1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L][Cervus][Cinco dedicatórias]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Edu, 27 Mar 2005.

  1. Edu

    Edu Draper Inc.

    Dedicar, ainda que ao nada, uma vida desprezada pelo tempo, estilhaçada pelas horas, feridas com três minutos, um amém e dois raiares de aurora?

    O que seria ceder as palavras de bonificações, os momentos em que se consegue respirar, em que se consegue, mesmo que seja por segundos apenas, colocar a cabeça fora do turbilhão de palavras e luzes que fazem parte disso que chamaram agora?

    Quem disse que deveríamos agradecer? Subestimar, enraivecer, criar laços e esculachos com setes santos e um pastor? Quem falou: "Deus é fiel"? Quem cantou argumentos sobre uma verdade que nada é, além de utopia surreal?

    Quem, pelo menos um dia, se pegou olhando as estrelas e dizendo: "Deus abençôe o Big Bang"?

    Quem, um dia ou outro qualquer, rasgou sua dedicatória nominal a quem quer que seja, e escreveu em um pedaço de papel: "eu nao agradeço a ninguém, já que eu criei tudo isso"?

    Será que alguém, em qualquer ponto do tempo que for, viu as luzes do céu, e parou pra pensar que estava a ver um espelho?

    Será que alguém já escreveu dedicações, ainda que ao nada, para uma vida desprezada pelo tempo, estilhaçada pelas horas, feridas com três minutos, um amém e dois raiares de aurora?
     
  2. Lordpas

    Lordpas Le Pastie de la Bourgeoisie

    Eu gostei bastante, mas se fosse eu tentava responder as questões que vc mesmo sugere.

    Claro, fica num tom vago e poético só com as perguntas, mas se ao menos vc sugerisse algo como resposta você passaria um pouco mais de sentimento, :lily:

    Mas enfim, é só uma opinião de que apreciou muito :grinlove: .
     
  3. Idril

    Idril Usuário

    Hum.... do meu ponto de vista, o texto ficou bom, mas há excesso de questionamento para quase nenhuma resposta. :think:

    A idéia realmente é boa, basta trabalhar mais em cima dela. :wink:
     
  4. Edu

    Edu Draper Inc.

    Prima dedicação

    Quem sabe daqui a alguns anos, nós saibamos de tudo: sobre nada, sobre o que veio, sobre o que está por vir...

    Quem sabe nos peguemos, algum dia, rezando para um deus desconhecido, ou para qualquer coisa que nos lembre nós mesmos. Para um espelho, será?

    Todas as perguntas rodeiam cada um, e todos: sobre o fim, sobre o começo, sobre o que há de vir quando nada mais estiver para chegar.

    Uma quinta parte de tudo, no entanto, é proposta, e cinco questões são respondidas, em tudo aquilo que um dia ousaram chamar: dedicatórias.

    Mesmo que ninguém saiba daqui a alguns anos, que nenhum de nós saiba de tudo: sobre o nada, sobre o que veio ou sobre o que, um dia, ainda virá.
     
  5. Masei®

    Masei® Usuário

    Muito bom cara... Vc tá de parabéns... A primeira frase ali do primeiro post é fenomenal.. Parabéns...
     
  6. muito bom! :mrgreen:
    gostei desse texto com perguntas, muito interessante... parabens!
     
  7. Edu

    Edu Draper Inc.

    Eu gostaria muito de agradecer a todos vocês: Lordpas, Idril, Masei® e Gaerwen, por comentarem aqui.
    Em breve publico a 2ª parte... logo depois que tudo por aqui se normalizar.
    Mais uma veaz: obrigado, obrigado, obrigado! :D
     
  8. Edu

    Edu Draper Inc.

    Segunda dedicação

    Quem então viria a responder, senão os homens - aqueles que se fadam à morte, só por um dia terem escolhidos ser homens?

