• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Reforma da Previdência

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Uma coisa é que o êxito do placar de votação favorável a essa reforma se deve muito a articulação do Rodrigo Maia, peça fundamental nesse tabuleiro.
 

Haran Alkarin

Usuário
66760546_456392211822236_6385317167314763776_o.jpg

upload_2019-7-12_20-18-23.png

E os beneficiados por essa medida foram sobretudo os policiais do âmbito federal, e não policiais militares ou outro tipo de policiais que combatem o crime diretamente na rua.
 
Última edição:

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Agora é o momento que cada categoria vai mostrando sua força política pra se dar bem nessa verdadeira queda de braço que ficou.
 

Eriadan

Usuário
Usuário Premium
O grande lance para mim que ainda não ficou claro - confesso que também por falta de pesquisa - é o impacto da reforma sobre a desigualdade. Quem se opõe diz que vai piorar; quem apoia - ou pelo menos alguns dissidentes da oposição (nesse aspecto) que tenho acompanhado, como Tábata - afirmam que a redução das distorções entre os mais pobres e os mais privilegiados é justamente um dos trunfos da reforma. O que vocês têm de concreto sobre esse ponto?
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Enquanto a reforma ainda estiver sujeita a revisões entre turnos de votação, numa análise mais geral, por enquanto eu não tenho uma opinião definitiva, mas se olharmos isoladamente somente por categorias é claro que a questão da desigualdade inevitavelmente será maior pra uns e menor pra outros, pois será impossível fazer uma reforma sem deixar algumas arestas bem visíveis.

Eu acredito que a reforma deva atingir todos votos necessários e ser concluída até o fim de todas as etapas, mas não será um desfecho tão rápido e tranquilo devido a muita discussão que ainda haverá entre as categorias.
 

Eriadan

Usuário
Usuário Premium
se a Tábata falou, estou com ela!
Eu a acompanho desde a campanha e confio 100% na boa fé dela, mas essas questões delicadas de ordem técnica e com muito ruído político são altamente suscetíveis de levar a erros de percepção, por melhor intencionada que seja a vítima.
 
Última edição:

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Bom, com o tempo mínimo de contribuição mantido em 15 anos, não dá para dizer que essa reforma penaliza os mais pobres.
Um detalhe importante sobre esses 15 anos

Redução de 20 para 15 anos de contribuição é só para homem que já trabalha
A Câmara dos Deputados alterou trechos da reforma da Previdência durante a votação em 1º turno. Uma das mudanças foi baixar de 20 para 15 anos o tempo mínimo de contribuição para homens poderem se aposentar. Porém, isso só valerá para o trabalhador que já está no mercado e contribui com o INSS antes de a reforma entrar em vigor. Para os novos trabalhadores, que começarem a contribuir depois de a reforma ser aprovada, serão exigidos ao menos 20 anos de contribuição.
 

Haran Alkarin

Usuário
O grande lance para mim que ainda não ficou claro - confesso que também por falta de pesquisa - é o impacto da reforma sobre a desigualdade. Quem se opõe diz que vai piorar; quem apoia - ou pelo menos alguns dissidentes da oposição (nesse aspecto) que tenho acompanhado, como Tábata - afirmam que a redução das distorções entre os mais pobres e os mais privilegiados é justamente um dos trunfos da reforma. O que vocês têm de concreto sobre esse ponto?
Antes de se preocupar com o aumento de desigualdade, uma questão é: "a previdência é deficitária?". Pelo que sei toda a proposta da esquerda (PT, Ciro e PSOL) era negar que a previdência era deficitária, e culpar a DRU pela "aparência" de déficit. Só as propostas que concordam sobre a causa do problema é que podem ser comparadas entre si no que diz respeito a prosperidade, desigualdade, etc. Do contrário é como comparar tratamentos para doenças diferentes...

se a Tábata falou, estou com ela!
Tá louco? :ping: Até ontem era mascote de Ciro Gomes....
 

ExtraTerrestre

Usuário
Eu acho a questão do déficit ou não da Previdência ccmpletamente secundária, porque déficit ou superávit é uma questão muito mais contábil do que econômica.

Se as contribuições previdenciárias patronais e laborais não derem conta de pagar todo o benefício, o dinheiro vai ter que sair do caixa geral, financiado por impostos de siglas começadas com 'I'. Mas é tudo tributo do mesmo jeito.

A questão central é mesmo o custo total do sistema como proporção do PIB.
 

Haran Alkarin

Usuário
Mas por que exatamente é uma questão "completamente secundária"? Tem algum cenário em que uma previdência deficitária não seja um problema, se o déficit for razoavelmente grande? Concebo propostas que abaixem consideravelmente o déficit sem extingui-lo, mas ainda assim o déficit seria o problema que estaria sob ataque...

Pelo que entendi do que você expôs, a previdência poderia ter déficit indefinidamente, se este déficit, para ser coberto, exaurisse poucos recursos se comparados ao PIB. É isso? Se for, não vejo grande mudança no diagnóstico do problema. O PIB só forneceria uma escala sobre a qual se poderia dizer se o déficit é grande ou não. Se o déficit não é grande o bastante, uma pequena reforma poderia ser feita para convertê-lo num superávit, apenas alterando a distribuição de contribuições e impostos, mas mantendo direitos. Ou o déficit poderia ser mantido e coberto regularmente pela União. Mas se o déficit é grande ou crescente o bastante, tais estratégias não seriam duradouras. Um grande déficit na previdência indicaria um problema real, problema que quem apoia a ideia do superávit não enxerga.
 
Última edição:

Eriadan

Usuário
Usuário Premium
Eu também acho que seja uma questão secundária, porque diferentes respostas podem concordar com a mesma conclusão (reformar) e até com os mesmos métodos (capitalização, p. ex.). Você pode considerar que a Previdência não tem déficit, mas que a liquidez é relativa ou insignificante, e que o atual modelo é insustentável.
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.225,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo