• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Oscar 2010

Gigio

Usuário
Diva disse:
Ué, xingando por quê? Deixe-me ver...

por que o roteiro não deixa explícito quem cometeu os crimes no vilarejo?

Principalmente, Diva! Quer dizer, não sei direito, não me preocupei muito em perguntar a opinião dessa gente... Mas pude ouvir a garota que ficara chutando minha poltrona dizer algo como "não acredito que fiquei mais de duas horas vendo isso".
 

Lucas_Deschain

Biblionauta
[align=justify]O que realmente não aprecio são os comentários do José Wilker, mas ainda assim vi uma boa parte. Estava torcendo por Avatar, já que era o único que tinha visto, mas Guerra ao Terror deve ser bom mesmo, fiquei com mais vontade ainda de ver.[/align]
 

Thorondir

Usuário
Veja o que o Artilharia Cultural tem a dizer de "Guerra ao Terror": http://artilhariacultural.com/2010/03/09/guerra-ao-terror/
 

Todd

Usuário
Lucas_Deschain disse:
[align=justify]O que realmente não aprecio são os comentários do José Wilker,

Sim, um chato. E pior ainda os do Rubens Ewald Filho. Não duvido que ele conheça muito de cinema. Mas em geral ele é inconveniente, costuma fazer comentários em momentos inapropriados (como em meio a um número musical, por exemplo), e sempre querendo mostrar que conhece o nome de todos os atores e atrizes, e de todos os filmes de todos os tempos. Fala muito em momentos em que deveria ficar calado.

Geralmente nem assisto o Oscar. Raramente ligo a TV, na verdade.
E confesso que nem assisti tudo desse Oscar. Fiquei lendo um livro, ouvia só o anuncio do vencedor, e depois apertava o "mute".
Não aguento, é sempre a mesma coisa. Obrigado a academia, obrigado, obrigado...

Essa premiações não podem ser levadas muito a sério. Corre muita politicagem nisso tudo.

Eu não estava torcendo por ninguém, nem contra nem a favor.
Mas nunca consegui imaginar um filme com Avatar, vencendo um Oscar. Roteiro fraco, atuações fracas, apenas um espetáculo de efeitos especiais.

Li algo , uma hipótese de que Avatar teria perdido por mostrar os americanos como vilões, enquanto que o filme vencedor (qual o nome mesmo?), mostraria os americanos como heróis.

Dentre os que estavam concorrendo a melhor filme, só assisti Avatar, por enquanto. Mas outro dia assisti Nine, e achei bem melhor.
Peço desculpas aos amantes do povo azul. :D
 

raquel.

Usuário
Gigio disse:
Eu achei "A Fita Branca" muito bom também, embora muita gente tenha saído xingando do cinema, mas não vi os demais, então não tenho como julgar o resultado...

Eu não vi a "A Fita Branca", mas vi "O Segredo dos Seus Olhos". Como você, não dá para dizer que mereceu, até porque não vi os outros, mas o filme é realmente muito bom, aliás o diretor Juan José Campanella sempre fez ótimos filmes. Fiquei muito feliz com a vitória, mais ainda por ser um filme latino-americano. Pelo menos o quesito Filme Estrangeiro representou (e muitíssimo bem). =D
 

Gigio

Usuário
Todd disse:
Li algo , uma hipótese de que Avatar teria perdido por mostrar os americanos como vilões, enquanto que o filme vencedor (qual o nome mesmo?), mostraria os americanos como heróis.

Teria sido no Estadão, Todd?

Guerra ao Terror venceu o Oscar porque, como nos filmes de forte apache, transforma os assassinos que dizimam outras culturas em heróis santificados. A cena extremamente longa e minimalista em que os jovens soldados americanos em situação desprivilegiada combatem no deserto os iraquianos é o que, se não uma cena clássica de caubóis cercados por apaches? Sem nenhuma surpresa para filmes desse gênero, os garotos americanos vencem, matam os iraquianos sem rosto, como os caubóis faziam com os apaches no velho-oeste. A cena do garoto iraquiano morto, com uma bomba colocada dentro do corpo por impiedosos iraquianos, que literalmente matam criancinhas, tem a sutileza de um elefante numa loja de cristais. Propaganda baratíssima da máquina de guerra.
Luiz Bolognesi, em 09 de março de 2010


(Achei melhor colocar a citação como spoiler, porque comenta abertamente sobre duas cenas do filme.)
 

Feynman

Usuário
Gigio disse:
Todd disse:
Li algo , uma hipótese de que Avatar teria perdido por mostrar os americanos como vilões, enquanto que o filme vencedor (qual o nome mesmo?), mostraria os americanos como heróis.

Teria sido no Estadão, Todd?

Guerra ao Terror venceu o Oscar porque, como nos filmes de forte apache, transforma os assassinos que dizimam outras culturas em heróis santificados. A cena extremamente longa e minimalista em que os jovens soldados americanos em situação desprivilegiada combatem no deserto os iraquianos é o que, se não uma cena clássica de caubóis cercados por apaches? Sem nenhuma surpresa para filmes desse gênero, os garotos americanos vencem, matam os iraquianos sem rosto, como os caubóis faziam com os apaches no velho-oeste. A cena do garoto iraquiano morto, com uma bomba colocada dentro do corpo por impiedosos iraquianos, que literalmente matam criancinhas, tem a sutileza de um elefante numa loja de cristais. Propaganda baratíssima da máquina de guerra.
Luiz Bolognesi, em 09 de março de 2010


(Achei melhor colocar a citação como spoiler, porque comenta abertamente sobre duas cenas do filme.)

Putz....que teoria de conspiração ridícula!
 

Petra

Usuário
Gigio disse:
Todd disse:
Li algo , uma hipótese de que Avatar teria perdido por mostrar os americanos como vilões, enquanto que o filme vencedor (qual o nome mesmo?), mostraria os americanos como heróis.

Teria sido no Estadão, Todd?

Guerra ao Terror venceu o Oscar porque, como nos filmes de forte apache, transforma os assassinos que dizimam outras culturas em heróis santificados. A cena extremamente longa e minimalista em que os jovens soldados americanos em situação desprivilegiada combatem no deserto os iraquianos é o que, se não uma cena clássica de caubóis cercados por apaches? Sem nenhuma surpresa para filmes desse gênero, os garotos americanos vencem, matam os iraquianos sem rosto, como os caubóis faziam com os apaches no velho-oeste. A cena do garoto iraquiano morto, com uma bomba colocada dentro do corpo por impiedosos iraquianos, que literalmente matam criancinhas, tem a sutileza de um elefante numa loja de cristais. Propaganda baratíssima da máquina de guerra.
Luiz Bolognesi, em 09 de março de 2010


(Achei melhor colocar a citação como spoiler, porque comenta abertamente sobre duas cenas do filme.)

Ah, nem concordo com isso. Acho que Guerra ao Terror ganhou por ser um filme que tem contéudo, roteiro bom e praticamente todos os requisitos para ter sido premiado.
Agora Avatar já era um filme muito... Visual? Eu não achei o roteiro bom, e sinceramente não acho que o filme passe uma mensagem, o que chama atenção no filme meesmo é as cores, o cenário, os efeitos especias e isso não é o requisito principal para se ganhar um oscar de melhor filme.
Além de que, Guerra ao terror gastou MUUUUUITO menos que Avatar e teve atuações ótimas...
Avatar só caiu no gosto do "povo" por ter sido um dos primeiros filmes em 3D, e ganhou todos os prêmios que merecia.


Teoria de conspiraçaão muito dumaw essa.
 

Feynman

Usuário
Petra disse:
Gigio disse:
Todd disse:
Li algo , uma hipótese de que Avatar teria perdido por mostrar os americanos como vilões, enquanto que o filme vencedor (qual o nome mesmo?), mostraria os americanos como heróis.

Teria sido no Estadão, Todd?

