• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Lançamentos 2022

Ana Lovejoy

Administrador
Saiu a lista do Daniel Dago. Vou deixar o link do Plural para lembrar que é um portal muito legal de notícias >> https://www.plural.jor.br/colunas/d...e-as-editoras-devem-lancar-no-brasil-em-2022/

ALFAGUARA

Gótico nordestino – Cristhiano Aguiar

benett.jpg
Livro com charges de Benett está na lista da Arte e Letra.
ARTE E LETRA

Metamorfoses do Sr. Ovídio – Julia Raiz

A memória onde ardia – Socorro Venegas (trad. Nylcéa Pedra)

Anedonia – Alberto Benett

Amores Ruins – Verginia Grando

Cecilia não é um cachimbo – Assionara Souza

Uma história cotidiana – Thomasine Gyllembourg (trad. Lucas Lazzaretti)

ATELIÊ EDITORIAL

Ulysses – James Joyce (org. Henrique Xavier, trad. Aurora Fornoni Bernardini, Dirce Waltrick do Amarante, Luci Collin, Denise Bottmann, Donaldo Schüler).

AUTÊNTICA

Eneida – Virgílio (trad. João Carlos de Melo Mota)

Bucólicas – Virgílio (trad. Raimundo Carvalho)

Em um com o impulso – Vladimir Safatle

O púcaro búlgaro – Campos de Carvalho

Coletânea de textos de Mário de Andrade (org. Yussef Campos)

A revista Verde de Cataguases: contribuição à história do Modernismo – Luiz Ruffato

O pensamento heterossexual e outros ensaios – Monique Wittig (trad. Maíra Galvão, pref. Adriana Azevedo)

Operação Lava Jato – Fabio Kerche e Marjorie Marona

Dicionário de história da África Séculos XVI–XIX (Vol. 2) – Nei Lopes e José Rivair Macedo

Nietzsche e as mulheres – Scarlett Marton

Fausto – Johann Wolfgang Von Goethe (trad. João Barrento)

Freud no século XXI – Gilson Iannini

O que é sexo? – Alenka Zupančič (trad. Rafael Bozzolla Vieira)

Psicanálise e revolução: psicologia crítica para movimentos de liberação – Ian Parker e David Pavón–Cuéllar (trad. Gil Reyes)

O despertar – Carolina Koretzky (trad. Yolanda Vilela)

Histórias clínicas – Sigmund Freud (trad. Maria Rita Salzano)

De Montaigne a Montaigne – Claude Lévi–Strauss (trad. Guilherme João de Freitas Teixeira)

O Príncipe – Nicolau Maquiavel (trad. Federico Carotti)

Polichinelo: ou Divertimento para os jovens em quatro cenas – Giorgio Agamben (trad. Davi Pessoa)

Dicionário dos intraduzíveis Um vocabulário das filosofias: Direito- Ética e Políticas (Vol. 2) (org. Luisa Buarque e Fernando Santoro)

AUTÊNTICA BUSSINESS

Por que é tão difícil para as mulheres vencerem no mercado de trabalho? – Gill Whitty–Collins (trad. Maíra Meye)

AUTÊNTICA CONTEMPORÂNEA

Esquizofrenia – E. Fuller Torrey (trad. Luís Reyes Gil)

Planícies – Federico Falco (trad. Sérgio Karam)

Mandíbula – Mónica Ojeda (trad. Silvia Massimini Felix)

Outrora. Aqui. Neste lugar – Maria José Silveira

Um voo mágico – Giovanna Giordano (trad. Karina Jannini)

Esperando Bojangles – Olivier Bourdeaut (nova edição, trad. Rosa Freire D’Aguiar)

João Maria Matilde – Marcela Dantés

O irmão mais velho – Daniel Mella (trad. Sérgio Karam)

O verão invencível de Liliana – Cristina Rivera Garza (trad. Silvia Massimini Felix)

Um crime bárbaro – Ieda Magri

O último sábado de julho amanhece quieto – Silvana Tavano

ÂYINÉ

O complexo de Telêmaco – Massimo Recalcat

RU – Kim Thuy

A trindade Bantu – Max Lobe

Cultura de direita – Furio Jesi (trad. Davi Pessoa)

BANDEIROLA

Ficção Científica – Braulio Tavares (coedição Bandeirola e Revista Kuruma’tá)

Não Ficções – Braulio Tavares

BAZAR DO TEMPO

A bastarda – Violette Leduc (pref. Simone de Beauvoir)

O riso da medusa – Hélène Cixous

Eros, o agridoce – Anne Carson

Elos poéticos – Marina Tsvetaeva (antologia, trad. Paula Vaz Almeida).

