1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Pais e filhos

Tópico em 'Nostalgia' iniciado por Elanor Ladeira, 26 Mar 2008.

  1. Elanor Ladeira

    Elanor Ladeira Apaixonada

    Como a maioria aqui sabe, eu to gravida... vcs talvez não tenham ideia de como isso faz a gente ficar nostalgico...

    Quis abrir esse tópico pra falar de coisas q nossos pais faziam com a gente e que hoje sabemos q vamos fazer com nossos filhos (mesmo q vc ainda não os tenha), tanto coisas boas como coisas q nós até hoje nos lembramos como ruins mas sabemos q no fundo foram boas também, só q a gente não sabia, por exemplo:

    Meu pai nunca deixou eu ir em brinquedos naqueles parquinhos de bairro... todos os pais deixavam, só o meu q não... eu ficava tão brava, tão triste...
    Minha filha não entra num brinquedo desses nem q alguem me algeme hehehehehe
    Eu realmente me lembro de como aquilo me marcou... todas as crianças iam, menos eu... E hoje eu entendo perfeitamente meu pai... Meu Deus, só de pensar em colocar uma criança dentro de um daqueles negócios q giram sem controle pelo ar, todo enferrujado, velho etc... hehehehe

    Vou me lembrando de outras e colocando aqui depois...
     
  2. Vilya

    Vilya Pai curuja, marido apaixonado

    Esses parquinhos itinerantes que acompanhavam um circo me devam medo. Sempre tinha história de acidentes bizarros. Tipo o da menina escalpelada pela roda-gigante. Pra completar o nostálgico (e não citado no embate) "Pague para entrar, reze para sair" (quem lembra desse filme?).

    Aquelas rodas-gigantes que vc entra numa cabine oval e tem uma alavanca para travar ficar de cabeça para baixo... só consegui ir numa daquelas depois de já adolescente. Meu pai nunca deixava eu ir.

    Da parte boa eu não espero a hora de jogar bola com minha filha. Sempre adorei jogar bola com o meu pai. :D
     
  3. Satyr

    Satyr Visitante

    Eu sempre ia nesses parquinhos. Adorava. Hoje tenho nojo.

    Aqui nessas bandas chamam isso de "Estrela". Antes eu tinha medo, depois passei a adorar.

    Eu jogava bola na rua também. Mas não era com "meu pai". Isso deve ser muito rox mesmo. =)
     
  4. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Quando eu tiver filhos eu venho postar aqui!
    Talvez isso aconteça lá por volta de 2015! Me aguardem!!!
     
  5. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    :lol:

    Meu pai me proibiu de furar a orelha para colocar brinco. Ele dizia que só me deixaria fazer isso quando fizesse 18 anos. Eu brigava com ele constantemente por causa disto.

    Quando fiz 15 anos, meu padrinho me deu um brinco de pérolas lindo. Mesmo assim meu pai não deixou. Depois desta briga, eu desisti de falar sobre o assunto. Eu realmente só furei a orelha depois que virei maior de idade.

    Até hoje não sei exatamente o que se passava na cabeça dele, o que diabos "furar a orelha" simbolizava para ele. E se tornou algo tão marcante na minha vida que eu não tenho vontade de falar com ele sobre isto mesmo hoje, já com 25 anos. Sendo que eu tenho uma relação boa com ele, ainda moro na casa dos meus pais e não temos problemas.
     
  6. Snaga

    Snaga Usuário não-confiável!!!

    Nossa!!
    Normalmente fura-se a orelha da menina quando ela ainda é bebezinho, recém nascida!
    Deixa que, se algum dia eu conhecer seu pai, eu pergunto!
     
  7. Húrin

    Húrin Amante da Calíope

    Essa eu também não entendí.
    Uma coisa que tenho em mente para pegar no pé do meu filho, será soltar pipa(papagaio, capucheta, etc!). Quando era moleque me proíbiam e numa escapada ou outra soltava com os outros moleques.
    Mas atualmente, vejo que isso está muito arriscado até mesmo para adultos. Os motoqueiros que o digam... Fora a bagunça que é a rede elétrica aquí na região onde moro.

    Já ía esquecendo: Por quê criança tem mânia de querer colocar tudo que é coisa em tomada elétrica? E por quê sempre correm em direção à escada??
     
  8. Danee

    Danee Demônio angelical

    Meus pais sempre me deixavam brincar em parquinhos sim, não era super protetores nem de longe. Mas me proibiam de certas coisas que eu achava um absurdo, mas que hoje tenho certeza de que também não deixaria minha filha(o) fazer e vejo a sorte que eu tive de não ter me dado mal numa dessas brincadeiras.. como subir em arvores estremamente altas, nadar em rios/lagos muito fundos ou brincar em cima ou dentro de máquinas ou veículos grandes e perigosos. :lol:
     
  9. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Meu pai tinha que ficar se revesando pra levar num domingo eu no Olímpico e no outro o meu irmão no Beira-rio. Só conseguia ia com os dois num jogo em dia de Grenal. Nunca mais os jogos do Grêmio vão ser a mesma coisa pra mim.
     
