1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

O Puro-Sangue Árabe: A Mais Perfeita das Raças de Cavalos

Tópico em 'Jogos & Outros Hobbies' iniciado por Excluído049, 20 Mai 2013.

  1. Excluído049

    Excluído049 Excluído a pedido

    NOTA DE CALION: "EIS QUE MUITO TENHO VISTO E DENOTADO SOBRE TÃO ÚNICO E FANTÁSTICO ANIMAL, E MUITO ELE TEM TOCADO EM MEU CORAÇÃO. EM VIRTUDE DISTO, VENHO, ATRAVÉS DA PRESENTE POSTAGEM, COMPARTILHAR UM POUCO DE INFORMAÇÃO SOBRE TAL RAÇA, SENDO QUE SEI QUE ESSA INFORMAÇÃO MAL CHEGA AOS PÉS D'AQUILO TUDO QUE HÁ NESSA MAIS PERFEITA CRIAÇÃO DE DEUS. CONTUDO, OUSO ERGUER-ME, E TENTAR COMPARTILHAR UMA POUCO DO QUE SEI SOBRE ESSA CRIATURA, A MINHA GRANDE PAIXÃO."


    A Origem do Cavalo Árabe:

    HISTÓRIA DO CAVALO ÁRABE NO MUNDO
    A origem do cavalo árabe, depois de muitas pesquisas e de divergências históricas, continua sem uma prova definitiva: teria sido uma espécie selvagem que assumiu com o tempo sua forma, originária de cruzamentos entre outras? Teria o homem interferido nessa formação? A questão permanece envolta em mistério. Na verdade a primeira imagem aparece num baixo relevo egípcio do século 16 antes de Cristo.

    A Cavalo Árabe de hoje tem uma cabeça pequena e côncava, pescoço arqueado, linha de garupa horizontal e cauda levantada de inserção alta. Estas características foram mantidas até hoje, através de 36 séculos. Quem poderá realmente dizer quantos outros se passaram até que estas características tivessem sido adquiridas e fixadas.

    Não existe dúvida de que é a raça mais antiga do mundo, e a nenhuma outra se pode comparar em conformação, equilíbrio e beleza. Mas não foi por essas qualidades que durante 3500 anos o cavalo árabe foi tão apreciado: foi por sua extraordinária capacidade como cavalo de guerra. Pela velocidade, resistência, agilidade e inteligência.

    O poderio dos impérios e de seus exércitos foi cada vez mais baseado na cavalaria. E pouco a pouco, a cavalaria ligeira ultrapassava em muito a pesada, com armaduras e armas de maneio lento. Os guerrilheiros montados em "cavalos que voavam nos pés" tornavam-se famosos e muito temidos.

    Em 700 a.C. havia uma procura generalizada deste tipo de cavalo. Guerras eram iniciadas com o único fim de obtê-los em maior número possível. As lutas se sucediam entre assírios, persas, povos das estepes, em torno do mar Vermelho, até o Egito. Em selos, jóias, relevos e pinturas, encontramos a mesma imagem do cavalo árabe característico através dos séculos.

    A lenda conta que Maomé, depois de uma longa caminhada, mandou que soltassem os animais para tomar água. Antes que eles chegassem ao lago, ele os chamou de volta, e apenas cinco éguas pararam, e em vez de matar a sede voltaram atendendo ao chamado do profeta. Ele abençoou estas cinco éguas, e delas se formaram as cinco linhagens famosas.

    Porém, todas as referências citam apenas Kehilan Ajuz,que se confunde com o termo "puro". Portanto, todas as linhagens formaram-se a partir de Kehilan Ajuz. Somente em 1800 temos como definitivo a existência das várias linhagens: Kehilan, Seglawi, Maneghi, Abeyan, Dahman. Porém para os beduínos "são todos Kehilan".

    Apesar de haver descrições, com características diversas, destas linhagens, notamos com surpresa que elas são continuamente cruzadas entre si, tornando difícil seu reconhecimento. Mais tarde, as tribos de beduínos criaram sublinhagens, isolando pela distância suas tropas.

    GRANDES STUDS
    A paixão pelo cavalo levou faraós, reis, imperadores e uma série de homens poderosos a colecionar o que havia de melhor. Preços fabulosos, resgates de príncipes, e mesmo cidades inteiras foram trocados por esplendidos animais, quando não eram arrancados a preço de sangue.

    Depois do esplendor dos faraós, temos notícia dos grandes studs nos séculos 13 e 14, como Baybards, o sultão que mandava colocar sedas preciosas no chão para que seus cavalos desfilassem. O sultão Nacer Ibn Kalaoun (1300 d.C.) pagava fortunas pelos animais, trazidos de todos os cantos do seu reino como sendo os mais perfeitos: uma potranca, filha da égua El Karta, foi paga com cem mil dracmas em ouro, mais uma parte em terras na Síria (Este valor em dracmas daria hoje mais de 5,6 milhões de dólares). Quando o sultão Barkuq faleceu (século14) haviam sete mil éguas em suas cocheiras. Depois o Egito foi subjugado por invasores e os grandes studs voltam a aparecer com Mohammed Ali, em 1805. Até então, as tribos nômades, permanentemente em guerra, mantêm suas éguas como parte da família, alimentando-as com tâmaras e leite de camelo, e dormindo em sua tenda. Por esta razão os animais dóceis foram preservados. O beduíno tem o cavalo como parte de sua vida e sobrevivência. E assim o cavalo árabe vai sendo preservado através das idades, passada a tradição de pais a filhos, como o fogo conservado com tanto sacrifício entre os homens primitivos. Em 1815 Mohammed Ali, um dos chefes turcos que então dominavam o Egito, mandou um exército chefiado por Ibrahim Pasha, seu filho, contra o poder crescente dos wahabis, em Nejd. Depois de bem-sucedida essa invasão, Ibrahim Pasha voltou para o Egito trazendo consigo duzentas esplêndidas éguas e os garanhões capturados em Ryad e outras cidades do Nejd. Estes magníficos animais representavam o sangue mais puro das tribos do deserto e foram aumentar a glória dos estábulos reais de Mohammed Ali. Uma segunda expedição, mais organizada, também comandada por Ibrahim Pasha, penetrou novamente na Arábia capturando Touryf, e com isto, o stud inteiro de Saoud, o rei wahabi. Estes animais deram a Ibrahim Pasha a possibilidade de estabelecer seu próprio stud. Assim o Egito possuía novamente dois grandes criatórios, com o material melhor e mais refinado da Arábia. Os viajantes no Egito que tiveram o privilégio de visitar os studs de Mohammed Ali e Ibrahim Pasha eram unânimes em constatar a beleza espetacular dos animais ali reunidos. Porém, as condições em que estes animais eram mantidos deixavam os visitantes indignados. Estábulos pouco ventilados e sujos, com poucos homens para cuidar; na maioria garotos, que além de não os soltarem nem cuidarem da limpeza, ainda roubavam a comida destinada aos animais. Muitos morreram e pouco a pouco a qualidade foi decaindo. Alguns foram enviados como presentes a príncipes estrangeiros, mas o destino cuidou para que tudo não fosse perdido.

    ABBAS PASHA
    O neto de Mohammed Ali, quando criança, tinha assistido à procissão triunfal do exército de Ibrahim Pasha entrando no Cairo com a fina flor das éguas do deserto, e em seu peito nasceu uma paixão que durou toda sua vida por estes maravilhosos animais. Desde então, tentou reunir, e conseguiu, um grande número de éguas e cavalos de várias proveniências, animais estes que despertavam aquela grande admiração que ele sentira em criança. Durante o declínio dos studs de seu tio e seu avô, comprou tudo o que foi possível. Em 1836, com 23 anos, Abbas Pasha tornou-se vice-rei do Egito. Abbas Pasha mandou construir um magnífico palácio no deserto Dar al Bayda, entre Cairo e Suez, com todo o cuidado para o bem estar de seus cavalos. Dizem os que o visitaram que em seus melhores tempos o stud compreendia mil animais, das mais nobres e refinadas origens. Abbas Pasha morava neste palácio, e assim podia passar o dia entre os jardins, alegrando seus olhos perante a visão de seus esplêndidos animais. A importância do stud de Abbas Pasha é a maior, na história do cavalo árabe. A pureza racial, o refinamento, a beleza e a perfeição dos espécimes por ele reunidos é reconhecida por todos. Sua exigência quanto ao pedigree, que naquela época não costumava ser escrito, obrigou um studo de genealogias para garantir a pureza racial da qual ele fazia questão absoluta. Foi feito o primeiro Stud Book: Abbas Pasha. Tudo parecia indicar que o futuro seria brilhante.