Aqui jaz a amargura – curar o ressentimento – Cynthia Fleury

La petite dernière – Fatima Daas

Amanhã o sexo será bom novamente – Katherine Angel

A vida material e A dor – Marguerite Duras

Economia feminista – Hélène Perivier (pref. Thomas Piketty)

Autobiografia de um polvo – Vinciane Despret

Outra ciência é possível – Isabelle Stengers

Antologia de poetas negras dos Estados Unidos (org. Lubi Prates)

Imaginários emergentes – políticas de representação da mulher negra – Rosane Borges

O Brasil de toga: quando a justiça corrompe a democracia – Marjorie Marona

Santos de casa – Fé- crenças e festas de cada dia – Luiz Antonio Simas

O discurso antilhano – Édouard Glissant

Escrever em país dominado – Patrick Chamoiseau

BESTIÁRIO

Trilogia da terra espanhola (Bodas de SangueYermaA casa de Bernarda Alba) – Federico García Lorca (trad. Luciana Ferrari Montemezzo)

Bonecas de argila & Cambalache 2.0 – Jorge Rein

Poemas do Japão medieval (org. e trad. Andrei Cunha)

Mamãe trabalhava à noite – Emir Rossoni

CAMINHOS

O Brasil no espelho do mundo – Otto Maria Carpeaux (edição ampliada – com nova seleção de crônicas e ensaios)

A batalha da América Latina – Otto Maria Carpeaux (edição ampliada – com nova seleção de crônicas e ensaios)

Reflexo e realidade: 80 anos de literatura do brasileiro – Otto Maria Carpeaux (edição refundida dos livros “Reflexo e realidade” e “25 anos de literatura” com inclusão de novos ensaios)

dorfman.jpeg
A Morte e a Donzela: clássico do chileno Ariel Dorfman.
CARAMBAIA

A morte e a donzela – Ariel Dorfman

O diário de um louco – Contos completos – Lu Xun

Lev Tolstói & Sófia Tolstaia (O volume reúne as novelas Sonata Kreutzer, de Lev Tolstói, e De quem é a culpa? e Canção sem palavras, de Sófia Tolstaia – estas últimas escritas como resposta à polêmica novela de Tolstói.)

O litoral de Sirtes – Julien Gracq

O coração é um caçador solitário – Carson McCullers

COBOGÓ

Eu que amava tanto o cinema – Marcelo Mendes (sobre a criação e as histórias do Estação Botafogo)

Nara Leão – Hugo Sukman

COMPANHIA DAS LETRAS

Sobrevidas – Abdulrazak Gurnah (trad. Caetano W. Galindo)

Ao paraíso – Hanya Yanagihara

O rei pálido – David Foster Wallace (trad. Caetano W. Galindo.

Como enfrentar uma ditadura – Maria Ressa

Solitária – Eliane Alves Cruz

Biografia de Di Cavalcanti escrita por Marcelo Bortoloti

Livro de Deisy Ventura sobre a era das pandemias

Livro juvenil de Lázaro Ramos

Livro da cantora Teresa Cristina

Os condenados da Terra – Frantz Fanon

O pacto da branquitude – Cida Bento

O livro dos pequenos nãos – Heloisa Seixas

Autobiografia – José Luís Peixoto

Sua alteza real – Thomas Mann

Ulysses – James Joyce (edição especial, trad. revisada de Caetano W. Galindo)

Serafim Ponte Grande – Oswald de Andrade

Modernidade em preto e branco – Rafael Cardoso

Parque industrial – Pagu

Diário confessional – Oswald de Andrade

O guarda-roupa modernista – Carolina Casarin

Modernismos 1922–2022 – Gênese Andrade

COMPANHIA DE MESA

Veg – Jamie Oliver

CLASSICOS ZAHAR

Arsène Lupin: A rolha de cristal – Maurice Leblanc

DBA

Ela se chama Rodolfo – Julia Dantas

O túnel – A. B. Yehoshua.

DUBLINENSE

Cinco ou seis dias – Danichi Hausen Mizoguchi

Aprender a falar com as plantas – Marta Orriols

Ecologia – Joana Bértholo

O involuntário ato de respirar – JJ Bola

Outra novelinha russa – Gonzalo Maier

Para onde vão os guarda-chuvas – Afonso Cruz

A solidão do amanhã – Henrique Schneider

rabelais-1024x576.jpeg
Em 2022, Editora 34 lança segundo volume das obras de Rabelais.
EDITORA 34

Dostoiévski: vida e obra – Konstantin Motchulski (trad. Danilo Hora)

Problemas da obra de Dostoiévski – Mikhail Bakhtin (trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo)

O estilo de Dostoiévski – Nikolai Tchirkóv (trad. Paulo Bezerra)

Cine-Olho: manifestos, projetos e outros escritos – Dziga Viértov (org. e trad. Luis Felipe Labaki)

Linhas fundamentais da filosofia do direito – G. W. F. Hegel (trad. Marcos Lutz Müller)

Pantagruel: Terceiro, Quarto e Quinto livros (Obras completas de Rabelais – 2) – François Rabelais (trad. Guilherme Gontijo Flores)

Artes plásticas e trabalho livre II: de Manet ao Cubismo Analítico – Sérgio Ferro

A filha do capitão – Aleksandr Púchkin (trad. Boris Schnaiderman)

Maquiavelianas: lições de política republicana – Sérgio Cardoso (pref. Newton Bignotto)