  10. Bê

    Usuário

    fazer pipa, meu pai e eu faziamo(e ainda fazemos) pipas, pandorgas papagaios como for o nome, bah eu adora e depois empinar bah era tri legal ,tiravamos o dia p/ fazr isso
     
  11. manuu

    manuu yo hablo muy bien

    Nossa...Mas os dias mais bonitinhos que eu lembro da infância passaram justamente no parquinho que tinha perto da minha casa!
    Minha mãe acordava eu e meus irmãos bem cedinho pra irmos tomar café da manhã no parquinho, tipo pic nic. Brincavámos antes em quase todos os brinquedos enquanto ela lia algum livro e depois abríamos nosso lanchinho. Limpávamos tudo e bora pra casa... :P Sempre em dias que amanheciam lindamente. Daí surgiu minha paixão por acordar bem cedo e já sair correndo pra abrir a janela. Os dias que amanhecem lindos, sempre são dias especiais. E muitos foram :)

    Quando não era minha mãe que levava de manhã, era o meu avô, que nos visitava quase sempre. Quando abaixava o sol, lá pelas 4 horas, levava a gente pra brincar. Balanço, escorregador, aquele gira-gira... a bota, os muros, os bichos que a gente encontrava. Eu estaria seria frustrada hoje em dia se não tivesse aproveitado tudo que eu aproveitei por lá. E minha infância não foi só em parquinhos.
    Havia dias em chovia, não fazia sol, ou meus pais não tinham tempo e brincávamos tardes inteiras no quintal ou no tapete da sala... Nunca no quarto, porque o quarto é o lugar OFICIAL de dormir e descansar.
    Brinquei muito.. e essa era a maior regrada casa. E eu brinquei muito quanto tive que brincar.

    Acho que algo que eu com certeza farei com os meus filhos é isso, ter pulso firme para mantê-los infantis enquanto forem crianças. Meu pai sempre disse, e concordo absolutamente com ele, que o que há de mais apaixonante em uma criança é a inocência e pureza dela. Por isso amo crianças, amei ser criança e quero ter muitas crianças XD

    Outra coisa que faria é algo que tinha na minha casa (na época eu posso não ter curtido muito, mas hoje é motivo de brincadeira... Alias, penso como seria se não tivesse sido assim?)
    Tinhamos na geladeira diversas folhas com regras escritas a punho por nós mesmos. Hora de brincar, de estudar, o que era terminantemente proibido, o que deveriamos fazer em determinadas situações... Sempre que meu pai tinha um pouco de inspiração, juntava-nos todos na mesa da cozinha (o coração da casa) e ditava mais regras, deveres, ou histórias. Sim, histórias! Inventadas por ele. E penduravamos tudo pelas paredes da casa. Era uma bagunça, que simbolizava nossa organização :D

    Eu faria isso, com certeza :)

    Minha mãe sempre nos incentivou a desenhar muito, inventar coisas, imitar as brincadeiras que viamos em ra-tim-bum, tv escolas da vida... Eu também faria isso. Adorava fazer isso, as receitas do X tudo, as experiencias...
    Que eu tenho certeza que foram fundamentais para formar a pessoa que sou hoje. Quem me conhece, vai ver muito sentido nisso.
    No fim sou química :) Nostalgica, e apaixonada pela infância que tive...
    Atualmente, apaixonada pelo presente. A família tá um pouco mais velha, mas ainda somos um time, organizado, apaixonado um pelo outro, com suas manias... suas bagunças... totalmente conectada a um passado que nos moldou.

    Isso, com certeza, eu quero passar adiante.
     
  12. Elanor Ladeira

    Elanor Ladeira Apaixonada

    Mas parquinhos com escorrega, gira gira e gangorra eu ia muito, meu pai não deixava eu ir nos brinquedos desses parquinhos eletronicos, brinquedos como montanha russa, roda gigante etc... qq coisa q girasse muito ou fosse muito rapido, pelo perigo desses brinquedos enferrujados mesmo, mas uma coisa sim ele fazia... ahhhhhhhhh me levava no carrinho de bate bate com ele... e descia o tobogan com a gente sentadinha entre as pernas dele também :)
     
  13. manuu

    manuu yo hablo muy bien


    AHHHHHHHHHHHHHHH SIM!!!!
    Assim, sim! Que alívio! :D
     
  14. Elanor Ladeira

    Elanor Ladeira Apaixonada

    esse seu avatar e o vivo morto tem a ver com o Gato de Schrödinger?
     
  15. manuu

    manuu yo hablo muy bien


    Ahnn.. tem sim :yep:
     
  16. Fernanda

    Fernanda Andarilho de Eriador e

    Minha família é um bando de viciados em cinema e literatura.

    Uma coisa que eu "peguei" do meu foi o gosto por ficção científica.

    Ele me levou ao cinema para ver a estreia de Guerra nas Estrelas ( com o título traduzido mesmo, rsrsrs).
    E tinha Jornada nas Estrelas. Começava as 5 da tarde, e ele chegava correndo às 5 e 20 para a gente terminar de ver juntos. (tempo bom em que as pessoas saiam do trabalho às 5 e em 20 minutos estavam em casa)

    O legal é que meu filho gosta de Star Wars e Star Treck tanto quanto eu e meu pai.

    Assim como meu pai me mostrou esse mundo, eu mostrei a ele.

    Uma coisa que meu pai fazia era contar histórias a noite. Ele inventava algumas pra gente.
    Não fiz igual. Mas li muito ( o hobbit inclusive). Só parei quando meu filho começou a ler sozinho.

    Da minha mãe eu "peguei" a calma de arrebanhar os sobrinhos, filhos de amigas, vizinhos e levar a "galerinha" toda ao cinema.
    Era tanto menino que ela tinha de ficar contando toda hora para ver se não tinha perdido algum.
    O dia que eu me vi fazendo a mesma coisa foi hilário.

    Agora meu filho é adolescente. Vai sozinho com os amigos.
    Mas de vez em quando, do mesmo jeito que era com meu pai, vamos só nós dois ao cinema.
     
  17. Thatá Rose

    Thatá Rose Engel

    Nossa, acho que eu tive a infância mais moleca sapeca, huahahaha.

    Subia nas lajes pra empinar as pipas que eu e meu avô fazíamos, andei de perna de pau nos terrenos mais pedregosos, me arrebentei andando de skate, patins e bicicleta, jogava bola na rua com a molecada, bolinha de gude e peão. Tudo que minha mãe temia, huahaha, mas nunca me impediram de nada não. Parquinhos então, tudo de bom!

    Qdo eu for mãe vou voltar a minha infância e fazer tudo de novo e um pouco mais.
     
  18. Kurt

    Kurt El Doctor

    Lembro que minha mãe nunca deixou eu participar de um fragnight(corujão) em lan houses e quando eu fiz 14 anos ela não me deixou colocar um piercing.

    Creio que não serei assim com meu filho, no que ele precisar estarei do lado. Mas, sem sufocá-lo ou tirando uma coisa que é tão íntima, uma tal de liberdade. Porém, quando for necessário puxo a rédia pra ele ficar pianinho.
     
  19. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Minha mãe não me deixava subir em árvore porque era "coisa de menino" (mas meus filhos vão poder), não me deixava ficar perto do fogão (meus filhos também não poderão), e acho que só. Eu gostava de descer o escorregador de cabeça pra baixo, e ela não falava nada. Aí um dia eu caí e abri a cabeça, então simplesmente parei de fazer isso. A pessoa precisa passar pela situação pra entender por quê não pode (claro que não por todas sa situações).
     
  20. Dirhil

    Dirhil Olha, Schroeder...

    Credo.... lendo as histórias eu vejo que fui criado muito solto.


    Assim.... meus pais nunca me proibiram nada. Parquinhos eletrônicos, por exemplo, eu não ia porque era cagão. Lembro uma vez que tinha um brinquedo que girava muuuuuito de ponta-cabeça (e não lembro o nome).... eu já tinha lá meus 11 a 12 anos e fiquei tentado a ir. E eles deixaram.... ficamos um tempão olhando aquilo e me deu medo.

    A própria roda-gigante que o Vilya citou (uma gaiola que vc trava e ficava de ponta-cabeça)... meu pai quis me levar mas eu sempre tive medo. Fui já depois de grandinho. Kamikaze foi um terror para me convencerem a ir. Depois disso criei vergonha na cara e hoje adoro brinquedos desse tipo.


    Ahhh.... minha mãe me proibiu de pular de bungee jump. Mas isso eu já tinha uns 14 anos. Mas o pai deixou... deu o dinheiro e eu fui sozinho. Minha mãe ficou em casa chorando nesse dia. Dois meses depois pulei pela segunda vez e ela tava assistindo... rs.

    (credo.... pensando agora aqui..... até meus 11 a 12 anos eu era mega cagão com esses brinquedos e aos 14 já tava pulando de bungee jump... affe)


    Enfim.... eu tava conversando sobre filhos com um amigo meu dias atrás. E chegamos à conclusão que não dá pra proibir muito, pq eles fazem de alguma forma. Se meus filhos fizerem metade das coisas que eu fiz eu já estaria morrendo de preocupação.

    Só espero que eles confiem em mim pra contar as cagadas que aprontarem quando eu não estiver junto. Pois comigo eles poderão fazer praticamente tudo.


    Ahh... outra coisa proibida foi meu piercing de língua... desde os 16 querendo... fui furar só com uns 20 ou 21....



    (acabo de lembrar que parquinhos de praças eu ia muuuuuuuuuuuuuuuito.... com pais e sozinho.... já quando pequeno escalava alambrados de campinhos de futebol..... tipo.... daqueles com uns 6 metros de altura e tals....)
     
    Última edição: 2 Jul 2008

Compartilhar