• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Béla van Tesma

Nhom nhom nhom
Colaborador
Ésquilo (c. 525-456 a.C.)

Um dos poetas trágicos mais conhecidos da Antiga Grécia, Ésquilo nasceu em 525 a.C., em Elêusis, sede dos Mistérios de Elêusis, ritual de iniciação ainda pouco conhecido em nossos dias. Chegou a ser acusado de divulgar segredos importantes dessa cerimônia, mas foi finalmente liberado de qualquer suspeita. Atuou como soldado em Maratona, Salamina e Plateias, constituindo-se em herói grego quando tinha apenas 35 anos. Dessas experiências lhe teria vindo uma das maiores fontes de inspiração para sua obra teatral.

A civilização ateniense, que Ésquilo viu se consolidar através da prática democrática, quase sucumbiu diante do inimigo, sendo salva por uma famosa batalha naval, a de Salamina, consagrada pelo dramaturgo na célebre Os Persas, escrita oito anos depois desse combate. Em Siracusa, como hóspede do tirano Hierão I, teve contato com a mística sabedoria dos adeptos de Pitágoras, outra influência em sua obra, marcada pelo retrato da dor, através das narrativas sobre deuses e mitos, destacando-se Prometeu Acorrentado.

Segundo alguns estudiosos de sua obra, Ésquilo teria produzido 79 tragédias, enquanto outros lhe atribuem a criação de pelo menos 90 peças, das quais foram preservadas na íntegra apenas sete, além de alguns fragmentos de outras. São elas: Os Persas (472 a.C.); Sete contra Tebas (467 a.C.); As Suplicantes (c. 463 a.C.); Prometeu Acorrentado (c. 462-459 a.C.); Agamêmnon (458 a.C.); Coéforas e Eumênides (458 a.C.). As três últimas formam a única trilogia que sobreviveu integralmente — a Orestéia —, uma das mais comoventes peças trágicas da Antiguidade.

As tramas desenvolvidas por Ésquilo refletem seu tom apaixonado. Os diálogos ardentes e os enredos por ele urdidos eram claramente oriundos de uma era heroica. Otimista inveterado, nas suas peças o bem sempre vence o mal. Mas logo a Grécia mergulha em novo dilema existencial: o combate pela supremacia entre os outros povos. Desse contexto nasce a primeira tragédia conhecida, As Suplicantes.

Na peça Prometeu Acorrentado, o dramaturgo traduz sua posição política, alinhada com a nobreza, contraposta ao novo regime e aos governantes emergentes. Com essa obra ele é preterido em um concurso por um adversário mais jovem, Sófocles, no ano de 468. Na época, muitos achavam que essa derrota era reflexo de sua postura na política. Ésquilo continua firme em seus ideais e, quando a recém-nascida ordem retira do próprio Areópago — o Supremo Tribunal Ateniense — seus privilégios, defende esse órgão institucional através da produção de As Eumênides.

Ésquilo estava praticamente inserido entre duas eras distintas, tanto na política quanto nas esferas da religião e da ética. Embora fosse um adepto da racionalidade helênica, adotou o monoteísmo. Assim, ele oscila entre o misticismo do Oriente e a filosofia grega vigente na época em que viveu. Essas características influenciaram profundamente sua obra, que localiza a presença do mal no próprio Homem, anulando assim a interferência dos deuses na instauração das imperfeições entre os seres viventes. Sua visão espiritualizada é o ponto essencial que o distingue dos demais dramaturgos.

Narram as histórias tradicionais que Ésquilo morreu ao ser atingido por uma tartaruga, lançada em sua cabeça calva, confundida com uma pedra por uma águia, que tinha como objetivo romper a carapaça do animal. :rofl:

Fonte: Ana Lúcia Santana (adaptado)
Infoescola


Características do teatro de Ésquilo
[…] Ésquilo acrescentou importantes inovações à tragédia, como o uso de máscaras, a utilização do coro como instrumento de seu lirismo e o emprego do diálogo ao colocar um segundo ator em cena, conferindo grande força dramática às suas apresentações.

Como outros autores de sua época, Ésquilo atuava em suas próprias obras, se encarregando também da coreografia e da encenação.

A obra de Ésquilo expressou a negação do conceito de culpa coletiva. Significou também a afirmação do direito sobre a arbitrariedade, da dignidade e da autonomia do homem perante os deuses e o destino.

Ésquilo foi considerado um dos três grandes representantes da tragédia grega, ao lado de Sófocles e Eurípides.​

Fonte: Dilva Frazão
E-biografia

esquilo1.png

Obras disponíveis:
Os persas
Sete contra Tebas
As suplicantes
Prometeu acorrentado
Agamêmnon (Oresteia I)
Coéforas (Oresteia II)
Eumênides (Oresteia III)



Edições disponíveis no mercado:
Algumas edições disponíveis hoje no mercado, sem considerar as já fora de catálogo, encontráveis em sebo, etc.
Tragédias (inclui: Os persas; Sete contra Tebas; As suplicantes; Prometeu acorrentado)
Tradução: Jaa Torrano
Editora: Iluminuras
(Edição bilíngue)
Ano: 2000
Páginas: 432

Oresteia I: Agamêmnon
Tradução: Jaa Torrano
Editora: Iluminuras
(Edição bilíngue)
Ano: 2000
Páginas: 157

Oresteia II: Coéforas
Tradução: Jaa Torrano
Editora: Iluminuras
(Edição bilíngue)
Ano: 2000
Páginas: 160

Oresteia III: Eumênides
Tradução: Jaa Torrano
Editora: Iluminuras
(Edição bilíngue)
Ano: 2000
Páginas: 160

Os persas
Tradução: Mário da Gama Kury
Editora: Zahar
(Edição de autoria múltipla)
Ano: 1992
Páginas: 224

Prometeu acorrentado
Tradução: Mário da Gama Kury
Editora: Zahar
(Edição de autoria múltipla)
Ano: 1993
Páginas: 224

Oréstia: Agamêmnon, Coéforas, Eumênides
Tradução: Mário da Gama Kury
Editora: Zahar
Ano: 1991
Páginas: 2000

Persas
Tradução: Manuel Oliveira Pulquério
Editora: Edições 70
(Edição portuguesa)
Ano: 2014
Páginas: 72

Prometeu agrilhoado
Tradução: Ana Paula Quintela Sottomayor
Editora: Edições 70
(Edição portuguesa)
Ano: 2023
Páginas: 100

Oresteia: Agamémnon, Coéforas, Euménides
Tradução: Manuel Oliveira Pulquério (?)
Editora: Edições 70
(Edição portuguesa)
Ano: 2008
Páginas: 248

Os persas: de Ésquilo
Tradução: Trajano Vieira
Editora: Perspectiva
(Edição bilíngue?)
Ano: 2013
Páginas: 144

Sete contra Tebas
Tradução: Trajano Vieira
Editora: Ed. 34
(Edição bilíngue)
Ano: 2018
Páginas: 152

Agamêmnon: de Ésquilo
Tradução: Trajano Vieira
Editora: Perspectiva
(Edição bilíngue?)
Ano: 2019
Páginas: 192

Prometeu prisioneiro
Tradução: Trajano Vieira
Editora: Ed. 34
(Edição bilíngue)
Ano: 2023
Páginas: 184

Prometeu acorrentado
Tradução: Maria Aparecida de Oliveira Silva
Editora: Martin Claret
Ano: 2019
Páginas: 120

Os sete contra Tebas
Tradução: ??
Editora: L&PM Pocket
Ano: 2003
Páginas: 112
 
Última edição:

Valinor 2023

Total arrecadado
R$2.404,79
Termina em:
Back
Topo