    Disseram algumas vezes "Deus é fiel", e disseram verdades, eles pensam, proclamaram atos de uma inabalável fé, primeiro entre judeus, depois entre Christo, logo após, entre a espada e a cruz.

    Disseram também: "o Sól é o centro". Morreram sem poderem ser banhados por ele. Afinal, era heresia!

    Porque quando não se dedica algo às crenças que teimam em acreditar, morre-se pelo fio mais afiado de uma espada que degola verdades? Porque, mais dia menos dias, descobrirão o que proclamou e aclamarão-o como Santo?

    Quem veio dos Céus para libertar, e disse uma vez e sempre sincronias sobre o amor, vez e sempre também disse santas verdades. Na época: "crucifica-o!"; hoje: "abençoado seja!".

    Quem então viria a nos dar respostas hoje em dia, senão os homens - aqueles que tanto fadaram-se à morte, só por um dia terem decidido em nada crer?
     
  9. Ephemera

    Ephemera Usuário

    Edu!
    Sem babação de ovo está muito legal.

    Eu não entendi porque o povo ali em cima reclamou nos questionamentos da primeira parte... é legal um texto com perguntas que nos deixa pensar sozinhos, podendo assim tirar nossas proprias conclusões.

    Parabéns moço, e continua.
    Bjão
     
  10. Edu

    Edu Draper Inc.

    Terça dedicação

    Habemus: uma vida injusta com ela mesmo, com seu irmão tempo, com sua prelazia morte, com nós, homens - com sua inigualável sorte.

    Tantas vidas diferentes temos nesta vida, que tudo se torna um diluído mar de pensamentos, um crível desejo de apagar as luzes para, finalmente, se trancar dentro da nossa própria escuridão.

    Os homens nos explicaram que tudo vem da cabeça. "Cabeça ruim, tôrpe, vã!". A cabeça deveria ser arrancada, pois então, dos nossos ombros e ser sacrificada a nós mesmo para diminuir, sossegar e acalmar nós mesmos, nossas almas, nossos desejos. Nossos devaneios sagrados...

    Malditos homens que puseram a culpa na cabeça, pois isso nos leva a pensar que fomos nós mesmos que dedicamos, que fizemos de Deus um fidedigno Ser Superior. Malditos sejamos, malditos serão: eternamente, por todos os séculos e séculos!

    Eles nos responderam e nós os seguimos... nós nos matamos e eles, no nosso velório, desataram a debulhar-se em risos e acabar-se em uma maca qualquer, com seu diagnóstico de imortal ser malévolo, o qual um dia disse que a culpa era só do pensamento, só dele, só dele... e não nossa.

    Que Deus tenha piedade de nós, para que:

    Tenhamos: uma vida justa com ela mesmo, com seu irmão tempo, com sua prelazia morte, com nós, homens, e com sua inigualável sorte.
     
  11. Denethor II

    Denethor II Pontífice Inquisidor de Gondor

    Leia o mangá Evangellion que voce vai potencializar as perguntas e ainda vai ficar maluquinho rsrs

    muito bom! gostei mesmo!
     
  12. Eli Nerwen

    Eli Nerwen Usuário

    Dudi, esse texto eu não conhecia, ou melhor, não tinha lido ainda. É bom que ele tenha continuação e siga até a dedicatória número cinco mesmo.
    To gostando muito, acho que você tem talanto mesmo, mocinho. O primeiro, em especial, eu adorei, amo perguntas e quebrar a cabeça com elas :mrgreen:

    Não é por falta de recomendação que ele não lê :roll:
     
  13. Edu

    Edu Draper Inc.

    Tetra dedicação

    E quando descobrirmos que os macacos não existiram; que não evoluímos de nada - que não estamos aqui. Tudo se desfazerá como vento, tudo se mumificará como o tempo.

