• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Seriam aves pré-historicas

Lavindil

Usuário
Na história do Senhor dos Anéis aparassem várias águias gigantescas, com força suficientemente grande para carregar Gandalf, e como foi dito no tópico sobre as montarias dos nazgul que Tolkien entendia de paleontologia e que as montarias poderiam ser pterossauro, eu creio que essas águias poderiam ter sido baseadas no Teratornis, ou Pássaro Trovão como os índios norte americanos dizem. Essa ave certamente teria a força necessárias para levantar um homem.

http://farm2.static.flickr.com/1301/699750340_e5d88a64a1.jpg<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" /><o:p></o:p>
 

Biorn

Fiz uns rock's com Iluvatar
Muito interessante isso^^. Realmente, é possivel que ele tenha se inspirado nessas aves
 

Mairon

Alquimista Andarilho
Caramba! Não imaginava uma ave tão grande! Vai ver que foram essas as aves da história
 

ARABAEL

Ema Infame e
É possível, claro Tolkien trouxe mudanças ao animal, dando características de uma ave de rapina como já dito a águia americana, até mesmo pela sua aparência imponente, existiu um pássaro que cortava os céus dos Pampas argentinos há seis milhões de anos, do tamanho de um moderno aeroplano e com mais de 65 quilos, sempre intrigou os paleontólogos, que, durante séculos, se questionaram como esta ave, a maior do mundo, conseguia pegar impulso e manter-se no ar.
Mas agora um estudo divulgado por cientistas americanos sugere que o extinto Argentavis magnificens era basicamente um pássaro planador, que aproveitava as correntes ascendentes de ar mais quente.
"Depois que se lançava em vôo, não havia problema. Podia viajar 200 milhas (320 km) em um dia", explicou Sankar Chatterjee, professor de geologia da Tech University e do Museu do Texas em Lubbock, principal autor do estudo.
Chatterjee e uma equipe de pesquisadores analisaram a aerodinâmica da ave pré-histórica introduzindo informações sobre seus parâmetros num programa informatizado de simulação de vôo.
A análise mostrou que o pássaro, como a maior parte das aves terrestres voadoras, era muito grande, mas que podia elevar-se eficientemente, alcançando velocidades de até 108 km/h nas condições corretas.
Como os modernos condores, o Argentavis se apoiava para pegar vôo nas correntes ascendentes de ar quente dos Andes, ou em colunas ou bolsas de ar ascendente sobre os verdes pampas argentinos, onde caçava suas presas.
Embora tivesse um comprimento de quase seis metros, seu raio de rotação de 28 metros era suficientemente curto para permitir que se mantivesse dentro de uma corrente de ar enquanto se elevava para, por exemplo, buscar a presa.
"A parte mais difícil era lançar-se em vôo", disse Chatterjee. "Provavelmente usava algumas das técnicas utilizadas pelos pilotos de asa delta, como correr em um terreno inclinado para obter impulso ou energia, ou correr com o vento a favor", acrescentou.
O estudo foi publicado pela Academia Nacional de Ciências.
Estudo realizado por cientistas americanos sugere que a espécie extinta era basicamente um pássaro planador, que aproveitava as correntes ascendentes de ar mais quente.
 

Dorak

-Morgoth! Não me chame de
Sempre é possível...mas prefiro acreditar que ele se inspirou nas águias 'normais' mesmo, que são criaturas majestosas, e que transmitem uma visão legal da criação e do próprio Manwë, que era Rei dos Valar.

 
Última edição:

Lavindil

Usuário
A velocidade citada por Arabael condiz com a velocidade dos passaros da história, mas nunca saberemos no que Tolkien pensava.
 

ARABAEL

Ema Infame e
Tolkien era um pesquisador nato, acredito que por isso suas obras sejam tão complexas e com muitos detalhes.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$100,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo