1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

"Iracema" (José de Alencar)

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por Artanis Léralondë, 7 Jul 2008.

  1. Artanis Léralondë

    Artanis Léralondë Ano de vestibular dA

    Iracema ~ A virgem dos lábios de mel

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    "A história se inicia com o guerreiro branco Martim Soares Moreno, amigo dos índios pitiguaras, que habitavam o litoral, perdendo-se nas matas. Lá foi encontrado por Iracema, a deslumbrante virgem, filha do pajé Araquém, da tribo dos tabajaras, habitantes do interior da região.

    Iracema acolheu o jovem branco e o levou para sua tribo, onde ele foi recebido como hóspede e amigo. Ao inteirar-se da celebração que os tabajaras faziam a seu grande chefe Irapuã, que vai comandá-los num combate aos pitiguaras, Martim resolveu fugir, naquela mesma noite. Iracema o impediu, pedindo-lhe que aguardasse a volta de seu irmão Caubi, que poderia guiá-lo pelas matas....
    http://vestibular.uol.com.br/ultnot/livrosresumos/ult2755u118.jhtm"


    É um livro que pertence a fase romancista de José Alencar, onde basicamente uma jovem índia chamada Iracema, apaixona-se pelo guerreiro branco,Martim.Desta diferença de raças José Alencar, cria um romance com base na linguagem indígena, usando obviamente várias palavras indígenas a leitura se torna um pouco difícil, mas muito enriquecedora e exótica xD
    Não é um livro muito comprido...

    Este romance me lembrou Poncahontas XD
    desenho da Disney, a mesma que se apaixona por um guerreiro branco e luta para ficar com seu grande amor..
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Um artigo que gostei muito ^^

    ¹ realmente José de Alencar pois todo o seu sentimento no romance, os diálogos, contruções das frases,... são lindos ^^
    " ...a virgem dos lábios de mel e de cabelos mais negros que a asa da graúna..."


    Letra da Música: Iracema Voou - Chico Buarque

    Iracema voou
    Para a América
    Leva roupa de lã
    E anda lépida

    Vê um filme de quando em vez
    Não domina o idioma inglês
    Lava chão numa casa de chá
    Tem saído ao luar
    Com um mímico
    Ambiciona estudar
    Canto lírico

    Não dá mole pra polícia
    Se puder, vai ficando por lá
    Tem saudade do Ceará
    Mas não muita

    Uns dias, afoita
    Me liga a cobrar
    Iracema da américa





    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Estátua de Iracema
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Quadro de Antônio Parreiras, mostra o sofrimento de Iracema.
     
  2. imported_Amélie

    imported_Amélie Usuário

    RE: ~Iracema "a virgem dos lábios de mel" - José de Alencar ~

    Essa música do Chico é tão linda!

    Engraçado como Iracema é tão diferente de Senhora, ambas do mesmo autor... Não sabia que tinham tantas referências espalhadas da "virgem dos lábios de mel"... Pena que essa referência indigena já quase se perdeu hoje...
     
  3. Artanis Léralondë

    Artanis Léralondë Ano de vestibular dA

    RE: ~Iracema "a virgem dos lábios de mel" - José de Alencar ~

    Também não sabia que havia tantas referências dela..
    A essa perca de cultura indígena para o Brasil é ruim, pois cada vez mais vai perdendo as suas raízes, claro que com o desenvolvimento tecnológico, globalização, a integração é mais propícia e algumas coisas vão se perdendo no tempo. É até bom a globalização, mas não devemos esquecer de onde viemos. Por isso, acho super divertido esses trabalhos escolares para as crianças saberem um pouco de sua história, algumas até se interessam pelas lendas,palavras, hábitos dos povos indígenas, afinal há muitas coisas interessantes nestes povos indígenas.E temos muitas coisas que aprender com eles, principalmente, viver em harmonia com a mãe natureza :joy:

    _______

    Achei uns pontos legais aqui no livro que estava lendo:
    Edição:6 edição
    Editora:FTD

    Vários críticos apontam q o nome Iracema é anagrama de América.O q significa isso?

    As letras de Iracema são as mesmas da palavra América, em outra ordem.
    Aceitando-se essa explicação para o nome Iracema, isso acentuaria a marca de romance "americano", q era uma das propostas fundamentais do projeto literário de Alencar.

    Iracema pode ser associada, sob certo aspecto, a personagem da mitologia clássica?

    São frequentes, na mitologia clássica, as referências a sacerdotisas consagradas a rituais sagrados e cujo voto de castidade não pode ser rompido.


    Esta última não tinha percebido, mas Alencar exalta bastante esse lado virgem (puro) de Iracema.[/i][/b]
     
  4. Fernando Giacon

    Fernando Giacon [[[ ÚLTIMO CAPÍTULO ]]]

    RE: ~Iracema "a virgem dos lábios de mel" - José de Alencar ~

    Ótimo tópico Maniaca! Nossa...Iracema! Como não tinha no Meia Palavra ainda rsrs, lendo o que você postou, e lembrando as coisas que a minha professora de literatura fala: "I-RA-CE-MA, que é isso gente, é A-MÉ-RI-CA, de trás pra frente, é aí você cai aonde? Que também Iracema pode significar e blá blá.." eu sei que ela é vai colocando significados, mostrando relações, e realmente José de Alencar arrasa nesse livro, porém não é o meu preferido dele, que é "Senhora".
     
  5. imported_Faye

    imported_Faye Usuário

    Pessoas, eu só posso dizer que admiro a coragem de vocês...

    Tentei inúmeras vezes começar a ler Iracema maaas...

    E olha que eu já li outras obras do Alencar (e não só as que caíam no vestibular ;))
     
  6. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    De todos os livros que fui obrigada a ler quando estava na escola esse foi meu favorito, cheguei até a comprá-lo e relê-lo. Adoro. É lindo!
     
  7. imported_Ariane

    imported_Ariane Usuário

    Eu achei o livro muito melancólico. Até gosto deste tipo de final, mas a Iracema me irritou durante o livro.

    E eu me lembro que estava louca pra ler.

    Esse amor dela pelo tal do Martim. Pelo amor de Deus ele andou pros sentimentos dela e ela ainda ficou atrás. Eu tive pena dela, mas que essa falta de brio me irritou, ah irritou!
     
  8. O meu favorito de José de Alencar é Senhora e também A Viuvinha, porém Iracema é um belo romance puro, que traz as características de um povo hoje esqueçido. Não gosto do final e também acho que há muito sofrimento no romance dos dois Iracema e Martim.
     
  9. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Tenho uma certa simpatia por livros do romantismo, não obstante a maioria das pessoas odeiem profundamente. Mas tenho que dizer: sei reconhecer o valor literário de Iracema, compreendo o texto do livro de acordo com as tendências temáticas e estéticas do período e tudo o mais, aquele tom de epopéia que ela vai dando a cada vez que estabelece comparações à fauna e à flora do Ceará etc. etc. etc., inclusive sobre a importância dele para a Literatura Brasileira, coisa que não questiono, mas eu realmente não consigo gostar do livro da mesma forma que curto Ubirajara e O Guarani, os outros dois que compõem a chamada "trilogia indianista", mesmo o tendo lido três vezes já. O livro é arrastado e truncado, a leitura não flui e você se perde em meio a tantos nomes de plantas, animais, lugares e tudo o mais. O bom é que você aumenta seu vocabulário tremendamente, pois a quantidade de adjetivos não comuns é incrível.[/align]
     
  10. Anica

    Anica Usuário

    O Roberto Schwarz disse isso aqui sobre o Alencar no livro Ao vencedor as batatas:

    E de certa forma eu concordo com ele. Os problemas dos livros dele (Iracema incluso) normalmente se dão pela inadequação do modelo europeu à realidade brasileira que ele tanto queria representar. Causa estranheza, e acaba desagrandando quem o lê.

    De um jeito mais hiperbólico é tipo querer situar uma história de fantasma de um lorde inglês no sertão brasileiro: ou você faz isso de modo a ser caricato, engraçado e usa as discrepâncias para criar esse efeito, ou tenta esse encaixe forçado, que pode soar mal para quem recebe o texto.

    Tanto que eu acho que o que menos apresenta esse tipo de problema é Senhora, talvez até por ser urbano e aí escapar um pouco das representações dos romances indigenistas que não casam muito bem com o modelo que ele queria seguir.

    (Em tempo: eu não tenho problema com o Alencar. Estou só comentando sobre uma das ideias que tenho de pq ele desagrada tanta gente, deixando de lado o clichê do "minha professora da escola me traumatizou")
     
  11. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Isso é bem esclarecedor mesmo Anica, pois ao analisarmos a atuação da Literatura no movimento romântico europeu (não toda ela, obviamente), ela procurou "resgatar" uma espécie de passado mítico que desse sustentação a nação ou ao que se queria reconhecer como identidade nacional. A heroicização dos antepassados, no nosso caso os índios, fazia parte de fomentar a construção de uma nacionalidade que enquadrasse a todos os "cidadãos" que deveriam fazer parte da pátria. [/align]
     
  12. imported_Tiago

    imported_Tiago Usuário

    É, eu também não sou dos maiores fãs de Iracema. Aliás, não sou um dos maiores fãs do romantismo brasileiro em geral - gosto mais do mundo mais sórdido dos romances realistas e naturalistas.

    E realmente é esse resgate de um passado mítico que o Alencar busca no livro, seguindo os moldes europeus. Mas não um resgate da cultura indígena ela-mesma - o que a gente tem aqui é a cultura indígena [ingenuamente] vista pelo homem branco daquele tempo. O que não deixa de ser interessante para nós, como uma verdadeira aula sobre o olhar do branco para o índio.
     
  13. imported_Vitinho

    imported_Vitinho Usuário

    Dos livros que já li pra escola, Iracema foi um dos piores, chegava a praticamente durmir no livro. Nao que Iracema é menos importante do que os livros que eu gosto.Eu simplesmente nao gostei, mesmo tentando ler umas 3 vezes
    Quem sabe se eu reler daqui uns anos vou ter um olhar diferente...
     
  14. -Arnie-

    -Arnie- Usuário

    Sempre ouvi falar que se trata de um livro belo, algo como a poesia em prosa (algo análogo ao Eugene Onegin, de Púshkin), que é o ponto alto da pena de José de Alencar. De fato, sempre que releio os parágrafos iniciais, que são toda minha leitura, percebo uma grandiosidade épica que ainda não encontrei na literatura ficcional brasileira.

    Lerei em breve, ansioso e muito curioso pelos meios que serão usados para dar prosseguimento desse andamento musical.
     
  15. -Jorge-

    -Jorge- mississippi queen

    [align=justify]Não lembrava do livro como bom assim. Na verdade só lembrava do começo, do fim e da linguagem complicada.

    Agora acho que a primeira parte do livro (até o capítulo XX, mais ou menos) é muito boa e a segunda (a partir do momento em que ela sai de casa) é regular. É regular porque quanto mais perto do final mais comparações ele usa (até José de Alencar reconhece isso no posfácio), quando o ideal seria o contrário para a leitura caminhar para o desfecho, e o final é muito abrupto. Alguns personagens também somem... Como Irapuã, Araquém, Jacaúna e Caubi que só volta para desaparecer de novo. O mesmo a gente vê em Ubirajara quando Jandira só reaparece no último capítulo.

    Sobre a linguagem, as comparações e os nomes cansam e confundem um pouco lá pelo capítulo XXV. Não achei tantos adjetivos quanto o Lucas citou; mais topônimos do Ceará, sem muito interesse, talvez nem mesmo para situar a história. Deve ser um inferno para crianças e adolescentes.

    Durante a leitura eu me perguntei muito o que um livro como Iracema tem a dizer às crianças e adolescentes de hoje em dia (porque eu fui obrigado a lê-lo na escola, como a maioria das pessoas) e não consegui encontrar muito... Até porque ele não foi escrito para crianças e adolescentes, como aliás, muito do que a gente é forçado a ler. O que valores cavalheirescos (dos quais por sinal Martim é um péssimo representante) nos dizem hoje em dia? O valor do livro compensa as dificuldades e o ódio de todo mundo?

    E isso é uma pena porque o livro é bom. Daí essa leitura forçada e mal-feita só faz os estudantes terem ódio de José de Alencar e por extensão de literatura brasileira...[/align]
     
  16. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Entra um pouco naquele papo de estar deslocado ou desvinculado da realidade dos alunos, né? Um problema infelizmente recorrente.

    Quanto aos adjetivos obnóxio, pode ser verdade, mas é que quando li, já faz uns 5 anos pelo menos, não tinha lá um vocabulário tão bom assim, então acabei recorrendo ao dicionário uma porção de vezes.[/align]
     
  17. Rachel

    Rachel Usuário

    Acabei de herdar de minha irmã mais velha uma coleção antiga de José de Alencar que pertenceu à minha mãe. Estou com agua na boca p ler Iracema e O guarani Novamente, pois li no colégio e não me lembro mais. Me lembro entretanto que "comi os livros".
     
  18. imported_Sun

    imported_Sun Usuário


    Acho q inteligencia de alencar imensa.
    Achava tão lindo estudar o índio dos aspectos dele... o índio antes de ter contato com o branco(ubirajara) o primeiro contato (guarani) e iracema(a mestiçagem/ o contato definitivo)

    Acho livros românticos bem bonitos, muito criativos, profundos e como o lucas disse de uma descritividade imensa.
    o sofrimento do jovem werther, iracema, a dama das camélias, até lucíola(melancolia em páginas^^) me cativaram.

    Se fosse p descrever tudo que sinto com livros de josé de alencar mas como meu tempo aqui tá acabandoXD.....
    próxima vez eu postoo:rofl:
     

Compartilhar