1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Pergunte ao Pó (John Fante)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Cantona, 9 Ago 2011.

  1. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Lembro da primeira vez que li Pergunte ao Pó. Fui seduzido pela introdução de Paulo Leminski e pelo prefácio de Charles Bukowski (- Não me chame de filho da puta! Eu sou Bandini, Arturo Bandini!). Terminado o livro, quis ser escritor. Cheguei até a tentar redações mais rebuscadas, mas o boletim deixou claro que o talento era deficitário. Consigo rabiscar algumas coisas pra cair no agrado da morena, mas é só.

    Hoje, terminei a releitura. Não me deu aquela comichão pra iniciar uma carreira literária, como antigamente. Mas veio um querer absurdo pela vida, não a hipócrita do comercial de margarina, mas a verdadeira, cheia de falhas e arestas nas quais a gente se corta. Veio uma vontade “de entrar em contato com a matéria bruta da vida”, de ser um Arturo Bandini e desejar uma Camilla Lopez como se deseja uma Brahma depois do desgosto.

    Mais: deixei de acreditar no honesto, naqueles que trazem certa candura no olhar e uma bondade sem interesse no coração. Deixei de acreditar no coroinha da igreja, por exemplo. Agora, só acredito em Arturo Bandini, o sonhador da imaginação galopante, o santo e pecador, capaz do maior ato de coragem e da maior prova de covardia, o “amigo do homem e da besta”. O anti-herói.

    A estória, em linhas gerais: Arturo, descendente de italianos, saiu do Colorado com o desejo de se tornar um grande escritor. Vai parar na Los Angeles dos anos 30, ainda sob os efeitos da quebra da Bolsa em 29. Duro, sem inspiração, vai perambulando pelas ruas poeirentas da cidade, entrando em contato com aqueles que vivem à margem da sociedade, ora os reconhecendo como irmãos de sofrimento, ora os desprezando, numa reação que podemos classificar como inconsciente: uma espécie de reparação íntima pelo preconceito que sofreu por ser pobre e filho de imigrantes. Com Camilla Lopez, garçonete de um café, esse tipo de relação é mais nítida – ao mesmo tempo em que a idolatra e deseja, ele a ofende e descarta. Conhece Vera, uma mulher misteriosa e, a partir desse encontro, somado ao terremoto em Long Beach, Bandini parece adquirir outra compreensão das coisas e pessoas que o cercam, embora com algumas naturais recaídas. Surge a inspiração para o livro e seu relacionamento com Camilla ganha novos contornos.
    É preciso ler. Recomendo, não como crítico literário, mas como um leitor que gostaria de tomar um trago com Bandini, Arturo Bandini.

    Momento Fanfarrão (no bom sentido): Hellfrick, vizinho de Arturo, viciado em gim e carne. A parte em que os dois, famintos, partem à procura de um bife (...grosso assim. Grelhado. Um monte de manteiga por cima...) é, de certo modo, cômica:
    - Agora vou lhe dar uma lição de açougueiro, garoto.

    Há o filme, também. Mas é tosco. Ninguém vai chegar à obra pelo filme. Nele, a única coisa que se salva é a bela
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , no papel de Camilla Lopez (ah, se eu fosse nobre...).

    Há braços!
     
  2. Sei lá, tenho meio trauma desse livro, provocou uma briga meio braba entre eu e um ex-namorado uns dez anos atrás... rsrsrsrs

    (no caso, ele pegou esse livro pra ele num sebo porque achou primeiro e me deu um livro infantil. Meu ego adolescente não suportou isso muito bem... rsrsrs)
     
  3. Lucas_Thedreamer

    Lucas_Thedreamer Usuário

    Nossa! Fiquei com uma vontade incontrolável de ler. Já tinha vontade pelo título que acho muito estiloso, e também pelo viés contracultural da obra. Mas seus comentários a respeito realmente inticaram minha curiosidade.
     
  4. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Vale a pena, Lucas. Eu estou lendo Espere a primavera, Bandini. É a fase pré Los Angeles do Arturo Bandini, mostrando sua relação com a família e tal.
    John Fante me seduziu.
     
  5. Lucas_Thedreamer

    Lucas_Thedreamer Usuário

    O livro simplesmente me arrebatou, li tudo em duas pegadas, teria lido em uma se pudesse. Tenho que confessar que até deixei cair algumas lágrimas comovido pela incrivelmente poética e no entanto simplória descrição de estados de espírito e paisagens, além dos conflitos.
    Acho que o livro me causou uma sensação semelhante a que você teve, Cantona, tuitei sobre "... não há tristeza ou sentimentalismo romântico, apenas a intensidade da vida"
    E intenso é o envolvimento com Camilla numa mescla de amor e ódio num jogo de agressividade e compaixão. Intensas são as fraquezas de Bandini, assim como suas ambições.
    O capítulo 16, especialmente, me prendeu de tal forma que não conseguia desviar meu pensamento para mais nada enquanto o lia.

    Enfim, lido e aprovado. Um dos melhores. Recomendo
     
  6. Cantona

    Cantona Tudo é História

    Que bom que gostou, Lucas.

    Depois que terminei a leitura, procurei no Google opiniões de outras pessoas que haviam lido Pergunte ao Pó (sempre faço isso. Aliás, foi assim que cheguei até o Meia, um caminho A leste do Éden - Google - Meia). Vi gente que usava os melhores adjetivos para recomendar a obra e outras que tinham verdadeiro asco sobre Arturo Bandini, Camilla Lopez e as ruas de Los Angeles. Ninguém foi indiferente ou ficou em cima do muro. Não teve aquele " O livro é bom, mas... / O livro é ruim, mas...". Pergunte ao Pó é, para o bem ou para o mal.
     
  7. Anica

    Anica Usuário

    eu li esse post, pensei "ok, tá na hora de eu colocar john fante na minha lista de lidos" e fui no buscapé procurar pelo melhor preço de pergunte ao pó. e fica a dica aí para quem tb está curioso sobre o livro:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .
     

Compartilhar