1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O que seria um clássico?

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por alrob, 9 Ago 2008.

  1. alrob

    alrob Usuário

    Vez por outra vejo um crítico falando algo como: Ninguém mais lê os livros clássicos. ou Nenhum escritor atual presta., no meu ponto de vista uma pessoa que se diz instruída o bastante para julgar um best-seller como "porcaria-literária" não deve saber o suficiente sobre clássicos literários.

    É o caso de Moby Dick (Herman Melville) lançado em três tomos no ano de 1851 teve uma aprovação mínima da crítica e dos leitores, muitos odiaram a aventura Ishmael. Um bom tempo depois, a mesma crítica que antes criticara Moby Dick dá-lhe o título de obra-prima. (Contraditório? Bastante.)

    Vamos para o engenhoso fidalgo criado por Miguel de Cervantes, crítica direta aos famosos livros de cavalaria que faziam sucesso na época, Dom Quixote de La Mancha (primeira parte lançada em 1605 e a segunda em 1615) também não teve uma grande repercursão, e seu escritor foi enterrado num cova sem nome. O tempo passa e...
    [size=x-small]Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    [/size]

    Vamos ao presente. Vejo
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    descendo o pau em escritores famosos como J.K. Rowling, Dan Brown, Stephen King e muitos outros. Dizendo que eles não são nada, jamais serão um clássico.

    Alguns concordam com isso, felizmente o pensamento moderno está mais evoluído e já temos os críticos 'do bem' que já consideram escritores como J.K. Rowling um 'clássico' (estes com idéias positivas recebem uma grande reprovação daqueles que cultuam escritores do século XVIII ou XIX), devido a "revolução literária" feita por Rowling que influenciou crianças, jovens e adultos a darem mais atenção aos livros.

    Analisando com cuidado, se os escritores modernos têm influências diretamente ligadas aos escritores do século XIX, os ditos 'clássicos', então ao se criticar um best-seller critica-se, indireta e inconscientemente, um clássico? ;)

    Acredito que vários autores "best-sellers" serão clássico em 100 anos, uma discussão similar a esta será feita e o mundo continua a girar. Já dizia Kurt Vonnegut no seu "Matadouro 5" (Slaughterhouse 5),

    So it goes. Coisas da vida
     
  2. Hérmia

    Hérmia Usuário

    Já ouviu dizer que pra fazer sucesso , tem que primeiro morrer...e bem pobre....rsrs
    Às vezes isso acaba acontecendo de verdade....
     
  3. Fernando Giacon

    Fernando Giacon [[[ ÚLTIMO CAPÍTULO ]]]

    Realmente "tempo e clássico" andam juntinhos...até mesmo para aquelas pessoas que adoram crucificar e arriscar palpites de que nunca tal livro ou tal escritor será um clássico.Mesmo porque você deu um bom exemplo disso, que é no caso de "Moby Dick" e outro livros que a gente poderia ficar citando, ou até mesmo escritores brasileiros como a Cora Coralina, que escreveu durante muito tempo, mas só foi reconhecida depois de seus 80 e poucos anos. Eu espero que isso mude um dia, porque esse lance de morrer, pra fazer sucesso não está mais com nada não...
     
  4. Marcileia

    Marcileia Usuário

    Verdade, o escritor rala a vida inteira para escrever, para entreter, ensinar, divertir, etc. as pessoas e seu trabalho só é reconhecido quando ele já não está mais aqui? No mínimo injusto!
    Pra mim clássico é o que eu julgo ser bom de ler, principalmente mais de uma vez...
    Vamos fazer uma campanha: valor aos escritores que gostamos e estão vivos!
     
  5. Angélica

    Angélica Visitante

    Alrob, adorei este tópico, se alguém me pedisse pra definir um clássico eu ficaria na maior saia justa, sei o que é (ou penso que sei) mas não saberia definir.

    Falando em injustiças, Alan Poe é um dos injustiçados...

    Nunca estudei literatura e não faço a menor idéia do que se leva em conta pra aclamar um livro como clássico, todavia, uma escritora como a J.K. que consegue escrever 7 livros recordes de venda e sendo que todos foram pra telona, em minha leiga opinião escreveu uma história clássica, talvez sem o aval da crítica especializada, mas, com todo o aval possível dos milhares de fãs espalhados pelo mundo... Citei a JK como exemplo, mas, isso se aplica ao S. King, etc...

