• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Cinema Nacional

Re: Cinema Nacional 2002

B£n£h disse:
e dia 4 de novembro o cinemark, vai exibir filmes brasileiros a r$1,00 o ingresso.

Taí. Topo essa. :)
(Ó, como se eu já não soubesse disso :roll: )


Cocotinha disse:
Esse Tópico é para estimular o povo a assitir produções brazucas como diversão, não por patriotismo.!

É, às vezes rola patriotismo exacerbado que turva o senso crítico da pessoa. E ela vai porque é brasuca, não porque é bom ou pelo menos divertido. :|
 
Re: Cinema Nacional 2002

Tisf disse:
Se nós tivermos um filme nacional que beire 2 milhões de pessoas cada ano já é o começo, excluindo claro, bombas como os da Xuxa...
Filme pra criança nem deveria ser contado porque por mais que seja ruim, dá muita bilheteria. É só ver Scooby-doo, que é muito ruim, e está em primeiro por 3 semanas consecutivas. :?
 
Filmes Vistos

Carlota Joaquina, Princesa do Brasil - 7,5
Cidade de Deus - 10
Central do Brasil - 8,5
Auto da Compadecida - 9,0
O Que é Isso Companheiro? - 8,0
Bicho de 7 cabeças - 9,0
Bellini e a Esfinge - 7,0
Bufo & Spallanzani - 7,5
O Quatrilho - 6,0
Pequeno Dicionário Amoroso - 7,0
Menino Maluquinho - 7,5
O Homem Nú - 7,5
Bossa Nova - 8,0
Orfeu - 6,0
A Partilha - 7,0

Filmes a serem vistos

Houve Uma Vez Dois Verões
Cristina Quer Casar
Villa-Lobos, uma vida de paixão
Netto Perde sua Alma
A Ostra e o Vento
O Invasor
Madame Satã
Edifício Master
Deus é Brasileiro
Abril Despedaçado
Lavoura Arcaica que não chega nunca em VHS
A Invenção do Brasil
O Xangô de Baker Street
Surf Adventures - O Filme
Memórias Póstumas de Brás Cubas
Como Ser Solteiro (no Rio de Janeiro)
Carandiru
Durval Discos
Eu Não Conhecia Tururú
Latitude Zero
Janela da Alma
Tolerância
Viva São João
 
The Clash disse:
Filmes a serem vistos

Houve Uma Vez Dois Verões
Cristina Quer Casar
Villa-Lobos, uma vida de paixão
Netto Perde sua Alma
A Ostra e o Vento
O Invasor
Madame Satã
Edifício Master
Deus é Brasileiro
Abril Despedaçado
Lavoura Arcaica que não chega nunca em VHS
A Invenção do Brasil
O Xangô de Baker Street
Surf Adventures - O Filme
Memórias Póstumas de Brás Cubas
Como Ser Solteiro (no Rio de Janeiro)
Carandiru
Durval Discos
Eu Não Conhecia Tururú
Latitude Zero
Janela da Alma
Tolerância
Viva São João

Não perca "A ostra e o vento".Na minha opinião foi o melhor filme brasileiro nos ultimos anos.

Tambem são imperdiveis "Edificio Master" , "Uma janela para a alma" (esse eu indico mesmo sem assistir), "O invasor" e "Madame Satã".Alem de claro "Abril despedaçado" e "Lavoura Arcaica".Vc. tambem esqueceu de "Onibus" que tambem não assisti mas to botando a maior fé.

Alem do mais o cinema nacional tem algumas obras primas que devem ser assistidas:

"Limite" de Mario Peixoto.
"Ganga Bruta" de Humberto Mauro.
"O cangaceiro" de Lima Barreto
"O pagador de promessas" de Anselmo Duarte
"Rio 40 graus" e "Vidas secas" de Nelsom Pereira dos Santos
"Os fuzis" de Rui Guerra.
"Deus e o Diabo na Terra do Sol" e "Terra em transe" de Glauber Rocha.
"Menino de engenho" e "A lira do delirio" de Walter Lima Jr.
"O bandido da luz vermelha" de Rogerio Sganzela.
"By, by Brasil" de Caca Diegues.
"Pra frente Brasil" de Roberto Farias

Claro que infelizmente esses são filmes muito dificeis de encontrar em locadora.Porem, para aqueles interessados em cinema brasileiro vale a pena.
São filmes classicos e feitos em epocas e estilos diferentes.
"Limite" e "Ganga Bruta" sõa filmes pioneiros.O primeiro tornou-se mitico depois que se soube de um artigo em um jornal inglês, dando conta de uma entrevista de Einsenstein colocando "Limite" nas estrelas.Depois soube-se que esse artigo era invenção do proprio Mario Peixoto...Mesmo assim o filme é reconhecido como um dos maiores já realizados no Brasil.Pela importancia historica seria o nosso "Encouraçado Potemkin".Eu li o roteiro e assisti ao filme.É realmente sensacional.
"Ganga Bruta" só assisti recentemente.O filme tambem é fantastico e transborda sexualidade.Tem influencias do expressionismo, do construtivismo russo e até do surrealismo.Tem tomadas brilhantes e montagem super inventiva.Acho que foi (dentro do contexto da época) um dos filmes mais sensuais já realizados em todo mundo.


"O cangaceiro" foi um exemplo do Brasil fazendo cinema a Holywood.Foi produzido pelos estudios da Vera Cruz que poderia ter escapado da falencia caso não tivesse passado os diretos do filme (um grande sucesso) pra seus credores.Embora seja um filme historicamente importante, pelo apuro tecnico e pelo sucesso de publico, foi simplesmente um filme americano.Não tinha nada de inovador e nada de significativo para a contrução de uma linguagem cinematografica que represerntasse o Brasil.Foi um western adaptado para o cangaço.

Já "O pagador de promessas" embora tenha sido realizado em uma epoca onde já reinavam as idéias do "cinema novo" e tenha em comum com esse uma abordagem social contundente, não pode ser considerado um legitimo representante dos "cinemanovistas". O diretor do filme, Anselmo Duarte, vinha das chanchadas e da Vera Cruz, muito criticadas pelos cabeças do "cinema novo" por importar formulas do cinema americano.Porem uma conquista inesperada (e desconcertante para alguns) eternizou "O pagador de promessas" na história da cinematografia nacional:A conquista da Palma de Ouro em Cannes.No livro "Walter Lima - Viver Cinema" de carlos Alberto Mattos, existe uma versão engraçadissima para essa conquista brasileira.
Acontece que tres meses antes do festival de Cannes, Francois Truffaut havia visitado o Brasil e levado por David Neves foi tomar uns gorós no chamado Bar da Lider, frequentado por cineastas e intelectuais.Truffaut ficou sensibilizado com "a precariedade tecnológica e o entusiasmo dos cinemanovistas".Meses depois , como presidente do juri em Cannes, diante do dilema de escolher entre "O anjo exterminador" (Bunuel), "O eclipse" (Antonioni), "Electra" (Cacoyannis) , "Divorcio à italiana" (Germi) e "O proceso de Joana D'Arc (Bresson), Truffeut sugeriu uma solução conciliatoria premiando o concorrente brasileiro "por sua simplicidade e força temática" e dando uma força para a cinematografia emergente no terceiro mundo.
De qualquer forma "O pagador de promessas" entrou para a história do cinema nacional e é realmente um bom filme.

Já os filmes que listei acima, começando por "Rio 40 graus" e terminando em "Menino de engenho" são tipicos representantes do cinema novo.Apesar de hoje estar havendo uma retomada da auto estima do cinema nacional com filmes como "Central do Brasil" e "Cidade de Deus", foi na época do "cinema novo" que o Brasil esteve na vanguarda da criação da linguagem cinematografica.Enquanto o mundo vivia uma crise criativa, o "cinema novo" era louvado no exterior e até hoje permanece influenciando muita gente."Vidas secas" e "Deus e o Diabo na terra do sol" estão na lista dos 100 melhores da Cinemateca Italiana e do British Film Institute. http://www.zaz.com.br/cinema/favoritos/inglesa.htm
"Deus e o Diabo" recebeu elogios rasgados de Truffaut, Spielberg, Godard, Scorcerse e outros montros sagrados do cinema.
Essa história começou mais ou menos mesclando a seriedade da tematica social do neo realismo italiano e a linguagem investigativa da nouvelle vague francesa.Com "Rio 40 graus" o cinema novo deu a partida e com "Deus e o Diabo" em 1963 gritou ao mundo.Quatro anos mais tarde, Glauber era premiado como o melhor diretor em Cannes por "Terra em transe".

Com o "Bandido da luz" vermelha, Rogério Sganzela coloca o pé fora do cinema novo."A lira do delrio" do Walter Lima Jr. tem o mesmo tom lirico e onirico que viria consagrar "Cidade dos Sonhos" e outras loucuras do Lynch.
"By, by Brasil" se despede de um Brasil que passou e apresenta um novo pais que esta se transformando.

Dai pra frente ou mesmo antes devem ter outros filmes que eu esqueci...

Embora muitos filmes brasileiros se insiram no tipo de linguagem cinematografica hollywoodiana ("Cidade de Deus" por exmplo), o cinema nacional pode não agradar aqueles que estão acostumados com a linguagem do cinemão americano.
Mas uma coisa é certa.Pra quem é apaixonado por cinema, cinema nacional vale a pena.e muito.
 
Duque:

Vc não achou "A Ostra e o Vento" meio piração demais??
Eu achei o filme bem interessante. Mas esperava mais. Pra mim um dos melhores dos ~ultimos anos foi "Dois Córregos"
 
Acho que tem melhorado...
essa nova geracao de filmes (de + ou - 1995 pra ca) esta beeem melhor.

O cinema nacional passou um bom tempo com um ranso... uma mania de fazer filmes arrastados e roteiros ruins. Tentar fazer cinema arte, ou conceitual, nas barbas do Glauber Rocha. Era cinema para gringo ver... olha, nos temos cultura propria, somos um pais rico em cultura. Mas era uma cultura chata, que o proprio brasileiro nao comprava. E se bobear so existia na cabeça dos poucos intelectualoides que faziam os filmes.

Tb existia o lance do patrocinio. E ainda existe um pouco. Ou melhor, paitrocinio. Rola uma apadrinhacao na distribuicao de verba para os filmes. Ha 10 anos atras isso era muito mais forte. O que fez com que o dinheiro ficasse rodando nas viagens de alguns poucos cineastas, formando a famosa panela. Se alguem veio com ideias boas nunca saberemos.

Bom, acho que a cabeca dos politicos se abriu quanto a isso. a apadrinhacao esta menor embora ainda exista. E a cabeca dos proprios cineastas se abriram tb, alguns ja deixaram pra tras q cinema arte tem que ser lento, tem que se saborear o take e as edições frouxas cujo proposito eh desconhecido na cabeca do telespectador.

Em suma, estou otimista :obiggraz:
 
Bachelorette disse:
Acho que tem melhorado...
essa nova geracao de filmes (de + ou - 1995 pra ca) esta beeem melhor.

O cinema nacional passou um bom tempo com um ranso... uma mania de fazer filmes arrastados e roteiros ruins. Tentar fazer cinema arte, ou conceitual, nas barbas do Glauber Rocha. Era cinema para gringo ver... olha, nos temos cultura propria, somos um pais rico em cultura. Mas era uma cultura chata, que o proprio brasileiro nao
comprava. E se bobear so existia na cabeça dos poucos intelectualoides que faziam os filmes.

Salve Bachelorette

Exatamente ai reside um dos maiores problemas para se buscar um cinema com identidade própria.As platéias estão acostumadas a um estilo de cinema hollywoodiano e a tal "estrutura de roteiro Sid Field".Nesse tipo de filme a platéia se coloca numa posição mais comada, onde o expectador não precisa pensar muito.Num tem nada de mais nisso. Ninguem é obrigado a amar cinema e pode gostar apenas do lado entretenimento.Eu mesmo adoro filmes como "Independence Day" ou "SDA".Porem os tais filmes lentos e arrastados, são considerados assim por que desafiam a estrutura de roteiro convencional made in USA.Os planos longos e as histórias contadas de forma mais contemplativa fazem parte de um tipo de cinema que diz muito.Cada vez tem mais gente interessada nisso.Não precisa ser intelectual não... :wink: Caras como Visconti, Wenders, Angeopolus, ou Kiarostame fazem uso dos planos longos como um instrumento de linguagem.No Brasil o Carlos Reichenbach de "Dois corregos" adota tambem esse estilo.Ele é seguidor de Valerio Zurline, um italiano adepto de planos longos e de tempos de resposta maiores entre os dialogos dos personagens.
O Dirhil ai em cima alias citou "Dois corregos" como um grande filme.E assim como eu o Dirhil tambem não é intelectualóide. :wink:
Os planos mais longos e o andamento menos acelerado promove uma outra significação ao filme e uma outra tonalidade psicológica ou dramatica.É um recurso de linguagem que pode transmitir desde tédio e monotonia até tristeza e sensualidade.
Claro que tem gente que acha isso chato, mas quem é apaixonado por cinema como um todo sabe interpretar esse tipo de cinema.
Esse tipo de linguagem é uma das caracteristicas do cinema autoral.Não quer dizer que todo filme autoral tenha que ser lento, porem essa é apenas mais uma forma de contar a estória.

