1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Orlando Paes Filho

Tópico em 'Autores Nacionais' iniciado por imported_Foxwulf, 25 Nov 2007.

  1. imported_Foxwulf

    imported_Foxwulf Usuário

    Sempre tive um interesse especial pelos povos chamados de Bárbaros, mas na escola os professores só falavam dos gregos e romanos, a política e a filosofia desses povos.

    Mas eu queria mesmo era ouvir sobre batalhas, espadas, hidromel e sangue!!! Mas até então não tinha encontrado nada sobre, embora não tenha procurado muito.

    Então em uma feira do livro da minha cidade vejo o livro Angus: O Primeiro Guerreiro, de Orlando Paes Filho, isso mesmo um escritor brasileiro!

    Comecei folhear o livro e confesso que fiquei interessado mais pelas imagens, principalmente das garotas nuas retalhando um cara!!!

    É uma história de batalhas de espada interessante, pode até parecer heresia essa comparação, mas alguns pontos lembram as Crônicas de Artur. Têm os pagãos, druidas e cristãos.

    Angus não é nenhuma grande obra, mas é interessante e quem gosta de histórias de povos bárbaros vai gostar.

    O Orlando Paes Filho diz ter feito uma pesquisa antes de escrever, mas tem gente que viu grandes erros, principalmente sobre povos, mapas, datas e costumes. Como não sei quase nada sobre isso, não me importei. Li como uma obra de ficção sem compromisso com a realidade, o que no final, é a obra.

    Mas não tive animo para continuar lendo os outros livros. Para mim essa história de preparar sete livros de uma vez, não foi uma boa idéia.

    Conheço poucas pessoas que leram o primeiro livro, e menos ainda teve interesse no segundo. Mas parece que Angus está partindo para outras mídias, com HQs. Vamos ver no que dá.
     
  2. Kainof

    Kainof Sr. Raposo

    Eu li apenas o primeiro. A história nem é das mais ruins, mas achei as referências religiosas cansativas e desnecessárias. Quebram o ritmo.

    O maior mérito são com certeza as figuras esplêndidas!

    Tenho lá em casa me esperando pras férias "Angus: O Guerreiro de Deus". Se não me engano, esse é o 2º da série.

    Quanto às outras mídias. Ouvi diversas opiniões de que o RPG de Angus é um lixo abominável. Quanto ao resto, sei lá, prefiro não gastar meu dinheiro.

    Não é muito a minha praia, mas senti um certo exagero que beira a caricatura na piedade (no sentido de fé) dos monges cristãos, principalmente Nennius.

    Mas ele é um escritor que se deu ao trabalho de pesquisar. Deve apenas ter lido os manuscritos ou ouvido falar dos fatos. Isso por si só não seria capaz de construir um trabalho de pesquisa histórico, com certeza. Mas Orlando Paes Filho não é historiador. É escritor. Escreve ficção. E é nesse ponto que seus livros devem ser tomados. O que não é de modo algum demérito. Até acho muito boas iniciativas do tipo, pois despertam a curiosidade dos leitores para a História.
     
  3. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Achei a mesma coisa.
    E só li o primeiro livro também. Toda aquela zona por causa do 2º livro me desestimulou a continuar lendo.

    Eu até achei a proposta interessante. Nada sensacional, mas algo diferente para um autor brasileiro.
     
  4. Cad

    Cad The punishment is loneliness.

    Eu li o primeiro há sei lá, uns 4 anos. E fiquei feliz, uma série razoável e brasileira ainda por cima.
    Mas já o segundo... bom vcs pararam nele também.
     
  5. Uinen

    Uinen Usuário

    Eu também não achei o livro grandes coisas, mas, como falou o Fëanor, é diferente na literatura nacional.
    Não li o 2º...hehe.. se alguma boa alma me emprestar, talvez eu teste. XP

    PS: Acredito que, se você quiser ler alguns artigos interessantes sobre os "bárbaros", pode acessar o site da Brathair.
     
  6. Ronzi

    Ronzi Oh, Crap!

    Para o Angus tudo é matança: uma maravilhosa matança, depois daquela matança, ela era sexuy no meio da matança, etc. :lol:

    sei lá, pode ser meio limitação minha, mas acho que o que sobre o que ele tentou por não fazer parte da nossa cultura (nem da dele, por óbvio) ficou superficial, esquisito. É a mesma coisa que se um inglês escrevesse sobre acarajé.

    Enfim, eu gostava das ilustrações, mas taquei no mesmo balaio que outras merdas e troquei num sebo.
     
  7. Hamfast

    Hamfast Melodia e distorção

    Li só o primeiro livro, gostei e tal, mas não posso falar muito pois já faz um certo tempo que o li.De qualquer jeito, as ilustrações são sensacionais.
     

Compartilhar