1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Visita papal ao R.Unido pode reativar diálogo com anglicanos

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 15 Set 2010.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    A visita do papa Bento XVI ao Reino Unido acontece em um "momento delicado" das relações entre católicos e anglicanos, após a decisão do Vaticano de acolher os anglicanos descontentes, e espera-se que o encontro entre o pontífice e Rowan Williams reative o diálogo ecumênico.

    Essa afirmação foi feita pelo cardeal de Westminster e presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e Gales, o arcebispo Vincent Nichols, em um documento divulgado pela Santa Sé por causa da viagem de Bento XVI, de amanhã até o dia 19 a este país, um ano depois de o Vaticano abrir as portas a todos os anglicanos que queiram voltar a Roma.

    afirmou.

    Essa delicada situação vem desde o ano passado, quando o Vaticano, após o cisma de 1534 causado pelo rei Enrique VIII, aprovou a Constituição Apostólica (norma de máxima categoria) "Anglicanorum coetibus" para acolher os fiéis tradicionalistas anglicanos contrários às medidas aberturistas demais da Comunhão Anglicana, como a ordenação de mulheres e de homossexuais como bispos.

    A "Anglicanorum coetibus" contempla, entre outras, a ordenação de clérigos anglicanos já casados como sacerdotes católicos e a concessão aos grupos anglicanos que voltem a Roma de prelaturas pessoais, similares aos Ordinariatos Militares (bispos ou prelados com competências não territoriais), que lhes permitirão entrar em plena comunhão conservando sua tradição.

    Segundo o cardeal William Joseph Levada, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, aproximadamente 50 bispos anglicanos e 100 paróquias já mostraram seu desejo de voltar à Igreja Católica Apostólica Romana, que abandonaram em 1534 quando Enrique VIII não conseguiu do papa Clemente VII a anulação de seu casamento com Catarina de Aragão e criou a Igreja da Inglaterra, da qual se proclamou chefe.

    Embora o primaz anglicano Rowan Williams e o cardeal Nichols tenham publicado um comunicado conjunto no qual ressaltaram que com essa medida se punha fim a um período de incerteza para esses anglicanos que quiseram abraçar a fé católica, a decisão do papa foi duramente criticada por grande parte dos anglicanos.

    O próprio Williams, em novembro de 2009, quando visitou o papa no Vaticano, lhe expressou as "preocupações" geradas.

    O Vaticano apressou-se a dizer que a nova norma não prejudicará as relações entre as duas igrejas, e o papa assegurou a Williams que quer que prossigam os colóquios (ecumenismo) entre católicos e anglicanos.

    Nessa mesma linha, o cardeal Walter Kasper, presidente emérito do Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos, assegurou que o Vaticano segue comprometido com o ecumenismo na linha marcada pelo Concílio Vaticano II.

    O atual presidente desse dicastério, o arcebispo Kurt Koch, está convencido de que a visita "consolidará" as relações com os anglicanos.

    O papa Bento XVI pediu aos bispos católicos britânicos que sejam "generosos" com as comunidades anglicanas que desejem voltar, convencido de que esses grupos "serão uma bênção para toda a Igreja".

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar