1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Kickstarter e o artista da fome (ou o caso Stacey Jay)

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Maria Pretinha, 14 Jan 2015.

  1. Maria Pretinha

    Maria Pretinha Usuário

    Não sei se vocês acompanham pendengas literárias, mas um drama recente me deixou com a pulga atrás da orelha e me lembrou um pouco as discussões do tópico
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .

    Resumão: Stacey Jay é uma autora de YA que perdeu o contrato com sua editora depois de não vender "o suficiente". Stacey, porém, ainda queria escrever uma continuação para seu último livro, Princess of Thorns (pedida por vários leitores). Ela decidiu então criar uma campanha no Kickstarter para arrecadar 10 mil dólares, o que permitiria que ela se dedicasse à escrita do livro e ainda cobrisse os custos de publicação. Note-se que esse valor é 60% menor do que ela recebeu da editora pelo primeiro livro. Uma doação de 10 dólares daria direito à um exemplar, doações maiores ganhariam outras recompensas variáveis, etc. Até aí, uma campanha normal do Kickstarter. Porém, Jay teve a infelicidade de detalhar seus custos, incluindo na lista aluguel, comida, conta de luz e por aí vai.

    Ela é uma escritora profissional, propondo um projeto de escrita profissional e pedindo como remuneração o valor mínimo para sua sobrevivência durante o tempo necessário para completá-lo: menos de 11 dólares a hora para manter o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .
    Antes de avaliar o caso, vale lembrar que o Kickstarter é uma plataforma de financiamento coletivo voluntário, que já arrecadou
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    (do qual eu participei :mrgreen:) e
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .

    Para mim, a lógica é simples: te interessa ler a continuação de Princess of Thorns o mais rápido possível? Doe e espere. Não te interessa, segue em frente, tem outros troféu projetos. É um simples pre-order. Porém, a interwebs, essa bandida, pensou diferente e decidiu presentear a pobre da Stacey com uma enxurrada de chorume. Alguns deles (e minhas considerações rápidas porque não quero que o "textão" se concentre em rebater esses argumentos esdrúxulos) listei a seguir:

    "Ela está querendo ser sustentada pelos fãs" - Não seriam todos os artistas (que vivem da sua arte) sustentados pelos fãs, de um jeito ou de outro?

    "O Kickstarter não foi criado pra isso, ela quer lucrar em cima do público" - Não vejo o mínimo necessário para que ela se sustente enquanto dedica suas horas de trabalho à um projeto como lucro.

    "Por que ela se acha tão importante / especial assim que deva ser sustentada para escrever?" - Ela vai entregar um produto para quem se interessa por aquele produto e, em troca, vai ser paga por isso. Uma escritora sendo remunerada pelos seus leitores - assim como ela seria remunerada pelos seus leitores se fosse publicada da forma tradicional, com a diferença de que parte daquela remuneração ficaria com a editora.

    "Ela está fazendo os leitores reféns: 'ou vocês pagam ou não tem livro' "
    - Ahn? Se ela conseguir o dinheiro, pode dedicar o tempo necessário à escrita do livro, se não, vai ter que se dedicar a outras atividades profissionais. Pode ser que ela escreva aos pouquinhos, pode ser que ela consiga outra editora, pode ser que ela nunca tenha tempo / energia para tal. Mas, se você quiser o livro daqui a seis meses, eu preciso de 10 mil dólares. Faz sentido.

    "Eu trabalho 15 horas por dia, tenho 10 filhos, 5 cachorros, faço voluntariado, corro maratonas e escrevi um livro nas minhas horas vagas, por que ela não faz o mesmo?"
    - Porque ela não quer e, se existe alternativa, não deve.

    "Vai arranjar um trabalho de verdade como todo mundo faz" - E ser escritor(a) não é um trabalho de verdade?

    O que me leva à segunda parte do título: o escritor como artista da fome.

    Pra quem nunca leu, O Artista da Fome é um conto de Kafka que retrata um artista jejuador que, esquecido em sua jaula por um público que não se importa mais pelo seu único talento (o de jejuar), acaba por morrer de fome. Antes de perecer, ele admite que sempre quis ser admirado por sua arte, mas que não o deveria ser, porque "eu não pude encontrar o alimento que me agrada. Se eu o tivesse encontrado, pode acreditar, não teria feito nenhum alarde e me empanturrado como você e todo mundo".

    Todo mundo pode ficar sem comer (até certo ponto), mas o artista da fome não podia comer e reivindicava admiração por isso. Ele deveria ser admirado? Ele merecia ser admirado? Qual a utilidade de seu jejum? Por que ele deveria ser pago para não comer? Qual o papel do artista? O artista é um ser especial? O fazer artístico é inútil?

    Há quem ache que qualquer um pode escrever e que, portanto, escritores medianos não merecem sucesso (meaning, dinheiro), afinal, "eles não são especiais". Há quem acredite que "a verdadeira" escrita é reservada aos gênios e acontece independentemente do dinheiro. O escritor é um artista, mas ai daqueles que quiserem viver da sua arte! Ele tem de viver na jaula e ficar lá, quietinho, padecendo aos poucos, em silêncio.
     
    • Ótimo Ótimo x 10
  2. Heberus Stormblade

    Heberus Stormblade Paz e Amor

    Ótimo texto.

    A ação tomada pela Stacey é totalmente aceitável e estes comentários negativos não apresentam nenhuma motivação válida para ir contra o que a autora fez.

    Ao meu ver, escrever livros é uma profissão como qualquer outra. Você adquire conhecimento (Como escrever); Aplica o conhecimento (Escrevendo); É remunerado (Vende sua mão-de-obra/criação/tempo).

    Como em qualquer área, sempre há os indivíduos que se destacam por apresentar uma habilidade superior ao comum, mas isto não desmerece aquele que não a possui. Pode ainda haver situações em que o individuo menos habilidoso seja mais bem remunerado que o mais habilidoso. Estas características são comuns a todas as profissões de meu conhecimento.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  3. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Só conhecia a autora por um livro chamado Julieta Imortal - uma ex-namorada amou esse livro. Nunca me chamou a atenção, então nem... Contudo, por que c******* alguém se mete nisso? É gente que só quer saber de tumultuar, de encher o saco alheio, de perturbar os outros - como aqueles babacas que foram zoar com o George R.R. Martin porque ele não passa o dia inteiro escrevendo As Crônicas de Gelo e Fogo. Tipo, vai pro inferno, cuida da sua vida - sim, isso me incomoda e dá raiva. Nenhum artista devia ser feito refém ou ser exposto por aqueles que se dizem fãs de sua obra.

    Essa história me lembrou o caso do Zach Braff e "Wish I Was Here" - de repente todo mundo ficou revoltado porque Zach Braff, um queridinho da TV americana, queria dinheiro para fazer um filme. Uai, o dinheiro é dos outros, quê que cês têm a ver com isso? Mas no caso da autora referida, gente... Dá vontade de dar um tapa na cara de cada um desses imbecis. (Sim, estou num momento "prisma emocional". Talvez eu volte e faça algo mais racional.)
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Mandar Coração Mandar Coração x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  4. Calib

    Calib Visitante

    Comentários de Internet... Não os leiam.
    Eis aí mais um exemplo do porquê.
    Só chorume, mesmo. A Maria Pretinha já rebateu cada um dos pontos. Nem tem o que acrescentar.
    Só, talvez, que eu faço votos para que a autora lucre mais assim do que com a editora.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  5. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Ela desistiu, @Calib . A coisa ficou tensa depois que começaram a ameaçar divulgar os dados dela.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  6. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Eu acho o Kickstarte (e qualquer crowdfunding) uma coisa linda de Deus. Ajudei no crowdfunding de um livro de ilustrações baseadas em Lovecraft e achei ótimo. Como falou @Calib, é melhor nem ler os comentários, pq a maioria das pessoas não dá nem uma respirada antes de defecar pela boca.

    Na verdade eu acho que a resposta é outra: Pq existe demanda para os livros dela e a oferta convencional não está funcionando bem. Além disso, ela já é conhecida pelo público, diferente do sujeito que fica reclamando que escreve nas horas vagas.

    Enfim, crowdfunding é livre iniciativa na veia e eu acho foda.
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  7. Maria Pretinha

    Maria Pretinha Usuário

    Sim, foi o que quis dizer com o "se existe alternativa".

    Essa história da Stacey Jay é óbvia pra quem tem o mínimo de senso crítico, mas continuo incomodada com os aspectos dela que ainda existem no imaginário coletivo.

    Veja a timidez com a qual escritores pedem contribuições no Patreon. Eu assino algumas newsletters em que morro de agonia ao ler os autores se desdobrando para não parecerem arrogantes ou pedintes e pisando em ovos para não ofender o leitor ao disponibilizar uma ferramenta voluntária para quem quer contribuir pelo tempo gasto para produzir um material que os próprios leitores apreciam.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
    • Gostei! Gostei! x 1
  8. Jango

    Jango Branca! Branca! Branca!

    Fico triste por ela ter desistido do projeto. Mas, pelo visto os trolls da internet assustam muito mais que os da literatura ou cinema.

    :squid::squid::squid:
     
  9. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    • Mandar Coração Mandar Coração x 4

Compartilhar