    Se não tivéssemos passado tanto tempo iludindo-nos com heróis falsários, crenças heréticas, deuses irrisórios, talvez veríamos a luz na escuridão? Se pudéssemos fazer o tempo voltar, talvez como fazemos voltar a vida, a felicidade, tudo seria diferente? Melhor; pior; nada. Deus usaria um sobretudo tecido por nossas mãos? Se aqueceria somente pela nossa existência? Seríamos suficientes para dar coesão ao Universo?

    Se dedicássemos nossa vida a um propósito certo, que brilhasse não-irrisório no horizonte, talvez seríamos melhores do que fomos? Seríamos mais humanos, menos macacos - mais existentes, menos divagados? Se fôssemos e assumíssemos nossa natureza mortal, sem cultivarmos em nossos corações a ânsia de ser mais do que se pode ser, tudo seria melhor?

    Quando se faz perguntas não se busca respostas. O oposto da pergunta é a exclamação: sim, eu poderia ser algo se não fosse humano!
     
  14. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Hm, mas que difícil dar uma opinião sobre esse texto!

    Tem partes muito bonitas, outras onde EU faria algumas mudanças (escolha das palavras, pontuação, argumento)... Mas é um texto original, de qualquer forma, e seu estilo também é bem interessante.

    Vamos ver a última dedicação ;)

    Abraços, te cuida
     
  15. Edu

    Edu Draper Inc.

    Ajude-me a ser um aspirante a Tolkien melhor!
    Aponte o que você mudaria ^^
     
  16. O Sujo de Sangue

    O Sujo de Sangue Usuário

    Porra... cada questão dessas pode ser o cerne de um romance, um pequeno conto, qualquer pantomima humana.

    Suas dedicatórias parecem, cada uma, trechos de síntese impacto de finais de romances.

    Tá ligado que a opinião dos outros não vale um kibe, né?

    Enfim...

    Eu gosto quando surgem questões como muitas que você colocou, e elas alternam com o relato de situações específicas. Foi um negócio que suas paradas me despertaram a vontade de fazer.

    Tem trechos que podem ser o resumo de um conto de questões religiosas, outros de relacionamentos humanos.

    Só acho que, quando falamos de temas de filosofia universal, as grandes questões, pode ficar enjoativo ficar falando sempre de longe, na abstração master, numa linguagem muito sintética.

    As sínteses ficam bacanas em contrastes com os desenvolvimentos.
     
  17. Edu

    Edu Draper Inc.

    A idéia das Dedicatórias é deixar em suspenso alguns questionamentos, que só serão respondidos na quinta delas, que é a última. Mas é algo abstrato, Sr. Sujo de Sangue. Não quero dizer "as coisas são assim por isso, isso e isso", quero te fazer pensar e se enojar com o que constatar, mas acima de tudo, quero trocar a ordem dos parafusos da sua cabeça.
     
  18. Menegroth

    Menegroth Bocó-de-Mola

    Olha, eu gostei....

    E olha que sou um cara que se é dificl agradar, mas tá ai um belo texto.

    Quanto aos vários questionamentos que existe no texto, eu particularmente gosto. Gosto de deixar o leitor pensar nas respostas que as vezes tenho, as vezes não.

    Mas creio que o pessoal está curioso para saber quais são SEUS pontos de vista em relação aos questionamentos.

    Enfim... está muito bom, parabéns!
     
  19. Edu

    Edu Draper Inc.

    Quinta dedicação

    E então, em um belo dia, tudo pára. Diabos! O apocalipse chegou cedo demais. O mundo se esfarela. Deus o empacota, pega suas roupas e cria um outro Universo. Os homens? Acabaram suas pilhas.

    Para nós cada pergunta tem de ter sua devida resposta. Para cada questão com uma interrogação deve existe uma conclusão com uma exclamação. O homem já foi à Lua? Não! ETs existem? Sim! É simples, e arbitrariamente matemático, fiar respostas sobre coisas das quais não entendemos nem a metadade. Logo, para nós é fácil responder a todas as perguntas das dedicatórias com um sim e com um não.