Acontece que no Brasil por circunstancias economicas ou politicas sempre foi utopico falar de uma industria cinematografica.Então quem faz cinema por aqui tem a clara intenção fazer cinema autoral, de contribuir e buscar uma linguagem propria.Isso não é nenhum pecado.Muito pelo contrario é o que referencia e traz notoriedade ao cinema de qualquer pais.
O Glauber Rocha que vc. citou, foi exatamente um dos responsaveis por um momento em que o cinema brasileiro foi respeitadissimo e servia de exemplo para o resto do mundo: O cinema novo.Claro que este era repleto de um simbolismo e de uma linguagem sofisticada demais para ser compreendida pelo grande publico.Porem isso não diminui a importancia desses filmes.Mesmo "O encouraçado Potenkim" foi incompreendido pelas massas russas, mas serviu de influência para muita gente que veio depois.
O que eu quero dizer é que o cinema autoral, mesmo sendo incompreendido pelas grandes platéias gera experimentalismos que transformarão a linguagem cinematografica e serão no futuro assimilados pela propria industria do cinema comercial.
A camera na mão do cinema novo de Glauber, nos anos 60 recebia as mesmas criticas de insatisfação que vc. esta fazendo em relação aos planos longos.Porem hoje, a camera na mão aparece até em filmes como ADT (sequencia de da preparação dos cavaleiros de Rohan para o combate com os wargs) atribuindo uma caracteristica documental ao filme que quase nos faz crer que aquilo é real.

Então os expermentalismos e as ousadias do cinema autoral são validos.Os filmes lentos e arrastados, são compreendidos por uma parcela
e amantes de cinema ( eu adoro e não sou intelectual). :wink: Por isso contribuem para o cinema...

O que acontece (e ai eu concordo com vc. e até te entendo) é que o cenario para a produção cinematografica no Brasil a cerca de 10 anos não era realmente propicio para a criação de um mercado cinematografico lucrativo.Não dava pra fazer filmes concorrendo com Hollywood.Isso não dava dinheiro.Hoje ainda não dá pra concorrer diretamente com Hollywood, mas com a mutiplicação das midias (internet, tv a cabo) e as novas influencias do cinema autoral nos filmes comerciais, e com a evolução tecnica impulsionada pelo mercado publicitario, já podemos fazer filmes para serem lucrativos e serem sucesso de publico.

Então enquanto antes só tinhamos filmes autorais (com raras exceções) e esses eram financiados mitas vezes pelo estado buscando apoiar uma cinematografia com identidade cultural propria (e que me desculpe mas não é chata), hoje tambem temos um embrião de industria cinematografica de olho no mercado e fazendo filmes que se adequem mais ao gosto das platéias convencionais.Tambem aconteceu uma mudança significativa nas platéias.Estas estão mais abertas as informalidades estilisticas, e fica mais facil pro cineasta brasileiro encontrar um meio termo entre o autoral e o comercial."Central do Brasil" nega totalmente a estrutura de roteiro americano e foi sucesso de público.
Com a introdução das cameras digitais no cinema e a redução dos preços dos equipamentos (hoje qualquer computador edita um filme) o cenario mudou.Por isso, como vc. eu tambem estou otimista.

Mas como vc. disse cinema de arte não tem que ser lento...Mas tambem não tem que ser rapido.Ele tem que ser o que se propõe a ser.
Seja lento ou rapido.
Seja autoral ou pipoca.
Seja buscando o grande publico que só quer diversão, ou buscando uma parcela que procure enxergar o cinema de forma menos descritiva e interessado em ser desafiado e levado a pensar.
Tem publico pra tudo.
 
alguem aqui ja viu "A Hora Marcada"? filme brasuca
vi um filme meio antigo e tinha esse trailer no filme... devia se de 98...
pareceu ser legal a história... até procurei na locadora, mas não tinha :(
 
Dirhil disse:
Duque:

Vc não achou "A Ostra e o Vento" meio piração demais??
Eu achei o filme bem interessante. Mas esperava mais. Pra mim um dos melhores dos ~ultimos anos foi "Dois Córregos"

Olha véio.Eu achei o filme o maximo.E não me pareceu piração não.Mas tambem eu sou suspeito pra falar pois fui aluno do Walter Lima Jr.

Quanto a "Dois corregos" eu cometi o pecado de não assistir.Eu passo por fases transitorias na minha vidda em que fico com preguiça pra ir ao cinema e acbo deixando alguns filmes passarem.
Li bastante a respeito desse filme e fiquei muito interessado em assitir.Li uma entrevista do Carlos Reichenbach falando sobre o uso do tempo no filme isnpirado no italiano Valerio Zurline.
Agora que vc. indicou vou ver se assisto ainda essa semana.

Valeu.
 
Duque DécioZico95 disse:
Olha véio.Eu achei o filme o maximo.E não me pareceu piração não.Mas tambem eu sou suspeito pra falar pois fui aluno do Walter Lima Jr.

Ah, eu tô pensando em fazer um curso com ele que começa semana que vem, mas é caaaroo... queria muito, mas tenho que checar minhas economias... :?

E sobre cinema nacional... eu sou muito fã também! Gostei de quase todos que vi até hoje (mas também não vi muitos).
Um que nem vi ser citado qui e que eu gostei muito mesmo (pelo menos na época, hj eu não lembro quase nada....) Cronicamente Inviável que é um filme super ácido e eu nem poderia ter entrado por ser menor de idade, mas como fui ao lançamento... recomendei para muitas pessoas depois, pessoas q adoraram e q se eu não tivesse visto não iam nem ter tomado conhecimento da existência, pq não hoube a menor divulgação - é do diretor Sérgio Bianchi.

E vi ônibus 174 mês passado, que na verdade é um documentário, num esquema que o Odeon tá fazendo passando filmes nacionais a preços populares. É muuuiito bom!!
De Deus é Brasileiro eu gostei, mas com muuiitas ressalvas.
Bellini e a Esfinge eu achei interessante, Abril Despedaçado é lindo, Villa Lobos é bem interessante tb... A Partilha é legalzinho, Bossa Nova eu achei muito chatinho, mas legal tb, Avassaladoras tb é legal, mas não diz muita coisa, Central do Brasil eu não gostei... O Auto da Compadecida eu achei muito bom, Caramuru tb achei bem divertido... e não lembro mais nenhum filme agora.
E condeno bastante o meu descaso pq, além de não ter visto, não fui procurar ver ainda Cidade de Deus. Tb quero muito ver O que é isso, companheiro?, O Bicho de Sete Cabeças e A Ostra eo Vento. O Xangô de Baker Street tb, assim como Memórias Póstumas e alguns outros. Me arrependo muito de não ter visto todos esses filmes...

Um filme que eu recomendo tb é Pixote, a Lei do mais fraco. Muuiito bom!! Na verdade, bom mesmo é a mensagem do filme.

Kisoj,
Evenstar.
 
eu TENHO que ver Cidade de Deus.
eu vi o Abril Despedaçado e achei excelente.é muito bom.
 
Como Nascem os Anjos

Acompanhamos a história da Branquinha e do Japa. Dois pivetes que numa confusão acabam fugindo da favela onde moram junto com Maguila (dito marido da menina). Porém eles acabam envolvidos no sequetro de 2 americanos e virando notícia em horário nobre. E não sabem como sair da situação.
O filme de 1996 do Murilo Salles mostra uma dura realidade brasileira: por mais que se tenha uma índole boa, morador de favela é considerado bandido. No filme eles realmente são bandidos (com a exceção do Japa), mas a história do sequestro começou num mau-entendido muito estúpido. É um filme excelente, a única ressalva é quanto aos atores mesmo, todos iniciantes. Apesar disso o menino que faz o Japa está muit bem no papel, contrariando a irritante Branquinha. Ah, e palmas para o final, totalmente anti-hollywoodiano. Gostei pra caramba, recomendo.

Vencedor de 6 prêmios em Gramado em 97 8-)

Nota:
r35.gif
 
filmes brasileiros toscos da decada de 80

alguem curte filmes toscos dessa decada? filmes como sonho de verao, lua de cristal, qq um dos trapalhoes e um dos meus favoritos menino do rio...
 
Eu gostava de assistir os filmes dos trapalhões qdo pequeno., principalemte um que eles tão em uma caverna com monstros. :obiggraz:

Lua de cristal eu sempre odiei.
 
Eu gostava de assistir os filmes dos trapalhões qdo pequeno., principalemte um que eles tão em uma caverna com monstros.
esse e muito bom...muito nostalgia...tiha o lama, um ser muito mal feito q era uma especie de pensador...uma caracteristica interessante nesses filmes e a presença de bandas pop da decade 80 (domino em "casamento dos trapalhoes" e "trapalhoes na terra dos monstros"; yahoo em "sonho de verao", polegar e supla em um dos trapalhoes q eu esqueci o nome, entre outros)
 
Dirhil disse:
Como Nascem os Anjos

Acompanhamos a história da Branquinha e do Japa. Dois pivetes que numa confusão acabam fugindo da favela onde moram junto com Maguila (dito marido da menina). Porém eles acabam envolvidos no sequetro de 2 americanos e virando notícia em horário nobre. E não sabem como sair da situação.
O filme de 1996 do Murilo Salles mostra uma dura realidade brasileira: por mais que se tenha uma índole boa, morador de favela é considerado bandido. No filme eles realmente são bandidos (com a exceção do Japa), mas a história do sequestro começou num mau-entendido muito estúpido. É um filme excelente, a única ressalva é quanto aos atores mesmo, todos iniciantes. Apesar disso o menino que faz o Japa está muit bem no papel, contrariando a irritante Branquinha. Ah, e palmas para o final, totalmente anti-hollywoodiano. Gostei pra caramba, recomendo.

Vencedor de 6 prêmios em Gramado em 97 8-)

Nota:
r35.gif

Dirhil, esse é o melhor filme nacional para mim! Consegui me comunicar como Murilo Salles e ele disse que o DVD sairá em breve... Já to na fila pra comprar :mrgreen:
 
Filmes Nacionais - Retomada (1995 - 2003)


Vistos

Carlota Joaquina, Princesa do Brasil -
tresestrelas.gif

Cidade de Deus -
quatroestrelas.gif

Central do Brasil -
duasestrelas.gif

Auto da Compadecida -
tresestrelas.gif

O Que é Isso Companheiro? -
tresestrelas.gif

Bicho de 7 Cabeças -
tresestrelas.gif

Bellini e a Esfinge -
duasestrelas.gif

Bufo & Spallanzani -
tresestrelas.gif

O Quatrilho -
duasestrelas.gif

Pequeno Dicionário Amoroso -
tresestrelas.gif

Menino Maluquinho -
tresestrelas.gif

O Homem Nú -
tresestrelas.gif

Bossa Nova -
tresestrelas.gif

Orfeu -
duasestrelas.gif

A Partilha -
duasestrelas.gif

Carandiru -
tresestrelas.gif

Viva São João -
tresestrelas.gif

Os Matadores -
duasestrelas.gif

Ação Entre Amigos -
tresestrelas.gif

Como Nascem Os Anjos -
tresestrelas.gif


Não-Vistos

Houve Uma Vez Dois Verões
O Homem Que Copiava
Nelson Freire
O Homem do Ano
Lisbela e o Prisioneiro
Desmudo
Amarelo Manga
Narradores de Javé
Apolônio Brasil - Campeão da Alegria
Cristina Quer Casar
Villa-Lobos, uma vida de paixão
Netto Perde sua Alma
A Ostra e o Vento
Copacabana
O Invasor
Madame Satã
Edifício Master
Deus é Brasileiro
Abril Despedaçado
Lavoura Arcaica
A Invenção do Brasil
O Xangô de Baker Street
Surf Adventures - O Filme
Memórias Póstumas de Brás Cubas
Como Ser Solteiro (no Rio de Janeiro)
Durval Discos
Eu Não Conhecia Tururú
Latitude Zero
Janela da Alma
Tolerância
Dois Perdidos Numa Noite Suja
Mauá - O Imperador e o Rei
Lamarca
Amores Possíveis
Um Copo de Cólera
Avassaladoras
A Paixão de Jacobina
Pixote
Domésticas, O Filme
 

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.464,79
Termina em:
Back
Topo