Guerra ao Terror venceu o Oscar porque, como nos filmes de forte apache, transforma os assassinos que dizimam outras culturas em heróis santificados. A cena extremamente longa e minimalista em que os jovens soldados americanos em situação desprivilegiada combatem no deserto os iraquianos é o que, se não uma cena clássica de caubóis cercados por apaches? Sem nenhuma surpresa para filmes desse gênero, os garotos americanos vencem, matam os iraquianos sem rosto, como os caubóis faziam com os apaches no velho-oeste. A cena do garoto iraquiano morto, com uma bomba colocada dentro do corpo por impiedosos iraquianos, que literalmente matam criancinhas, tem a sutileza de um elefante numa loja de cristais. Propaganda baratíssima da máquina de guerra.
Luiz Bolognesi, em 09 de março de 2010


(Achei melhor colocar a citação como spoiler, porque comenta abertamente sobre duas cenas do filme.)

Ah, nem concordo com isso. Acho que Guerra ao Terror ganhou por ser um filme que tem contéudo, roteiro bom e praticamente todos os requisitos para ter sido premiado.
Agora Avatar já era um filme muito... Visual? Eu não achei o roteiro bom, e sinceramente não acho que o filme passe uma mensagem, o que chama atenção no filme meesmo é as cores, o cenário, os efeitos especias e isso não é o requisito principal para se ganhar um oscar de melhor filme.
Além de que, Guerra ao terror gastou MUUUUUITO menos que Avatar e teve atuações ótimas...
Avatar só caiu no gosto do "povo" por ter sido um dos primeiros filmes em 3D, e ganhou todos os prêmios que merecia.


Teoria de conspiraçaão muito dumaw essa.

Perfeito!
Quanto a crítica...Mania chata de politizar tudo!Não?
 

Todd

Usuário
Gigio, obrigado, foi no Estadão mesmo.


Avatar só caiu no gosto do "povo" por ter sido um dos primeiros filmes em 3D

Filmes 3D não são novidade, tendo sido muito populares na década de 1950. Mas sua invenção é muito anterior.


Putz....que teoria de conspiração ridícula![/qoute]
Teoria de conspiraçaão muito dumaw essa.

Omnius e Petra. Me deixaram curioso.
Como foi noticiado no Estadão: "Avatar foi acusado nos Estados Unidos de ser propaganda de esquerda."
Isto é um fato. Muitos o consideraram, inclusive, anti-americano.
Então eu pergunto: teria este fato influenciado na decisão dos membros da academia?
Eu não sei responder. Não sei se influenciou ou não. Porém, diante das suas expressões tão veementemente colocadas :
" Putz....que teoria de conspiração ridícula! " e " Teoria de conspiraçaão muito dumaw essa", fico com a mais clara impressão de que vocês tem, ambos, certeza absoluta de que o fato acima citado não teve peso algum na escolha do melhor filme. Então eu pergunto: quais são os dados, as informações das quais vocês possuem, que possam justificar tal certeza?
Vejam bem, respostas do tipo, "o filme que ganhou era bem melhor", ou ainda "ganhou quem tinha que ganhar mesmo", não me servem, pois apenas refletem uma opinião pessoal e subjetiva.
Gostaria que me citassem informações concretas, as quais vocês devem possuir, tenho certeza, que demonstrem definitivamente que o fato de o filme Avatar ser considerado esquerdista e anti-americano, por certa parcela da população dos EUA , não tenha interferido no julgamento dos membros da academia.
Obrigado.
 

Lucas_Deschain

Biblionauta
[align=justify] Todd, quanto aos comentários que você dirigiu ao José Wilker e ao Rubens Edwald Filho, tenho que dizer que concordo contigo, acho que há uma confusão bastante grande com relação ao papel do crítico, seja ele de Cinema, Música, Literatura etc., muitas vezes me parece que as pessoas e os próprios críticos algumas vezes, confundem a análise de uma obra com base em alguns critérios e certos parâmetros que norteiam a arte cinematográfica com encontrar defeitos na película.
Não bastam apontar os erros, tem de apontar os acertos também, e, para além disso, explicar o porquê desses acertos e erros. Convenhamos que críticos dispõe de um arsenal intelectual de longa data e de relativa profundidade para julgarem aquilo de que são críticos.
Quanto ao hábito (que detesto) do Rubens Edwald Filho de citar nomes e mais nomes, títulos e mais títulos em sua crítica, creio que o caminho também não é esse. É preciso reconhecer as influências e nomes dos realizados daqueles e desses filmes, mas daí a centralizar a crítica em nomes e mais nomes, é uma coisa muitíssimo diferente.[/align]
 

-Arnie-

Usuário
Avatar não ganhou porque se você tira a tecnologia,não sobra nada alem de umapelicula semelhante a O Grilo Feliz e Lineage. Muito superficial, besteirol puro.

Outro idicado tosco foi Distrito 9. valha-me, que filme ruim! Tinha uma cena em que o rapaz, quase que completamente transmutado, era atacado pelas lagostas, e o diretor tenta fazer aquilo parecer uma grande cena dramática. Me deixou angustiado sim, mas pela ingenuidade. Me senti como Carl Allen (Sim Senhor), assistindo Jogos Mortais: vá, para de gritar e fazer escandalo, todo mundo sabe que tu não vai morrer assim!

Bastardos Inglórios eu só assisti 45min, gostei bastante do que vi.
 

Todd

Usuário
Lucas, apesar de tudos esses defeitos, eu acho que o Rubens entende muito de cinema, e até simpatizo com ele , mas a impressão que ele me passa (posso estar errado), é a de uma pessoa extremamente saudosista. Me dá impressão (mais uma vez, posso estar enganado ) de que para ele o "bom cinema" era o de antigamente, os "clássicos". Ele me parece meio entristecido com o cinema de hoje em dia. Tudo isto eu falo por intuição, veja bem. Mas, pensando nisto, abri aqui o site do Rubens, neste momento mesmo, e parece-me que bate com o que eu estava falando. Veja:

"A pior festa dos Oscars de todos os tempos foi o que me fez ficar assim. Quase cheguei a ficar bodeado com o cinema. Para evitar isso, usei uma espécie de contra veneno, filmes que não tem nada a ver com Oscar; filmezinhos B da minha época de criança, ou um pouco antes, que nunca consegui assistir. E até hoje corria atrás. Não sei se hoje é assim, mas na época, para os adolescentes, era traumático que todos os filmes bons fossem proibidos até 14 ou 18 anos. Felizmente, em Santos, havia jeito de falsificar carteirinha e o porteiro deixava entrar (menos um baixinho do cine Atlântico, que a gente tinha que evitar porque esse era chato e não tinha nada mais humilhante do que voltar à bilheteria para trocar o ingresso). Muitos desses filmes hoje seriam censura livre, não passavam de policiais B, e eu não desconfiava que um dia passariam a ser chamados de filme noir, negro, dando um retrato pessimista sobre a sociedade americana do pós-guerra, com mulheres fatais, detetives corruptos, tramas mal-explicadas e crimes hediondos. Tudo em luminoso e expressionista preto e branco. Esse gênero, que só foi batizado na França anos mais tarde (os realizadores não sabiam que estavam fazendo um gênero novo; para eles, era filme de rotina e baixo orçamento), acabou caindo nas graças do público de DVD e, até hoje, eles continuam a ser lançados nos EUA.
Poucas distribuidoras lá têm se dedicado aos filmes clássicos, que continuarão a existir em DVD, já que em Blue Ray só estarão disponíveis quando forem restaurados. Mas a mais interessante é a Sony Columbia, que tardiamente começou a lançar seus clássicos (a Columbia era o mais pobre dos grandes estúdios, famoso por ter apenas uma estrela, Rita Hayworth, e um diretor, Frank Capra, mas o padrão médio de realização era muito bom). Fiquei contente ao descobrir dois pequenos boxes com quatro filmes cada, chamados Bad Girls of Film Noir, que trazem justamente esses filmes dos anos 50, que nunca saíram nem em vídeo, nem passam na tevê. Eu sempre ouvia falar e morria de curiosidade para conhecer. No volume 1, Evelyn Keyes (a irmã mais nova de Scarlett O´Hara) faz uma traficante de joias que pode provocar uma epidemia de sarampo em Nova York, em The Killer that Stalked New York, do pouco famoso Earl McCoy. Rodado em locações, lembra um pouco Pânico nas Ruas, de Kazan, que estreou seis meses antes. Mas é daquele filme compacto, rápido, eficiente, que hoje em dia não sabem mais fazer.

Rubens Ewald Filho - Contraveneno

Parece que bate com a minha intuição, não é?

