1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)
  1. Bekasobiskie

    Bekasobiskie Usuário

    Uma dúvida que sempre tenho: somente os meio-elfos eärendil, elwing e seus descendentes é que podiam fazer a escolha a que familia queriam pertencer? Os demais meio-elfos que existiam (bem poucos, creio) não teriam escolha alguma e seriam mortais inevitavelmente?

    Ou seria diferente? Pois me lembro que quando eärendil chegou a valinor, mandos pergunta aos outros valar se um homem mortal viria a terras imortais e continuaria vivo, se referindo a earendil; contudo elwing, que também era uma dos meio-elfos também foi a valinor, e mais, pisou nas terras imortais como o seu marido. Mesmo assim, mandos se referi apenas a earendil e não a elwing. Se assim ele fizesse eu acho que ele diria " Virá mortais em terras imortais e continuarão vivos?"

    Dessa forma, teriam os meio-elfos um poder escolha inato dado pelo próprio Eru sem que os valar conhecessem, pois ao ler esse trecho do silmarilion eu percebir que elwing é considera uma imortal (elfa), ao passo que earendil é considerado mortal (homem).

    Ou seja, todos os meio-elfos seriam vinculados a familia que mais amassem por Eru. Se um meio-elfo amasse mais aos elfos, ele teria o mesmo destino dos elfos; se ele amasse mais ao humanos, ele teria o destino dos humanos. Elwing amava mais os elfos, portanto era elfa; earendil amava mais aos homens, portanto era homem (isso antes deles chegarem a valinor). Contudo, após irem a valinor, é dado a esses dois e seus descendentes o direito de escolha. Creio eu que eles tinham agora a opção única de serem contados entre as familias que desejassem, independentemente de a amarem mais ou não.

    Com isso, elwing escolhe ser contada entre os elfos, pois amava mais aos elfos e também por causa de luthien. Earendil também escolheu ser contado entre os elfos por causa da escolha de elwing, apesar de amar mais aos homens e desejar o destino dos mesmos.

    O que vocês acham?
     
  2. Ondon Rincewind

    Ondon Rincewind Usuário

    No Final da Primeira Era, foi dada a opção de escolha aos meio-elfos, que se resumiam a Ëarendil, Elwing e seus descendentes, uma vez que Eluréd e Elurín, filhos de Dior, filho de Beren, morreram no assalto a Doriath. Sendo assim, os meio-elfos eram Elrond e Elros. No final da Primeira Era, cada um teve sua escolha: Elrond decidiu ser elfo enquanto Elros decidiu ser homem e virou o Rei de Númenor. Todos os descendentes de Elros são homens, vide Aragorn, e todos os descendentes de Elrond são elfos, vide Arwen.

    Somente TRÊS humanos se casaram com elfas: Tuor, Beren e Aragorn. A linhagem de Beren e Tuor se uniu em Ëarendil e Elwing, e a de Aragorn e Arwen reinou sobre Gondor.
     
  3. Bekasobiskie

    Bekasobiskie Usuário

    Mas sabe-se que o primeiro príncipe de Amroth, chamado Imrazôr, se casou com uma elfa chamada Mithrellas, uma elfa silvestre companheira de Nimrodel. Eles inclusive tiveram um filho, chamado Galador, que por sua vez era um meio-elfo. Tal fato é confirmado quando Legolas encontra encontra o descendente de Galador em Gondor, na época o princípe de Amroth, e diz que este tinha traços de sangue élfico.

    Ora, o principe de Amroth da época era tio de Faramir, o que poderia explicar o que alguns soldados de Gondor disseram a Frodo certa vez quando ele foi capturado em Ethilien. Estes soldados disseram que algo protegia Faramir, como se Faramir tivesse um ar élfico.

    Isso indica que houve mais do que dois casamentos entre elfos e humanos, descartando o casamento de Arwen e Aragorn pois Arwen era meio-elfa, que podem ter ocorrido entre os elfos avaris, silvestres, etc, provando que tais casamentos poderiam ser incomuns mas não eram raros. Raros mesmos, eu diria, era o casamento entre os maiar/valar e os filhos de Eru, que ocorreu apenas uma vez e não mais...

    Por isso eu creio que Galador, que era meio-elfo, também poderia escolher a que familia dos filhos de Eru ele se incluiria, mas nesse caso Galador seria incluído automaticamente na familia que ele mais amasse, o que não ocorreu com Eärendil. Se, agora apenas como uma suposição, Galador amasse mais aos homens, mas desejasse ser imortal como os elfos por amar uma elfa; ele não seria de forma alguma contado entre os elfos pois ele seria automaticamente incluido na raça dos homens.

    Igualmente, se Galador amasse mais aos elfos mas desejasse a mortalidade por amar uma mulher; ele não seria de forma alguma incluído entre a raça dos homens pois ele seria automaticamente incluido entre os primogênitos de Eru. Essa graça de escolher a que familia pertencer, independente de amá-la ou não, foi dada apenas a Elwing, Eärendil, Elros e Elronde e os descendentes deste último.

    Arwen, por exemplo, amava mais aos elfos do que os humanos, considerando incluisive os humanos tolos e miseráveis (ela diz isso a Aragorn em seu leito de morte), de forma alguma ela desejava pertencer a familia dos atani. Mas como descendente de Elronde ela tem a graça de trair seu coração e ser incluida na familia que mais amar ou não e, por amor a Aragorn, ela decide ser mortal. Se essa graça não existisse, creio que Arwen seria imortal independente de desejar a mortalidade por amor a Aragorn, pois ela amava mais aos primogênitos de Eru.

    Entende a minha dúvida?
     

Compartilhar