1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

E se a mitologia de Tolkien não tivesse um "fundo cristão"?

Tópico em 'E Se...?' iniciado por Dona Kell, 7 Dez 2008.

  1. Dona Kell

    Dona Kell Adepta da etiqueta orc.

    Ao ler e reler o trabalho de Tolkien não consigo deixar de imaginar como as estórias poderiam se desenrolar ou se estruturar, se Tolkien tivesse como principal base uma religião (ou filosofia) que não fosse ligada ao Cristianismo.

    Eu, por exemplo, acho divertido imaginar se tivesse o Taoísmo como ponto de partida... com a coisa dos opostos complementares.
    Assim, Ilúvatar - por exemplo - seria uma extensão de Melkor... pólos opostos de um mesmo ser, criação e destruição associados (como, particularmente acredito ser mais "compatível" com a realidade).

    Há mais alguém, aqui, com alguma especulação do tipo ?!? ^^

    []´s
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  2. Elendil

    Elendil Equipe Valinor

    Sempre interpretei Melkor como a parte sombria de Eru Ilúvatar. Não estou dizendo que é isso, é apenas meu ponto de vista, ou a maneira como gosto de encarar essa questão.
    Li num artigo sobre a figura do Diabo a muito tempo atrás, (acho que o nome da revista era "Planeta") que dizia algo bem interessante: " O Diabo é a dor de Deus".

    Ao se rebelar contra o Criador antes da criação do mundo físico, Lúcifer foi banido do plano celestial e da presença dos anjos que outrora ele havia comandado. Deus amou Satã ao extremo a ponto de fazê-lo a mais bela e importante de suas criaturas. Mas o dotou de livre-arbítrio e por isso não pôde impedir sua queda. Não podendo fazer isso, Deus sofreu por seu anjo mais importante que preferiu ser rei no Inferno a ser o segundo no Paraíso. Assim, dizia mais ou menos o artigo, Satã foi condenado ao mais cruel dos castigos: o da incapacidade de amar e criar. Passa então sua imortal existência corrompendo e tentando destruir as criações de Deus e seduzindo homens e anjos para sua causa e seu reino de ódio, inveja, guerra e dor.
    Eu poderia dizer que Morgoth é a dor de Ilúvatar por haver tremenda semelhança com a mitologia judaico-cristã. Penso que Ilúvatar amou Melkor mesmo quando esse se tornou Morgoth, assim como Deus amou Lúcifer, o Portador da Luz, mesmo quando este se tornou Satã, pois ambos (Satã/Morgoth) são parte do Criador, do Único (Deus/Ilúvatar).

    Nesse sentido, isso é mais compatível para mim por ser algo da própria cultara em que estamos inseridos, por ser tão familiar a nós, por fazer parte da religiosidade do Ocidente e mesmo de partes do Oriente, como por exemplo para os muçulmanos que adotaram essa bela estória da mitologia judaico-cristã.
    Mas, claro, é o meu ponto de vista apenas.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  3. Grahan

    Grahan Sim, eu me divérto

    Claro que outra visão seria interessante e é bom bom vagar por essas possibilidades, dona Kell. Mas há de se levar em conta que como a Ana Lovejoy falou em outro tópico, não é só a cultura cristã que Tolkien considerou e não é só o judaísmo, cristianismo e islamismo que encara a luz e trevas dessa forma. É uma visão muito comum em muitas religiões e mitologias.
    Mas imaginar, divagar, repito: sempre é bom!
     
  4. Dona Kell

    Dona Kell Adepta da etiqueta orc.

    Eädsohn

    Apesar da sua primeira linha "
    " ainda vi no texto citado a dissociação entre Bem e Mal... texto que está em acordo com sua conclusão. Mas posso ter interpretado mal... =P

    Grahan

    Bom... Tolkien era católico. Então, é natural que fundamentasse sua obra nessa religião. Por isso, foi a que eu mencionei. =D

    E sim... divagar faz um bem danado! \o/
     
  5. Ispaine/Estus

    Ispaine/Estus Ohtari Parmaron

    Acho que antes de se basear na religião, Tolkien se baseou no mito da criação, que é uma coisa universal.
     
  6. Dona Kell

    Dona Kell Adepta da etiqueta orc.

    Tem razão... me expressei mal =S
     
  7. Fuinithil Draug

    Fuinithil Draug Astrônomo amador

    Concordo com o Ispaine/Estus, há um fundo cristão no mundo de Tolkien mas não somente isso, ele se baseou em diversas mitologias e crenças, e aliás uma das mais presentes é a mitologia nórdica.
     
  8. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Talvez eu seja minoria, mas ainda acho que há um forte traço pagão, especialmente céltico (talvez ainda mais nórdico) na obra inteira e creio que tolkien talvez fosse inconsciente chamando isso de "folclore" que acaba dando no mesmo...
     
  9. Dona Kell

    Dona Kell Adepta da etiqueta orc.

    Sim... Há diversas influências na obra dele e a mitologia nórdica é bastante visível. Mas me parece que o cerne de tudo é cristão, enquanto tudo mais seria um complemento. (resumidamente falando).

    (PS: resposta para o Fuinithil Draug)
     
    Última edição: 8 Dez 2008
  10. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Aí já não concordo, certo da importância cristã e tal, mas no que se refere a cosmologia e principalmente amgia, a importância da natureza, é puro paganismo. Mas ainda acredito que Tolkien se mantinha ignorante dessa tradição, embora conhecesse ela amplamente...
     
  11. Elendil

    Elendil Equipe Valinor

    Sim! Ainda, e apesar de tentar ver Melkor como parte de Eru, como uma tentativa de encarar de uma outra forma que não seja o embate maniqueísta de forças, há uma grande dificuldade de minha parte em dissociar Bem e Mal, por estar tão familiarizado com a queda e tragédia (por que não?) de Lúcifer.

    Apesar de saber que Tolkien foi influenciado pelos vários mitos de criação, mitologia nórdico-germânica, celta em menor grau, é inegável o "parentesco" entre a queda de Lúcifer e Melkor, que por ser cristão, talvez tivesse influenciado muito o Professor, pelo menos nessa parte, para criar sua própria mitologia, ainda que se encontre paralelos em outras tantas.
     
  12. Dona Kell

    Dona Kell Adepta da etiqueta orc.

    Olha Caio... mais uma vez, darei mais uma opinião. Faz muito sentido o que você disse agora. Só que essa parte eu já entendo como algo que não é tão essencial. Tento focar na idéia principal, mesmo... e que na minha opinião (outra vez =P) estrutura, se estende e acaba permeando toda a estória. (que é a tal coisa... bem x mal, as forças em desequilíbrio, o bem dissociado do mal).
     
  13. Excluído045

    Excluído045 Banned

    Eu entendo seu ponto de vista, é uma questão de "o que vc valoriza?".
    Nada a ser dito...
     
  14. Nina-Lasgalen

    Nina-Lasgalen Usuário

    Se não tivesse fundo Cristão acho que nunca conseguiria fazer tanto sucesso e ser tão bem flado.Também não tocaria a fundo nos nossos corações como o faz.

    Sem perceber estabelecemos uma ligação com a religião cristã, sem essa ligação não seria tão cativante, não teriam tanto papel esses valores que o cristianismo também deveria pregar para a sociedade, como a esperança, eterna e inabalável pelo tempo e a confiança.
     
  15. Calenardhon

    Calenardhon Cavalariço de Rohan

    Excelente questão. Talvez, sem o "fundo cristão" da Obra, tivéssemos Valar constantemente se envolvendo na vida dos terrenos, um tanto quanto "irritáveis", e mortais desafiando-os, o que vemos em muitas mitologias politeístas. (Notavelmente a grega)
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  16. Húrin

    Húrin Amante da Calíope

    Para escrever qualquer de seus "Contos", Tolkien usava algo em que fosse "real", ao menos que tivesse conhecimento ou registro disso. Era preciso se manter sobre as coisas que eram comuns para que seus leitores se identificassem.
    E apesar disso, de se manter sobre essas coisas conhecidas, Tolkien não as copiou. Pode ter usado algum fato/exemplo de algo já existente, mas não vejo isso como uma "cópia" disso ou daquilo.

    Vejo Melkor/Morgoth com menor influência do que o próprio Satã e também menos inteligente. Mas nem por isso, acho-o um vilão menor dentro de seu mundo, ou no mundo criado por Eru. Há também referências na Mitologia Nórdica em alguns aspectos inegáveis, mas ao mesmo tempo diversos.