    É claro que todas as quatro e seu prólogo podem ser respondidas com essas duas palavras. Mesmo que não haja eloquência, para nós é tudo respondido por esses dois grandes opostos, a afirmação e a negação. Por quê? Porque como não as entendemos, paranós se tratam de perguntas para as quais qualquer resposta é válida. Mas a verdade é que as respostas não importam: o que importa é como nos sentimos confrontando a nossa própria vida, os nossos próprios valores, o nosso dia-a-dia.

    "Quem falou: 'Deus é fiel'?". Resposta? Você mesmo, nos momentos em que as crendices não importavam. Elohim e Odin eram iguais se pudessem ambos intervir a seu favor. "Seríamos suficientes para dar coesão ao Universo?": sim quando estamos felizes; não quando a tristeza é tamanha que, para nós, o Universo não existe. Entenda que a questão é o seu ponto de vista: as respostas de pouco valem nesse mundo. Antes de procurar em uma enciclopédia o significado da vida, dê a ela um. Antes de querer pôr o Universo numa casca de noz, encontre uma noz. O mundo é redondo e perfeito apenas para aqueles que entendem que tudo é por sua conta. Que matar ou morrer é uma questão de escolha.

    E então, as escolhas são as principais armas da humanidade. Contra todos e contra si mesma. São bilhões de pessoas apertadas em uma bola que flutua, sem saber o porquê de existirem, muitas não dando a mínima para isso; cada uma escolhe como vai viver: se quer conhecimento ou poder; se quer voar ou permanecer com os pés no chão. Logo, os que buscam conhecimentos se perguntam muitas coisas, e tentam respondê-las com o que sabem sobre o mundo. E os que não buscam, só aceitam as verdades criadas pelos cientes: é o monopolismo do conhecimento falso, da ciência às custas de só mais ciência. E aos poucos, o ser-humano se esquece que catalogar, escrever, tomar nota e pesquisar é tudo em vão. Se esquece de que todas as respostas estão dentro de si mesmo, em suas escolhas, em saber que, inevitavelmente, um dia ele vai morrer e nada vai levar consigo.

    A maior de todas as questões apresentadas aqui, "qual a resposta para tudo isso que foi escrito?", pode, após todas essas dedicações, ser agora solucionada: a resposta é olhar para dentro de nós mesmo, esquecendo-nos de tudo o que sabemos e acreditamos, e nos fazer a pergunta: "porquê?". E logo a resposta virá: "é você quem sabe, pois é você quem faz o mundo, e o resto das coisas, acontecerem".


    -----------------------------------------------------------------------------------------------------

    Esse é o primeiro texto sequencial que termino aqui no CdE. É uma pequena amostra de como eu vejo as coisas ao meu redor, e ninguém deve ser influenciado por ela, porque minha mente não é confiável :mrgreen:.

    O que eu quis passar com tudo isso foi só a quantidade de porcarias que fazemos por causa da nossa sede de saber mais e de poder fazer tudo, quando devemos olhar pra dentro de nós mesmos e tentar mudar-nos. É neo-hippie e se o DOPS ainda existisse, eu seria preso por espalhar ideologias falásrias, mas é o que consegui escrever sobre como eu enxergo a nossa dedicação a todas essas coisas que vão ficar aqui quando nós formos embora.

    No mais, agradeço a todos que comentaram aqui e me deram ânimo pra terminar as Dedicatórias. :cerva:
     
  20. elfah

    elfah Usuário

    Muito bom, gostei mesmo! Muito bom. Agora, na última parte:

    Não seria "...é você quem faz o mundo e o resto das coisas acontecerem." ?
    ou você quis dizer "acontece"?

    No mais, mt bom, sério. Lí todos e gostei, principalmente a parte das perguntas. (adoro escrever com perguntas, mas faço isso em dissertação para provas de redação, e, modéstia a parte, me dou muito bem :mrpurple:)

    Continue :cerva:
     

Compartilhar