• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Turma da Mônica e afins

  • Criador do tópico Satyr
  • Data de Criação

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
O encontro de Mônica e Menino Maluquinho com Chupa-Cabra e ET de Varginha



No ano passado, quando li "MMMMM – Mônica e Menino Maluquinho na Montanha Mágica", livro ilustrado que reuniu personagens de Mauricio de Sousa e Ziraldo numa história elaborada por Manuel Filho, comentei como era bom rever amigos que não via há muito tempo. Falava de camaradas como Mônica e Maluquinho, claro, mas também de parceiros como Bocão, Cebolinha, Magali e Cascão. Ainda destaquei como o livro arrancou muitos sorrisos bobos deste nostálgico leitor.

No recém-lançado "5… 4… 3… 2… 1 – Mônica e Menino Maluquinho Perdidos no Espaço"(Melhoramentos/ Mauricio de Sousa Editora), segundo livro elaborado pelo trio de peso, não temos mais a surpresa de reencontrar os camaradinhas e ver uma aventura protagonizada por criaturas pensadas por dois dos criadores mais importantes da história deste país. O sorriso meio besta do leitor, no entanto, segue garantido.

Tanto Mauricio quanto Ziraldo fazem óbvias referências ao espaço em suas obras. Astronauta é um dos personagens secundários mais carismáticos do pai da Turma da Mônica. Já Ziraldo levava sua imaginação à Via Láctea muito antes de apresentar seu protagonista mais famoso, o garoto com uma panela na cabeça, que deu as caras aos leitores em 1980. No monumental "Flicts", de 1969, ano em que o homem pisou pela primeira vez na Lua, acompanhamos uma solitária cor que não consegue encontrar seu lugar no mundo. Após a melancólica jornada, ela acaba descobrindo que é a responsável pela bela coloração do satélite terrestre.



Quando veio ao Brasil, o astronauta Neil Armstrong, o primeiro humano a colocar os pés no almejado astro, se encontrou com Ziraldo e lhe deu um autógrafo no qual escreveu: "A Lua é Flicts". Há uma referência à passagem em "Mônica e Menino Maluquinho Perdidos no Espaço". Numa montanha, Lúcio fala sobre Armstrong para Maluquinho, recorda da famosa frase do astronauta – "Este é um pequeno passo para o homem, mas um grande salto para a humanidade" – e desperta a memória do colega, que responde: "Agora que você falou isso, lembrei que tenho um parente que tem um autógrafo dele".

A cena está logo no começo de um livro que mais uma vez reverencia a imaginação, agora apostando numa narrativa com um quê de terror para também enaltecer a generosidade. Mônica, Maluquinho, Chico Bento, Bocão e Astronauta partem para uma aventura espacial acompanhados de três improváveis criaturas: Chupa-Cabra, ET de Roswell – que teria aparecido nos Estados Unidos em 1947 – e ET de Varginha, o destaque do monstruoso trio.

Recordando dos tempos vividos na cidade mineira, o ET diz sentir falta de pão de queijo e também da literatura. "Lá, uma vez por mês, um grupo de pessoas se encontrava para fazer um negócio que eles chamavam de sarau. Eles liam poesia. E não é que eu fui gostando tanto que não aguentava esperar mais um mês inteiro para escutar poesia? Saí procurando pelas pessoas que participavam do tal sarau e constatei que eles também liam poesia em outros lugares. Sempre que era de noite, eu seguia pelas sombrar, mas, um dia, me distraí e fui flagrado por três meninas que me viram e começaram a gritar. Pronto, logo tinha um monte de gente tentando me rastrear, e nunca mais tive sossego".

Se em "Mônica e Menino Maluquinho na Montanha Mágica" tínhamos referências a obras como "Alice no País das Maravilhas", de Lewis Carrol, e a óbvia "Montanha Mágica", de Thomas Mann, agora as menções explícitas ou implícitas são a clássicos como a poesia de Ricardo Reis, "O Pequeno Príncipe", de Antoine de Saint-Exupéry, e ao filme "ET – O Extraterrestre", dirigido por Steven Spielberg. Todos nomes grandiosos, bem como Mauricio e Ziraldo.




 

Erendis

Master Pretender
Nossa @Fúria da cidade eu não sabia que existia esses livros, valeu pela dica. Vou procurar pq eu a-do-ro dar livros pras minhas crianças e achar livros legais pra dar de presente é sempre uma felicidade. Todos eles adoram a Turma da Mônica - os desenhos da netflix contribuíram muito pra isso... - e vai ser uma surpresa bem legal pra eles.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Os últimos 10 anos em especial, realmente tem sido de muitas novidades da Maurício de Souza Produções. Não dá pra reclamar de falta de novidade não!
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Mauricio de Sousa aposta em anime da Turma da Mônica Jovem

Depois do sucesso do longa de live-action com a Turma da Mônica, lançado em julho e que alcançou 2 milhões de espectadores nos cinemas, a Mauricio de Sousa Produções (MSP) busca fortalecer outro produto da casa: a Turma da Mônica Jovem (TMJ), que ganhará uma série de animação em formato de anime.

No dia 7, o Cartoon Network vai exibir os 13 episódios da primeira temporada. Cada capítulo abordará a vida dos quatro personagens centrais (Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali) e de seus principais amigos (Marina, Denise, Jeremias, Titi e Xaveco), passando por assuntos comuns à adolescência, como amizade, bullying e mundo virtual, entre outros.

Antes disso, no final de semana que vem (2 e 3 de novembro), haverá um lançamento nos cinemas na rede Cinemark. Será exibido um especial, com 80 minutos, mostrando episódios e conteúdos exclusivos, sobre bastidores do processo criativo dos quadrinhos.
"Há uma certa liberdade de roteiro. Os episódios não são contínuos, mas fazem parte de um arco de histórias", disse Marcos Saraiva, produtor executivo da Mauricio de Sousa Produções.


De olho nos pré-adolescentes

A iniciativa nasceu após uma pesquisa feita pela Maurício de Sousa Produções, que apontou uma nova procura do público entre 7 e 10 anos. "Notamos que era necessário adaptar a linguagem e entrar nesse universo em que estão os pré-adolescentes", afirmou Saraiva.

Além dos episódios na TV, a turma também terá presença no Spotify, com playlists produzidas para este público. "Independente da tecnologia, a missão é estar onde o fã está", disse o produtor.

Conteúdo para assistentes de voz

Falando em tecnologia, a Turma da Mônica (tradicional), por exemplo, também está na Alexa, assistente de voz da Amazon. Lá, conta com quatro novas histórias: "Fica vai ter bolo", "Essa voz é de quem?", "Tá 'tilando' com a minha 'cala'" e "Rangendo os dentes".

"Estar em assistentes de voz também é um aprendizado. Primeiro, tivemos que pensar em quais desenhos animados fariam sentido sem a imagem. Depois, pensamos em como explorar a plataforma. A terceira etapa, agora, é entender até onde podemos ir", declarou Saraiva.

Mesma turma, várias plataformas

Para ele, a Turma da Mônica cativa gerações, principalmente, por contar com os mesmos personagens.

"A renovação acontece dentro da mesma turminha. Um dos segredos é estar em todas as plataformas, com diferentes conteúdos para todas as idades", afirmou o executivo.
 

Fúria da cidade

ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ
Usuário Premium
Turma da Mônica homenageia mulheres em exposição Donas da Rua da História


O Conjunto Nacional, em São Paulo, receberá a exposição Donas da Rua da História, que homenageia 19 mulheres que marcaram a humanidade com atitudes. Essas pessoas icônicas serão representadas por personagens da Turma da Mônica.

A mostra, que comemora o quarto ano do projeto Donas da Rua, tem como objetivo fomentar o empoderamento de meninas e vai mostrar o exemplo de mulheres que se destacaram em três áreas: artes, esportes e ciências.
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.470,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo