1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

"Geração Xerox" x "Geração Peter Jackson&quot

Tópico em 'De Fã Para Fã' iniciado por Terrapardense, 26 Jan 2004.

  1. Terrapardense

    Terrapardense Usuário

    "Geração Xerox" x "Geração Peter Jackson"

    Ainda me lembro do verão de 1989 quando um amigo meu apareceu com uma enorme pilha de fotocópias.... eram os primeiro livros de RPG AD&D (Basic e Compendium) e vários livros de um "tal de Tolkien" (O Hobbit, SDA, Silmarillion, Contos Inacabados e As Aventuras de Tom Bombadil), todos de Portugal, da famosa edição da Editora Europa-América.

    Tenho muito orgulho de ter feito parte da "Geração Xerox": os pioneiros do RPG e de Tokien no Brasil. É claro que alguns membros do Fórum já conhecem Tolkien desde os anos 70 graças a edição de 6 volumes da Editora (não me lembro o nome dela agora), mas mesmo eles, reconhecem que a "Geração Xerox" foi o começo de tudo... e foi graças a nós que o RPG se difundiu pelo Brasil e a Martins Fontes se interessou por Tolkien e lançou a famosa edição de 1995 (ou foi 1996 ?) de "O Hobbit" e de "O Senhor dos Anéis" (Verde, Vinho e Azul).

    Nos últimos 3 anos temos visto uma "invasão" de novos leitores graças ao sucesso dos filmes. Tolkien deixou de ser um "autor para jogadores de RPG" e passou a ser comum nas prateleiras do cidadão comum, culto e curioso, além de ter o nome reconhecido entre os grandes escritores do século XX da língua inglesa aqui no Brasil.

    Entretanto, desde a onda de novos leitores (aqueles que viram os filmes primeiro), eu vejo que muitos reclamam do velho Tolkien.

    A "Geração Peter Jackson" reconhecem Tolkien como um autor de imaginação magnífica e de grande esforço, mas não lhe poupam críticas como dizer que o livro é "muito longo", "descritivo demais", "chato", "complicado", "longo", "redundante", e até mesmo "mau escrito".

    É claro que eu não concordo com eles, mas é curioso ver que essas críticas são bastante comuns entre os novos leitores.

    Qual a diferença entre as Duas Gerações?
    Gostaria de ver a opiniões de vocês...
     
  2. Fëanor_Tilion

    Fëanor_Tilion Usuário

    Bem eu não faço parte da geração xerox e não faço parte também da geração Peter Jackson.
    Na época da geração xerox eu estava nascendo, então é sem chance de participar dela.
    Mas jogo rpg a 4anos, e sou fã do professor a esse mesmo tempo, portanto, eu li todos os livros antes dos filmes e portanto não sou da geração PJ.
    Essas críticas são comuns pq esses novos leitores fãs do filme antes de fãs do livro se acostumaram antes de tudo com a velocidade de um filme, e muitos desses novos leitores não são realmente fãs de livros, aí pegam um livro como o SDA, com todas aquelas páginas e desanimam de ler, e leêm apenas por ler, sem dar a devida atenção para a obra, portanto vão com certeza achá - lo chato,longo e porque não mau escrito,a afinal de contas, para quem não gosta de ler, o SDA deve realmente parecer mal escrito afinal de contas é muito descritivo ( o que eu adoro nas obras do Tolkien ).
     
  3. Elrond Meio-Elfo

    Elrond Meio-Elfo Usuário

    Mas o livro é mesmo mau escrito em muitos pontos... até os mais fervorosos Tolkiemaníacos admitem isso.
     
  4. Idril

    Idril Usuário

    Eu sou da Geração Peter Jackson . Sempre gostei de RPG ,embora não jogue sempre (quero dizer, dificilmente), de histórias e qualquer coisa quefosse ligada a Era Medieval, a RPG, a mitologia (não importa de onde). Eu passava horas em frente ao Mega Drive jogando aqueles joguinhos típicos que remetem ao medieval e a mitologia, assim como fico às vezes no pc fazendo mesmo.