    Mais uma vez o destino mudou o rumo e em 1854 Abbas Pasha foi assassinado. Este vice-rei de Egito foi um dos maiores conhecedores da raça árabe. A dedicação de sua vida inteira e o cuidado com que seus animais foram escolhidos; seus manuscritos, tornando possível o conhecimento de todas as linhas de sangue - que eram transmitidas oralmente entre os membros das tribos - , tudo foi anotado por um escriba de confiança, acompanhado por alto dignitário de sua majestade. Portanto, pode-se considerar, sem dúvida alguma, que os únicos cavalos de pureza inquestionável foram os de Abbas Pasha. Enquanto os relatos de visitantes em outros studs historicamente famosos descrevem a velocidade e as vitórias em corrida, os que puderam ver os cavalos de Abbas Pasha descrevem apenas a extraordinária beleza e majestade destes animais. El Hami Pasha herdou o reino de seu pai e o stud, mas não tendo o talento necessário, não pôde manter este estabelecimento e morreu três anos depois. Para pagar suas dívidas, o tesouro inestimável da coleção fantástica de seu pai foi a leilão. Reis e príncipes europeus enviaram representantes, ou vieram pessoalmente, assim como vários nobres, ansiosos para enriquecer seus estabelecimentos com os melhores espécimes do mundo. Preços incríveis foram atingidos, e mais ou menos duzentos animais foram para vários países: Itália, Alemanha, França, Polônia, Hungria. O grande interesse em torno das corridas tornava necessário o cruzamento repetido com sangue árabe do deserto, e cada país seguia uma orientação diferente. Porém, a influência destes animais, utilizados desta maneira, foi se diluindo e nada foi conservado em termos puros. Felizmente, um jovem de família nobre do Cairo, admirador e profundo conhecedor do stud de Abbas Pasha, arrematou as mais valiosas linhas de sangue no leilão. Ali Pasha Cheriff, um dos mais ricos proprietários de terras do Egito, entusiasmado com os melhores garanhões e as mais belas éguas que comprara, estabeleceu sua própria criação, agora governador da Síria. Durante os anos subseqüentes, Ali Pasha Cheriff devotou sua fortuna pessoal e todo o seu conhecimento ao estabelecimento. Seu maior prazer era manter as suas éguas tratadas como princesas orientais em harém: elas desfilavam, maravilhosas, banhadas, penteadas e enfeitadas com cabrestos preciosos, somente para seus olhos. Porém, quando o Pasha envelheceu , seus filhos conspiraram contra ele e achando que sua fortuna fabulosa estava sendo desperdiçada, decidiram vender o stud. Ali Pasha Cheriff, algumas semanas depois, com o coração despedaçado ao ver seus animais irem a leilão, não resistiu e morreu, terminando assim, para sempre, a magnificência dos grandes studs do Oriente Médio.


    A Lenda da Criação da Raça Árabe:


    Percorria ALAH o mundo logo após a criação quando ao passar sobre o deserto ouviu os gritos e o choro do beduíno.

    Ao perguntar-lhe por que assim chorava, respondeu-lhe o árabe:
    - Vide as riquezas que todos os outros povos ganharam e para mim só tocou areias.

    Percebendo ALAH que não havia sido equânime na distribuição das benesses da terra, disse-lhe:
    - Pois não chores mais, vou compensar-te dando um presente que não dei a povo algum.

    E tomando com a mão direita o vento sul que passava, falou:
    - Plasma-te, ó vento sul! Vou fazer de ti uma nova criatura.

    Serás o meu presente, e o símbolo de meu amor a meu povo.

    Para que sejas único e que nunca te confundam com bestas, terás:
    O olhar da águia, a coragem do leão e a velocidade da pantera.
    Do elefante dou-te a memória, do tigre a força, da gazela a elegância.
    Teus cascos terão a dureza do sílex e teu pelo a maciez da plumagem da pomba.
    Irás saltar mais do que o gamo, e terás do lobo o faro.
    Serão teus à noite os olhos do leopardo, e te orientarás como o falcão, que sempre volta à sua origem.
    Serás incansável como o camelo, e terás do cão o amor ao seu dono.
    E finalmente, Hissam, como um presente meu ao te fazer cavalo e fazer-te Árabe, dou-te para todo o sempre e para que sejas único:
    "A BELEZA DA RAINHA E A MAJESTADE DO REI"