Eu mesmo tenho ido ultimamente em busca de filmes clássicos. Bons roteiros, boas atuações, arte dramática em seu estado mais puro. A coisa toda era mais teatral. Mas tudo isso é uma questão de gosto, concorda? :P


Avatar não ganhou porque se você tira a tecnologia,não sobra nada alem de umapelicula semelhante a O Grilo Feliz e Lineage.

Arnie, não sei se foi só por causa disso. Continuo afirmando que rola muita politicagem nisso tudo. O Oscar não é uma premiação famosa exatamente por sua isenção e imparcialidade, muito longe disso. Leia isto Arnie, uma citação do Rubens Ewald Filho:

"Em Avatar, os americanos perdem a guerra e por isso foi surpreendente o sucesso do filme, mas justifica também porque não ganhou o Oscar." Rubens Ewald Filho
 

-Arnie-

Usuário
Ah, claro, mas alem de toda trambicagem de Hollywood, Avatar não merecia ganhar o Oscar porque é um desenho animado dos mais fuleiros.

Rubens Ewald Filho disse:
Deixa-me explicar então como eu uso esses filmes antigos quase como um antropólogo, estudando uma civilização antiga e extinta, uma arte que não existe mais.

Ele entende mais de cinema do que a maioria dos entendidos. Tem conciência de que cinema é puro entreterimento, ainda mais o cinema sonoro, e, porem, isso não significa que não tenha valor.

Coitado, eu entendo Rubens Ewald Filho, ele é de uma época extremamente criativa do cinema, cheia de ideias, tendencias novas.
 

Feynman

Usuário
Todd disse:
Omnius e Petra. Me deixaram curioso.
Como foi noticiado no Estadão: "Avatar foi acusado nos Estados Unidos de ser propaganda de esquerda."

O que vi no estadão foi um crítico de cinema, fazendo uma análise muito superficial e dicotômica (Esquerda x Direita).

Todd disse:
Isto é um fato
. Muitos o consideraram, inclusive, anti-americano.
Muitos quem?

Todd disse:
Então eu pergunto: teria este fato influenciado na decisão dos membros da academia?
Eu não sei responder. Não sei se influenciou ou não. Porém, diante das suas expressões tão veementemente colocadas :
" Putz....que teoria de conspiração ridícula! " e " Teoria de conspiraçaão muito dumaw essa", fico com a mais clara impressão de que vocês tem, ambos, certeza absoluta de que o fato acima citado não teve peso algum na escolha do melhor filme. Então eu pergunto: quais são os dados, as informações das quais vocês possuem, que possam justificar tal certeza?

Embora o ônus da prova caiba a quem inventou essa teoria toda. O que se tem visto ultimamente são duras críticas a política de combate ao terror do governo Bush. Tanto que uma das plataformas que ajudou a eleger Obama era a retirada (gradativa) das tropas americanas do Iraque.

Todd disse:
Vejam bem, respostas do tipo, "o filme que ganhou era bem melhor", ou ainda "ganhou quem tinha que ganhar mesmo", não me servem, pois apenas refletem uma opinião pessoal e subjetiva.
Gostaria que me citassem informações concretas, as quais vocês devem possuir, tenho certeza, que demonstrem definitivamente que o fato de o filme Avatar ser considerado esquerdista e anti-americano, por certa parcela da população dos EUA , não tenha interferido no julgamento dos membros da academia.

Forçando um pouco podemos encontrar referências políticas aonde quer que seja, referências que podem ou não ser premeditadas. No filme Avatar não é diferente.

Todd disse:

Não tem por onde! :)
 

Diva

Usuário
Eu concordo com a crítica do Estadão e com o Todd. Não é forçar a barra, não. Todo produto cultural carrega ideologias. Ingenuidade é ver teoria da conspiração em algo que se consegue mostrar: olha, está bem aqui, filmes americanos que nada têm a ver com política ou guerra sempre esboçam um quadro com a bandeira dos EUA, pra citar um exemplo bem óbvio e já bastante batido. O cinema norte-americano nunca primou pela sutileza. Ele é muito direto em mostrar o povo norte-americano como os heróis (Independece Day), como vítimas(As Torres Gêmeas) e em tornar os povos que eles oprimem os vilões(pegue qualquer filme western ou os Rambos da vida).

Agora, se alguém quer entrar no terreno das intencionalidades... Paciência. Não há como estar na cabeça de ninguém pra ter certeza de qual a intenção daquela pessoa. Muitas vezes nem é intencional, mas posso garantir como alguém que estuda e trabalha com mídia que nenhum cineasta, jornalista, editor faz algo sem ter uma intenção. Qualquer pessoa que estuda cinema, tem disciplinas de semiótica, minha gente, que nada mais é do que, no contexto cinematográfico, a significação que determinado quadro, em seus menores elementos mostrados, vai ter em meio aos outros. Eu considero ingenuidade receber qualquer conteúdo sem questionar o porquê de se aparecer, por exemplo, um projetor de filmes nas primeiras cenas de Persona, do Ingmar Bergman. Quem já estudou Vertov e o cinema-verdade, sabe que aquele projetor pode estar relacionado a um elemento antiilusionista utilizado pelo Bergman assim como também pode apontar pra própria temática do filme, tornando sua significação ambígua, mas não excludente.

E não estou fazendo um post xenófobo. Muita coisa que vem dos EUA, eu aprecio. Como o jazz e Lady Gaga. :rofl::rofl:
 

Feynman

Usuário
Diva disse:
Eu concordo com a crítica do Estadão e com o Todd.

A crítica não foi do Estadão, foi do fulano critico de cinema. Seria uma crítica do estadão se fosse um editorial.

Diva disse:
Não é forçar a barra, não. Todo produto cultural carrega ideologias. Ingenuidade é ver teoria da conspiração em algo que se consegue mostrar: olha, está bem aqui, filmes americanos que nada têm a ver com política ou guerra sempre esboçam um quadro com a bandeira dos EUA, pra citar um exemplo bem óbvio e já bastante batido.

A sociedade americana tem como um de seus valores o patriotismo. Sem entrar no mérito de bom ou ruim, esse patriotismo ajudou bastante a construir a potência que vemos hoje. Valor esse que intrínseco na sociedade transparesse no cinema.


Diva disse:
O cinema norte-americano nunca primou pela sutileza. Ele é muito direto em mostrar o povo norte-americano como os heróis (Independece Day), como vítimas(As Torres Gêmeas) e em tornar os povos que eles oprimem os vilões(pegue qualquer filme western ou os Rambos da vida).

Concordo.


Diva disse:
Agora, se alguém quer entrar no terreno das intencionalidades... Paciência. Não há como estar na cabeça de ninguém pra ter certeza de qual a intenção daquela pessoa. Muitas vezes nem é intencional, mas posso garantir como alguém que estuda e trabalha com mídia que nenhum cineasta, jornalista, editor faz algo sem ter uma intenção. Qualquer pessoa que estuda cinema, tem disciplinas de semiótica, minha gente, que nada mais é do que, no contexto cinematográfico, a significação que determinado quadro, em seus menores elementos mostrados, vai ter em meio aos outros. Eu considero ingenuidade receber qualquer conteúdo sem questionar o porquê de se aparecer, por exemplo, um projetor de filmes nas primeiras cenas de Persona, do Ingmar Bergman. Quem já estudou Vertov e o cinema-verdade, sabe que aquele projetor pode estar relacionado a um elemento antiilusionista utilizado pelo Bergman assim como também pode apontar pra própria temática do filme, tornando sua significação ambígua, mas não excludente.

falácia do apelo à autoridade a parte....O cerne da discução é se o velho embate (esquerda x direita) influênciou na premiação. Obviamente que não podemos entrar na cabeça de ninguém para afirmar algo. Mas lembrem que essa mesma academia que está sendo acusada de premiar um filme supostamente de direita, foi a mesma que há pouco tempo premiou Michel Moore, um dos críticos mais vorazes do status quo norte-americano.
 

Diva

Usuário
Omnius disse:
A crítica não foi do Estadão, foi do fulano critico de cinema. Seria uma crítica do estadão se fosse um editorial.