    Sempre achei um prazer imenso ler , principalmente ivros grandes como SdA.
    É uma leitura agradável, só se torna difícil se você parar de prestar atenção noque está fazendo enão se interessar pela história em si. Quem acha SdA um livro muito longo, difícil de entender, bá bá blá, não sabe o que diz.

    Infelizmente muita gente hoje em dia prefere as informações e histórias já mastigadinhas, sem precisar fazer "esforço" para saber algo; gente preguiçosa que não recebeu estímulo suficiente na escola ou de qualquer outra pessoa quanto a maravilha de pegar um livro e ler. Por isso tem muita gente que, por exemplo, preferiu ir ao cinema ver SdA do que ler o livro, por preguiça (logicamente que tem aquela boa porcentagem que foi ver por já conhecer a história e aqueles que adoram filmes do gênero).

    Como todo livro, SdA tem suas falhas também.
     
  5. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Acho que esse tópico ficaria melhor no "De Fã para Fã" :roll:

    Eu sou da geração xerox. Eu comecei a jogar RPG com 11 anos de idade, e meu primeiro jogo foi um D&D xerocado em português de Portugal.

    Eu prezo muito os que começaram a tanto tempo quanto eu, já fui um tanto quanto radical com os mais novos, mas hj sou mais tolerantes. Me irrita um pouco sim aqueles que reclamam dos "detalhes a mais" no livro, ou aqueles que conhecem pouco; no entanto, hj, ao invés de simplesmente criticar, eu procuro instruir essas crianças naquilo que acredito ser o melhor caminho :D
     
  6. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Hmmm... seriam três gerações, não é? :wink:

    Xerox, livros, e PJ.

    Eu ficaria na geração livros. :mrgreen:

    Em certos aspectos, devo concordar com as opiniões dos extremos. O segundo livro/volume, por exemplo, foi um custo enorme para o término de minha leitura... como dizem os mais afoitos, é chato pra caramba.

    Em contrapartida, se o livro não fosse minucioso nas descrições chatas, o cinema não teria condições de retratar com uma foto toda a grandiosidade de Moria.

    O bom senso nos dita que cada mídia tem suas limitações. E que uma de certa forma ajudou a complementar a outra. :wink:

    E acho que Kabral está certo... caberia melhor no "de fã para fã" :think:
     
  7. Faram¡r

    Faram¡r Dr. Benway

    Em primeiro lugar eu acho essa diferença um tanto quanto artificial, pela forma que foi apresentada.

    De fato, nos últimos três anos criou-se um novo público leitor de Tolkien, estimulado pelos filmes lançados. Mas isso não quer dizer que esse público tenha necessariamente um perfil muito diferente do antigo leitor de Tolkien, que conheceu as obras pelas edições antigas, ou importadas.
    É importante não confundir fãs (leitores) de Tolkien de fãs de SdA. Os primeiros são fãs das obras de Tolkien e, eventualmente, dos filmes; os segundos são fãs dos filmes e de todo o marketing que se criou em volta deles.

    Críticas a Tolkien sempre foram feitas, inclusive por seus fãs. Eu pessoalmente adoro Tolkien e o considero um grande escritor, mas percebo que em alguns pontos ele cometeu exageros, nada que comprometa o brilho de suas obras. Não acho que essa característica sirva para diferenciar fãs novos e fãs antigos.

    De fato fãs antigos de Tolkien (dos anos 80 e ate fim dos anos 90) estavam associados em grande número ao RPG. Isso tem haver com o tipo de acesso que a pessoa tem a obra. Quando Tolkien não era tão divulgado na mídia e suas obras eram de difícil acesso, as pessoas que jogavam AD&D tinham uma proximidade a obra devido a sua grande influencia sobre a fantasia medieval moderna. Mas eu não acho que isso defina duas gerações distintas, pois ainda é muito grande o número de fãs de Tolkien que podem ser associados a prática de se jogar RPG. Na verdade, isso é um mero detalhe. Não importa se é jogador de RPG, fãs de Tolkien continuam sendo considerados nerds (ou cults, dependendo da perspectiva).

    O perfil do leitor de Tolkien certamente se tornou mais abrangente com a produção e lançamento dos filmes, mas não a ponto de criar uma nova geração de leitores com características distintas. A maior diferenciação continua sendo o acesso físico que a pessoa tem a obra. Seja por meio de fotocópias, livros ou livros mediados pelos filmes.
     
  8. Mi6

    Mi6 HMS

    Eu acho que me incluiria ai tambem. Li os livros pelos livros, sem saber que sairia os filmes. Mas conheci as obras pela MF, entao nao sou dos antigos. Nunca jogeui Rpg na minha vida.
    Eu nao sei, mas acho que uma geracao pos-filmes de certa forma sai prejudicada.
    Alguem que leia os livros apos assisterem os filmes podem sofrer com as diferencas de midia e influencia dos filmes. Nao eh todo mundo, mas o impacto do filme ser muito diferente dos livro, o ritmo o desnrolar da historia, pode gerar uma visao negativa de que Tolkien eh chato.
     
  9. Metz

    Metz ...

    Eu sou da geração PJ, pois eu fui ver o "A sociedade do anel" como qualquer filme e me apaixonei pela obra e principalmente pela criatividade do cara em criar um mundo novo e com todos estes detalhes. E então ralei pra caramba para conseguir os 75 pila pra comprar o livro. Mas não achei a obra chata pois gostei muito dos detalhes dela e depois de três anos eu ainda tô aki e já li todos os livros do Tolkien que foram lançados no Brasil. E pra mim essa coisa de filme já é meio ultrpassada, eu passei aquela fase entre apenas gostar de O senhor dos anéis e gostar do Tolkien como um todo. :D
     
  10. Bá, adorei esse tópico.

    Na verdade, o que me moveu a ler Senhor dos Anéis, foi o interesse por livros, exclusivamente. Eu tava naquela ondinha de Harry Potter e tal, até que vi aquela preciosidade de mais de 1000 páginas e comprei. Logo depois que eu acabei de ler SdA, achando tudo o máximo, porque eu sempre amei coisas medievais e tal, surgiram os filmes e toda aquela loucura. Isso só serviu pra me fazer ter maior interesse pela obra e daí em diante, buscar mais e mais informações. :eek:

    Li os livros antes de ver os filmes, mas acho que estou entre a Geração Livros e a Geração PJ, apesar de querer ter conhecido toda a obra muito antes. Agora estou rumo ao Silmarillion, e procurando loucamente alguém que me ensine a jogar RpG! Sei lá, uma coisa puxa a outra! :mrgreen:

    E se tem alguma falha nos escritos de Tolkien, eu não notei até agora. Cara, pra mim ele fez um trabalho brilhante! Citem um escritor que tenha construído um mundo inteiro com seus livros, com tanta riqueza de detalhes quanto o Tolkien! É isso que engrandece a obra, não o que a torna chata! E 'chato' é um adjetivo tão supérfluo pra designar qualquer coisa de Senhor dos Anéis! 8-)
     
  11. Nandorë

    Nandorë Usuário

    Bem, de certa forma eu posso me incluir na geração PJ, embora eu tenha lido os livros antes da estréia do primeiro filme.
    Eu adoro ler desde criança, mas infelizmente nunca tinha tido a sorte de ouvir falar de Tolkien, ou já teria lido há muito tempo. Ouvi falar do Senhor dos Anéis pela primeira vez quando li na internet que um "maluco" estava cometendo a "audácia" de filmar SdA e falava do Tolkien, da sua obra e da dificuldade para filmá-la. Então me interessei e comprei o livro um tempo antes do filme estrear.

    Sempre gostei de livros longos e com muitas descrições, pois acho muito gostoso ficar imaginando uma certa pessoa ou lugar com base nas descrições do autor, então nunca me incomodei nem achei o livro longo demais ou chato. Não acho que Tolkien tenha exagerado em qualquer parte, pra mim mesmo a descrição de alguma flor, floresta, povos ou o que for é importante e é agradável.

    Acho que o problema em relação a muitas pessoas que viram o filme e depois resolveram ler os livros é que há pessoas que não gostam de ler. Conheço gente que não curte ler nem um pouco, mas como gostou do filme resolveu "fazer o esforço" de ler o livro pra ver se era melhor. Então é claro que essas pessoas vão achar o livro chato, com muitas descrições etc...
    Não tenho nada contra essas pessoas, mas é melhor que leiam o livro porque gostam de ler e querem aprender mais, e não simplesmente porque os filmes são bons. É claro que alguém que detesta ler vai achar chato um livro de mais de 1000 páginas, nem podia deixar de ser diferente.
     
  12. Metz

    Metz ...

    Muito bem lembrado Nandore! Eu não pertenço a esta classe pois eu gosto de ler e fui caçar os livros logo após o primeiro filme por estar maravilhado e eu nem sabia desse turbilhão sobre o filme, mas agora por toda parte eu vejo uns caras que nem gostam de ler tentando ver se é aquilo como todos falam, daí desistem e falam que o livro é uma m****. :x
     
  13. Terrapardense

    Terrapardense Usuário

    ESCLARECIMENTO

    Não foi minha intenção supor qualquer rivalidade entre as "Gerações", mesmo pq, ao usar as "ASPAS", eu estava apenas tentando facilitar a cronologia dos leitores.

    E como foi dito, eu concordo que existem "outras gerações " como aqueles que leram os livros em meados dos anos 90. Ou seja, depois dos "xerox" e "antes dos filmes".

    Só coloquei essa questão para discutir pq as críticas aos livros de Tolkien são bem mais correntes e ferozes entre os novos leitores.
     
  14. Nob

    Nob Usuário

    Eu jogava RPG antes, e resisti um bom tempo às obras de Tolkien. Porém, depois de ver o primeiro filme, essa resistência acabou, e eu li os livros que tive acesso. Porém, acho que sem o RPG eu não teria lido o SdA, ou não teria nem visto o filme. Então, pode-se dizer que Tolkien influenciou a criação do RPG, que por sua vez me influenciou a ler Tolkien.
     
  15. Lothiriel

    Lothiriel Usuário

    As vezes isso é visto como um preconceito eu diria. Me interessei por tolkien qdo soube do lancamento dos filmes, consequentemente eu sou da geracao filme fa de tolkien a tres anos. Foi gracas ao filme q eu conheci tudo o que hoje eu admiro demais e prezo, a minha colecao de livros do tolkien. Problema é daqueles que viram e amaram o filme mas nao conseguiram ler um livro se quer. Nao me assustei nem um pouco em de cara encarar 1200 paginas simplismente pq eu tava interessada DEMAIS em tudo aquilo que eu tinha visto e lido sobre tolkien.

    Acho que a melhor coisa é o tempo. Quando toda essa poeira dos filmes baixar ficaram aqueles que realmente admiram tolkien sejam eles da geracao q for.
     
  16. Malgalad

    Malgalad Usuário

    Re: "Geração Xerox" x "Geração Peter Jackson&quot

    Os filmes ajudaram a aumentar a fama dos livros, e isso foi muito bom.
    a "Geração Xerox" estava em franca decadência, visto que é cada vez mais raro ver pessoas afccionadas por RPG por aí. Os filmes fizeram aparecer novos fãs, novos interessados, e isso propagou o Universo Tolkien.
    Tudo bem, alguns lêem e falam que não gostaram. Mas esses podem falar isso, porque leram os livros. Pior são aqueles que viram os filmes - e apenas os filmes - e se sentem no direito de dar opinioões sobre os livros.
    Não deveríamos estar todos felizes pela propagação das obras do Professor?
     

Compartilhar