1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Tolkien: Crítico da Ciência(?)

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Velho Ateu, 21 Abr 2010.

  1. Lola la Gitana

    Lola la Gitana Usuário

    Pensando no anel como representação da tecnologia realmente parece que Tolkien é contra ela, como se corrompesse o homem de tal forma a não permitir que servisse para o bem e muito menos para mal. Sem meio termo e nenhuma vantagem? Todas as coisas têm seu lado bom e ruim, e isso por uma questão de equilíbrio. Então o anel não serve para representar a tecnologia. Fico pensando, se ele não admira tal coisa, que fez e faz o mundo evoluir como conhecemos, talvez por isso ele tenha escrito obras que falassem de certo modo do passado, da vida no passado, e não do futuro e todas as suas engrenagens, inovações. Compreende-se que a tecnologia não era objeto de sua admiração. Vai ver ele queria que o mundo retrocedesse.

    E como os outros anéis que são versões do anel principal que seria do “mal” serviriam para o bem?
     
  2. Velho Ateu

    Velho Ateu Usuário

    Lembrando que havia os três anéis élficos, que foram largamente usados para o bem e sem causar nenhum mal, também por não terem sido tocados por Sauron.

    Acho que a conclusão maior do que foi que Tolkien fazia uma crítica parcial à ciência, defendendo a análise do intento de se fazer algo, não fazer pelo fazer.

    Acho interessante que o Professor tenha admitido a relação entre o Anel e a tecnologia, pois ele sempre foi muito contra alegorias, e mesmo com sua afirmação, acho que não devíamos tentar fazer uma relação geral e completa entre o(s) Anel(éis) e a tecnologia, que era algo que ele abominava.
     
  3. Bishop of Haven

    Bishop of Haven Aspirante a mago disfarçado de


    Talvez não criticava a ciência em todos os sentidos, porém criticava toda a destruição que acontecia por decorrência de certas ramificações da ciência.
    Acredito que uma pessoa de mente tão elevada, como Tolkien, não tivesse criticas ao modo de como o mundo funcionava. Ainda mais na época em que ele viveu.

    []'s
     
    Última edição: 8 Mai 2010
  4. Amaurëawen

    Amaurëawen You'll be embraced by an

    Tolkien viu muito da tecnologia de seu tempo ser usada para a Guerra, para o dominio e destruição de povos, o Um pode ser fácilmente interpretado da mesma forma. Bem como os outros anéis, que não foram corrompidos por Sauron, podem ser fácilmente compreendidos como os avanços tecnológicos que ajudaram a humanidade.

    Concordo com o Velho Ateu quanto a critica parcial a ciência, da mesma forma em que ela pode trazer inúmeros benefícios pode também causar imensos danos.
     
  5. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Nossa,tanto tempo ausente e pouco tempo para acompanhar os tópicos!
    Em relação à frase de Saruman, é preciso deixar claro todo o contexto de onde foi retirada, justamente para não tomar uma frase de efeito como uma crítica velada a Ciência ou aos Orientais das regiões setentrionais.

    Saruman estava zombando da importância dada por Gandalf as cores, como uma forma de descaracterizar e renegar de onde e quem eram seus superiores em Aman e quais eram sua atribuições na T-m. O que o Mago Branco não percebeu era que com sua frase despretensiosa sobre as cores, acabou por revelar a Mithrandir suas reais intenções sobre o estudo da forja de Anéis de Poder e, tal como o Sauron, ter o poder para alterar a matéria ou mesmo corrompê-la a força e subjugar a vontade daqueles que oferecessem resistência.
     
  6. Mestre ikke

    Mestre ikke For The King!

    No silmarilion Tolkien relata que os elfos vierão do barro assim como todos os seres vivos da terra, por isso eles podem ser destruidos, agora resta saber se ele está se referindo a ambiogenes ou a lei de lavoseir "nada se perder,nada se cria,tudo se transforma", por isso ainda sim é uma faca de dois gumes

    mais achou que tolkien não acretida muito na ciência.
     
  7. Finwë

    Finwë Alto Oficial de Erebor

    Mestre Ikke, os Elfos não surgiram do barro, eles simplesmente despertaram:

     
    Última edição: 9 Mai 2010
  8. Cilmawiel

    Cilmawiel Usuário



    <link rel="File-List" href="file:///C:%5CDOCUME%7E1%5CJoana%5CCONFIG%7E1%5CTemp%5Cmsohtml1%5C01%5Cclip_filelist.xml"><link rel="Edit-Time-Data" href="file:///C:%5CDOCUME%7E1%5CJoana%5CCONFIG%7E1%5CTemp%5Cmsohtml1%5C01%5Cclip_editdata.mso"><!--[if !mso]> <style> v\:* {behavior:url(#default#VML);} o\:* {behavior:url(#default#VML);} w\:* {behavior:url(#default#VML);} .shape {behavior:url(#default#VML);} </style> <![endif]--><!--[if gte mso 9]><xml> <w:WordDocument> <w:View>Normal</w:View> <w:Zoom>0</w:Zoom> <w:HyphenationZone>21</w:HyphenationZone> <w:PunctuationKerning/> <w:ValidateAgainstSchemas/> <w:SaveIfXMLInvalid>false</w:SaveIfXMLInvalid> <w:IgnoreMixedContent>false</w:IgnoreMixedContent> <w:AlwaysShowPlaceholderText>false</w:AlwaysShowPlaceholderText> <w:Compatibility> <w:BreakWrappedTables/> <w:SnapToGridInCell/> <w:WrapTextWithPunct/> <w:UseAsianBreakRules/> <w:DontGrowAutofit/> </w:Compatibility> <w:BrowserLevel>MicrosoftInternetExplorer4</w:BrowserLevel> </w:WordDocument> </xml><![endif]--><!--[if gte mso 9]><xml> <w:LatentStyles DefLockedState="false" LatentStyleCount="156"> </w:LatentStyles> </xml><![endif]--><style> <!-- /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";} @page Section1 {size:595.3pt 841.9pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;} --> </style><!--[if gte mso 10]> <style> /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:10.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-ansi-language:#0400; mso-fareast-language:#0400; mso-bidi-language:#0400;} </style> <![endif]--> Infelizmente não lembro exatamente a fonte dessa afirmação do professor, vou ficar devendo por enquanto já que estou meio atolada com minha pesquisa sobre os arquétipos femininos na obra dele para o Salão de Iniciação Científica...
    Mas assim que estiver mais livre verifico isso e mando a referência! <!--[if gte vml 1]><v:shapetype id="_x0000_t75" coordsize="21600,21600" o:spt="75" o:preferrelative="t" path="[email protected]@[email protected]@[email protected]@[email protected]@5xe" filled="f" stroked="f"> <v:stroke joinstyle="miter"/> <v:formulas> <v:f eqn="if lineDrawn pixelLineWidth 0"/> <v:f eqn="sum @0 1 0"/> <v:f eqn="sum 0 0 @1"/> <v:f eqn="prod @2 1 2"/> <v:f eqn="prod @3 21600 pixelWidth"/> <v:f eqn="prod @3 21600 pixelHeight"/> <v:f eqn="sum @0 0 1"/> <v:f eqn="prod @6 1 2"/> <v:f eqn="prod @7 21600 pixelWidth"/> <v:f eqn="sum @8 21600 0"/> <v:f eqn="prod @7 21600 pixelHeight"/> <v:f eqn="sum @10 21600 0"/> </v:formulas> <v:path o:extrusionok="f" gradientshapeok="t" o:connecttype="rect"/> <o:lock v:ext="edit" aspectratio="t"/> </v:shapetype><v:shape id="_x0000_i1025" type="#_x0000_t75" alt="" style='width:11.25pt; height:11.25pt'> <v:imagedata src="file:///C:\DOCUME~1\Joana\CONFIG~1\Temp\msohtml1\01\clip_image001.gif" o:href="http://forum.valinor.com.br/images/smilies/nod.gif"/> </v:shape><![endif]--><!--[if !vml]-->:yep:

    Quanto à segunda pergunta: Sim, "Obrigado". O Estruturalismo é uma corrente teórica que nasceu na Rússia como reação ao tipo de análises impressionistas que se fazia antes na área de literatura. "A imanência do texto deve ser respeitada!" Essa era a maior regra do estruturalismo. Os teóricos que desenvolveram essa forma de se fazer teoria literária são estudados até hoje na academia e são base p/ todos os estudos teóricos que se seguiram.
    Então, sim, foi um elogio. Hehehehehe...
    <o:p> </o:p>
    Quanto ao anel como símbolo da tecnologia, a idéia é mais ou menos a mesma das pessoas q falam do uso da pólvora. O problema é como a tecnologia é usada e desenvolvida. Como intelectual que era, o Professor certamente não ignorava a tecnologia benéfica, como os avanços da medicina, por exemplo. Se fosse o contrário, teríamos sociedades mais similares a tribos indígenas, e não organizações sociais da Idade Média no SdA.
     
  9. zorba

    zorba VAI CORINTHIANS!

    não creio que a frase de Gandalf tenha alguma 'relação' contra a ciência, ou alguma intenção de que nada seja estudado, aprimorado ou conhecido... creio que foi só uma forma dele dizer que a pressa, a ânsia, o desejo de conhecimento total e prepotente, devia ser, de fato, desconsiderado...
    tipo: ao invés de quebrar a 'coisa' pra descobrir o que ela é, estude-a, compare-a, analise-a, procure saber como ela funciona e o que ela faz... mas sem destruí-la, apenas observando e usando de forma cabível...
    o próprio Gandalf era um 'cientista', por assim dizer.. ele estudava pergaminhos esquecidos, línguas esquecidas e livros esquecidos... sabia muito sobre quase tudo, senão tudo, mas não matava, destruia, queimava ou 'quebrava' as coisas para compreendê-las... apenas estudava...




    acho que não...
     

Compartilhar