Poesia como arte insurgente – Lawrence Ferlinghetti (trad. Fabiano Calixto)

Escola de idiotas – Sacha Sokolov (trad. Danilo Hora)

Contos de Sebastópol – Lev Tolstói (trad. Lucas Simone)

O cupom falsificado – Lev Tolstói (trad. Priscila Marques)

Rússia!!! (antologia poética, vol. 1) – Marina Tsvetáieva (trad. André Nogueira)

A escavação – Andrei Platónov (trad. Mario Ramos e Yulia Mikaelyan)

Djan – Andrei Platónov (trad. Rubens Figueiredo)

O espírito da utopia – Ernst Bloch (trad. Oliver Tolle)

Petróleo – Pier Paolo Pasolini (trad. Davi Pessoa)

Alma corsária – Claudia Roquette-Pinto

Violeta – Alberto Martins

Rei Lear – William Shakespeare (trad. Rodrigo Lacerda)

A sociedade do artista: mitos estéticos e memória da arte – Stéphane Huchet

Beowulf (edição bilíngue, trad. Elton O. S. Medeiros, apres. Jorge Luís Borges)

Anacreonte & anacreônticas: versos de amor e vinho (trad. Leonardo Antunes)

Contos – D. H. Lawrence (trad. José Roberto O’Shea)

Teatro completo de Eurípedes, vol. 1 (trad. Jaa Torrano)

Proust e os signos – Gilles Deleuze (trad. Roberto Machado)

A interessante narrativa da vida de Olaudah Equiano – Olaudah Equiano (trad.

João Lopes Guimarães)

Experiência e pobreza: Walter Benjamin em Ibiza – Vicente Valero (trad. Daniel Lühmann)

A República de chinelos: Bolsonaro e o desmonte da representação – Luciana Villas-Boas (posf. Newton Bignotto)

A Retórica – Brunetto Latini (trad. Emanuel França de Brito)

Poesia completa ― Walt Whitman (trad. Guilherme Gontijo Flores)

Pais e filhos ― Ivan Turguêniev (trad. Irineu Franco Perpetuo)

O dia de um Oprítchnik ―Vladímir Sorókin (trad. Arlete Cavaliere)

Ensaios escolhidos ― Anne Carson (trad. Sofia Nestrovski)

Autobiografia de Benjamin Franklin (trad. Cide Piquet)

Somos todos canibais – Lévi-Strauss (primeiro trimestre)

Bíblia. As histórias fundadoras – Frédéric Boyer & Serge Bloch (histórias da Bíblia hebraica recontadas e ilustradas para o público jovem)

Diário de bordo / Feuilles de route – Blaise Cendrars (Coleção Fábula, edição bilíngue)

O guardião da floresta – Julien Gracq (Coleção Fábula)

Poemas – François Villon (Coleção Fábula, trad. Sebastião Uchoa Leite)

Homero, uma biografia – Pierre Judet de la Combe (Coleção Fábula, ensaio sobre a figura mítica de Homero)

FIGURA DE LINGUAGEM

Raça e cor na literatura brasileira – David Brookshaw (trad. Ian Alexander & Luiz Mauricio Azevedo)

Solo rachado por dentro – Priscila Pasko

Fausta – Bruno Onllor

O preconceito de cor na literatura de cordel – Clóvis Moura

Como estou dirigindo – Marco de Menezes

Bichos da Palma da mão – Christian David (ilustr. Ernani Cousandier)

Orgulho e Preconceito – Jane Austen (trad. Maria Clara Biajoli)

Quatro negros – Luís Augusto Fischer

Porto Alegre em Letras – Luiz Mauricio Azevedo & Luís Augusto Fischer

Sem vergonha – Futhi Ntshingila

Estudo crítico sobre Jane Austen – Maria Clara Biajoli

FLOREAR LIVROS

Contos de fadas de Bram Stoker (trad. Christine Dias, Cassia Leslie e Susana Ventura)

Contos góticos de Mary Shelley (trad. Cassia Leslie e Susana Ventura)

Contos de fadas de homens e mulheres de todos os tempo (trad. e adapt. Susana Ventura e Cassia Leslie, ilustr. Silvia Canto)

A volta das fadas: mais contos dos séculos e XVIII (trad. Cassia Leslie, Susana Ventura, Caroline Rodovalho e Maikon Augusto Delgado, ilustr. Roberta Asse)

FONTANAR

Por que não consigo emagrecer? – Desire Coelho

wittgenstein.jpeg
Ludwig Wittgenstein: Investigações filosóficas pela Fósforo.
FÓSFORO

Gelo – Anna Kavan

As vinte mil léguas de Charles Darwin: o caminho até A origem das espécies – Leda Cartum e Sofia Nestrovisk

Investigações filosóficas – Ludwig Wittgenstein

Vidas rebeldes: belos experimentos – Saidiya Hartman

GUTEMBERG

Vamos falar de antirracismo? – Cidinha da Silva (título provisório)

GRUA

O despertar – Kate Chopin (trad. Jane Pessoa)

O duelo – Anton Tchekhov (trad. Cecília Rosas)

A morte de Ivan Ilitch – Lev Tostói (trad. Cecília Rosas)

Clara Militch – Ivan Turguêniev (trad. Gilselle Moura)

O pregador atormentado – Thomas Hardy (trad. Sergio Flaksman)

ILUMINURAS

Finnegans Rivolta – James Joyce (org. Dirce Waltrick do Amarante, trad. Afonso Teixeira Filho, Andréa Buch Bohrer, André Cechinel, Aurora Bernardini, Daiane de Almeida Oliveira, Dirce Waltrick do Amarante, Fedra Rodríguez, Luis Henrique Garcia Ferreira, Tarso do Amaral, Vinícius Alves e Vitor Alevato do Amaral, ilustr. Sérgio Medeiros)

A Visual Finnegans Wake on the Island of Breasil – Sérgio Medeiros

JABUTICABA

Virá a morte e terá os teus olhos – Cesare Pavese (trad. Elena Santi e Cláudia Alves)

História do Leite – Mónica Ojeda (trad. Ayelén Medail)

Pastores e mestres – Ivy Compton-Burnett (trad. Vilma Arêas)

O livro do Martim – Daniel Francoy

Caderno Goiabada – Nina Rizzi

Minimal Existencial – Paulo Tavares

Bate um coração – I Acevedo (trad. Paloma Vidal)

Coletânea de poemas de Diane di Prima (trad. Fernanda Morse)

Filhos de Adão – Walt Whitman (trad. Eric M. Sabinson)

Tanto tempo para aprender a escrever um poema com hortênsias – Clarisse Lyra

Necrópole – memórias – Vladislav Khodassiévitch (trad. Bruno Gomide)

No ano de 2040: poemas – Valéri Pereléchin (trad. Letícia Mei)

Botões Tenros – Gertrude Stein (trad. Arthur Lungov)

JANDAÍRA

Nazismo – Como ele pôde existir – Eduardo Szklarz

Discurso de ódio nas redes – de Luiz Valério

KALINKA

Seleta de poemas de Púchkin (trad. Felipe Franco Munhoz)

Os itálicos são meus – Nina Berbérova

O bom Stálin – Víktor Eroféiev (trad. Moissei Mountian)

MARÉ EDITORA

Rosário da ilusão – João do Rio

MOINHOS

A cidade líquida – Filipa Leal

Águas abundantes de um planeta recém–nascido – Kah Dantas

Alma e frio – Cesar Kiraly

Decote da dama de espadas – Adília Lopes

Distâncias – Habitantes – Susana Thenón

O que pesa no norte – Tiago Germano

Pode-se dissociar a obra do autor – Gisele Sapiro

OFICINA RAQUEL

Correio da Roça – Julia Lopes de Almeida

Mário de Andrade – os anos 20 (Paulicéia Desvairada + Losango Cáqui + O Clã do Jabuti)

Coleção Cronistas do Rio
– Chrisanteme

A ilha fantástica – Germano Almeida

nassim-nicholas-taleb-investimentos.jpeg
Taleb: livro novo pela Objetiva.
OBJETIVA

A cama de Procusto – Nassim Nicholas Taleb

PAPÉIS SELVAGENS

Na pausa – Diego Meret

Roland Barthes, literatura e poder – Alberto Giordano

Tudo é grande demais para a pobre medida da nossa pele – Bernardo Brayner

A confissão – César Aira

Moi, laminaire – Aime Césaire

A ilha deserta – Roberto Artl

O gosto das coisas etnográficas. Os sentidos na antropologia – Paul Stoller

Teoria crip – Robert Mcruer

PENGUIN COMPANHIA

Alcibíades I – Platão (trad. Celso Vieira)

PINARD

Huasipungo – Jorge Icaza

Museu do Romance da Eterna – Macedônio Fernandez (trad. Silvia Massimni Felix)

Homens de milho – Miguel Ángel Asturias

Eu o Supremo – Augusto Roa Bastos

A família do Comendador – Juana Manso

Middlemarch – George Eliot (trad. Leonardo Fróes)

Antologia poética de Langston Hughes

PONTO EDITA

Aos meus versos escritos tão cedo… chegará a sua hora – Marina Tsvetáeva (trad. Verônica Filíppovna)

Eletrônica – Enzo Maqueira (trad. Mauricio Tamboni)

Dicionário sinfônico – Ernesto Alaimo (trad. Bruno Cappello)

REFORMATÓRIO

Souvenirs de guerra – Mário Bortolotto

Memórias sentimentais de um gauche na vida – Roger de Andrade

Depois será tarde – Luciana Annunziata

Edifício Ouroboros – Renato Tardivo

Marinheira de açude – Michelli Provensi

Nesses dias impossíveis – Paula Autran

Belezas imperfeitas – Vitor Penha

Maria – Adriana Armony

Atire a primeira pedra – Mike Sullivan

Estudo sobre o fim – Paula Fábrio

Pelas periferias – antologia de contos (org. Alessandro Buzo, diversos autores)

beckett.jpeg

RELICÁRIO

Também eu danço: poemas (1923–1961) – Hannah Arendt (trad. Daniel Arelli)

Poesia completa – Samuel Beckett (trad. Marcos Siscar e Gabriela Vescovi)

Tristia/Tristezas – Ovídio (trad. Júlia Avellar)

Poena Damni – Dimitris Lyacos (trad. José Luís Costa)

Uma a outra Tempestade (a partir de Césaire e Shakespeare) – Guilherme Gontijo Flores e André Capilé

A Invenção da Viagem: A História dos Relatos Que Contam o Mundo – de Juliana González–Rivera (trad. Michelle Strzoda)

A irmã caçula – um retrato de Silvina Ocampo – Mariana Enríquez (trad. Mariana Sanchez)

Constelações – Sinéad Glesson (trad. Maria Rita Viana)

As mulheres de Shakespeare – Nara Vidal

Nós Somos Muitas: Crise – Cultura e Esperança – Pedro Meira Monteiro

Las Sinsombrero – Tania Balló

Tradução-Exu – Guilherme Gontijo Flores e André Capilé

Procurar uma frase – Pierre Alferi (trad. Inês Oseki–Dépré)

O livro de Tamar – Tamara Kamenszain (trad. Paloma Vidal)

Hiroshima – meu amor – Marguerite Duras (trad. Adriana Lisboa)

Moderato Cantabile – Marguerite Duras (trad. Adriana Lisboa)

Destruir – disse ela – Marguerite Duras (trad. Adriana Lisboa)

Brilhar como vida – Maria Grazia Calandrone (trad. Patricia Peterle)

Prosa completa – Alejandra Pizarnik (trad. Nina Rizzi e Paloma Vidal)

Walter Benjamin metacrítico: uma poética do pensamento – Patrícia Lavelle

Confiscação: Das palavras– das imagens e do tempo – Marie José-Mondzain (trad. Pedro Corgozinho)

As outras constelações: antologia de filósofas do Romantismo alemão (trad. Fabiano Lemos)

A promessa cultural do estético – Monique Roelofs (trad. Carla Damião)

ROÇA NOVA

Cada despedida – Mariana Dimópulos

Viajante crônica – Hebe Uhart

Filhote de cisne – Season Buttler

Contos de Hebe Uhart

Contos de Luci Collin

Um é suficiente (título provisório) – Flora Nwapa

Pedra, papel, tesoura – Inés Garland

RUA DO SABÃO

Inventando Anna – Rachel DeLoache Williams

Caráter – Ferdinand Bordewijk (trad. Daniel Dago)

O guardião de nomes – Leonardo Garzaro

A escória da terra – Arthur Koestler

O inimigo conhece o sistema – Marta Peirano

Feminismo na periferia – Mikki Kendall

Luz de Neón – Helena T.

Meu Coração – Else Lasker–Schuller (trad. Murilo Jardelino e Ebal Bolacio)

TODAVIA

Lira mensageira: Drummond e o grupo modernista mineiro – Sergio Miceli

Diderot e a arte de pensar livremente – Andrew Curran

Em carne viva – Jacqueline Woodson

Os órgãos dos sentidos – Adam Ehrlich Sachs

Esse cabelo – Djaimilia Pereira de Almeida

O verão selvagem dos teus olhos – Ana Teresa Pereira

Potlatch – Guilherme Gontijo Flores

As maravilhas – Elena Medel

A nuvem negra – Fred Hoyle

Meu amigo morto – Simon Gärdenfors

Dilúvio das almas – Tito Leite

Em outro compasso – William Melvin Kelley

As visionárias – Wolfram Eilenberger

Quando deixamos de entender o mundo – Benjamín Labatut

Fooquedeudiários – Nuno Ramos

Clara da Luz do Mar – Edwidge Danticat

O óculos de ouro – Giorgio Bassani

The Twilight World – Werner Herzog

Mensagem – Fernando Pessoa

La buena suerte – Rosa Montero

The Tender Narrator – Olga Tokarczuk

The Fran Lebowitz Reader – Fran Lebowitz

Don’t let me be lonely – Claudia Rankine

Twelve Caesars – Mary Beard

Os santos – Leandro Assis e Triscila Oliveira

The Death of Vivek Oji – Akwaeke Emezi

A negação – Sigmund Freud

Second Place – Rachel Cusk

Memórias do subsolo – Dostoievski

Livro ainda sem título de Francisco Bosco

Livro ainda sem título de Cristóvão Tezza

Livro em prosa de Ricardo Aleixo

Uma breve história do racismo no Brasil – Ynaê Lopes dos Santos

SEGUINTE

Última parada – Casey McQuiston

adonis-1024x641.jpeg
Especializada em literatura árabe, Tabla publica poeta Adônis.
TABLA

Uma mulher estranha– Leyla Erbil (literatura turca)

Gaza, terra da poesia (antologia poética de autores jovens — entre 20 e 30 anos — de Gaza, Palestina)

Dez mitos sobre Israel – Ilan Pappe (não-ficção)

