1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Clube da poesia, trovas, versinhos e coisas do gênero!

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Liv, 11 Mar 2008.

  1. Liv

    Liv Visitante

    Entonces, esse é um tópico filhote dO Clube de Leitura, e a coisa vai funcionar assim...

    ... nós, os amantes de poesias, trovas, versinhos e wtv vamos começar a estudar as poesias (...), começando com as trovas láááá do Trovadorismo, e assim por diante...

    O que vocês acham?
     
  2. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    Eu sou perdida com as escolas literárias, mas vambora! uma ótima chance de aprender com vcs :)
     
  3. Liv

    Liv Visitante

    Eu também sou perdida, mas meu irmão tem um livrão de literaturagramáticaeredação que é ótimo! ^^
     
  4. Pips

    Pips Old School.

    Trovas de amigo? Quero só ver! Afinal conheço pouco poesia.
     
  5. imported_Cabal

    imported_Cabal O Poeta Aprendiz

    Tô nessa!!! =]
     
  6. ricardo campos

    ricardo campos Debochado!

    É o labirinto do Minotauro!!!
     
  7. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    Um labirinto dos melhores :) Yey
     
  8. Liv

    Liv Visitante

    Minha Nossa Senhora das Bicicletinhas (padroeira das pessoas desequilibradas), perdi o livro. SOCORRO! :wall:
     
  9. Liv

    Liv Visitante

    Ará. Nossa Senhora das Biciletinhas nunca falha! :uhu:

    Achei o livro, então, vamos com a cantiga! :grinlove:

    [align=center]Cantiga[/align]
    [align=center]D. Afonso Sanches[/align]

    [align=center]Dizia la fremosinha:
    " ai, Deus, val!
    Com'estou d'amor ferida!
    ai, Deus, val!"

    Dizia la bem talhada:
    "ai, Deus val!
    Com'estou d'amor coitada!
    ai, Deus, val!

    Com'estou d'amor ferida!
    ai, Deus, val!
    Nom vem o que bem queria!
    ai, Deus, val!

    Com'estou d'amor coitada!
    ai, Deus, val!
    Nom vem o que muit'amava!
    ai, Deus, val![/align]


    LEGENDAS:

    fremosinha: formosinha
    ai, Deus, val!: ai, valha-me Deus!
    bem talhada: elegante
    coitada: infeliz

    Querem uma curiosidade? Tem quase oito séculos de existência! :uhu:
     
  10. Hérmia

    Hérmia Usuário

    A poesia do Trovadorismo tem íntima ligação com a música , pois era composta para ser entoada ou cantada e acompanhada de instrumental , como o alaúde , a viola , a flauta , ou mesmo de coro . Então , hoje , classificadas sob os nomes de Amor , Amigo , Escárnio e Maldizer , considerando as diferenças entre elas .

    Cantiga de Amor "Tam grave dia que vos conhoci ,

    por quanto mal me vem por vós , senhor !

    ca(1) me ven coita , nunca vi mayor ,

    sen outro ben, por vós , senhor , des i (2)

    por este mal que mh'a mim por vós ven ,

    come se fosse bem , ven-me por em

    gran mal a quem nunca o mereci .



    Ca , mha senhor , porque vos eu servi ,

    sempre digo que sode'la(3) milhor

    do mund'e trobo polo (4) vosso amor ,

    que me fazedes gram ben e assy

    veed'ora(5) mha senhor do bon sen , (6)

    este bem tal se compre (7) en mi rrem (8) ,

    senon , se valedes vós mays per y (9) .

    Mais eu , senhor , en mal dia naci .

    del que non tem , nem é conhecedor

    do vosso bem , a que non fez valor

    Deus de lho dar , que lhy fezo bem y ,

    per, (10) senhor , assy me venha bem ,

    deste gram bem , que el (11) por ben non tem ,

    muy poyco del seria grand'a mi .



    Poys, mha senhor , rrazon é , quand'alguen

    serv'e non pede , já que rem lhi den ;

    eu sservi sempr'e nunca vos pedi. "

    (D. Afonso Sanches )



    Vocabulário : 1-porque ; 2-desde então ; 3-vós sois ; 4-trovo pelo ;

    5-vede a hora ; 6-bom senso ; 7-se cumpra ; 8-nada ; 9-isso ; 10-porém ; 11-ele .



    No texto , temos um típico exemplo do amor cortês , com o trovador confessando o seu amor pela mulher , assumindo-a como superior a ele , afirmando que nada quer , a não ser viver o seu próprio sentimento , sem interesse , mas reclama e sente que ela não corresponda aos seus amores . Lindo não????
     
  11. Liv

    Liv Visitante

    De que século?
     
  12. Hérmia

    Hérmia Usuário

    A cantiga de Amor anterior, data do século XIII, mas não se tem precisão quanto ao ano em que foi escrita. Agora, uma Cantiga de Amigo....O emissor nas Cantigas de Amigo é a mulher , por isso dizemos que o "eu -lírico"é feminino. Na verdade , também nas Cantigas de Amigo o autor é um homem , mas que se faz passar pela mulher que namora ou pela qual tem interesse .Nessas cantigas , a mulher , geralmente pertencente a alguma camada social mais popular e menos culta , lamenta a ausência do "amigo"que está longe ou não se apresentou no tempo esperado ou para o encontro combinado entre dois . Analisadas sob o ponto de vista temático , as Cantigas de Amigo apresentam razoável variedade graças às diferenças situações descritas ou abordadas .Quanto a um possível valor histórico , documental , também o saldo é significativamente positivo , pelo registro de vivências cotidianas , de usos e relações caracterizadoras , ao menos em parte , da sociedade da época . Outros aspecto , ainda , a contribuir para o aumento desse valor documental , é a existência de vários modelos de cantigas relacionados com situações ou acontecimentos , como a alva ( matutina ) , bailia ( para a dança) , romaria ( fato religioso ) , marinha ( referência ao mar ) , mal - maridada ( crise conjugal ) , pastorela ( relativa ao campo , pastoreio ) , serena ( noturna ) , barcarola ( paisagem marítima ) . Veja o texto :



    "Non chegou , madr' , o meu amigo ,

    e oj'est (2) o prazo saido (3) !

    ai , madre , moiro d'amor !



    Non chegou , madr', o meu amado

    e oj'est o prazo passado !

    ai , madre , moiro d'amor !



    E oj'est o prazo saido !

    Por que mentiu o desmentido ?

    ai , madre , moiro d'amor!



    E oj'est o prazo passado !

    Por que mentiu o perjurado ?

    ai madre , moiro d'amor !

    Porque mentiu o desmentido

    pesa-mi (4) , pois per si é falido (5) .

    ai , madre , moiro d'amor !

    Por que mentiu o perjurado

    pesa-mi , pois mentiu a seu grado ,

    ai , madre , moiro d'amor ! "

    Vocabulário : 1-mãe ; 2-hoje está ; 3-vencido ; 4-pesa-me ; 5-liquidado , morto .

    Essa cantiga data do final do século XIII. Próxima cantiga: Cantiga de Escárnio. (aguardem)
     
  13. imported_Cabal

    imported_Cabal O Poeta Aprendiz

    Pessoas, isso aqui tá muito interessante, mas tô me bantendo todo com a língua estrangeira. =]
     
  14. Hérmia

    Hérmia Usuário

    O gênero satírico:

    * cantigas de escárnio
    * de maldizer

    As cantigas satíricas apresentam interesse sobretudo histórico. São verdadeiros documentos da vida social, principalmente da corte. Fazem ecoar as reações públicas a certos fatos políticos: revelam detalhes da vida íntima da aristocracia, dos trovados e dos jograis, trazendo até nós os mexericos e os vícios ocultos da fidalguia medieval portuguesa.

    Enquanto as cantidas de escárnio utilizam a ironia e o equívoco para realizar mais indiretamente essas zombarias, as cantigas de maldizer são sátiras diretas. Daí sua maior virulência, o emprego mais freqüente de palavrões (em geral os lmesmos que usam até hoje) e a abordagem mais desabusada dos vícios sexuais atribuídos aos satirizados.

    A diferença entre esses dois tipos de cantiga é, portanto, apenas relativa. Freqüentemente a classificação dos textos é ambígua. O próprio significado das palavras escárnio e maldizer pode deixar mais clara essa diferença entre os dois tipos de sátira:

    * escárnio: zombaria, menosprezo, desprezo, desdém;
    * maldizer: (verbo) pragueja contra; (substantivo), maledicência, difamação.

    Características das cantigas satíricas

    Cantigas de escárnio:

    * indiretas;
    * uso da ironia e do equívoco.

    Cantigas de maldizer:

    * diretas, sem equívocos;
    * intenção difamatória;
    * palavrões e xingamentos

    A sátira como paródia

    Cantiga de escánio

    Pero Larouco

    De vós, senhor, quer’eu dizer verdade

    e nom ja sobr’[o] amor que vos ei:

    senhor, bem [moor] é vossa torpicidade

    de quantas outras eno mundo sei;

    assi de fea come de maldade

    nom vos vence oje senom filha dum rei

    [Eu] nom vos amo nem me perderei,

    u vos nom vir, por vós de soidade[...]

    Tradução

    Sobre vós, senhora, eu quero dizer verdade

    e não já sobre o amor ue tenho por vós:

    senhora, bem maior é vossa estupidez

    do que a de quantas outras conheço no mundo

    tanto na feiúra quanto na maldade

    não vos vence hoje senão a filha de um rei

    Eu não vos amo nem me perderei

    de saudade por vós, quando não vos vir.

    Cantiga de escárnio

    João Garcia de Ghilhade

    Ai, dona fea, fostes-vos queixar

    que vos nunca louv[o] em meu cantar;

    mais ora quero fazer um cantar

    em que vos loarei toda via;

    e vedes como vos quero loar:

    dona fea, velha e sandia!

    Dona fea, se Deus mi pardom,

    pois avedes [a]tam gram coraçom

    que vos eu loe, em esta razom

    vos quero ja loar toda via;

    e vedes qual sera a loaçom:

    dona fea, velha e sandia!

    Dona fea, nunca vos eu loei

    em meu trobar, pero muito trobei;

    mais ora ja um bom cantrar farei,

    em que vos loarei toda via;

    e direi-vos como vos loarei:

    dona fea, velha e sandia!

    Tradução

    Ai, dona feia, foste-vos queixar

    que nunca vos louvo em meu cantar;

    mas agora quero fazer um cantar

    em que vos louvares de qualquer modo;

    e vede como quero vos louvar

    dona feia, velha e maluca!

    Dona feia, que Deus me perdoe,

    pois tendes tão grande desejo

    de que eu vos louve, por este motivo

    quero vos louvar já de qualquer modo;

    e vede qual será a louvação:

    dona feia, velha e maluca!

    Dona feia, eu nunca vos louvei

    em meu trovar, embora tenha trovado muito;

    mas agora já farei um bom cantar;

    em que vos louvarei de qualquer modo;

    e vos direi como vos louvarei:

    dona feia, velha e maluca!

    A cantiga de escárnio de Garcia Guilhade é uma paródia das cantigas de amor. Recorde-se de que, na cantiga de D. Dinis, o homem se propõe a louvar as grandes qualidades de sua amada:

    “e querrei muit’i loar mia senhor

    a que prez nem fremosura nom fal”.
     
  15. Liv

    Liv Visitante

    Pô, gente! Bora das mais uns pontinhos na reputação da Gislene? :)
     
  16. Hérmia

    Hérmia Usuário

    Muito obrigada !!! Estou gostando muito de estar com vocês......XD
     
  17. Hérmia

    Hérmia Usuário

    E agora, o que sugerem após as trovas??????
     
  18. Liv

    Liv Visitante

    Que tal o Renascimento? :)
     
  19. Lethaargic

    Lethaargic Usuário

    Pode ser Humanismo ou Classicismo.. Tenho dois livros
    de literatura para ensino médio e um outro de literatura
    geral, posso ajudar com o apoio deles (:
     
  20. Liv

    Liv Visitante

    Pode ser o Humanismo, então! No meu livro, depois do Renascimento vem o Humanismo e tals.. mas acho mais legal o Renascimento e enfim...

    sei lá! xD
     

Compartilhar