1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Outros Sistemas Planescape, Unkonwn Armies, e um exercício de imaginação...

Tópico em 'RPG' iniciado por Armitage, 26 Jan 2008.

  1. Armitage

    Armitage Usuário

    Persona3, Planescape, Unkonwn Armies, e um exercício de imaginação...

    Jogando Persona3 pra Playstation percebí que tinha tudo a ver com UA e Planescape, e então... a visão: Como fundir os cenários que acho mais maneiros de todos - Planescape e Unknown Armies? (e talvez criar o cenário mais psicodélico de todos os tempos !? )

    Quem quiser ajudar/viajar, aqui vai um resumo pra quem não conhece os cenários:

    - Planescape é um cenário de "multiverso". Aqui todos os planos de existência podem ser alcançados por um humano, desde o paraíso judaico-cirstão, até o inferno nórdico, desde o subterraneo grego de Hades até a Era Hyboriana de Howard e a Terra-Média de Tolkien. Junto disso, vêem os deuses - todos os deuses de todas as mitologias da Terra (e de outros mundos) estão por aí em algum plano de existência e podem ser alcançados também (mas daí a ter uma conversa com eles, já são outros 50 hehe ). Mas aqui vem a pegadinha: todos os planos de existência "míticos" (Hades, Valhalla, Paraíso, etc.) são tão concretos quanto a força do credo das pessoas que neles acreditam, ou seja, a realidade mítica é um produto da fé. E isso também vale para os deuses!

    - já Unknown Armies é um cenário de "ocultismo" com toques de fantasia, à la Twilight Zone e Creepshow. Passado nos tempos atuais, aqui os únicos deuses que existem são os "deuses da humanidade" - ou seja, aqueles que a própria humanidade cria para si. Dentro dessa ótica, "Ares" o deus da guerra grego, nada mais é do que a forma particular de uma cultura enxergar (e prestar respeito) à natureza da guerra. Quanto mais culturas acreditam no poder da guerra (e veneram uma suposta divindade desta natureza), mais poderoso de fato este se torna - ao ponto de realmente se tornar um deus como acreditamos. Esses deuses se manifestam através de "máscara culturais" - ou seja "Ares" é o mesmo que "Ogun" que é o mesmo que "Marduk", etc. só que um é a forma da cultura grega enxergar, outro é da cultura afro-ocidental, e o outro da cultura babilônica, e por aí vai. Resumindo: os deuses são os Arquétipos do inconsciente coletivo, da psicologia jungiana.


    Então, como é?

    (acende um aí e viaja, vai :mrgreen:)
     
    Última edição: 26 Jan 2008
    • Ótimo Ótimo x 1
  2. TT1

    TT1 Dilbert

    Cara.... preciso de mais detalhes sobre o Unknown Armies :think:

    Eu já fiz uma mistura de Planescape e In Nomine, e ficou legal
     
  3. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    Para ser franco, eu acho esses dois sistemas completamente diferentes, o bastante para não serem compatíveis. Tudo bem, eu conheço apenas superficialmente todos os dois, mas pelo que eu entendi planescape tem a proposta "a crença muda a realidade", enquanto unknown armies tem a proposta "a crença é a realidade". Em um, você tem a verdade por trás de tudo, uma cidade que conecta todas as existências, deuses com vontade própria tentando obter seguidores para aumentar seu poder; no outro, você não tem uma realidade, mas um mundo subjetivo onde a realidade não importa, e o que muda não é o mundo, mas a forma de encarar o mundo.
     
  4. Armitage

    Armitage Usuário

    Bem, eu não falei que seria fácil Elda :mrgreen:.
     
  5. Elda King

    Elda King Senhor do passado e do futuro

    E eu não disse que era difícil, só que não tinha sentido... :mrgreen:
     
  6. Armitage

    Armitage Usuário

    Será mesmo?

    Tipo, quanto do cenário de Planescape é realmente dependente da crença de mortais? Os planos exteriores (os planos abstratos, "A Grande Roda" ) parecem ser bastante dependentes de crença. Mas os inferiores (os planos concretos, elementais ) não.

    Será que os planos exteriores já existiam antes dos humanos, ou passaram a existir depois que os humanos definiram suas crenças ( Nesse caso, a coisa chega mais perto de Unknown Armies ), ou ainda a existência desses planos é um mixto de crença e verdade absoluta?
     
  7. Dáin-Pé-de-Ferro

    Dáin-Pé-de-Ferro Citando posts esquecidos

    Posso dar uma (s) idéia (s)?
    Poderia ser mais ou menos assim:
    Um mundo mais ou menos como o nosso, em que as pessoas vivem trabalham etc. Só que as pessoas são um dia ligadas a um plano estranho através de uma porta, no estilo Planescape. Por que alguém acreditou. Então as pessoas começam a "acreditar" e criar portais, de modo que logo todos o multiverso se conecta (ou quase). É uma idéia tosca, mas eu só quero dar minha contribuição com a informação que me foi fornecida.
     
  8. Armitage

    Armitage Usuário

    Dain, não se preocupe, afinal o tosco só é tosco se pessoas suficientes acreditarem que é tosco!

    Pra mim tá ótima sua idéia! Seria nossa realidade atual cotidiana, só que certas pessoas teriam a capacidade de entrar em "portas trans-dimensionais" que levariam a outros planos de existência? Isso seria como um todo ou só em alguma cidade específica (tipo, Nova York seria nossa Sigil? )

    (ou talvez "Pelotas - a Cidada das Portas-de-Trás" :mrgreen: )
     
  9. Dáin-Pé-de-Ferro

    Dáin-Pé-de-Ferro Citando posts esquecidos

    Imagino que aconteceria mais ou menos em todo o mundo, mas tipo: "só se houver mais de 300 pessoas num raio de 1km para o plano X", ou "somente pessoas nascidas em uma sexta-feira, treze de agosto podem abrir tal plano" etc.
     

Compartilhar