    Enfim, ainda gostaria de ver mais criaturas fantasticas nas estórias além de Águias e Dragões, mas acho que até mesmo isso Tolkien evitou adicionar em suas estórias para diferenciar das de CSLewis e outras estórias do gênero...

    Ao menos, essa é minha opinião!
     
  17. Belladona Tûk

    Belladona Tûk Do what thou wilt shall be the whole of the law

    Sim, Melkor era a parte "podre" de Erü, o que nao se pode negar, pois foi criado dele, de seu pensamento, mostrando que Erü nao tinha apenas pensamentos nobres. Mas, eu acredito, que se Erü soubesse no que iria dar, nunca o teria criado, isso contesta sua onisciência, mas talvez seja o que é, e aparenta ser o que não é, como sempre.

    Quanto ás religios, como ja foi dito, Tolkien se basiou muito no Criacionismo, o que é caracteristica de varias religioes, e tambem na cultura nórdica, e deve haver mais coisas.
     
  18. Olha o cristianismo foi importante nas obras, mas talvez mesmo sem ele não houvesse tanta diferença, a mitologia em geral, teve um papel muito maior do que a religião, então mesmo sem talvez apenas algumas coisas sofressem mudanças, mas nada de mais. Não é que nem As ctrônicas de Nárnia, por exemplo, que sem o cristianismo, não teria história.
    Afinal o tema central, a batalha entre a luz e as trevas, entre o bem e o mal, existe em tudo independente da religião.
     
  19. Thorin Escudo de Carvalho

    Thorin Escudo de Carvalho Part-time Ninja

    É difícil imaginar alguma (todas) das histórias de Tolkien sem algum tema cristão, este era muito religioso.

    Nas obras, vemos vários ensimentos puramente cristão, quando Frodo é compassivo com Gollum, e milhões de outros exemplos.

    Outra é a semelhança com as próprias histórias cristãs, já que Melkor me lembra muito o anjo Lúcifer.
     
  20. Elendil

    Elendil Equipe Valinor

    Poderíamos chamar até de "fundo judaico-cristão", já que a queda de Lúcifer não aparece com o advento do cristianismo, mas bem antes.
    Além do que, muita gente vê paralelos entre passagens importantes do Antigo Testamento e passagens importantes do Silmarillion, o "Gênesis" ,ou "Antigo Testamento" de Tolkien.

    Muitos vêem paralelos entre a rebelião dos elfos e homens e a rebelião de Adão e Eva contra as advertências do Criador. Principalmente em relação aos elfos, já que eram os Primogênitos. Tudo bem que o afundamento de Númenor se parece e muito com o mito do afundamento de Atlântida, mas também não há como negar uma relação entre esse "castigo" de Eru e a punição sobre a corrupção da humanidade no Antigo Testamento como o Dilúvio Universal e a própria destruição de Sodoma e Gomorra. O fato de os homens do "Gênesis" de Tolkien tentarem buscar a imortalidade, desobedecendo as ordens de não irem para Oeste, também pode ser comparado a construção da Torre de Babel e a tentativa dos homens de buscar o céu.

    Tolkien não copiou isso tudo e transpôs para sua obra, como o Húrin disse, por exemplo. Também acredito que isso já era tão presente não só na vida dele como também para a maioria dos ocidentais, que isso funcionaria como referência, e não acredito que Tolkien tenha sempre feito isso de forma consciente.

    Agora, se Tolkien não fosse cristão, teriam isso tudo que já falamos por aqui influenciado (se é que muito disso tudo realmente influenciou) o Professor?
    Acredito que sim! Como muitos já disseram, há fortes influências da mitologia nórdica, talvez em menor grau celta, na obra do Professor. E ele, até onde sei, não era adepto de alguma "seita", ou "religião" baseadas nessas mitologias.:lol:
    Ele era um estudioso, um erudito, conhecedor dessas tradições, muitas delas já totalmente assimiladas ao dia-a-dia pelo mundo ocidental do qual Tolkien fazia parte. Acredito que, independente de ser cristão ou não, o Professor teria criado tudo em sua obra como já conhecemos.
     
    Última edição: 24 Fev 2009

Compartilhar