É Londres! – Hanan Al Shaykh

Samarcanda – Amin Maaluf

Relatos da China e da Índia – Abu Zayd Assirafi

Meu nome é Adam (1º volume da trilogia Crianças do gueto) – Elias Khoury

O tumor – Ibrahim Al-Kôni

Marraquexe noir (vários autores)

Bagdá noir (vários autores)

A família que devorou seus homens – Dima Wannous

O Instituto de Regulação das Horas (título provisório) – Ahmet Hamdi Tanpınar (literatura turca)

Ode à errância – Adonis

A queda do imã – Nawal Saadawi

A tatuagem de pássaro – Dunya Mikhail

Trës novelas de Ghassan Kanafani (para lembrar os 50 anos da morte do autor)

TEMPORAL

O despertar da primavera – Frank Wedekind

UBORO LOPES

Mil Placebos – Matheus Borges

O grande acontecimento (contos) – Belcampo (trad. Daniel Dago)

Histórias de monstros – Juan-Jacobo Bajarlía

O minotauro fuma um cigarro – Steven Sherryll

Ritual – David Pinner

Instanciação – Greg Egan

Romance ainda sem título de Bruno Ribeiro

Taxonomia humana – Fábio Fernandes

Passarinha – Bruno Bandido

Medo dos pretos – Jorge Cardoso

UBU

Caminhar – uma filosofia – Frédéric Gros

A vontade das coisas – Monique David–Ménard

Viver uma vida feminista – Sara Ahmed

Geontologias – Elizabeth Povinelli

Arqueologia na Amazônia – Eduardo Góes Neves

Quando as espécies se encontram – Donna Haraway

O ambiente e processos de amadurecimento – Winnicott

Nem horizontal – nem vertical – Rodrigo Nunes

Happycracia – Cabanas e lllouz

O negro visto por ele mesmo – Beatriz Nascimento

In the wake – Christina Sharpe

Uma ecologia decolonial – Malcom Ferdinand

Família e o desenvolvimento individual – Winnicott

Condenados da tela – Hito Steyerl

Dire vrai sur soi–même – Michel Foucault

AI Ethics – Mark Coeckelbergh

Homem de areia – E.T.A. Hoffmann

VESTÍGIO

A grande história do mundo – François Reynaert (trad. José Manuel Barata–Feyo)

Trabalho – Uma história de como utilizamos o nosso tempo – James Suzman (trad. Rodrigo Seabra)

O senhor dos mares – A viajante inglesa e o imperador na independência do Brasil – Mary Del Priore

O reino da Dopamina – Anna Lembke (trad. Eliza Nazarian)

Quando as mulheres governavam o mundo – Maureen Quilligan (trad. Eliza Nazarian)

A morte é meu ofício – Robert Merle (trad. Arnaldo Bloch)

A Rota da Seda digital – Jonathan Hillman (trad. Luis Reyes Gil)

YELLOWFANTE

A casa que assoviava – Marta Lagarta (Ilustr. Angelo Abu)

A revolução dos bichos em cordel – Josué Limeira (Ilustr. Vladimir Barros)

Boa noite – Yolanda – Stella Elia (Ilustr. Weberson Santiago)

Menino Benjamim – Otávio Júnior (Ilustr. Isabella Santos)

Procura-se Carolina – Otávio Júnior (Ilustr. Isabella Santos)

Na rua lá de casa – Sonia Junqueira (Ilustr. Nelson Cruz)

A Guerra dos Botões – Louis Pergaud (trad. Reginaldo Francisco)

ZAHAR

Somos inteligentes o bastante para saber quão inteligentes são os animais? – Frans de Waal.

O eu soberano – Elisabeth Roudinesco

ZAZIE EDIÇÕES

Um novo TransparentoCeno? – Emmanuel Alloa (trad. Alexandre Brasil)

O Modelo – Lars Bang Larsen (trad. Sergio Flaksman)

O desmonte do monte – Sinai Sganzerla

Hollywood de Papel – Pablo Gonçalo

Totalitarismo: história e teoria – Enzo Traverso (trad. Matheus Targuêta)

O que aconteceu com os monumentos soviéticos? – Mischa Gabowitsch (trad. Alexandre Barbosa)

A mulher sentada: ensaio sobre cultura, ócio, criatividade e consumo – Graciela Montadlo

Coletânea de ensaios de Marie-José Mondzain (trad. Simone Petry)

É impossível descolonizar sem despatriarcalizar – Maria Galindo (trad. Simone Petry)

max-weber.jpeg
Max Weber: ciência e política em Duas Vocações.
ZOUK

Granja dos bichos – George Orwell (trad. José Francisco Botelho)

Ciência e Política – Duas Vocações – Max Weber (trad. Daniel Fanta)

Autobiografia de Mark Twain – Mark Twain (trad. Lívia Koeppl)

Lorca: 7 poemas, 7 traduções, 7 exercícios e 6 desenhos – Federico Garcia Lorca (trad. e transcriações Hugo Lorenzetti Neto)