    Ficaria imensamente grata a quem quiser me dar uma explicação básica do que é um clássico, de como um livro se torna um clássico.

    Já li vários livros reconhecidos como clássicos e, a maioria deles, para mim, tiveram uma leitura cansativa, seria essa uma das características de um clássico, refiro-me não a leitura cansativa mas a profundidade do texto que para algumas pessoas, meu caso, torna a leitura assim?

    E isso de "best seller" não ser considerado um clássico é fato mesmo ou há exceções?

    Gosto muito de ler e leio de tudo um pouco, mas não sou capaz de classificar as obras literárias, pra que tenham uma idéia foi só a partir de 2006 que comecei a visitar fóruns de literatura (na verdade, até meados de 2007 só participava da comu Agatha Christie Brasil do orkut) e foi assim que fiquei sabendo que tenho em casa verdadeiros clássicos da literatura nacional e internacional que já havia lido e sequer sabia disso. Gostei da maioria, pelo conteúdo, mas penei com outra maioria por achar as leituras cansativas.

    Talvez até já tenha comentado isso por aqui, não sei... mas tá aí o que penso e gostaria de saber sobre.


    bjs da angel
    ;)
     
  6. alrob,

    difícil questão essa, por ser muito subjetiva, um livro pode ser um clássico para alguém e não dizer absolutamente nada para outra pessoa. O que seria um clássico então? Para mim é o que segue pelo tempo influenciando gerações, de alguma maneira. O tênis All Star é um clássico, Machado de Assis é um clássico, Flaubert é um clássico, o filme E o vento levou é um clássico e, finalmente, o fusca é um clássico.
     
  7. Pra mim um clássico seria algo que marcou época, que se destacou em determinado tempo, mas mesmo assim é uma obra atemporal porque continua falando a várias gerações. Eu vejo dessa maneira.

    Ps: Eu penso que os críticos acham que obras boas são aquelas complexas que envolvem vários elementos, na verdade eu não entendo o critério de seleção ou exclusão que eles fazem.
     
  8. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Minha mãe tem uma frase ótima que diz: "Todo crítico é uma fracassado naquilo que critica!"

    É muito fácil falar um monte de besteira sobre as coisas que estão em evidencia, porque sempre vai ter um do contra para te apoiar, mas depois que a poeira baixa, nada melhor que admitir que aquele livro, cd ou filme que você meteu o pau antes, agora é o seu preferido ou o melhor que você já leu.

    O melhor é ler as criticas e saber filtrar o que é critica de verdade ou pura inveja.
     
  9. Hérmia

    Hérmia Usuário

    Sem dúvidas, nem sempre a maioria tem razão....
     
  10. .Penny Lane.

    .Penny Lane. Usuário

    Não sei dizer o que é um clássico, mas concordo com a Luna sobre um clássico ser atemporal e continuar influenciando pessoas até hoje. Não sei definir todas as características de um clássico, mas essa pra mim é uma delas.

    Eu não tinha lido o resto do seu post quando vi isso e sei que esse não é o seu caso, mas como é o de algumas pessoas que conheço vou postar assim mesmo.
    Olha, quanto a isso eu acho que é uma questão de costume... não que as pessoas sejam obrigadas a gostar de TODOS os clássicos, mas como os livros são de outra época a linguagem é diferente, eu quando nunca tinha lido nenhum livro considerado clássico[não que hoje eu tenha lido muitos, infelizmente] tinha receio em comprar um Crime e Castigo da vida e depois não entender, achar confuso e enfadonho e ter gastado dinheiro a toa... mas com a idade e a "bagagem literária" que você adquire já dá pra ler alguma coisa. ^^ Tem gente que acha que a palavra "clássico" tem que estar sempre associada à palavra "chato". ¬¬

    Ah, e o Gabriel García Márquez, que teve o Memória de Minhas Putas Tristes na lista de mais vendidos, até onde eu sei, já tem livros considerados clássicos. Acho que podemos associar best-seller a clássico sim, em alguns [poucos] casos.[/quote]
     
  11. Anica

    Anica Usuário

    Interessante o tópico, pena que só vi agora. Na minha opinião clássico é o que "sobrevive" ao tempo, no sentido de continuar fazendo algum sentido e, principalmente, influenciando as pessoas mesmo depois de séculos. A força desses é tão grande que eles já influenciam outras obras (a história de Fausto, por exemplo, recontado dos mais diversos jeitos, inclusive em Grande Sertão: Veredas).
     