    ALAH disse ao Vento Sul: "Transforma-te em carne sólida, pois de ti farei uma nova criatura, para a honra do Meu Sagrado Senhor e a desonra dos Meus inimigos, e para ser um criado daqueles que estão sujeitos a Mim". E o vento Sul respondeu: "Senhor, assim se faça por Vós". Então Alá tomou um punhado do Vento Sul e o assoprou, criando o cavalo e dizendo: "Teu nome será Árabe, e a virtude estará no pelo de teu topete e a pilhagem estará em teu dorso. Tenho preferido a ti entre as bestas de carga, pois fiz de teu patrão teu amigo. Dei-te o poder de voar sem as asas, Lenda seja numa investida violenta como numa retirada. Colocarei homens em teu dorso, cuja honra e louvor sejam a Mim dirigidos e que cantem Aleluia em Meu nome".

    O Padrão da Raça:


    O CAVALO DO BEDUÍNO
    Muitas das atuais características do cavalo árabe resultam de sua adaptação ao deserto. São, com certeza, aspectos de sua conformação primitiva que foram privilegiados, selecionados e desenvolvidos com grande sabedoria pelos beduínos. Isso foi realizado com tal maestria através de conceitos e ensinamentos passados de geração para geração durante milênios, que nenhum hipólogo ou compêndio sobre equinos se recusa ou mesmo titubeia em afirmar que o Puro Sangue Árabe é o mais perfeito animal e o verdadeiro protótipo do cavalo de sela.

    Os olhos - Os olhos do cavalo árabe são típicos de muitas espécimes de animais do deserto. Grandes e salientes, eles são responsáveis por prover o animal de uma excelente visão, a qual alertava os primitivos cavalos Árabes dos ataques de seus predadores.

    Narinas - As narinas do cavalo Árabe que se dilatam quando ele corre ou está excitado, proporcionam uma grande captação de ar. Normalmente as narinas se encontram semi-cerradas reduzindo a poeira proveniente da respiração nos climas mais secos como no deserto.

    Maxilares - O tamanho e a grande separação entre os maxilares ou ganachas no cavalo Árabe proporcionam um bom espaço para a passagem de sua desenvolvida traqueia - provavelmente esse é um outro fator de adaptação para aumentar a captação de ar.

    Carregamento de cabeça - O carregamento natural de cabeça do cavalo Árabe é muito mais alto do que qualquer outra raça, especialmente ao galope. O alto carregamento da cabeça facilita a passagem do ar, abrindo as flexíveis narinas e alongando a traqueia. É comprovado que os cavalos Árabes possuem maior número de células vermelhas que as outras raças, o que pode indicar que o cavalo Árabe usa o oxigênio mais eficientemente.

    Pele - A pele negra por debaixo dos pelos do cavalo Árabe é visível devido à delicadeza ou ausência de pelos em torno dos olhos e focinho. Essa pele escura em torno dos olhos reduz o reflexo da luz do sol e também protege contra queimaduras. A fina pele do cavalo Árabe proporciona a rápida evaporação do suor resfriando o cavalo mais rapidamente.

    Irrigação Sanguínea - As veias que se tornam visíveis por saltarem à flor da pele quando o cavalo Árabe enfrenta um grande esforço físico, em contato com o ar, resfriam rapidamente a circulação sanguínea, proporcionando maior conforto em longas jornadas.

    Crina - Os pelos da crina são normalmente finos e longos, protegendo a cabeça e o pescoço da ação direta do sol. O longo topete na testa também protege os olhos do reflexo e da poeira.

    Focinho - O pequeno e cônico focinho também deve ser creditado de sua herança do deserto. A escassez de alimentos deve ter reduzido o focinho para o admirado tamanho e formato de hoje. Os finos e ágeis lábios provavelmente são resultados dos ralos pastos do deserto. Os cavalos dos beduínos pastoreavam apenas esporadicamente comendo poucos chumaços de grama aqui e ali, enquanto seguiam em suas longas jornadas. Lábios ágeis podem rapidamente se prover de pequenas porções de ralas gramas e ervas.

    Estrutura Óssea - É fato que muitos cavalos Árabes possuem apenas cinco vértebras lombares, diferentes das seis comuns em outras raças. Essa vértebra a menos explica o pequeno lombo e a resultante habilidade em carregar grandes pesos proporcionalmente ao seu tamanho. No entanto, modernas autoridades do cavalo Árabe, como Gladys Brown Edwards, afirmam que não são todos que possuem cinco vértebras, muitos possuem o padrão de seis vértebras. Até hoje não é sabido qual número mais comum de vértebras no cavalo Árabe e não há evidência de que o Árabe que possui cinco seja mais puro ou mais desejável do que o que possui seis.

    Carregamento da Cauda - O alto e natural carregamento da cauda é resultado da singular estrutura óssea do cavalo Árabe. A primeira vértebra da cauda, que se liga à parte interna da garupa é levemente inclinada para cima, ao contrário de outras raças que se inclina para baixo.

    A cabeça - A distinta beleza do cavalo Árabe é uma das principais marcas do tipo da raça. O clássico perfil é marcado por duas características: jibbah e afnas, muito admiradas pelos beduínos.

    Jibbah - é a protuberância acima dos olhos. Nem todos os cavalos Árabes maduros possuem, mas ele é óbvio nos potros. O Jibbah aumenta o tamanho da cavidade nasal proporcionando maior capacidade respiratória.

    Afnas - O afnas é a chamada "cabeça chanfrada". O chanfro é a depressão no osso frontal da cabeça entre os olhos e o focinho, ele apresenta uma curva côncava no perfil da cabeça. Embora o Afnas fosse admirado pelos beduínos como um aspecto de beleza, nem todos os seus cavalos possuíam o chanfro pronunciado, da mesma forma que hoje nem todos os modernos cavalos Árabes possuem esse perfil. Mas uma cabeça é considerada boa e típica quando possui:

    1- olhos grandes, salientes, bem separados e situados logo abaixo da testa;

    2- testa larga;

    3- narinas grandes e flexíveis;

    4- cabeça descarnada e seca;

    5- a expressão geral é alerta, inteligente e vivaz.

    Os chamados "olhos humanos" ou "branco nos olhos", nos quais são visíveis as escleróticas brancas em torno das íris, são pontos polêmicos na criação do cavalo Árabe. Margaret Greeley em seu livro "Arabian Exudus" cita Wilfrid Blunt afirmado que o branco nos olhos não era um sinal de mau temperamento, pelo contrário, era uma característica desejada pelos beduínos. Muitos juízes e criadores modernos, no entando, desgostam e penalizam os cavalos que possuem essa característica a despeito do fato dela aparecer em certas antigas e valiosas linhagens.


    Textos editados a partir dos originais no site:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .
     
    Última edição: 21 Mai 2013
    • Gostei! Gostei! x 6
    • Ótimo Ótimo x 3
    • LOL LOL x 1
  2. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Por que o Morfindel não pode comentar no tpc? oO

    De qqr forma, sempre adorei cavalos! Depois dos gatos são meus animais preferidos!! Pena que tive pouco convívio com eles até hoje...
     
  3. Excluído049

    Excluído049 Excluído a pedido

    Eu peço que as pessoas comentem sabiamente. No caso do Morfindel, isso parece impossível! :drunk:


    Pelo amor de Deus!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Não compares os gloriosos cavalos aos malditos e imundos gatos, ó céus!!!!!!!!!!1
     
    • Fail Fail x 5
    • LOL LOL x 4
    • Péssimo Péssimo x 2
  4. Tek

    Tek Girls tend not to like me

    Contradição detected!
     
    • LOL LOL x 5
    • Ótimo Ótimo x 1
  5. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Calion com um smiley de garrafa/cachaça na mão?? Heresia!!!

    :lol:

    Brinkz. Mas Calion, Deus também criou os gatos... ou vai me dizer que quem criou os gatos foi o Tinhoso? oO

    E gato é limpinho, precisa menos de banho que a maioria dos animais, inclusive a gente... UU Vai deixar um gato e um ser humano sem banho por uma semana pra ver quem cheira pior YY
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  6. Excluído049

    Excluído049 Excluído a pedido

    Eu tentei representar o Morfindel. Mas, Morfindel, toda essa "perseguição" aqui é de brincadeira, viste?

