrifa de lava?”
     
  8. Braz del Vale

    Braz del Vale Usuário

    Na própria Lira dos Vinte anos já há indícios de uma mudança, creio que na segunda parte, se me lembro bem.
    Porém, Noite na Taverna é um bom livro (Acho que me prendeu bem, levando em conta que tinha uns 15 anos quando li). E com certeza, esse livro não fala de virgenzinhas.
    Macário não li, dizem que é bom também.

    Levem em conta que ele morreu com 21 anos parece; Imagina esse cara com 40 e poucos.
     
  9. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    Para mim depende do momento, mas Macário é uma das suas melhores obras. Vale a pena ler.
     
  10. Desprezo Álvares de Azevedo justamente por causa d'A Lira dos Vinte Anos, porém pretendo ler outros livros dele. Já me disseram que 'Noite na Taverna' é muito bom e, de quebra, me contaram o conflito de um dos contos
    o do incesto acidental
    , o que acabou me despertando interesse.

    Vamos ver... talvez esse ano eu leia.
     
  11. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    O que você despreza na Lira, Henrique?
     
  12. Acho que tudo... :rofl:

    Brincadeira. O que eu realmente não gosto é a idealização da mulher e o noturnismo do Álvares, aspectos que parecem se repetir da mesma maneira em quase todos os poemas (excluindo os da 2ª fase).

    Os poemas da segunda fase já são bem melhores. 'Namoro a cavalo', poema dessa fase, é bem legal.
     
  13. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    Álvares sempre foi um sonhador, Henrique. A idealização da virgem (mulher ideal) e o que você chama de noturnismo estão incluídos aí, quase que intrínsecos a todos os autores ultra-românticos.

    A parte da Lira que você cita, se não me engano, é a segunda. Lá é possível encontrar um Álvares menos romântico e mais devasso, os poemas puxam para a descrença. Confesso que prefiro a prosa do Álvares, ainda que seus poemas sejam excelentes. Mesmo assim, se você for mesmo ler Noite na Taverna e Macário, vai encontrar alguns desses elementos que tu disse não gostar.
     
  14. Sorel

    Sorel Usuário

    Gosto bastante dele. Resquícios, talvez, de um fascínio infantil. Todos os dias, para ir ao colégio, pegava um ônibus na rua Álvares de Azevedo; e desde essa época esse nome guardava um som agradável e misterioso. As vogais que se repetiam - o mesmo A do meu nome.
    Foi com surpresa que descobri o poeta por trás da rua.
    O ônibus, o caminho para a escola, os carros e as esquinas já estavam de tal maneira grudados na minha cabeça, que Álvares de Azevedo se tornou o primeiro poeta a ser batizado por uma rua.

    E por esse motivo, ele sempre tem uma grande vantagem sobre outros escritores. Só de ler seu nome, na capa do livro, abaixo a guarda e me permito ser nostálgico.

    Literariamente falando, tenho grande pena de uma coisa: como acontece com todos os escritores estudados à exaustão pela crítica literária tupiniquim, muitos clichês sem sentido (que podem ser lidos na grande maioria dos livros didáticos e apostilas de pré-vestibulares) tomam ares de verdade absoluta, e ajudam a criar uma série de preconceitos que prejudicam o contato sincero do leitor com esse autor tão criativo e talentoso. Ultra-romântico, 'byronista', spleen, mal do século... Sim, sem sombra de dúvida, tinha um pouco de tudo isso. Querer enquadrá-lo somente nessas palavras, no entanto, é erro grave. Ele era muito mais. E as características únicas dele ficam à sombra desses clichês chatos e sem graça.
    Mas isso, como vim a saber há pouco tempo, não é coisa recente:
    Essa crítica data de 1866, ou seja, é praticamente contemporânea ao poeta.
    Ela foi escrita num jornal carioca por ninguém menos que Machado de Assis.
     
  15. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    Muito bom o seu comentário, Sorel. Resumiu bem, fiquei satisfeito em lê-lo.

    Às vezes invejo quem estuda no Largo do São Francisco por isso. A inspiração que viria em freqüentar e cruzar com lugares por onde outros grandes passaram.
     
  16. Artanis Léralondë

    Artanis Léralondë Ano de vestibular dA

    Tô gostando *__*
    Mas, ainda estou achando 'Noite na Taverna' melhor ^^

    Esse conflito é uns dos mais fo*&¨%
    :calado:
    O livro tem muita coisa fo*&¨%
    :calado:
    Álvares de Azevedo é fo%$#¨&
    :calado:

    Uma baita de uma verdade!
    Machadão :winner:
    Pior são essas apostilas de cursinho, sempre a mesma coisa, mas, sabe o que é pior?
    São os professores de literatura que falam o que está escrito nas apostilas e não acrescentam nada de novo. Por isso, que há vários estudantes que acham uma :calado: literatura, na minha sala, muitos dormiam na aula. Até eu achava chata!
    Eu fui gostar, a partir, que eu mesma comecei a ir atrás e ler :lendo:
    Pesquisava na internet e tal...notei que a literatura é fantástica!
    E os escritores, bah..como disse o Machado, são muito mais!
    =]
     
  17. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Bem, como ele faz parte do romantismo gótico e eu sempre gostei desse estilo, li Noite na Taberna, só não li os poemas pq odeio poemas e poesias. Pena ele ter morrido tão cedo pois achei muito bom o livro, apesar de ele copiar muito autores estrangeiros dessa época.
     
  18. Marcio Scheibler

    Marcio Scheibler Usuário

    "Noite na Taverna" é muito bom...recomendo!!!!
     
  19. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Gosto bastante do Álvares de Azevedo, considero um dos melhores escritores brasileiros. O que gosto no estilo dele, assim como do ultra-romantismo, é aquela coisa de vivenciar o momento até as últimas consequências, sem escrúpulos, sem receios, é aquilo de se jogar no texto e escrever com o sangue se preciso for. Vale tudo pelo retrato do velo e exprimir suas melancolias. Muito bom![/align]
     
  20. Bella Cullen

    Bella Cullen Usuário

    Gostaria de saber de vocês qual(is) poesias deste grande mestre vocês mais gostam.

    Qual poesia romântica mais bonita dele?
     

Compartilhar