  12. Calimbadil Thálion

    Calimbadil Thálion We eat the wounded ones

    Clássico é uma arte inspirada na Antiguidade e em seus ideais, adaptada à época.
    Como expressão, realmente significa algo que dura no tempo e marca a identidade da produção artística ou filosófica de uma época.
    A partir daí, a expressão pode ser usada de maneira mais banal para, por exemplo, qualificar um filme bom ao qual você assistiu no final de semana e que seja "velho".
     
  13. alrob

    alrob Usuário

    Esse uso de clássico que me deixa muito p...
     
  14. Ronzi

    Ronzi Oh, Crap!

    Que tópico foda!!!

    Acho super difícil definir o que é um clássico ou não, pelas várias de definições que são possíveis.

    O que e um clássico para mim? O que é um clássico para você? Isso é extremamente complicado de responder. Recomento à todos lerem
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    do Ítalo Calvino que acho muito divertido por tratar desse tema complicado com muita cautale e humor. É curtinho.

    Quanto a mim, gosto dessa definição:

    "Os clássicos são aqueles livros que chegam até nós trazendo
    consigo as marcas das leituras que precederam a nossa
    e atrás de si os traços que deixaram na cultura ou nas
    culturas que atravessaram (ou mais simplesmente na linguagem
    ou nos costumes)."
     
  15. A resposta do elfo (suponho que Calimbadil é "élfico"?) é muito própria.

    Clássico é como os iluministas chamaram a os antigos. Já então, estavam começando a nomear os renascentistas de néo-classicos. Os enciclopedistas fizeram o resto.

    Na acepção contemporânea, clássico é o que se refere à antigüidade greco-romana. Porém, o termo tem gradações, e a associação com "velho" ocorre, como também disse o elfo.

    O que os críticos chamam de clássico é muito relativo, e depende do crítico e de sua escola (...). Há muitos jogos de círculos intelectuais e acadêmicos a respeito de classificações (o que é, o que não é clássico).

    Se você observou bem, "classificar" é atribuir classe, ou definir como clássico. O termo "clássico" é usado como "modelo" daí tentar-se reconhecer em escritos mais recentes algo que se constitui em modelo (de vida, de moral/costume, de conduta, de entendimento da questão da morte (...)). Quanto mais recente, mais sujeito à divisão. Dizem que não é possível escrever a história do presente, porque o presente está em movimento ...

    (...)

    Propondo alguns exemplos, pra coisa ficar clara de outra maneira:

    Homero é clássico? É, nos dois sentidos da palavra.
    Shakespeare é clássico? É, mas não é nem grego nem romano.
    Tolkien é clássico? Não sei: o tempo dirá.


    ferreiro
    [size=xx-small]romano[/size]
     
  16. Devotchka

    Devotchka Usuário

    Bem, como já disseram, pra mim, clássico é uma obra que, mesmo com o passar do tempo, continua atraindo leitores e admiração.

    Ao meu ver, existem muitos críticos que me causam repulsa. Certa vez, li uma crítica na revista Veja sobre o filme V de Vingança. Ficou evidente que a pessoa que a estava redigindo não se deu ao trabalho de ver o filme com atenção ou ao menos pesquisar sobre o dito cujo e ao invés de falar sobre o filme, começou um "debate" sobre política. Sempre vejo por aí opiniões já como que estereotipadas pelos críticos: sempre desprezam o atual/best-seller ou blockbuster (no caso de filmes), da mesma forma, incansavelmente. Assim como existem bons filmes blockbusters, também existem excelentes best-sellers, é uma questão extremamente relativa. Algumas coisas são deveras supervalorizadas, enquanto outras, o contrário.

    Enfim, acho que quem diz o que é clássico ou não é o leitor. Cabe a quem está lendo no momento pensar no que aquela obra significa para ele. Opiniões costumam ser divergentes e geralmente nada pode ser tão generalizado.
     
  17. Pescaldo

    Pescaldo Penso, logo hesito.

    Well... pro estudioso de Letras é razoavelmente fácil dizer o que é um clássico ou não. Eu não estou com vontade de me estender no momento, mas muita coisa do que foi dita até agora nesse tópico não se aplica às teorias já tanto formuladas e tanto estudadas e sempre em constante mutação.

    Para a tristeza dos fãs, JK nunca será uma autora clássica, nem Dan Brown. Seus livros não falam sobre nada e só trazem uma narrativa cativante.

    Falaram sobre Tolkien ser ou não clássico: da literatura fantástica, sim, mas não é um escritor fabuloso como a maioria dos fãs acredita que ele seja. Ele é muito bom, talvez, dentro do fantástico, um dos melhores, mas quando comparado a outros monstros de seu próprio país, ele acaba perdendo.

    E não é por ser velho que um livro é considerado clássico. Até onde eu sei, Tolkien, dentre os acadêmicos, é considerado menor que Saramago. Aliás, Saramago tem vários livros que são considerados "clássicos" (Memorial do Convento, Ensaio Sobre a Cegueira, Intermitências da Morte e, o mais recente e já apontado como do mesmo nível dos outros três: Viagem do Elefante). Detalhe que, esses livros, são, em sua maioria, das décadas de 70/80 (se a memória não me falha).

    O mesmo vale pra Umberto Eco (apesar dele brilhar mais como teórico do que como escritor). quem quer ter uma história realmente boa de conspiração e suspense, deveria ler esse cara (O Nome da Rosa e Pêndulo de Foucault) e outros escritores menos famosos para a galera dos best-sellers (Dalton Trevisan, para citar um brasileiro e contista).

    E uma coisa é fato: a Arte não pode ter como função primária o dinheiro, se tiver ela já perde o que a tornaria Arte. JK, Dan Brown, Stephen King, toda essa galera escreveu visando uma coisa: dinheiro. São livros-fórmula feitos para os leitores menos atentos, sei que muita gente vai ficar ofendida, mas é bem por aí mesmo. Não que Arte não possa vender, claro que pode (vide Saramago), mas a função primária não pode ser essa.

    Outro fato: não é teu gosto pessoal que determinará o que é um clássico ou não. Além do que, gosto se ensina, por incrível que pareça.

    E o último fato: entretanto, se a obra te agrada, qual o problema? Não se importe com que os críticos digam, afinal, eles são estudiosos do assunto e passam anos e anos debruçados sobre livros e livros estudando as nuances das Artes. Você ignora seu médico para comer aquele churrascão no domingo, ignora seu dentista porque tem momentos que você tá de saco cheio e não quer passar o fio dental, ignora seu professor de matemática, dizendo que nunca utilizará regra de três na vida. Por que não deixar de se indignar com o que um crítico fala do seu livro? Pode ter certeza que até os próprios críticos fazem isso (assim como o médico, o dentista, o matemático...).

    Entretanto, quando eu quiser procurar uma opinião de peso, eu não perguntaria pro meu amigo que tem o mesmo gosto que eu, mas sim prum profissional da área, afinal, ele tem um diploma, pelo menos alguma coisa ele deve ter pra passar.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  18. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    Pra mim, clássico é aquele livro que transforma o leitor em uma pessoa clássica. Não no sentido de ultrapassada, mas diferente e original. Acho que fui muito influenciado pela opinião de Schopenhauer sobre o assunto, como já
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    antes.
     
  19. imported_Gabriel

    imported_Gabriel Usuário

    Cara, falar q JK Rowling vai ser clássico é forçar.

    E 90% dos best-sellers são merdas. Enlatados feitos apenas para ganhar dinheiro. Lógico que há os bons, como O Caçador de Pipas, mas os clássicos não serão os atuais best-sellers. Anota.
     
  20. Anica

    Anica Usuário

    O Caçador de Pipas é muito fraco. Seguindo sua idéia de que a Rowling não será clássico, esse aí não tem espaço garantido nos "clássicos do futuro" também.
     

Compartilhar