1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Thingol ficou muito tempo em Mandos?

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Bekasobiskie, 30 Jul 2010.

  1. Bekasobiskie

    Bekasobiskie Usuário

    Não sei bem se isso está escrito em algum livro ou alguma carta de Tolkien, mas eu queria saber a opinião de vocês quanto ao tempo que Thingol ficou em Mandos.

    Algumas vezes eu penso que ele deveria ficar quase que eternamente em Mandos já que enviou Beren na busca das silmarils, objetivando a sua morte, ao invés de simplesmente negar a mão de sua filha, ou ainda de deixar a filha se unir a Beren livremente pois Luthien já era maior de idade, assumia suas responsabilidades e, afinal de contas, era ela que ia conviver diariamente com Beren, não Thingol. Com isso, ele acabou por condenar também a própria filha, além de outras pessoas que foram procurá-la quando ela fugiu de Doriath, tais como Daeron.

    Fora isso, foi por causa da silmaril que ele exigiu de Beren, de seu orgulho em excesso e de seu desprezo por pessoas de outras raças, como os anões (e homens também...embora mais tarde seu pensamento tenha mudado "supostamente"), que levou a ruína de Doriath, aos assassinatos de Dior, Nimloth, Elured, Elurin, Mablung, entre tantos outros.

    Contudo, Thingol também é descrito como um rei sábio, quase como um senhor dos maiar, e foi através de sua sabedoria (e de Melian principalmente) que os sindar se tornaram quase comparavéis aos noldor e puderam se defender muitas e muitas vezes das investidas dos servos de Morgoth. Portanto, antes do sol e da lua surgirem ele deveria ser uma pessoa extraordinária, onde "sua alegria era como o ar que se respira", além de muito carismático, simpático, paciente, calmo, observador, grande conselheiro, inteligente, compreensivo, admirável e marido e pai afetuoso, carinhoso e preocupado com o bem-estar das pessoas que amava.

    Olhando apenas para suas qualidades expostas no parágrafo acima, por vezes eu penso que a passagem dele por Mandos deve ter sido muito breve, afinal de contas ele monstrou muito mais as suas qualidade, principalmente nas eras antes do sol e durante a 1° era (antes de Beren chegar a Doriath), do que seus defeitos.

    Por isso fico em dúvida, porque de um lado ele poderia passar a eternidade em Mandos e, por outro lado, ele passaria muito brevemente por lá.

    Portanto, eu gostaria de ler a opinão de vocês...

    Obrigada.
     
  2. angiuli

    angiuli Mentallion

    Essa decisão cabe apenas ao sábio Mandos (ou a um próximo Círuculo da Lei, quem sabe?), mas não se pode condenar totalmente Thingol, de acordo com a mentalidade medieval (e muito provavlement élfica também) de que o filho é o herdeiro da família e a filha deve ser oferecida como pacto político entre as famílias, logo, na visão de Thingol ele estava protegendo um "bem" dele (a mesma visão dos anões sobre suas criações), e que não entregaria a uma pessoa desconhecida, principalmente de outra raça (convenhamos, também faríamos o mesmo).

    Ele provavelmente não achava que Beren realmente fosse buscar as Silmarils, deve ter pensado: "Talvez assim ele desista da minha filha", mas não pode prever as desgraças que se sucederiam.

    Talvez os maiores erros dele foram ter sido orgulhoso demais e não ouvir os conselhos de sua esposa e não poder ver além de Doriath. Não acho que tenha ficado tanto tempo quanto Fëanor, mas com certeza teve que expiar seus erros.
     
  3. Fëasur

    Fëasur Usuário

    Apenas meus 5 centavos,
    sobre enviar Beren atrás das Silmarilli.

    Isso estava destinado a acontecer. Melian deixou claro que o destino de Beren era maior que seu poder. E se Thingol não pedisse essa façanha para Beren, algum outro acaso o forçaria a realiza-la. Afinal, foi disso que resultou a derrocada de Melkor.

    []'s
     
  4. Meneldur

    Meneldur We are infinite.

    Mas Beren poderia "resistir" a esse destino, pois senão não teria liberdade. O livre-arbítrio, a liberdade de escolha é fundamentalnas obras de Tolkien. Embora pudesse haver um "destino" que sempre colocaria sobre Beren a oportunidade/necessidade de buscar os Silmarils na fortaleza de Morgoth, ele sempre poderia dar as costas e recusar esse destino. "Forçá-lo" a buscar os Silmarils seria uma afronta à liberdade.

    Note que eu coloco forçar aqui como sinônimo de "dizer que ele sempre teria que fazer aquilo", e não como obirgá-lo a ir, num sentido mais como "ou vai ou te mato". Essa segunda opção não seria uma afronta à liberdade, pois Beren ainda tem a escolha: ou não vai e sofre as consequências, ou vai.
     
  5. Fëasur

    Fëasur Usuário

    Concordo, ambos tinham escolha. Mas ainda acho que a necessidade surgiria.
    Agora, o que é pior? Thingol mandar Beren fazer tudo isso, seguindo seus princípios e o que ele acreditava ser certo (mesmo com uma pontada de irônia, duvido que ele acreditasse que Beren faria aquilo, ele simplesmente queria demove-lo da idéia), ou não faze-lo, e por essa omissão toda a Terra-Média afundar sob o dominio de Morgoth?

    Creio que Mandos levaria isso em consideração.
     
  6. §Sarah§

    §Sarah§ A Lua que encobre a noite...

    Não lembro bem de antes dele com a Melian, /mas cara eu achava ele muito chato/ não esquecendo as qualidades, mas não consigo esquecer dos "defeitos" dele falando assim pra amenizar, e o desprezo pelos outros se achando o superior (Hah! se ele cruzasse meu caminho em um dia em que estivesse de esquerda, ia ver só) .
    Com tudo que ele se achava o tal acabava por agir mais como os homens de pensamentos pequenos, algumas vezes, eu fiquei com raiva dele...nem lamentei o fim dele, bem feito, deveria ter ficado uns bons milênios lá de molho em um balde no porão de Mandos >:} (Eu exagero, extrapolo, mas isso não muda nada então nem conta)
     
  7. Morgs

    Morgs Metido a Rei de Arda

    Morgoth fala...

    Ora ora, Fëasur também por aqui? Bem vindo :)

    Essa história de livre-arbítrio é curiosa e rende muitas discussões (devo ter uns posts espalhados por aí sobre esse assunto hehehe). Acho que os fins são conhecidos, mas não os meios. Que Melkor iria se estrepar no final, isso estava certo. Mas como a história culminaria nisso, não se sabe - talvez haja alguma pista ou outra, mas sabe-se que o próprio Manwë não tinha isso muito claro.

    De qualquer forma, acho complicado julgar o velho Thingol. Primeiro, ele tinha suas razões para fechar Doriath. Depois, tinha suas razões para manter Lúthien perto de si. Ele sabia que cedo ou tarde iria perde-la, ela que era o maior tesouro de sua vida, e tentou retardar o fato...

    Ora, Elrond que é um camarada muito gente boa, ele próprio custou pra liberar Arwen. O Reino Reunido era algo importante, claro, mas Aragorn comeu o pão que Melkor amassou pra conseguir alguma coisa ali com a Srta Undómiel... uma relação de certa forma muito semelhante.
     
  8. Fëasur

    Fëasur Usuário

    Eu to por aqui também, Mr. Rei-de-Arda-wannabe :D
    Não sabia que você participava do fórum!

    Anyway, sobre seu comentário. O Elrond segurou a Arwen, e olha que ele próprio é fruto do que aconteceu com Beren e Luthien, sendo trisneto do próprio Thingol.
     

Compartilhar