1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Häxan - A Feitiçaria Através dos Tempos (Häxan, Suécia, 1922)

Tópico em 'Cinema' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 20 Jul 2014.

?

Sua nota para o filme:

  1. 10

    33,3%
  2. 9

    66,7%
  3. 8

    0 voto(s)
    0,0%
  4. 7

    0 voto(s)
    0,0%
  5. 6

    0 voto(s)
    0,0%
  6. 5

    0 voto(s)
    0,0%
  7. 4

    0 voto(s)
    0,0%
  8. 3

    0 voto(s)
    0,0%
  9. 2

    0 voto(s)
    0,0%
  10. 1

    0 voto(s)
    0,0%
  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Sinopse: Explora as origens da feitiçaria e do satanismo através dos séculos, desde a antiguidade até os tempos modernos. Mistura imagens reais com encenações ao longo de sete capítulos. Mostra a intolerância da Igreja Católica frente aos mitos mágicos, e como ela "resolvia" esses problemas. No final, há a comparação entre o comportamento histérico das mulheres contemporâneas (1921) com o das bruxas da Idade Média, e a conclusão é que ele é bem parecido.

    Direção: Benjamin Christensen

    Elenco: Benjamin Christensen, Astrid Holm, Maren Pedersen

    Trailer
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Curiosidades:

    - Haxan Films, os criadores do filme A Bruxa de Blair, tiraram o nome desse filme.

    - O diretor Benjamin Christensen originalmente planejou escrever o roteiro com a ajuda de historiadores, mas o plano foi por água abaixo quando ele soube que a maioria dos estudiosos que ele tinha em mente, era contra o filme.

    - Para fazerem a cena em que as bruxas estão voando em cima de telhados da cidade, Benjamin Christensen e seu cameraman Johan Ankerstjerne fotografaram uma cidade miniatura (cada casa tinha aproximadamente 2 metros de altura) em uma enorme maquete, que foi toda feita manualmente e precisou de 20 homens para deixá-la pronta. Depois, diversos atores caracterizados e em cima de vassouras foram fotografados contra um fundo preto. Para fazer as vestes voarem com o vento, foi necessário um motor de avião. Um total de 75 bruxas foram fotografadas, cada uma individualmente, e depois uma impressora ótica especial foi construída por Johan para colocar as bruxas juntas.

    - Embora feito com dinheiro da Suécia, o filme foi todo filmado no estúdio de Benjamin Christensen na Dinamarca.

    - Apesar da maior parte das cenas do filme terem sido filmadas em estúdios fechados (isso porque Benjamin acreditava que os atores se sairiam melhores se fossem influenciados por uma atmosfera mais escura, sombria), o filme também contou com cenas externas. A maior parte dessas cenas foram filmadas à noite, o que era algo impensável para a época.
     
    • Gostei! Gostei! x 3
  2. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    gostei dessas curiosidades sobre a parte técnica do filme. lembro que na época que vi fiquei tão concentrada no tema em si que nem fui atrás de informações sobre isso.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
    • Ótimo Ótimo x 1
  3. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Se gostaram desse, recomendo "A Carruagem Fantasma", do velhinho-simpático-de-Morangos-Silvestres e pai do cinema sueco, Victor Sjöström. "Vampyr", do conterrâneo de Christensen, Carl Dreyer, também é muito bom.
     
    • Gostei! Gostei! x 3

Compartilhar