    Hierarquia dos Animais

    1º- Animais Superiores: São abençoados por Deus, criados por ele para servir e ajudar. Em geral são muito inteligentes, porém seus corações superam suas mentes. Não podem decair novamente, pois, sendo abençoados, estão protegidos eternamente de Satã. Superiores aos Animais Comuns e aos Vegetais, e logo após aos Seres Humanos, são, atualmente, dois. A saber:
    -- O Cavalo, criado perfeito por Deus, como uma chance para que os Homens pudessem se tornar algo na vida.
    -- O Cão, criado ao nível dos outros animais, todavia ascendeu a esta categoria por força do amor que arde em seu interior.

    2º- Animais Comuns: Criados por Deus como co-habitantes da Terra, e membros da beleza da criação. Podem subir ou descer de categoria, o que raramente acontece. São a esmagadora maioria dos animais, estando logo abaixo dos Animais Superiores, dos Humanos; ao nível dos Vegetais Superiores; e logo acima dos Vegetais Inferiores.

    3º- Animais Inferiores: Apesar de descenderem de Animais Comuns, ele foram distorcidos e deformados pelo Diabo até sua forma atual, não contra sua própria vontade. São inferiores a todos os outros Seres Vivos. Atualmente, são três:
    -- Os Gatos, modificados pelo Inimigo para a forma atual a fim de espionar a Humanidade.
    -- As Serpentes, utilizadas pelo Maldito desde o Início para tentar e perseguir os Filhos de Deus. No Gênesis, uma Serpente é quem tenta a Eva.
    -- Os Carniceiros em geral, que vivem da Morte.

    - - - Updated - - -

    Eu tentei representar o Morfindel. Mas, Morfindel, toda essa "perseguição" aqui é de brincadeira, viste?

    Hierarquia dos Animais

    1º- Animais Superiores: São abençoados por Deus, criados por ele para servir e ajudar. Em geral são muito inteligentes, porém seus corações superam suas mentes. Não podem decair novamente, pois, sendo abençoados, estão protegidos eternamente de Satã. Superiores aos Animais Comuns e aos Vegetais, e logo após aos Seres Humanos, são, atualmente, dois. A saber:
    -- O Cavalo, criado perfeito por Deus, como uma chance para que os Homens pudessem se tornar algo na vida.
    -- O Cão, criado ao nível dos outros animais, todavia ascendeu a esta categoria por força do amor que arde em seu interior.

    2º- Animais Comuns: Criados por Deus como co-habitantes da Terra, e membros da beleza da criação. Podem subir ou descer de categoria, o que raramente acontece. São a esmagadora maioria dos animais, estando logo abaixo dos Animais Superiores, dos Humanos; ao nível dos Vegetais Superiores; e logo acima dos Vegetais Inferiores.

    3º- Animais Inferiores: Apesar de descenderem de Animais Comuns, ele foram distorcidos e deformados pelo Diabo até sua forma atual, não contra sua própria vontade. São inferiores a todos os outros Seres Vivos. Atualmente, são três:
    -- Os Gatos, modificados pelo Inimigo para a forma atual a fim de espionar a Humanidade.
    -- As Serpentes, utilizadas pelo Maldito desde o Início para tentar e perseguir os Filhos de Deus. No Gênesis, uma Serpente é quem tenta a Eva.
    -- Os Carniceiros em geral, que vivem da Morte.
     
    • LOL LOL x 3
  7. Liv

    Liv Visitante

    Então tá, né. :lol:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  8. Glonduil

    Glonduil Quase uma forja de anão

    :pipoca: the zuera never ends :uhum: ...
    Então você gosta de cavalos Calion ? Também gosto muito deles. São animais inteligentíssimos, dóceis (com quem lhes é dócil, é claro) e lindos. Na verdade, na antiguidade, o cavalo era tão estimado, que em algumas culturas, era ele que levava a alma do morto para o paraíso. Uma das melhores coisas no mundo, é cavalgar em cima de um cavalo, sentindo o vento bater no rosto, falo por experiencia própria : correr em grande velocidade em cima de um cavalo é um experiência única. Os cavalos percebem quando a pessoa que os monta está nervosas ou não, de tão inteligentes que o são. Eles conseguem memorizar o caminho de casa. Meu tio tem uma fazenda, e uma das vezes que eu fui lá quando criança, e mandou a égua tomar o rumo de casa. Ele soltou as rédias e a eguá acertou o caminho direitinho. Mas browzinho, vai com calma cara. Todos os animais são de Deus. Viva o amor a todo o tipo de animal :yep:
     
    Última edição: 25 Mai 2013
    • Gostei! Gostei! x 3
  9. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    Que coisa estúpida.
    Nunca ouviu falar de ecosistemas, predatismo, relações interespecíficas entre os seres vivos?

