1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Incrível Homem que Encolheu (Richard Matheson)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Clara, 7 Mar 2011.

  1. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    A editora Novo Século vem lançando os
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    em edições bem caprichadas e com capas bacaninhas (mesmo a de "Eu Sou a Lenda" com foto do filme de 2005 ficou legal) mas nessa edição de "O Incrível Homem que Encolheu" ela se superou.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Capa bacana e histórias pra lá de ótimas (é um livro de contos) e extremante visuais, bem típicas de Richard Matheson afinal ele escreveu vários roteiros para o cinema e a televisão, sendo dezesseis deles para a fantástica (em todos os sentidos) série dos anos 60 "
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ".

    Sou suspeita mesmo pra falar desse autor e talvez esteja sendo exageradamente "baba ovo" no que escrevo aqui.
    Mas não estou sozinha, Stephen King por exemplo, afirmou várias vezes que Matheson foi um dos autores que mais o influenciou e essa admiração aliás pode ser comprovada pela frase do autor de "O Iluminado" que está na capa de "O Incrível Homem que Encolheu" :
    E é mesmo uma história de terror diferente e que nos aterroriza de uma maneira diferente, pois você não fica com o coração aos pulos e nem tem medo de dormir com a luz apagada quando termina a leitura.
    Não mesmo. Aqui "o buraco é mais embaixo"...a coisa toda fica em um nível totalmente psicológico, despertando questões existenciais e metafísicas: existe alma? se sim, ela é finita? o que significa "não existir"? o que é o universo? para onde vamos quando o corpo se acaba?
    Pois é.
    Tudo isso a partir da história de um cara chamado Scott Carey que, após sofrer dois acidentes banais (ainda que incomuns) passa a diminuir de tamanho, a encolher algo em torno de 3 milímetros por dia.
    Não é, portanto, uma tragédia que ocorre da noite para o dia, ela é quase imperceptível mesmo no espaço de uma semana; é lenta, mas inexorável e inexplicável.
    A lentidão da transformação de Scott Carey é talvez o mais angustiante da situação toda, pois ele não pode simplesmente aceitar sua nova condição e dizer: "Passei por uma transformação, estou mudado. Vamos ver o que posso fazer". Não é assim.
    Aos poucos (no início da história tinha 1,82 de altura) ele chega à mesma altura da esposa (1,72) passa a ficar mais baixo do que ela, chega ao tamanho de um adolescente e depois de um menino de seis anos, de um bebê e continua a diminuir...
    É assustador.
    E essa história, como não podia deixar de ser, virou
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Cena do filme de 1957, com Grant Williams no papel principal


    O próximo conto é na verdade um
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    para o programa "Além da Imaginação" (e talvez dos episódios mais lembrados pelos fãs da série) "Pesadelo a 20.000 Pés".
    Arthur Jeffrey Wilson é um homem de negócios deprimido e à beira do esgotamento nervoso (chega inclusive a cogitar a hipótese de suicídio) que está fazendo uma viagem a trabalho e, sem mais aquela, vê, pela janela do avião em que está, uma criatura andando na asa do aparelho... em pleno voo, aos 20 mil pés de altura de que fala o título.
    Essa história é pertubadora!
    Nada recomendável pra alguém de espírito impressionável e que viaja de avião com frequência. :hahano:
    O final é memorável, com dúvidas deixadas ao léu, pra pensar antes de dormir.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Cena de "Pesadelo a 20.000 pés" (Nightmare at 20000 Feet)
    com o jovem William Shatner (pré Capitão Kirk de "Jornada nas Estrelas").


    Outra história feita sob medida pra causar pesadelos em quem viaja com frequência (dessa vez pelas estradas, em um automóvel) é "Encurralado", mesmo título de um
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    feito para a TV e dirigido por um então desconhecido Steven Spielberg.
    Homem de negócios, viajando por uma daquelas estradas semi desertas e poeirentas dos Estados Unidos, ao ultrapassar um velho e lento caminhão de combustível, se vê obsessivamente perseguido pelo enorme veículo cujo motorista parece ter ficado realmente chateado por ter sido ultrapassado.
    (Não recomendável aos que costumam dirigir pela via Regis Bittencourt).

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Cena do filme "Encurralado" (Duel) de 1971,
    com Dennis Weaver no papel do protagonista.


    Acredito que o mais aterrorizante nessas três histórias que tentei resumir, seja o fato de os três protagonistas serem homens comuns (até mesmo um pouco medíocres, como Scott Carey, do conto que dá nome ao livro) que, dentro de uma vida absolutamente prosaica, de repente, se veem no meio do terror, do desconhecido, do absurdo.
    Por que exatamente Scott Carey começou a encolher? A criatura na asa do avião existia mesmo ou o Sr. Wilson estava delirando? Por que o motorista (cujo rosto nunca é visto, tanto no livro como no filme) persegue o Sr. Mann com tanta fúria?
    Leia os contos e responda (ou não) você mesmo.

    Ah, o livro é composto por dez contos (esses três, mais sete) que em matéria de qualidade variam de bons a fracos, alguns engraçados.
    Na minha opinião, de fanzoca de Richard Matheson, todos valem a pena ser lidos, mas o livro vale a pena mesmo por esses três que tentei resenhar aqui.
     
  2. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    o matheson é o escritor q pelo q já li dele, só o nome já dá qualidade ao conto. o vovô é mto bom em experimentar ficção e terror, com mta originalidade e ainda abusando das brincadeiras nos estilos e experimentações literárias. sou fã d carteirinha dele desde q li o livro de contos eu sou a lenda...
     
  3. Thriller Dude

    Thriller Dude Usuário

    Já viram a versão de Spielberg? É um remake, mas também acabou virando um clássico. Quem faz o passageiro à beira do colapso é John Lithgow. Aliás, essa é a atuação mais famosa dele.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Essa história também já teve uma paródia nos Simpsons. Ao invés do avião, era o ônibus da escola de Bart (""Terror At 5 1/2 Feet").
     
  4. Clara

    Clara Antifa Usuário Premium

    Spielberg foi o produtor dessa
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    , e quem dirigiu esse episódio foi o George Miller. :sim:

    Inclusive, nessa versão, a aparência do "bichinho" na asa é mais fiel à do livro.
     

Compartilhar