A Ilíada de Homero em decassílabos duplos – Leonardo Antunes

Amália – José Mármol (trad. Polyana de Almeida Ramos)

Outros Modernismos – Luís Augusto Fischer, Giovanna Dealtry e Guto Leite

Gritos na garoa – Yu Hua (trad. Caio Yurgel)

Democracia precária – Benjamin Junge, Sean T. Mitchell, Alvaro Jarrín e Lucia Cantero (trad. Giovana S. de Oliveira)

A nebulosa do (auto)biográfico – Eurídice Figueiredo

Um itinerário íntimo pela psicanálise Lacaniana – Luciano Mattuella

Babel de contos – 34 contos de 34 línguas – (org. e trad. Carlos Freire)

Espiritualidade Incorporada – Rodrigo Toniol

A niilista – Sofia Kovaliêvskaia (trad. Odomiro Fonseca)


**************

vou dar uma bizu na lista e depois volto com comentários
 

Bartleby

how are you? from 10 to 1?
Ahh feliz que a Todavia vai publicar Quando deixamos de entender o mundo, de Benjamín Labatut 🥰 ansioso por esse.
 

Ana Lovejoy

Administrador
mesmo com luci collin e mariana enriquez na lista, dizer que meus olhinhos brilharam mesmo com a tradução de middlemarch (já era pra ter rolado ano passado? tenho uma vaga lembrança de promessa de middlemarch) e do langston hughes pela pinard. amo demais a poesia do hughes. a primeira que li dele foi

Harlem​


What happens to a dream deferred?

Does it dry up
like a raisin in the sun?
Or fester like a sore—
And then run?
Does it stink like rotten meat?
Or crust and sugar over—
like a syrupy sweet?

Maybe it just sags
like a heavy load.

Or does it explode?

mas desde 2016 minha favorita é let america be america again, porque é absurda de tão atual.

Let America Be America Again​


Let America be America again.
Let it be the dream it used to be.
Let it be the pioneer on the plain
Seeking a home where he himself is free.

(America never was America to me.)

Let America be the dream the dreamers dreamed—
Let it be that great strong land of love
Where never kings connive nor tyrants scheme
That any man be crushed by one above.

(It never was America to me.)

O, let my land be a land where Liberty
Is crowned with no false patriotic wreath,
But opportunity is real, and life is free,
Equality is in the air we breathe.

(There's never been equality for me,
Nor freedom in this "homeland of the free.")

Say, who are you that mumbles in the dark?
And who are you that draws your veil across the stars?


I am the poor white, fooled and pushed apart,
I am the Negro bearing slavery's scars.
I am the red man driven from the land,
I am the immigrant clutching the hope I seek—
And finding only the same old stupid plan
Of dog eat dog, of mighty crush the weak.

I am the young man, full of strength and hope,
Tangled in that ancient endless chain
Of profit, power, gain, of grab the land!
Of grab the gold! Of grab the ways of satisfying need!
Of work the men! Of take the pay!
Of owning everything for one's own greed!

I am the farmer, bondsman to the soil.
I am the worker sold to the machine.
I am the Negro, servant to you all.
I am the people, humble, hungry, mean—
Hungry yet today despite the dream.
Beaten yet today—O, Pioneers!
I am the man who never got ahead,
The poorest worker bartered through the years.

Yet I'm the one who dreamt our basic dream
In the Old World while still a serf of kings,
Who dreamt a dream so strong, so brave, so true,
That even yet its mighty daring sings
In every brick and stone, in every furrow turned
That's made America the land it has become.
O, I'm the man who sailed those early seas
In search of what I meant to be my home—
For I'm the one who left dark Ireland's shore,
And Poland's plain, and England's grassy lea,
And torn from Black Africa's strand I came
To build a "homeland of the free."

The free?

Who said the free? Not me?
Surely not me? The millions on relief today?
The millions shot down when we strike?
The millions who have nothing for our pay?
For all the dreams we've dreamed
And all the songs we've sung
And all the hopes we've held
And all the flags we've hung,
The millions who have nothing for our pay—
Except the dream that's almost dead today.

O, let America be America again—
The land that never has been yet—
And yet must be—the land where every man is free.
The land that's mine—the poor man's, Indian's, Negro's, ME—
Who made America,
Whose sweat and blood, whose faith and pain,
Whose hand at the foundry, whose plow in the rain,
Must bring back our mighty dream again.

Sure, call me any ugly name you choose—
The steel of freedom does not stain.
From those who live like leeches on the people's lives,
We must take back our land again,
America!

O, yes,
I say it plain,
America never was America to me,
And yet I swear this oath—
America will be!

Out of the rack and ruin of our gangster death,
The rape and rot of graft, and stealth, and lies,
We, the people, must redeem
The land, the mines, the plants, the rivers.
The mountains and the endless plain—
All, all the stretch of these great green states—
And make America again!

e essa aqui é </3

1640226205348.png
 

Béla van Tesma

#TeamLombadeiro. E vai ter elfo negro, sim.
Teatro completo de Eurípedes, vol. 1 (trad. Jaa Torrano)
:pray: Grazadeus!
A Ed.34 pelo visto fará o que a Iluminuras nunca foi capaz: lançar essa pérola em versão impressa. Estou há anos esperando...
 

Ana Lovejoy

Administrador
da coluna do dago no plural (https://www.plural.jor.br/colunas/daniel-dago/nova-editora-na-praca/):

O ano de 2022 se inicia com uma nova editora abrindo: Lupercália, tocada por Paulo André Costa Portela. O foco da nova casa, prevista para inaugurar em fevereiro/março, será livros inéditos no Brasil, todos traduzidos diretamente da língua original. Os primeiros quatro título são:

  • As Revelações da Morte, de Lev Chestov (trad. Pedro Augusto Pinto e Ramon Maia)
  • Dostoiévski, de André Gide (trad. Emilie Audigier e Walter Carlos Costa)
  • Reflexões sobre as Origens do Hitlerismo, de Simone Weil (trad. Bruno F. Castro; revisão técnica: Fernando Scheibe)
  • O Senhor de Bougrelon, de Jean Lorrain (trad. Eclair Antonio Almeida Filho e Odúlia Capelo)
No meio do ano a Lupercália publica ainda:

  • Terceira Noite de Valpúrgis, de Karl Kraus (trad. Renato Zwick)
  • Os Problemas da Estética, de Jean-Marie Guyau (trad. Eclair Antonio Almeida Filho)
 

Béla van Tesma

#TeamLombadeiro. E vai ter elfo negro, sim.
Queria ter capital inicial pra bancar uma editorazinha assim, comprando direitos de tradução e pagando os tradutores. Parece que essa editora aí vai ser bem simpática. :3
 

Ana Lovejoy

Administrador
Queria ter capital inicial pra bancar uma editorazinha assim, comprando direitos de tradução e pagando os tradutores. Parece que essa editora aí vai ser bem simpática. :3

hahahahaah enquanto li a coluna pensei a mesma coisa. queria ser rycaaaah para ser uma anica cosac. lançar trust exercise e dept. of speculation - cada ano sem esses dois aqui no brasil é uma derrota. se bem que tuca falou que o xerxenesky estava traduzindo o da offill? ou talvez eu esteja me confundindo, depois eu confirmo a informação.

aliás, estava pensando aqui que com o dólar alto as editoras provavelmente vão segurar um pouco a compra de direitos dos estrangeiros, né? tendência é que a gente veja muita coisa de domínio público ou que já estava engatilhada, mas novidadeeee, novidade mesmo vai ficar lá para a todavia que com certeza fez pacto com o demonho para conseguir ter dinheiro para comprar os direitos dos melhores livros mesmo no meio dessa crise.
 

Spartaco

200 anos do nascimento
Está sendo lançada neste mês uma antologia inédita de Marina Tsvetáeva, publicada pela Pontoedita, e que cobre todas as fases desta poetisa russa, uma das principais do século XX.

Marina Tsvetáeva - Antologia.jpgMarina Tsvetáieva -1913.jpg
Edição bilíngue, “Aos meus versos, escritos tão cedo… chegará a sua hora” é organizada por Verônica Filíppovna, doutora em Teoria Literária e pesquisadora de literatura russa na UFRJ que assina também a tradução e a apresentação desta antologia.

Entre esses poemas estão tanto aqueles escritos na Rússia quanto os produzidos durante os anos em que Marina Tsvetáeva viveu em Berlim, Praga e Paris e depois de seu retorno à União Soviética. Sua obra poética, elaborada a partir de reminiscências, frustrações e do cotidiano pessoal e familiar, transita entre a memória, o sonho e certa espiritualidade e, sendo tão multifacetada quanto ela própria, testemunha o percurso de uma poeta que, desde a infância até o suicídio, viveu intensamente cada circunstância e atribuiu sentido à sua vida através da escrita.

O projeto editorial autoral propõe ao leitor uma forma de explorar o tempo da poesia, desde a escolha do cantor e performer brasileiro São Yantó para a intervenção poética de abertura até escolha de um poema como título: “Aos meus versos, escritos tão cedo, quando eu nem sabia, eu – poeta, a jorrar, como pingos da fonte, como faíscas de um foguete, a pular, como pequenos demônios, no santuário, onde há sono e incenso, aos meus versos de juventude e de morte – versos nunca lidos! – espalhados por estantes empoeiradas, onde ninguém os pegou e nem os pegará, chegará a sua hora”.
 

dermeister

Ent cara-de-pau
@dermeister olha como apareceu o post pra mim

Ver anexo 92227


eu tive que editar pra ver que era um link do facebook. é treta do meu navegador? treta com adblock?


Pode ser o adblock mesmo, mas depende muito da configuração. Aqui eu uso o uBlock origin no Firefox 96 com uma blacklist que o impede de carregar automaticamente qualquer coisa da CDN do Facebook a partir de outros sites (assim me livro da Zuckelândia inteira de uma vez só), e aparece desse jeito:

Screenshot from 2022-02-07 11-50-02.png
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$950,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo