• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

A Fortaleza da Pedra Brilhante - O Jogo

Pepe

Usuário
Jonathan que acabara de chegar estava pronto para a batalha.

Confere se todos seus amigos estão ao seu lado e diz:

"Não se dispersem!!! Pelor vai nos ajudar!!! (A segunda frase ele fala em tom mais alto e firme)
 

Al Dimeneira

Dungeon Master
Jonathan pediu a seus amigos que ficassem juntos em meio a correria e agitação dos soldados que saiam da teverna, apesar dos conselhos do clérigo Gorpo tomou a dianteira de deixou o recinto.

Assim que o salão se esvaziou o grupo notou outra auxência: Nib havia sumido.

Wardinok o vira pela última vez caminhando para o fundo da taverna enquanto a pequena multidão de soldados caminhava atabalhoadamente na direção contrária.
 
Última edição:

Lyvio

Usuário
Gorpo se mantinha parado em meio a movimentação, ele tentava olhar constantemente a saída da taverna para ver o grupo sair, mas a quantidade de "grandes" era muita e ele ficou sem a visão desejada, mesmo assim se mantem firme esperando ver algo, logo acima, Batro vôa em círculos facilitando a localização do pequenino do grupo.
 

Pepe

Usuário
Jonathan apesar do susto, não se sentia surpreendido pela peripécia de Nib, sabia que ele era capaz de cuidar de si e que apareceria quando o momento fosse oportuno.

"Não podemos esperar por Nib, a população desta cidade precisa de nossa ajuda!!! Vamos nos colocar em posição para a defesa da cidade" - Termina de dizer a frase indo para a saída da taverna.
 

Dáin-Pé-de-Ferro

Citando posts esquecidos
Wardinok faz "tsc, tsc, tsc". Ele sente-se preocupado com Nib e não está tão confiante na volta do bardo quano os outros, mas está mais preocupado com o pequeno druida imprudente e o clérigo fanático, e resolve seguir os amigos.
 

Al Dimeneira

Dungeon Master
Os companheiros pagaram suas contas, inclusive a parte de Nib, e sairam da taverna. Do lado de fora também era grande a agitação e todos corriam na mesma direção: o acampamento do exército, ao norte de SelaLonga.

Não houve nenhuma dificuldade em encontrar o acampamento, pois ele era muito grande, Wardnok imaginou que haveriam ali no mínimo uns 2000 soldados. Também não foi difícil encontrar a tenda dos comandantes, pois todos os soldados sabiam indicar o caminho.

Ao chegarem à pequena tenda os aventureiros se anunciaram aos guardas e logo foram convidados a entrar. Uma vez lá dentro todos se espantaram pois a tenda era muito maior por dentro do que por fora: Um grande salão onde uma 50 pessoas conversavam com faces preocupadas.

Haviam alguns anões com armaduras decoradas como vocês nunca haviam visto, e muitos humanos com trajes de batalha mais simples. Não havia nenhum elfo e todos os olhares se voltaram para Wardinok assim que ele entrou no salão, depois de alguns segundos todos voltaram aos seus assuntos e o grupo foi conduzido por um guarda até a presença do senhor Harcle Harpell.

Harcle era um Homem que beirava os 60 anos, e trazia em seu rosto as marcas do tempo. Ele era um pouco gordo e usava um robe apertado que não colaborava em nada para melhorar sua aparência. Assim gue foram apresentados Harcle falou:

"- Senhores, nós não nos conhecemos e não sei realmente o que posso esperar de vocês ou até mesmo se posso confiar em vocês, mas como já devem ter percebido estamos cominhando à beira de um abismo, qualquer passo em falso será o último. Assim não tenho escolha senão aceitar toda a ajuda que me é oferecida. Estamos enviando alguns grupos pequenos de combatentes para ajudar algumas vilas que estão sendo atacadas, enquanto nosso maior contingente marcha para o norte. Acreditamos que o objetivo destes ataques é espalhar o pânico e o terror e fazer com que as pessoas abandonem suas terras. Devo admitir que em vários lugares isso tem dado certo."

Harcle ficou pensativo durante alguns segundos e depois recomeçou:

"- Marikest é uma dessas cidades, eles tem sido aterrorizados por um grupo de orcs que ocupou a alguns dias uma antiga fortaleza abandonada. Vários camponeses foram mortos ou feitos prisioneiros, e agora boa parte da população está abandonando a cidade. O conselho da cidade me enviou um pedido de socorro, mas neste momento não tenho como responder. Preciso de um grupo que vá até a fortaleza e acabe com aqueles orcs, simples assim. Não tenho como oferecer nenhuma recompensa, mas acredito que situações desesperadoras exigem recompensas à altura: caso consigam libertar a fortaleza, poderão tomar posse de todas as terras abandonadas ao redor e da própria fortaleza. Caso essa guerra termine favorável a nós, essas terras valerão uma fortuna, caso contrário ..."

Harcle termina fazendo uma expressão sombria povoada de vários pensamentos terríveis que podem se tornar realidade caso seu exército caia diante dos orcs.
 

Lyvio

Usuário
Gorpo avança um pouco para ser visto plos demais devido a seu tamanho, e, virando-se para Harcle ele pergunta:

-Senhor Harcle, sou Gorpo, o Hafling Drúida, ficaria muito satisfeito em ajudar a Salvar a cidade de Marikest, mas, se possivel, nós queriamos saber se tem mais alguma informação acerca desses orcs, se há um Líder os comandando, algum tipo de capitão ou coisa parecida, essas informações poderiam nos ajudar a planejar o ataque com mais segurança, todas as informações possiveis que o senhor tiver queríamos saber.
 

KingElessarEledwhen

Elder Dragon
Darton seguia a baubúrdia juntamente com os demais. Por hora ou outra quase os perdia de vista mas no fim acabava os encontrando graças ao morcego que sobrevoava o pequeno.

Passando pelas barracas o jovem ladrão se sentia incomodado, afinal ele detestava guardas e soldados devidos a próprias experiências passadas em sua vida ilícita. Finalmente chegava a barraca onde estava o grupo com quem conversara na taverna e Harpell a quem deveria buscar informações acerca da missão.

Logo que o velho homem concluiu sua fala o pequeno druida se pronunciara e Darton começava a elaborar suas perguntas de sempre enquanto aguardava a resposta de Harcle.
 

Garudius

Nível 4
Alanian nada dissera desde que chegara na taverna e continuou assim até o encontro com o comandante. Ouviu atentamente a situação ao qual se encontrava os combates entre humanos e orcs, também ouviu a oferta do comandante em oferecer terras que pelo que o ranger entendia não eram de fato dele.
Após a pergunta que o druida havia elaborado, o ranger decide interrogar o comandante sobre a oferta ao qual fizera para grupo.

Senhor Harcle Harpell, pelo que entendi o senhor está oferecendo uma terra que não lhe pertence, como forma de pagamento aos nossos serviços, é isso mesmo? Por que se for, o que será feito dos habitantes daquele local? O que fará com os antigos donos daquelas terras?
Se minha recompensa for em apoderá-se de terras que já são habitadas, tendo que retirar os seus antigos habitantes do local, receio que não farei parte desta batalha, muito menos me tornar, a força, o chefe ou dono da cidade por assim dizer.


O ranger não tinha interesse algum em obter terras como forma de pagamento, sendo que ele acredita que a terra pertence a todos e a todos deve ser compartilhada. Era esse o maior dos motivos de não viver em meio a sociedades, não aceitava essa especificação de propriedade privada que os humanos inventavam para demarcar seu território. Alanian sabia que a maioria dos conflitos entres os humanos eram justamente por essa briga tola por território, o ranger era um ser selvagem por natureza e para ele a sua casa sempre será a floresta.
 

Al Dimeneira

Dungeon Master
Harcle responde a Gorpo:

"- Com certeza há um líder meu caro Gorpo, pois é assim que os orcs se organizam, mas nada sei sobre ele. Talvez em Marikest vocês consigam alguma informação adicional."

E depois responde a Alanian:

"- Certamente o senhor não compreendeu o que foi dito Sr. Alanian: Não haverá recompensa alguma por esta missão.
Vocês receberão simplesmente gratidão, caso derrotem os orcs, e o reconhecimento por parte do conselho de Marikest caso ocupem a fortaleza e as terras que hoje se encontram abandonadas e infestadas por criaturas malígnas.
O que os senhores farão depois de liberar aquelas terras é uma decisão que devem discutir entre si. Imagino que alguns pretendam dividir a terra e vender a sua parte, caso encontrem compradores, outros podem tentar descobrir se àquela terra possuia algum dono para restituir-lhe a propriedade. Particularmente eu gostaria muito que os senhores fizessem daquele lugar sua base de operações, pois é sempre bom ter um grupo talentoso por perto em tempos de incerteza."
 

Lyvio

Usuário
-Sendo assim, não haverá problemas, em Marikest obteremos mais informações, não tenho mais nada a perguntar, quanto a fortaleza, uma base de operações seria muito interessante, quanto as terras... -Gorpo para um pouco e se põe a pensar- Talvez eu me dedique a plantar árvores silvestres e fazer uma bela floresta, aos poucos cuidarei disso, se o grupo decidir que lá será a base de operações realmente, essa tarefa se tornará mais fácil.

O drúida faz um sinal em agradecimento e espera os demais se pronunciarem.

-Por mim, partiremos para Marikest agora mesmo, não temos muito tempo!
 

Dáin-Pé-de-Ferro

Citando posts esquecidos
Wardinok manifesta-se pela primeira vez no conselho:

- Senhor Harcle, auxiliá-lo nesta questão, especialmente em se tratando de orcs, seria um grande prazer. Gostaria de saber, porém, como é seu padrão de ataques, seu número estimado, se foram avistados arcanistas entre eles, seu tipo de equipamento, no que se refere a cavalaria, montada em cavalos ou seja o que for que aceite orcs, arqueiros, lanceiros, sua experiência de combate, se tratam-se de recrutas ou um exército, seu nível de organização, e, finalmente, uma descrição minuciosa da fortaleza e das áreas que ocuparam auxiliaria a definição de um plano de batalha; com essas ou parte dessas informações saberemos pontos-chave de ataque, esconderijos eficientes e outras conhecimentos úteis.

Ele se cala e espera a resposta de Harcle com uma expressão séria e intensa.
 

Al Dimeneira

Dungeon Master
"- Acredito que seu número não alcance uma centena de combatentes, e acredito também que exista pelo menos um feiticeiro entre eles."

"- Quanto ao equipamento e a organização dessa tropa, não tenho detalhes para fornecer, apenas sei que não foram vistos cavalos."

"- Temos uma planta da fortaleza, mas ela é antiga e não sei dizer se houveram modificações depois disso."

Harcle pede para um ajudante buscar a planta e em alguns minutos ele volta com um pequeno rolo de pergaminho. Harcle abre o pergaminho sobre a mesa e explica para os aventureiros:



"- A fortaleza fica num platô elevado e existe uma trilha estreita que leva até o platô. Acredito que essa trilha deve estar sendo vigiada. Pelo norte as montanhas cercam a fortaleza, seria necessário alguma habilidade em escalar para descer por aqui."

Off.: O mapa é pra que vocês planejem sua aproximação e a possível invasão da fortaleza, pela trilha ao sul vocês podem caminhar normalmente. Vocês também podem escalar o platô de 15 metros de altura ao sul ou dar a volta pelas montanhas ao norte e descer o paredão de 30 metros de altura ao norte. Vocês não estão limitados a essas opções, caso tenam uma idéia melhor podem pôr em prática.
 

KingElessarEledwhen

Elder Dragon
Darton se aproxima e olha o mapa pensativo até que finalmente se manifesta.

"Muito interessante, creio que o reconhecimento interno do local seja muito apropriado, mas como não dispomos de tal informação teremos que obter por detrás das linhas inimigas.

Sugiro a volta pelo norte da fortaleza e a descida pela montanha na altura do alojamento leste, receio que talvez este esteja menos guardado que o alojamento principal e ainda assim estaríamos fora do alcance das torres. Após uma incursão no alojamento podemos nos infiltrar mais facilmente e descobrir mais sobre a concentração de tropas. Um ataque direto seria insensato na minha opinião. Ainda mais com orcs que são criaturas brutas e selvagens, devemos tirar vantagem de nossa inteligência superior.

Outra possibilidade é que se líder esteja interessado em algo além de tomar tais terras e com isso possamos, com uma chance remota de ele ser mais esperto que um animal, negociar e enganá-lo.

Por experiência própria eu diria que a maioria das missões bem sucedidas se deviam a um reconhecimento prévio acerca dos mais variados tópicos. E precisão nas informações é algo que garante o sucesso.

O que me diz com seu conhecimento Harcle? Acha que alguma destas sugestões seria viável ou apenas perderíamos tempo?"
 

Dáin-Pé-de-Ferro

Citando posts esquecidos
- Certamente ocorreram outros conflitos além do de Marikest? Alguém deve haver visto os orcs para que os saibamos lá, e deve saber uma base do que seus soldados rasos utilizam por armas. Ou estarei enganado?
É a réplica de Wardinok a Harcle. Vendo o mapa, ele chama a atenção para alguns pontos:
- Estas torres, aqui, aqui e aqui: qual a sua altura? E as montanhas e o platô, a depressão, são pedregosos ou terrosos, há plantas, rasteiras ou arbustos e árvores, ou solo nuo; há muitos animais ou são majoritariamente desertos?
 

Lyvio

Usuário
Mais um Feiriceiro entre eles...-Gorpo suspira, lembrando do embate com Balsaag-

Ao vero mapa e escutar ateto as informações de Harcle e as opiniões dos demais Gorpo se pronuncia:

-Escalar não será problemas, o Batro meu Morcego Atroz, tem tamanho suficiente para levar de um a um até o topo da montanha, lá, talvez seja a passagem menos vigiada tendo em vista o acesso ser de grande dificuldade, mas, com um morcego atroz no grupo isso facilitará um pouco. O batro não é muito simpático, mas está em avançado estagio de aprendizagem e adaptação para ser cavalgado, inclusive em combates. Ele está amançando, isso é uma ótima vantagem para nós! Não acham?
 

Al Dimeneira

Dungeon Master
Harcle responde Darton:

"- A aproximação pelo lado do alojamento leste me parece uma boa idéia, e tentar obter alguma informação do nterior da fortaleza também vai ajudar com certeza, já quanto a negociação com o líder deles, não acredito que isso seja possível, esses monstros tem uma só intenção: Aniquilar todos os humanos do norte."

E em seguida responde Wardinok:

"- Infelizmente não posso afirmar nada quanto às suas armas, mas acho que vocês devem esperar um armamento comum: maças, machados, azagaias, fundas e outras armas normalmente usadas por orcs. Sobre as torres, posso dizer que devem ter aproximadamente 20 metros de altura e a muralha deve ter uns 12 metros se me lembro bem. A planície ao sul da fortaleza era verde e cheia de vida, árvores e animais. O platô onde fica a fortaleza era estéril, não havia nele qualquer planta e as montanhas ao norte eram predominantemente rochosas com poucas plantas. É claro que minhas recordações são antigas e muita coisa pode ter mudado desde então."
 
Última edição:

Garudius

Nível 4
Alanian pensa na resposta dada por Harcle e conclui que dá na mesma, pois quando recuperarmos as terras tomadas pelos orcs foi permitido fazer o que quizermos com ela. Porém, para não ser um incômodo para o grupo que possívelmente aceitará esse acordo, decide não falar nada deste assunto por hora e concentrado na questão da infiltração na fortaleza ouve cada opinião e tenta formular dela uma estratégia mais eficiente. Ele avalia suas conclusões e diz:

Acredito que não precisamos nos preocupar com a tropa orc a não ser seu posicionamento, período de vigília e suas vulnerabilidades. O que temos de fazer é derrotar o líder dos orc´s e criar uma brecha na fortaleza para que os soldados do senhor Harcle possam ultrapassar. A idéia do Senhor Darton é boa, porém se houver sentinelas postos em torres para vigiar essa canto, mesmo que sejam apenas dois já será suficiente para abater todos nós, justamente pelo vantagem de terreno. Lembre-se que quando descermos pelas montanhas teremos que usar nossas mãos para nos apoiarmos e isso nos deixa sem defesa contra qualquer ataque de arcos ou bestas. Eu sugiro que usemos a única vantagem que temos disponível neste exato momento para planejarmos nossas ações e Gorpo será o responsável por esta missão.

O ranger pousa sua mão em cima do ombro do amigo druida e continua:

Usando de seu tamanho e de seu mais novo companheiro animal, ele sobrevoará numa altura significativa a fortaleza inimiga e avaliará a situação para nós. Isso será feito em três noite, acho que com isso teremos a base de como está organizado as defesas da fortaleza e com isso encontraremos a área mais vulnerável da mesma. Acredito que os orcs não suspeitariam que um morcego sobrevoando sua fortaleza seria na verdade o inimigo, além de que morcegos tem uma vantagem muito eficiente que é seu vôo silencioso, o que ajuda na furtividade. Após avaliada a situação da organização do inimigo, faremos as preparação para infiltrarmos na fortaleza e o objetivo deverá ser apenas dois: O líder dos orcs e sabotar áreas vitais para o exército orc sobreviver tais quais: Suprimentos, depósitos de armas e etc.
Nossos planos podem mudar caso haja humanos mantidos como refém ou até mesmo como fonte de alimento aos orcs, neste caso seria acrescentado à nossa missão o resgate deste.


Após revelar toda a sua estratégia, ele abre uma brecha para que todos dêem seu parecer sobre sua idéia.
 

Al Dimeneira

Dungeon Master
Harcle ouve os planos de Alanian e responde:

"- Infelizmente, Sr. Alanian, não poderei enviar nenhum soldado com vocês. Nossa situação aqui pode ser até pior do que a de Marikest, portanto vocês estarão sozinhos, a não ser que consigam alguma ajuda em Marikest."
 

Lyvio

Usuário
A expressão do Gorpo muda para mais esperançosa com o plano do Ranger,e, ao ouvir a opnião de seu amigo o drúida decide apoiar a idèia e com a mão no queixo responde:

-Realmente é um plano interessantíssimo Alanian, tem tudo para dar certo, agora, eu me sentiria mais seguro se fosse montado no Batro, ele tem tamanho suficiente para me esconder bem, assim sendo eu e ele poderíamos fazer essa observação durante esses três dias e a cada noite trarei um relatório acerca do observado.
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.595,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo