1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Kementari][Suicídio Persa]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Kementari, 3 Jun 2004.

  1. Kementari

    Kementari É só marca do fogão!

    [Kementari][Suicídio Persa]

    Suicídio Persa.

    Hoje volto a ser fantasma. Sei agora pois disso já não mais me lamento. Esqueci onde viviam as minhas esperanças, suas bases se esvaíram. E minha melancolia se transforma em vazio, não mais em solidão. Faltam-me as lágrimas e as alegrias, e ao néctar falta sabor.
    Não existe bálsamo, pois já não existe chaga. E hoje me descubro, como muitos já antes de mim haviam feito. Caem as pétalas, em musical harmonia duvidosamente homicida. Deito-me em sangue e já não espero. Por muito esperei, e por muito vivi.
    Sentimento vil, causa e alívio de minha tormenta, afasta-te e cala-te. Aprende a amar o imutável, e assim o torne instrumento da tua vontade. Ilusão é a minha tormenta, e para só aqueles que não a sentem. Ilusão é o meu sentimento, que enrubesce o vazio e nos canta o eco, em verdade nossa própria voz. Inusitadamente inevitável.
    Hoje volto à terra, e deixo os homens, pois já não mais celebro o presente, tampouco o condeno. Hoje me junto aos fantasmas, e os celebro mesmo em total obscuridão.
    Alísia brisa, amarelo domingo em vermelhas folhas de jardins secretos. Deito-me em outono e já não espero. Minha poesia se foi com o vento, e eu não percebi.
    Não mais me atormentam quaisquer dúvidas, e minha condição se tornou um paradoxo. E a angústia da certeza já não dói quando se sente, pois se agora é o próprio paradoxo.
    Hoje me confundo com o crepúsculo, e já não me sinto mais.


    ************************************

    Tentando voltar a escrever...

    *Kementari ao som de David Bowie - Rock'N'Roll Suicide*
     
  2. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Você me dá medo, Keké.

    Sério.

    Eu achei que eu não ia me sentir tão cedo como eu me senti aquele dia em que li a história da manicure, das suas crônicas macabras... Mas foi igualzinho. Está lindo. Eu diria perfeito, mas perfeito é muito forte.

    Bah, perfeito está ótimo. =)

    Sério. Você se superou mesmo...

    Lindo, lindo.


    E fecha com chave de ouro:




    É o tipo de coisa que faz com que a gente sinta que a gente não viveu ainda o suficiente e não experimentou de tudo.


    Eu só daria uma olhadinha em algumas vírgulas, ok?

    Parabéns, moça! ^^
     
  3. Kementari

    Kementari É só marca do fogão!

    Obrigada Memé :obiggraz:
    Assim você me anima a voltar a escrever como nos tempos áureos :mrgreen:
    :grinlove:
    Brigadão mesmo, as vírgulas estarão sendo revistas <o :continência:
     
  4. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Sou eu quem bate continência aqui, moça. Vc tem o dobro de mensagens =P
     
  5. Saranel Ishtar

    Saranel Ishtar Usuário

    Também estou precisando me animar... estou tããão mole... u.u

    Um monte de livro pra ler na facul... affe nem dá vontade neh...

    Comecei a ler, tá bem legal até onde li, mas ainda não acabei, daqui a pouco acabo. Tem aula agora:)
     
  6. Forfirith

    Forfirith Usuário

    Nega...a minha colega de classe tem que 'reescrever' os SEUS contos, não os meus!Ela tem que copiar você, não eu...assim ela vai ter muito mais poder, e vão achar que Ela Sabe Escrever...
    Nesses momentos em que se lê algo como o que se escreveu é que nos lembramos o quanto somos pequenos.
    A Igreja usava a grandiosidade e os efeitos das construções, a riqueza dos detalhes nas roupas e nas pinturas, e botava à flor da pele os mais profundos medos e desejos dos homens para dar medo ao povo, e ao ver aquilo tudo, tinham certeza de que havia algo mais além, maior do que suas míseras vidas de camponeses.
    A Igreja fazia de propósito.
     

Compartilhar