    Todos têm sua função na natureza.
    Se não fosse os "carniceiros" como você chama (e as baratas, os vermes, as bactérias) o que seria das carcaças, dos corpos putrefatos dos animais e plantas que morrem?
    Ficariam por aí? Desapareceriam "por encanto"? Ou você os comeria, Calion?

    Pelo jeito também nunca ouviu falar em
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    (de que a Bíblia, por sinal está cheia) né Calion?

    :uhum:

    Não é o gato que está "espiando" aqui:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    :rofl:











    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • LOL LOL x 4
    • Ótimo Ótimo x 3
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  10. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Meus gatos me espionam? 8-O Nossa, então vivo um BBB desde criança, pois sou gateira desde então...

    Rç.

    Meu gato tem 18 anos e eu o peguei pra criar com mesinhos...

    E onde que diz esse troço ae, Calion, que os gatos espionam os seres humanos? UU
     
    • LOL LOL x 3
    • Gostei! Gostei! x 2
  11. Lobelia SB

    Lobelia SB His name was Robert Paulson

    Você pode dizer que os gatos pensam que nós somos seus servos. Isso até que vai...
    Mas ele não espionam heheuehe Os meus quase nunca ficam em casa para espionar!
    :lol:
     
    • LOL LOL x 3
    • Gostei! Gostei! x 1
  12. Excluído049

    Excluído049 Excluído a pedido

    Basta de gatos!!!!!!!!!!!
    Esse é um tópico sobre cavalos, especialmente os da raça Árabe!

    - - - Updated - - -

    Fiqueis à vontade para opinar e perguntar sobre o tema do tópico.
     
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  13. Clara

    Clara Que bosta... Usuário Premium

    • LOL LOL x 1
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  14. Lobelia SB

    Lobelia SB His name was Robert Paulson

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Ah não! Eu quero falar sobre gatos aqui.... :nana:

    brincadeira.. qnt custa um cavalo dessa raça?
     
    Última edição: 26 Mai 2013
    • LOL LOL x 4
  15. Glonduil

    Glonduil Quase uma forja de anão

    Calion, isso de gerar sangues puro, não afeta de uma maneira negativa a especie ? Quero dizer, onde não miscigenação, as doenças daquela população (pessoas,cachorros,cavalos, qualquer coisas com dna) não ficam mais fortes em a cada geração ? Estou realmente querendo saber, pois fiquei interessado
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  16. Excluído049

    Excluído049 Excluído a pedido

    Depende muito do cavalo e do vendedor.

    Vamos supor uma égua Puro-Sangue Árabe, de cerca de cinco anos, treinamento básico, linhagem bem selecionada, sem nenhum defeito genético e fenotípico.

    O preços vão variar de 5.000 a 15.000 reais, muito embora no mercado livro possa-se ver criadores independentes oferecendo por 2.000. Mas vai uma dica: a não ser que tu estejas em um leilão bem organizado e de renome, não compres um Árabe adulto por menos de cinco mil. Se estiver muito barato, provavelmente ele seja mais um prejuízo que uma vantagem.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  17. Lobelia SB

    Lobelia SB His name was Robert Paulson

    E onde você recomenda a compra?? Como funciona? a partir de que idade se recomenda a compra??
     
  18. Excluído049

    Excluído049 Excluído a pedido

    Há realmente partes negativas, mas isso varia conforme a população em questão. Os Puros-Sangues Árabes, por exemplo, sempre existiram aos milhões desde a antiguidade, e possuem variabilidade genética similar à da Raça Mangalarga. Há também cinco doenças hereditárias na Raça Árabe, mas, graças aos modernos testes de sequenciamento de DNA, elas estão em vias de serem expurgadas.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  19. Lobelia SB

    Lobelia SB His name was Robert Paulson

    e existe a prática de importação de sêmem?? vindo de criadores diferentes?1
     
  20. Glonduil

    Glonduil Quase uma forja de anão

    Se você parar para pensar, não é muito levando em consideração puro sangue árabe.

    Valeu, você tirou minha duvida. Eu pensei que esses puro-sangue eram resultado de cruza seletiva entre as melhores espécies árabes, mas como você disse, por ter muitos, o problema da falta de variação genética não é tão proeminente .
     

Compartilhar