Se a crítica foi publicada no Estadão, ela reflete uma postura do autor e do Estadão. Mesmo que haja a famosa frase "As ideias deste texto são de responsabilidade exclusiva do autor", uma revista, jornal ou qualquer outra mídia não irá publicar um texto em sua edição se aquele texto vai contra seus interesses.



A sociedade americana tem como um de seus valores o patriotismo. Sem entrar no mérito de bom ou ruim, esse patriotismo ajudou bastante a construir a potência que vemos hoje. Valor esse que intrínseco na sociedade transparesse no cinema.

Sim, essa é outra construção de sentido que não nega ou põe em xeque o que eu falei. Só corrobora.


Diva disse:
Agora, se alguém quer entrar no terreno das intencionalidades... Paciência. Não há como estar na cabeça de ninguém pra ter certeza de qual a intenção daquela pessoa. Muitas vezes nem é intencional, mas posso garantir como alguém que estuda e trabalha com mídia que nenhum cineasta, jornalista, editor faz algo sem ter uma intenção. Qualquer pessoa que estuda cinema, tem disciplinas de semiótica, minha gente, que nada mais é do que, no contexto cinematográfico, a significação que determinado quadro, em seus menores elementos mostrados, vai ter em meio aos outros. Eu considero ingenuidade receber qualquer conteúdo sem questionar o porquê de se aparecer, por exemplo, um projetor de filmes nas primeiras cenas de Persona, do Ingmar Bergman. Quem já estudou Vertov e o cinema-verdade, sabe que aquele projetor pode estar relacionado a um elemento antiilusionista utilizado pelo Bergman assim como também pode apontar pra própria temática do filme, tornando sua significação ambígua, mas não excludente.

falácia do apelo à autoridade a parte....O cerne da discução é se o velho embate (esquerda x direita) influênciou na premiação. Obviamente que não podemos entrar na cabeça de ninguém para afirmar algo. Mas lembrem que essa mesma academia que está sendo acusada de premiar um filme supostamente de direita, foi a mesma que há pouco tempo premiou Michel Moore, um dos críticos mais vorazes do status quo norte-americano.

Já que você questionou a minha "autoridade"... LOL, vou ser chata contigo: Considerando-se a discussão, pegue qualquer currículo de qualquer curso de Comunicação Social de qualquer universidade, faculdade, IES do Brasil e veja as disciplinas que são cursadas. Sempre há alguma matéria relacionada à semiótica/análise de discurso. Você só viu falácia de apelo a autoridade porque desconhece esse fato(e nem se interessou por conhecê-lo). Caso contrário, teria ido pesquisar sobre o que eu falei. Mas, por comodismo, fez uma acusação e ignorou tudo o que eu falei.

O segundo ponto que eu devia ter mencionado na postagem anterior é que Avatar ou Guerra ao Terror ganhando, daria na mesma coisa. Embora não seja tão explícito quanto Guerra ao Terror, Avatar traz um clichê pró-EUA: a redenção do povo norte-americano. Porque quando os americanos são tratados como os vilões nos filmes, sempre há os bondosos, aqueles que mostram que nem tudo está perdido, os que se arrependem. Ora, essa coisa do norte-americano arrependido é muito bem mostrada no personagem Jake Sully. A meu ver, Avatar não ganhou o Oscar porque seria mancada demais da Academia dar dois Oscars de melhor filme pro James Cameron por filmes medianos. Titanic se engole. Mas Avatar não.

Quanto ao Michael Moore... Tiros em Columbine faz uma crítica(malfeita) da sociedade norte-americana, do modo como eles vivem. Ué? Beleza Americana também. E ganhou o Oscar. Não é a relação dos EUA com o mundo.
 
Eu sinceramente acho que Avatar não devia ter ganhado melhor filme com politicagem ou sem...

Não tem muito roteiro, é visualmente um ÓTIMO filme é só isso. Acho que ganhou os Oscars que merecia e foi isso.

NÃO SEI se Guerra ao Terror é melhor que Avatar, mas continuo achando que foi justo ele não ter ganhado...


Quanto à última afirmação. Eu não desconsidero a hipótese da politicagem e tal, acho que PODE sim ter interferido. Mas não queria colocar isso na miha opinião só isso :)
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$125,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo